1. Spirit Fanfics >
  2. Sem Despedidas >
  3. Capitulo 4

História Sem Despedidas - Capítulo 5


Escrita por:


Capítulo 5 - Capitulo 4


As exatas 4:00 da manhã o alarme no celular de Lena tocou, a fazendo despertar ao som de “Shape of You” do Ed Sheeran.

Lentamente abriu seus olhos, o localizando em sua mesa de estudos. O que era fácil, devido a escuridão do quarto. Depois de 1 minuto, ela bufou e se levantou indo em direção ao celular, o desligando. Era um truque que ela usava para despertar. Deixava o celular longe do alcance da cama, para que fosse preciso que ela se levantasse e andasse para longe da cama.

As chances de voltar a dormir eram muito baixas depois disso.

Ainda estava cansada por conta que seu sono foi interrompido por Kara na noite passada. O que lhe custou horas preciosas de sono.

Após ligar a luz do quarto, seus olhos fecharam levemente.

– Porra – resmungou Lena enquanto seus olhos se acostumavam a claridade.

Saiu do quarto em direção ao banheiro no corredor. Lena tinha esquecido o quanto não gostava que seu quarto tivesse o próprio banheiro – apenas o quarto dos seus pais tinha um – Mas parte boa era que o banheiro do corredor era enorme.

Ela adentrou o cômodo e andou até a superfície de madeira que ficava em baixo da pira, abrindo a gaveta e pegando um roupão e uma toalha até o box no final do banheiro. Colocou a toalha e o roupão no vidro do box e ligou o chuveiro. Um choque térmico atravessou seu corpo quando a aguá gelada caiu sobre si.

Sim. Gelada

– Porra – grunhiu a morena ao sentir sua temperatura caindo.

Lena só tomava banhos quentes – de banheira – a noite, para relaxar e dormir. E as vezes para transar. Durante o dia, principalmente ao acordar, ela optava por gelados.

Ela havia optado por banhos gelados desde que leu um artigo sobre os benefícios de se tomar banhos gelados. Que iam desde diminuir o estresse, já que um banho gelado diminui os seus níveis de ácido úrico, aumentando seus níveis de glutationa no sangue, fazendo com que fique em geral menos estressado. E até ajudar a melhorar a pele, impedindo que ela perca muito do seu óleo natural, e o seu cabelo fica com o mesmo benefício, já que o banho ajudará o seu cabelo a permanecer brilhante, forte e saudável, mantendo os folículos planos e aumentando a sua aderência ao couro cabeludo.

E de brinde ainda ajuda a manter a boa forma, já que gera um aumento no gasto de energia para manter o seu corpo aquecido, consequentemente aumentando o gasto de calorias.

Mas apesar disso, era difícil para Lena tomar banhos frios logo ao acordar já que National City era uma cidade bem fria.

Ao sair enrolada em um roupão negro que havia pegado no banheiro, ela para em frente a pia, fazendo suas higienes matinais.

Enquanto escovava os dentes, reparou em como seus olhos estavam um pouco inchados e vermelhos devido a discussão que havia tido com Kara… E com o choro que veio logo após esse evento.

– Por que você fode tanto com a minha cabeça? – perguntou Lena a si mesma, mas claramente não se referia a ela mesma.

Decidiu deixar de pensar nisso e voltou para o seu quarto.

Entrando em seu closet ela optou por uma calça legging preta e um topo preto, com um moletom cinza por cima. Quando terminou de calçar os tênis de corrida, saiu do quarto em direção ao andar de baixo.

Antes de sair, fez uma maquiagem leve para esconder as marcas de choro. Ficou satisfeita ao vê que não havia mais sinais que havia chorado.

Desceu as escadas e ficou surpresa ao vê a luz da cozinha acessa. Ela ia ignorar, presumindo que alguém a havia deixado ligada, mas um movimento chamou sua atenção. Um vulto para ser mais exato. Andando até a cozinha com passos silenciosos, ela cruzou os braços e se encostou na parede, se apoiando em um dos pés.

Seu olha era curioso enquanto olhava Kara assaltar descaradamente a geladeira em plena madrugada.

