1. Spirit Fanfics >
  2. Selvagem >
  3. Ameaças

História Selvagem - Capítulo 15


Escrita por:


Capítulo 15 - Ameaças


Fanfic / Fanfiction Selvagem - Capítulo 15 - Ameaças

O alfa ajeitou os óculos em seu rosto, enquanto terminava de preencher os relatórios do último caso que atendeu. Escutou a campainha tocando e suspirou, largando a caneta e os papéis em cima da mesa e se levantando, indo atender a porta. Pela manhã, Jennie acordara com febre e o alfa acabou deixando a garota faltar à escola, além de decidir trabalhar em casa para cuidar da filha.

Quando abriu a porta, um ômega baixo passou por si furioso, nem o dando tempo de convidá-lo a entrar. Fechou a porta atrás de si e se virou para olhar o jornalista que o encarava com os braços cruzados e uma feição raivosa.

— Posso ajudar, Baekhyun? 

— Como você fez? 

— Fiz o quê? — questionou confuso.

— O jornal com a reportagem sobre o Huang. — esclareceu. — Como você fez para que ele fosse recolhido tão rápido? 

— Não sei do que você está falando… — mentiu.

— Não finja de sonso, xerife. — riu sem humor. — Você realmente acha que eu não sei? — bufou. — Acha que eu sou tão burro assim?

— Você deveria ser mais claro em suas acusações, Byun. — ajeitou os óculos, franzindo as sobrancelhas.

— Acha que eu não sei que você ligou para cada chefe dos jornais da cidade e os fez abandonar as matérias sobre Zitao? — vociferou. — O caso Huang é o mais famoso da cidade e todos os repórteres com certeza iriam escrever sobre ele, mas de algum jeito você conseguiu fazer com que todos fossem repreendidos para que não escrevessem. — acusou. — Eles nem sequer chegam perto daquela casa para não perderem o emprego! — disse exasperado. — E quando eu consigo fazer com que o meu chefe publique a reportagem, você faz com que ela seja tirada de circulação.

— Você não pode me culpar pelos seus colegas de trabalho terem mais noção e empatia do que você! — o lúpus rebateu, cruzando os braços em irritação. — Já disse que não sei do que está falando, ômega.

— Como você fez? — repetiu a pergunta. — Foi chantagem ou o quê? — perguntou raivoso, não medindo o tom de voz para falar com o xerife. — Isso é abuso de poder, sabia?

— E por que não me denuncia então? — Yifan rebateu, provocativo. — Você não tem prova alguma de que eu estou no meio disso. Suas acusações são todas infundadas e se não começar a repensar no seu comportamento eu vou ser obrigado a te prender por desacato. — ameaçou. — Agora, se não se importa, eu estou cheio de trabalho para fazer e a minha filha está passando mal. Saía da minha casa. — ordenou, abrindo a porta atrás de si.

Baekhyun encarou o xerife e se o olhar matasse, Yifan tinha certeza que morreria ali mesmo. O repórter bufou, ajeitando a postura e começando a caminhar em direção a saída, sentindo o olhar irritado do lúpus sobre si.

— Eu não sei como e nem o porquê você está protegendo esse ômega… — disse baixo, parando em frente ao xerife. — mas eu vou descobrir. — avisou.

O lúpus seguiu o Byun com o olhar, o assistindo entrar em sua caminhonete e dar partida, sumindo de suas vistas. Fechou a porta, respirando fundo para se acalmar e manter a cabeça no lugar.

Sabia muito bem que Baekhyun não iria lhe deixar em paz.

Também sabia que o repórter não estava errado.

Yifan realmente havia ligado para cada chefe dos jornais da cidade, cobrando alguns favores — como não prendê-los por dirigir embriagado ou coisas do tipo — para que eles não importunassem Zitao. Do mesmo modo que havia feito com o chefe do Byun, para que ele mandasse recolher as edições com a matéria sobre o ômega. Não que se orgulhasse de usar esses meios, mas se isso iria proteger seu ômega nem sequer pensou duas vezes em utilizá-los.

Sua atenção rumou para a pequena alfa descendo as escadas e usando pijama e segurando um ursinho de pelúcia em mãos. Sorriu, se agachando para ficar da mesma altura que a filha — mesmo que continuasse maior do que ela — e sentindo a mesma abraçar seu pescoço.

— O que foi, princesa? — perguntou, acariciando as costas da menor.

