História Sem Açúcar - JOMAZ - Capítulo 2


Escrita por:

Visualizações 175
Palavras 2.007
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Crossover, Drabs, Drama (Tragédia), Droubble, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Lírica, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Hey Honeymoon!
Voltei depois de mil anos eu finalmente tive vergonha de vir atualizar essa fic que pelo visto, vocês gostaram bastante.

Eu fico bastante feliz pelos mais de 20 favoritos que nós tivemos só no primeiro dia de lançamento dessa fic. Enfim, sem enrolação, vamos para o segundo capítulo de Sem Açúcar.

Capítulo 2 - Adoçante


Esses dias na casa da minha tia estão sendo inteiramente entediantes. Eu não posso sair para lugar nenhum sem minha mãe ficar nos vigiando por todo momento. É difícil eu ter que ficar parado aqui nesse sofá inútil. Eu peguei meu celular e logo o desbloqueei.

Logo vi três mensagens da Larissa, uma das minhas amigas que ficou lá na Europa.

“João, como tá sendo seus dias aí na casa de sua tia?”

“nosso colégio está sentindo sua falta, é difícil não ver seu harmonioso rosto.”

“Hey, I got a Bed wt (with) ur name on it. kiss”

Eu estiquei meus lábios e logo abri um sorriso ao ver aquelas mensagens da Larissa. Ela sim me fazia feliz. Apesar de nunca confessar o quão grande era meu sentimento por ela, eu guardo boas lembranças de nossos dias na Mbjay High School.

Eu não tenho como evitar, eu sempre fui feliz naquela escola que graças a demônios da separação eu tive que interromper minha felicidade.

Não tem absolutamente ninguém dentro dessa casa, então é melhor eu ir até o banheiro. eu dava passos largos e rápidos, eu estava muito apertado nem conseguia segurar mais. precisava tirar essa água do joelho mais rápido possível, não quero me urinar. Após abrir a porta eu dou de cara com um box totalmente borrado com o valor da água e por trás dele vi a silhueta de Thomaz. Eu fiquei sem reação apenas fiquei paralisado.

— Mãe, eu já disse que eu já tenho um shamp... JOÃO? – gritou o mesmo de desespero e de agonia. Eu podia sentir sua tensão em seus olhares. Ele logo desligou o chuveiro e se cobriu com a toalha. – Oque faz aqui? – perguntou.

— Me desculpe... Eu não queria atrapalhar seu banho. – digo dando três passos para trás.

— Não! Fica, oque você queria fazer aqui? – perguntou o mesmo passando a mão em seus fios de cabelo ainda molhados.

— Eu vim urinar, posso ir? – digo ainda com um pouco de tensão.

— Vai, só não faz mais isso hein. Vai que eu estivesse em meus momentos de prazer. – logo o mesmo solta uma risada sarcástica.

— Não, prometo. – sorrio e logo sai do banheiro.

Meu Deus! Que homem! Acho que dentro de algumas vezes, essa foi a primeira vez que vi outra pessoa do mesmo sexo que eu pelada. Sem dúvidas eu não vou tirar essa cena da minha memória. Logo o vejo sair do banheiro com uma cara de envergonhado pelo que tinha se passado dentro do banheiro. Eu me sentei no sofá e logo mandei mensagens para Giovanna, minha irmã. 

Ela sabia que eu gostava dos sexos, acho que ela ficaria mais exaltada do que ultimamente. Ela não pode saber de uma notícia dessas que... Só Deus sabe.

“Giih, você não sabe oque eu acabei de ver;” 

Logo lhe enviei e em menos de 13 segundos ela já tinha me respondido.

“OQUE???  Conta logo jão!” - respondeu.

“Eu acabei de ver o Thomaz, nosso primo, pelado no banho” 

“Comassim? Eu quero saber dessa história agora.” - respondeu a mesma.

— JOÃO! VEM CÁ POR FAVOR? – quando eu iria responder Thomaz me chama para ir até nosso quarto. bufei e me levantei do sofá jogando o meu celular no centro da mesa e fui até o quarto temendo que alguma coisa de ruim iria acontecer lá.

Ao chegar no quarto me deparo com Thomaz de cueca, era possível ver o quão grande era o pênis dele. Eu simplesmente me aproximei mais e me sentei na cama esperando oque ele tinha para me falar. Quando ele estava prestes a dar outro grito ele percebeu minha presença, eu já estava na cama olhando seu corpo por trás. 

