História Sem Limites - Capítulo 26


Escrita por:

Postado
Categorias Camila Cabello, Fifth Harmony
Personagens Ally Brooke, Camila Cabello, Dinah Jane Hansen, Lauren Jauregui, Normani Hamilton, Personagens Originais
Tags Ally Brooke, Camila Cabello, Camren, Demi Lovato, Dinah Jane, Fifth Harmony, Harry Styles, Keana Marie, Larry, Lauren Jauregui, Louis Tomlinson, Lucy Vives, Normani Kordei, Norminah, One Direction, Vero Iglesias, Ziam
Visualizações 83
Palavras 1
Terminada Não
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 26 - Capítulo 26




Notas Finais


Camila POV

Seguro em seu pescoço fortemente, sentia seu corpo me pressionando contra o chão, minhas pernas enroladas em sua cintura se roçavam com o movimento de nossos corpos, como se estivéssemos nos transformando em uma fusão.

Eu não sabia o que eu estava fazendo, eu apenas percebi que não havia mais como ter ela, não, eu não a podia ter. Eu me sentia usada, porque mesmo eu não a tendo, ela vinha até mim, eu me sentia como algo aonde ela vinha e tratava bem apenas quando queria. Ela também já se sentiu assim. Mas isso foi a milhares de anos sua idiota!

-Voce...

-não.

Digo a encarando antes de mergulhar em seus lábios, eu preferia estar neles do que afundar em lágrimas e dor.

Não importa o que eu falasse, apenas se Lauren abrisse um pequeno sorriso para mim, eu voltaria no mesmo momento para ela, estava mais do que claro isso pra mim.

Lauren POV

Meu cérebro ainda tinha dificuldade de assimilar tudo o que havia acontecido, eu não entendia o que estava fazendo, apenas me levantei e fui até Vanessa, seus olhos bem abertos, lábios entreabertos liberando a passagem do ar livremente enquanto seu pulso ainda estava vermelho, sabia que o que eu ensinava a latina seria útil.

-Va embora.

-Amor, você não pode fazer isso.

Sua voz saiu fina, quase desesperada, seus olhos castanhos me encaravam arduamente,mas não era esses olhos que eu gostaria que me olhassem, e muito menos o sentimento que eu gostaria que me transmitissem.

-Posso e vou, agora saia do hotel e vá para a puta que pariu aonde você tem que ir!

Digo, a frieza a qual minha própria voz dizia cada coisa chegava a me assustar, não era tão ruim assim.

Seus olhos me olhavam tomados por raiva, sabia que iria passar rapido, Ela não era tão mau assim. Vejo ela pegar sua bolsa e sair batendo o pé por todo esse quarto, escuto o estrondo da porta se chocando e solto o ar que eu nem ao menos sabia que eu estava segurando.

Sinto alguém colocar a mão em meu ombro e me viro, meu corpo doía, mas não era dor física.

-Voce não acha que deveria ir atrás dela?

Verônica disse com um sorriso no rosto, minha feição se desmancha pra algo grotesco, por quê eu faria isso? Vejo ela olhar pra mim confusa e começar a rir, e eu ficando com cara de idiota olhando pro nada tentando assimilar o que estava acontecendo.

-A maconha deve ter afetado seu cérebro Jauregui, vá atrás da sua garota.

Ela disse rindo e a encaro, eu iria mesmo atrás dela? A merda, sim, eu iria porque eu me conhecia. Infelizmente.

-Por que eu faria isso?

A pergunto, acho que eu estava perguntando mais pra mim mesmo isso e esperando que sua resposta desse um murro de "para de ser idiota e orgulhosa, sua trouxa!" como ela mesma dizia, na minha mente e eu parasse de ser trouxa e lutasse pelo o que eu quero.

-primeiro, porquê ela é quem você realmente gosta, segundo, ela tá se esforçando por você e você nem liga, terceiro, você fez merda e vai concertar agora se não eu vou arrastar essa sua cara no asfalto, e quarto mas não menos importante, você vai mesmo deixar a sua garota sozinha num quarto com aquele demônio gostoso da Demi?

Perguntou, o sorriso que brincava em seus lábios era porque me conhecia bem o bastante pra saber que agora eu estaria puta de ciúmes e prestes a entrar naquele quarto na voadora. Eu odiava Verônica Iglesias.

-idiota.

Saio do quarto e vou até o elevador, bato meu pé freneticamente no chão e vejo uma senhora olhar pra mim assustada, que?

Espero o elevador parar no andar e saio correndo até o quarto aonde ela está, tento abrir a porta, foi em vão.

-Camz?

Digo apoiada na grande porta enquanto a batia,aposto que todos daquele andar escutavam minha voz, caralho ela era surda?

-Oi?