A morena balançou a cabeça e deu uma risada interna ao vê a loira tão concentrada em sua tarefa que sequer a havia notado.

– Não devia roubar comida a esse horário – disse Lena com um tom zombeteiro

Um som de algo batendo em outra coisa ecoou pela cozinha. Foi o som que A cabeça de Kara fez ao bater o teto da geladeira por conta do susto.

– Aiiii, caralho – grunhiu Kara segurando a cabeça e se ajoelhado no chão enquanto gemia de dor

O corpo de Lena se moveu e se ajoelhou até o de Kara antes que a morena sequer entendesse o que estava acontecendo.

– Onde doí? Me deixa ver – disse Lena pegando a cabeça de Kara entre as mãos. Segurando a cabeça da irmã gentilmente, Lena viu a marca do impacto e uma parte sua respirou de novo quando não viu sangramento – Não está sangrando, o que é bom. Deve ficar bom apenas com gelo

A morena se dirigiu até a geladeira, onde tirou um saco de gelo azul hospitalar – vantagens de ter mãe cirurgiã – para o seu alívio.

– Aqui – disse Lena se ajoelhando mais uma vez na frente de Kara, enquanto colocava o gelo em sua cabeça – Deixe ai se não quiser um inchaço, também vai ajudar com a dor. Se dormir, durma de bruços com a cabeça para baixo. Talvez você possa ter uma convulsão, então caso perceba os sintomas avise imediatamente os nossos pais para eles te levarem para o hospital. E também…

Lena parou de falar quando percebeu o olhar que Kara estava dando a ela. Os olhos azuis da loira a olhavam com espanto e encanto ao mesmo tempo, como se não estivessem certos sobre o que sentir.

– O que? – perguntou Lena vendo aquele olhar

A testa de Kara se franziu ao responder

– Não está mais com raiva de mim?

Só naquele momento Lena percebeu o que estava fazendo. Estava ajudando Kara, mesmo estando com uma raiva profunda da irmã. Seu corpo tinha se movido no automático, tanto que a conversa de ontem com Kara ou incidente a dois anos sequer pareceu importante.

Lena sempre odiou brigar com Kara, ou qualquer tipo de discussão com a irmã.

Elas não eram irmãs para ser exato. Meia-irmã seria o termo certo. Ambas tinham Lionel como pai biológico, mas as mães eram diferentes – o que explicava o fato de eles terem a mesma idade – A mãe de Lena era Lilian, a primeira esposa de Lionel. Eliza foi um caso que Lionel teve as escondidas. Mas após um tempo ele optou por se separar de Lilian e viver com Eliza.

Apesar do divórcio e Lionel ter ganhado a guarda, Lilian era uma ótima mãe, sendo bem ativa sobre a vida da filha.

– É claro que estou – afirmou Lena com a voz firme

– Então por que me ajudou?

Aqueles olhos verdes a olhavam como se pudessem vê a alma de Kara, aquele olhar que só Lena conseguia fazer. Kara não se lembrava a última vez que foi olhada assim por alguém. E por um breve momento, Kara pode vê carinho nos olhos da irmã

– Porque fiz uma promessa a você – disse Lena ainda com a voz firme – Prometi que sempre cuidaria de você.

O corpo de Kara ficou rígido ao ouvir aquilo.

Uma promessa.

Uma promessa que ambas tinham feito a tantos anos uma a outra. E ali estava Lena, a cumprindo. Inorando as avenças entre elas. Diferente de Kara. A loira teve vontade de abraçar a irmã e chorar em seus braços e implorar por perdão. Mas ela sabia que Lena não queria isso

A morena se levantou e estendeu a mão para Kara, a ajudando a levantar.

Então sem dizer nada Lena se virou e começo a andar em direção a porta.

– Aonde você vai? – Perguntou Kara confusa

– Academia – respondeu Lena sem parar de andar ou se virar para Kara

Kara pegou seu celular em cima do balcão da cozinha e se assustou ao vê as horas.

– Lena, não são nem 5:00 da manhã – afirmou Kara com os olhos arregalados – Quem vai para a academia as 5:00 da manhã?