— Eu quero a torta de pêssego da mama Kim… — Jennie falou com um biquinho e uma carinha extremamente fofa, a qual Yifan sabia que a menor havia puxado da mãe.

— Mas você está doente, filha, tem que comer coisas saudáveis. — disse, vendo o biquinho da menor aumentar ainda mais.

— Mas e se eu melhorar se comer a torta? — questionou, sentindo seus olhinhos lacrimejarem enquanto olhava para o pai. — Por favorzinho, papai? — fez manha e Yifan suspirou.

— Isso é maldade comigo! — o mais velho disse, tentando imitar o biquinho da filha e arrancando uma risadinha da mesma. — Ok, ok! Vamos trocar de roupa e ir comprar a torta… — cedeu.

Jennie sorriu, deixando um beijo na bochecha do pai e agradecendo, antes de subir para trocar de roupa. Yifan se levantou, rindo baixo. Mesmo que as pessoas tivessem a visão de um alfa sério e mau, talvez fosse apenas um pai babão que não aguentava negar algo para a filha, especialmente quando a mesma fazia a carinha de gato abandonado para lhe pedir alguma coisa.

xXxXxXx

Yifan caminhava com a filha no colo, voltando do restaurante da mama Kim. Infelizmente o lugar estava fechado quando chegaram, o que era estranho, mas após ligar para a mulher e saber que a mesma estava com Junmyeon, entendeu o motivo. Yixing havia o contado sobre o resultado do exame do ômega e Kris sentiu muito pelo casal. Até propôs que Yixing tirasse alguns dias de folga para ficar com o ômega, mas o alfa recusou.

— Não fica triste, filha! — pediu, acariciando os cabelos longos da menina. — Amanhã você vai poder ter quantos pedaços de torta você quiser. — garantiu, tentando animar a Wu.

— Mas… — a alfa se interrompeu ao levantar o rosto do ombro do pai e ver uma figura andando do outro lado da rua, parecendo alheio ao resto do mundo. — Taozi! — gritou, chamando a atenção do ômega.

O lúpus se virou para olhar e sorriu ao ver Zitao parado olhando para os dois com uma feição envergonhada. Ajeitou a filha no colo ao ver o ômega andando em direção aos dois devagar, como se pensasse se deveria mesmo se aproximar.

— Olá, Zitao! — a voz rouca pronunciou, percebendo o corpo do menor estremecer levemente.

— Oi… — o Huang disse baixo, focando seu olhar na garotinha no colo do pai, evitando olhar para o maior.

— Taozi, eu tô’ dodói… — a alfa disse.

Zitao franziu as sobrancelhas, levando a mão direita até o rosto da menor e sentindo uma leve quentura, denunciando a febre da Wu. Deixou um leve carinho na cabeça da mesma antes de abaixar a mão, sentindo os olhos vermelhos o analisando atentamente.

— Chá de limão… — disse baixo, olhando para Yifan, que deixou transparecer a dúvida pela fala do ômega. — Ajuda com a febre. — comprimiu os lábios.

— Mas eu quero torta de pêssego da mama Kim e não chá… — Jennie fez um biquinho triste, atraindo a atenção dos mais velhos.

— Mas o restaurante está fechado, filha. — o xerife disse. — A mama Kim está dando atenção pro titio Jun, você não quer que ela deixe o titio Jun triste só para fazer torta, quer? — perguntou calmo, dando um pequeno sorriso para a menor em seu colo.

— Não! — negou com a cabeça. 

Zitao pigarreou, chamando a atenção dos Wu’s e se encolhendo ao sentir o olhar dos dois em si.

— Eu… — começou, incerto se aquilo era uma boa ideia. — Eu posso fazer…


Notas Finais


Baekhyun pistolou...
Jennie dodói, eu quero cuidar delaaaaa
Yifan pai babão do ano!
Taozi se oferecendo pra cozinhar pra futura enteada itiiii
TAORIS NO PRODUCE CAMP ACABOU COMIGO.
VOCÊS VIRAM O YIFAN PEDINDO PRO TAO DIZER "MEU CORAÇÃO BATE APENAS POR VOCÊ" PRA ELE??? E O ZITAO FALANDO?????? GENTE EU NÃO SEI VOCÊS MAS EU ACHO QUE O OTP É REAL HEIN (kkkkkkkkkkk)
Kissus =3

Twitter: https://twitter.com/wuyifxxck


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...