Logo a porta é aberta e vejo Demétria apenas com um robe de seda, seu olhar me matava mas ao mesmo tempo era reconfortante.

-Se você está procurando a Mila, vá embora Laur.

Seu olhar e o tom de voz eram sérios, ela não me queria aqui e eu concordava plenamente, se eu estivesse no lugar dela faria a mesma coisa.

-por favor...

-Me de um bom motivo pra deixar você falar com ela.

-eu quero muito, muito, concertar as coisas.

Digo sincera, sabia que ela estava a pensar sobre se eu iria ou não falar com Camila, mesmo não sendo, em si, escolha dela.

-Por que eu deveria acreditar nisso? Pelo o que eu vi e escutei até agora, você só a fez sentir usada, Laur, como se sente vivendo com isso?

Colocou os braços a baixo dos seios e me olhou em dúvida, engulo seco,só a verdade agora, não é mesmo?

-Eu quero ela. Eu me arrependo muito de tudo, mas se ponha no meu lugar porra!

-Lauren, eu fui trocada pela a minha namorada pela novata, ela só sabia falar de você e eu fiquei do lado dela escutando o quão perfeita você era, eu tinha deixado tudo por ela e ela jogou fora pra se arriscar com você mesmo não sabendo, e você vem falando pra se colocar no seu lugar? Todos querem Camila Cabello Pra si.

E aí estava a surra da realidade.

-me da só mais uma chance.

Peço, não, imploro. Por quê tudo tinha que ser tão difícil?

-Diferente de você, eu não sou egoísta e eu só quero o bem dela, agora fala logo o que você quer antes que ela acorde nua e venha aqui.

-Nua?

Avanço em sua direção tentando entrar dentro do quarto e seu corpo me barra e me põe para fora novamente.

-Nao me faça te dar uma surra aqui, Lauren. Você tem dez segundos pra falar o que você quer antes que eu te jogue da janela.

Engulo seco, eu estava mesmo estragando tudo sem nem ao menos começar? Eu entendia o jogo que ela estava fazendo, nós eramos bem parecidas, não que eu repare nessas coisas.

-So a leve a esse lugar hoje a noite e certifique-se de não estar sendo seguida.

Digo enquanto tentava anotar o local e a hora num papel rasgado em meu bolso usando uma caneta mais falha que minha vida amorosa.

-sua letra é sempre feia assim ou você fez de propósito?

Ela perguntou rindo após eu lhe dar o bilhete, reviro os olhos.

-agora sai daqui antes que eu te de um murro.

-Voce deve me amar muito e ser sádica, só pode.

-Eu pego a mina que você quer, não você!

Ela disse e a encaro puta,ela não tinha dito isso, puta que pariu. Só dá tempo de escutar sua risada e a porta se fechando em minha frente.

Aquilo era mesmo necessário? Tipo, pra que eu estava me arriscando por alguém que me machucou tanto a alguns anos atrás? Não acreditava que as pessoas ruins poderiam melhorar, mas ela era mesmo ruim? Eu estava fudidamente cansada.

Cada dia que passou, cada noite que eu passei acordada, tudo foi em vão, mas eu faria isso, poderia ser mais uma ferida pra cuidar? Óbvio. Mas valeria a pena, bem, pelo menos eu ainda acreditava nisso.

Demétria POV

Fecho a porta em sua cara deixando uma Lauren puta pra caralho lá fora. Rio baixinho e arrumo meu robe negro em meu corpo, sorrio com a imagem de Camila toda esparramada na cama, sua feição tão.. calma.

No fundo eu sabia que ela não dormia direito a dias, também não comia ou se exercitava, ela se matava em si mesmo. Ela achava que a culpa ela dela, talvez por alguma parte seja, mas quem estava errado o tempo todo foi o lixo humano que fez isso com ela

Bem, Lauren por alguma parte, também estava errada, mas não posso a culpar, no lugar dela eu teria feito o mesmo ou até pior. Mas nunca sabemos o que fazer de verdade nessas horas.

Caminho até a cama e tiro meu robe deixando meu corpo totalmente despido,me ajeito dentro dos lençóis e a abraço sentindo seu calor e o tão reconhecido e familiar cheiro de baunilha.

-o que Lauren Jauregui vai fazer pra você desta vez, pequena?

Sussurro e solto uma risada sem humor algum antes de tentar adormecer ao seu lado.

Não importa se nós somos ex's, eu sempre vou ama-la, pode não ser com a mesma intensidade de a quase uma década atras. Cometi o erro de ter q deixado por um ciúmes bobo, ela precisava de mim mas orgulho falava mais alto, não, ele gritava.

Prometi uma vez que iria sempre a proteger, e eu não vou descumprir isso nem fudendo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...