A morena pegou as chaves do carro do pai em um chaveiro e abriu a porta, mas antes de fechá-la respondeu a Kara

– Pessoas com rotinas matinais

E então ela saiu.

 

(…)

 

A estrada estava vazia enquanto Lena dirigia para a academia. Vantagens de ir para algum lugar a esse horário. Não havia trânsito algum. O que Lena adorava. O sol ainda não estava presente no céu, mas os indícios que ele estava nascendo estavam presentes.

Seus olhos focavam a estrada enquanto seu celular tocava um Podcast.

Ela ouvia muitos podcasts.

Lena sempre foi uma pessoa produtiva. Sempre gostou de aproveita seu tempo. Fora o fato que ela era capricorniana. Ou seja, organização era tudo. Então para aproveitar melhor seu tempo, ela ouvia podcasts enquanto se exercitava.

Foi enquanto ouvia um, há dois anos que aprendeu sobre as vantagens de uma rotina. Ainda mais uma rotina matinal. Isso melhorou sua vida de diversas formas.

Acordar um pouco mais cedo vale o esforço: há diversos estudos que dizem que nossa capacidade mental e criatividade são maiores durante a manhã. Por serem horas mais calmas, sem distrações, também tendem a ser muito produtivas. Ao aproveitar esse tempo para realizar tarefas importantes, estudar ou planejar o dia, por exemplo, você já sai na frente.

Da mesma forma que a disciplina, dedicar tempo logo cedo a você mesmo e seus objetivos ajuda a se manter confiante e motivado. Você consegue olhar para o dia que tem pela frente com calma e listar tarefas, eleger prioridades e decidir o que é mais importante naquele dia. Quando você sai de casa, já cumpriu uma série de tarefas, mesmo que pequenas e simples. Sua mentalidade já está ajustada para realizar mais durante o dia.

Fora o fato que a esse horário a academia estava quase vazia. Outra coisa que Lena adorava.

O GPS do carro indicou que ela havia chegado. Antes de chegar a cidade, Lena pediu ao pai para matriculá-la e uma academia e contrata uma personal. Ela olhou para a direita, vendo um prédio retangular e cinza com diversas janelas e o nome da academia em um letreiro enorme

Estacionou o carro no estacionamento e foi em direção a entrada.

O lugar tinha um aspecto bem agradável. As paredes negras em contraste ao teto branco, e o piso de madeira lustrado davam um aspecto bastante moderno ao lugar. Também tinha aquecedores, o que evitava o frio na fora. Tanto que ela tirou o moletom que usava, o colocando no ombro.

Lena se perguntou como seu pai conhecia esse lugar, se talvez ele malhava aqui.

– Você é a Lena? – chamou uma voz atrás dela

Lena se virou para vê a quem pertencia a voz. Um mulher alta e bela estava ali. Ela era loira com cabelos longos que estavam soltos e tinha lindos olhos azuis – o tipo de mulher preferido de Lena – Estava usando um top branco, revelando um abdômen definido que fez Lena ficar com água a boca. E usava calças brancas de legging com detalhes em preto.

– Sou Sara Lance – disse a mulher estendendo a mão – Sou a personal que seu pai contratou.

Lena apertou a mão de Sara ao mesmo tempo em que deu um sorriso galanteador

– Devo dizer que ele fez um ótimo trabalho a escolhendo

O tom de flerte de Lena era sutil, mas ainda perceptível ao ponto de Sara dá um sorriso ao ouvir.

Sara levou a mão a boca para cobri-la, enquanto bocejava.

– Desculpe – disse Sara abaixando a mão – Nunca treinei ninguém a esse horário. Meu corpo ainda não sabe acordar cedo.

A morena deu uma risada ao vê a cara de sono da personal

– Não se preocupe, você se acostuma

– Podemos começar então?

Lena indicou o lugar com a mão estendida

– Mostre o caminho, Sensei

Sara riu e andou na frente de Lena

A morena não teve como não reparar em como a calça de legging destacava as curvas de Sara. E em como estava apertada naquela bunda de pêssego de Sara. Lena mordeu o lábio inferior enquanto seguia Sara


Notas Finais


O que acharam?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...