— Você está aí. – disse dando um grande sorriso ao me ver. — preciso muito de sua ajuda. eu vou me encontrar com uma menina aí, que queria que você me desse dicas de como devo me arrumar. Não quero passar uma má impressão para ela. – disse ele se sentando na minha frente com uma expressão como se estivesse necessitando daquilo.

— Mas por que eu? – lhe questiono logo me ajeitando na cama.

— Você veio da Europa, deve saber como se vestir bem. Afinal suas roupas são todas de grifes.

— Está bem, por onde quer começar? 

— Bem, o estilo dela é mais dessas meninas do Tumblr sabe? Esse estilo meio gringo mas com um pouco de toque brasileiro. – disse Thomaz pegando seu celular que estava na cama e o desbloqueando. – tipo assim.– disse ele me mostrando a foto da guria. 

Ela era realmente muito linda, olhos verdes, cabelo castanho e grande e com poucas sardas visivelmente bem típicas. Eu logo retirei minha atenção do celular e olhei para seu rosto e logo me levantei pegando em sua mão e se levantando. 

— Vem cá, vou te mostrar alguns jeitos de se vestir. – digo o levantando. 

— Isso! Eu estava esperando ansiosamente por isso! – disse ele visivelmente muito contente.

Eu o levo até a minha parte de nossos guarda-roupa e pego algumas peças de roupa que eu achava que talvez iria combinar com o estilo da garota e também ficaria mais a cara do Thomaz. 

— UOU! Você tem roupas da Gucci? Quando era sua mesada? Três milhões de euros? – me perguntou Thomaz pegando uma peça de roupa da grife.

Eu apenas dou uma gargalhada – Meus pais são médicos, eu não posso me vestir com roupas do camelódromo. – digo retirando a camisa de sua mão. 

Após pegar todas as peças que talvez possam ser a cara do estilo do Thomaz, já que eu tenho um armário cheio de roupas com marcas famosas, peguei apenas as que iram valer a pena testar e experimentar. Eu logo começo a formar conjuntos com as roupas usando alguns tênis, ALLstar, sapatos de grifes e alguns acessórios do Thomaz. 

Eu logo comecei a explicar como iria funciae cada roupa e como ele iria fazer para que pudesse entrar em seu corpo, já que existe uma grande diferença em nosso porte físico. 

— Essa daqui é uma camisa da Supreme, que na minha visão combina totalmente com essa calça moletom preta e esse tênis da Vans. Oque acha? – o pergunto mostrando a roupa.

— uhm... Acho que não. – disse-me com um olhar confuso.

— Está bem, essa daqui é uma camisa escrito 'Gonna Get Better' que é uma música de uma girlband estadunidense, chamada Fifth Harmony, traduzindo ela fica totalmente 'Vai melhorar', como você pode ver é de uma cor pastel e com essa calça jeans da forever 21 Azul claro e esse tênis da Adidas branco. Básico porém delicado. Oque achou? – o pergunto.

— Primeiro, eu não conheço esse tal de Fifth Harmony, Então melhor não. – disse ele partindo para o próximo look.

— já esse é básico porém sofisticado. É uma blusa preta com esse bolso estampado em xadrez e essa bermuda leve preta. E esse tênis preto com essa barra cor de bege escuro. – digo logo implorando para que ele aceite.

—  Tá aí! Gostei, simples, bonito, e fica minha cara. – disse ele olhando a roupa com brilho nos olhos. 

— Acho que meu trabalho terminou por aqui... – digo satisfeito. 

Eu logo me viro para sair do quarto quando sinto a mão do Thomaz segurar meu pulso fortemente. Logo me viro para qual será a próxima coisa que ele irá me pedir. 

— Ainda não acabou. Só está faltando uma coisa. – disse Thomaz aproximando seus lábios no meu e me dando um beijo de língua calmo e suave. Deus! Não existe coisa melhor. — agora seu trabalho acabou, me lembre de te agradecer mais tarde. – disse o mesmo desgrudando nossos lábios e sussurrando.

— Ta-Ta Bom. – digo com a voz trêmula e ente gaguejando. 

Meu Deus, Thomaz, não tem como você repitir isso? Pena que já está de olho em outra pessoa. Mas espera. Se o Thomaz me beijou e ele esta prestes a se encontrar com uma menina, isso faz dele bissexual? Ou eu estou criando paranóias. Deu por hoje não. 

— Se não dar certo hoje, você se oferece para ser minha açúcar no meu chá sem gosto? – perguntou Thomaz com uma expressão maliciosa.

— Talvez, mas eu estarei torcendo que dê tudo certo entre vocês. Pensamentos positivos, primo, só positivos. – antes de sair dou um beijo em seus lábios que nem fizeram esforços para encostar minha boca neles. Neutro estavam, neutro ficaram.

