História Sem alma, Sem perdão - Capítulo 17


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Akamaru, Anko Mitarashi, Asuma Sarutobi, Chouji Akimichi, Deidara, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Hanabi Hyuuga, Hidan, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kabuto, Kakashi Hatake, Karin, Kiba Inuzuka, Konan, Konohamaru, Kushina Uzumaki, Mei, Minato "Yondaime" Namikaze, Nagato, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Pain, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Shino Aburame, Temari, TenTen Mitsashi, Yamato
Tags Naruhina, Naruino, Narukushi, Narusaku, Narushizu, Narutema, Naruten, Naruto Narutsuna
Visualizações 779
Palavras 1.104
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ecchi, Ficção Adolescente, Harem, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 17 - A primeira chuva


Fanfic / Fanfiction Sem alma, Sem perdão - Capítulo 17 - A primeira chuva

Naruto pov.

Lá estava eu, sentado em uma cadeira de madeira com a mão de konan em minha boca, ela encaixava cuidado em meu pau, agora com seu cuzinho que o recebeu de bom grado, transformando em seu konan quicava e puxava meu pau mas pro fundo de sua bunda, gemendo abafado a mulher soltava gemidos silenciosos, ela continuava cavalgar.


Konan era diferente de transar, ela me torturava de uma forma prazerosa, ia da base até a ponta em suas cavalgadas, aquilo era otimo mas eu me sentia mal, a mulher logo se deitou e me chamou, ajoelhei entre suas pernas, com um tom de ordem ela disse.


- faça, agora. Engoli seco e abaixei a cabeça, comecei a estocar em sua vagina com força e velocidade, a mulher gemia em silêncio tapando sua boca com as mãose enquanto fechava os olhos, estocava como ela mandava, a mulher movia de forma oposta a mim com a mesma velocidade, novamente ela levantou me pois na cadeira, ela se ajoelhou e passou a língua em minha cabecinha, ela começou a me masturbar com a ponta da língua, incentivando o endurecimento, ela continuou e eu não desisti gozei na boca da mulher, que só esperou esse ato para colocar até o fundo em sua boca, eu gemia sentindo a garganta profunda que ela me oferecia se acabar aos poucos, ela levantou e acariciando a cabeça de meu pau ela ficou a me beijar.


Ela saiu já vestida, depois de 10 minutos foi a minha vez de sair, me arrumei e segui ao refeitório, sentei e comecei a comer alguns prisioneiros estavam discutindo, todos menos eu olhavam a briga, eu não estava me importando com a mesma.


Um deles tacou a bandeja de comida, uma briga de crianças em prisão, jogavam "comida" pra todo lado, konan e eu éramos os únicos que comiam, os demais olhavam apenas.


Terminei o meu almoço e fui andando até a área de exercícios, alguns me viram e estranharam eu não fazer nada de anormal.


Fui pra uma sala que era ao ar livre, a sala de exercícios era fresca, sentei na arquibancada e comecei a pensar, não demorou muito tempo pra uma bandeja de comida fosse atirada na parede ao meu lado, olhei pra porta e 3 caras com 2 bandejas me olhavam.


- o que foi garoto ? Não vai se sujar. O homem falou preparando uma segunda bandeja.


- desculpe, mas não sou criança pra fazer querra de comida. Eu falei levantando.


- então ó filho da puta, tu tá me chamando de criança ? Ele falou pronto pra jogar, alguém segurou seu braço e derrubou a bandeja na cabeça do homem.


Irritado ele jogou a bandeja no chão e viu que era Pain que tinha feito aquilo.


- você deveria dar o fora. Ele falou com seus olhos roxos demonstrando seriedade.


Konan, Hidan Pain e Kisame se aproximaram de mim, os 3 homens foram em direção a konan, os 3 que a companhiavam  impediram e assim konan correu até mim, pain mandou nos 2 sairmos dali, e assim konan o fez, ela me puxou para fora da sala enquanto uma briga de socos e chutes começava, mais tarde na cela, Pain foi junto de Hidan e Kisame pra solitária, os 3 homems que eles haviam batido estavam na enfermaria, pain confiou a segurança de konan a mim, como se ela precisasse de ajuda, afirmei que sim, pain ia ficar na solitária pelos próximos 3 dias, fiquei conversando com Konan por um tempo, em seguida deitei para dormir, pedindo a todos que a mulher não invadisse minha cela para transar.


Não adiantou muito não, a mulher entrou novamente em minha cela, me beijou na boca me acordando e falou em meu ouvido.


- me fode, sou uma cadelinha no cio. Ela disse ficando de 4 na cama. 


- k-konan já chega né... Se seu namorado descobrir ele me mata.


- se você não fizer eu dou um grito agora mesmo. Ela disse e eu suspirei não pude evitar, para não me meter em problemas penetrei em sua intimidade com meu pau e comecei a estocar, a mulher sorria e gemia de prazer enquanto eu movia mais rápido, penetrei mais fundo e estoquei com força e velocidade, eu já havia colocado o máximo que podia em sua vagina quando ela mandou eu gozar em seu útero, corei muito, mas o fiz por medo, estoquei em alta velocidade e assim ela gozou em ritmo comigo, não satisfeita ela deitou com as pernas abertas, abrindo sua vagina ela dizia.


- me fode mais. Ela dizia em tom prazeroso, continuei a estocar em sua vagina já preenchida de gozo e ela gemia, a cama frágil balançava com os movimentos, ela me mandou parar, me deitou no chão e montou em mim, novamente em sua vagina a mulher começou a cavalgar segurando meus ombros, ela movia com velocidade e força, posicionou o corpo para frente ainda cavalgando e me beijou, ela dava espasmos de prazer sentido seu gozo escorrer pela sua vagina sujando meu pau.


- bom menino. Ela disse sorrindo e me beijou na boca brincando com minha língua, se vestiu, mas antes deu uma rebolada sensual pra mim, desviei o olhar e ela saiu entrou em sua cela e fechou a porta das 2, me arrumei e suspirei, chutei o travesseiro com ódio.


- merdaaaaaaa. Falei baixo com raiva de mim mesmo, deitei na cama sem o travesseiro, com o lençol da mesma todo mexido e fiquei a berrar abafado, acabei dormindo depois daquilo.


Na manhã seguinte estava no refeitório, os demais perguntam a mim e Konan onde estavam Hidan e os outros, ela falou que eles foram pra solitária devido uma briga na área de exercícios, deidara entendeu o motivo dos homens estarem enfaixados quando olhou pra eles, a mesa a qual eu estava sentado era grande, pra meu azar só konan estava do meu lado, ela se aproveitou para me masturbar com sua mão livre, ninguém percebia, e se eu fizesse qualquer coisa que ela nao gostasse ela me faria pagar, suspirei e lembrei de Ino Sakura e tenten, eu não tava acreditando que agora eu era cachorro se alguém, o que eu fiz estavam fazendo comigo, fui chamado a sala de visitas quando entrei dizeram que eu tinha 4 pessoas me visitando, suspirei, e agradeci, falaram que eu tinha 30 minutos pra falar com as 3, e a visita íntima seria a última.


Fiquei curioso em saber quem seria a visita íntima, pois naquele momento pensei que as 3 odiavam a mim, lembrei que Ino sabia, não duvidei em pensar que seria ela.


Entrei na sala que era uma mesa separada por um vídro, sentei e a primeira visita me deixou surpreso.


Continua......



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...