Após sair Thomaz deu um leve aperto em minha bunda me fazendo ficar um pouco duro. Era difícil se conter. Eu estava adorando isso. Parece que não está sendo tudo muito chato na casa da minha tia. Graças a Deus que eu tenho o Thomaz. Eu menti quando disse que estava torcendo para que desse tudo certo, pois eu quero me divertir também, faz 48 dias que eu não transo, não estou aguentando mais, nem as minhas punhetas que estão ajudando como elas faziam. Quer dizer elas até ajudam, mas quero pôr em prática. 

Logo saí do quarto, e fui para sala e me joguei no sofá. Suspirei de satisfeito e de alegria, eu nunca imaginei que isso iria acontecer comigo, digo, eu já imaginei, mas nunca pensei que fosse se tornar realidade. 

Enquanto relembrava desses momentos quentes que eu e o Thomas acabamos de ter, a campainha começou a soar, e eu fui atender. Sem dúvidas era minha mãe com as compras. Junto com a Giovanna, mas ela não é muito importante. Logo abri a porta e dou de cara com a mesma menina da foto que o Thomaz me mostrou agora pouco. Oque ela está fazendo aqui? 

Prazer, Jade Picon. O Thomaz está? – perguntou a tal garota com uma expressão de desconfortável. 

Oque ela veio fazer aqui? É porque ela quer saber do Thomaz? Ela irá vê-lo em alguns minutos. Deve ser dessa garotas psicopata. Suspeito... 

— Sim ele está. Oque você quer com ele? – pergunto na maior frieza.

— Eu vim desmarcar nosso encontro, eu irei viajar, não irei poder ir. – disse a menina triste. 

— Pode deixar, irei avisar. – digo dando um sorriso forçado.

— Obrigada. Você é oque dele? – me perguntou a menina.

— Primo. Estamos morando juntos por tempo indeterminado. – digo prestes a fechar a porta.

— Que bom! Eu já estou indo. Diga para ele que eu mandei um beijo. – disse a menina dando as costas para mim.

— Pode deixar. – digo fechando a porta.

Eu logo pulei de alegria e felicidade e fui até o Thomaz contar essa "triste" notícia. 

— Tho? 

– Fala João, tô aqui. – disse ele colocando a sua cabeça para fora do banheiro.

— A Jade veio aqui, e disse que não vai se encontrar com você, pois achou uma pessoa melhor. – eu menti, mas eu só queria ver o circo pegar fogo.

— Oque? Como assim? – me perguntou o Thomaz assustado.

— Pois é, ela disse que você não fazia o tipo dela. – eu sei que isso é errado, mas eu quero me divertir com o Thomaz essa noite. 

— Que Filha da... – ele parou e respirou fundo. Eu sei como deixá-lo irritado, então nada melhor que ele descontar essa raiva em mim. Só que na cama. Óbvio.

— Você tem a mim. Se quiser óbvio. – digo olhando para ele com um olhar malicioso e um pouco safado. 

Thomaz se aproxima de mim e logo junta nossos lábios dando um baita beijo. O beijo era calmo, mas logo foi se tornando quente e excitante. Ele me jogou na cama e veio para cima de mim. Ele tirou sua camisa e a jogou de lado. Ele voltou a me beijar e a esfregar nossas ereções que estavam dentro de nossos calção e bermuda. 

Eu estava adorando aquilo, até ouvir a campainha tocar. Droga! Logo agora?  Nós paramos o beijo e ele saiu de cima de mim e deitou ao meu lado.

— Vai lá ver que é, tô cansadão. – disse Thomaz me olhando profundamente.

— está bem... Estou indo, mas me promete que iremos continuar? – digo me levantando. Logo em seguida Thomaz faz o mesmo. 

— Tudo que você quiser, meu amor. – ele me chamou de amor? Disse ele me olhando com um sorriso estampado em seu rosto. Ele logo me deu um selinho e se sentou. – vai logo que eu não estou aguentando mais. – continuou. 


Notas Finais


E então? Como foi?
Gostaram desse capítulo anjos.
Para quem está recebendo essa notificação com um icon e um user diferente, saibam que eu sou o antigo 'greedy-' que agora é 'cmilizer' decidi mudar por está já enjoativo e sem nexo. Então não se assustem pls.

Eu vejo vocês nos próximos capítulos? Eu espero que sim, e novamente obrigado por todos os favoritos em só apenas 3 dias SZ, love u bye


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...