1. Spirit Fanfics >
  2. Sem querer amei você >
  3. Montando o quebra cabeça

História Sem querer amei você - Capítulo 32


Escrita por:


Notas do Autor


Olá leitores lindos, quase não postei essa semana pelo simples fato de eu estar exausta. Eu sabia que meu final de semana seria corrido e ia postar na sexta, mas eu não estava nada bem na sexta e precisei de um tempinho para mim mesma, mas agora estou melhor, só estou muito cansada do corre de ontem e hoje.
Enfim... Mais um capítulo para vocês se deliciarem.
Beijinhos no coração wolfers de vocês

Capítulo 32 - Montando o quebra cabeça


O que Ivy não imaginava, era que se afastando, me machucaria ainda mais. Eu precisava fazer minha mente acreditar que o que ela dizia era verdade, mas era tão difícil.

-E-eu… -Gaguejei. -Preciso de ar fresco… Volto mais tarde…

-Mas e a reunião na Lydia? -Se apressou Stiles.

-Talvez eu apareça por lá mais tarde… -Falei me encaminhando para porta. -Qualquer coisa, me liguem.

Sai sem ter tempo de ouvir Scott me lembrar que eu estava sem meu celular, na verdade eu nem havia lembrado disso. Pois minha cabeça estava rodeada de dúvidas sobre a razão de tudo isso estar acontecido comigo. O que eu havia feito de tão cruel para passar por tudo isso? Enquanto me lamentava, pensava também que alguém poderia estar pior que eu, mas uma dor não anula a outra e também não estava nenhum pouco afim de fazer uma competição de sofrência, eu não precisava disso, eu precisava ficar comigo mesmo, apenas eu e meus malditos pensamentos.

-Ele não vai aparecer na reunião da Lydia. -Comentava Stiles ao me ver fechando a porta.

-E como tem tanta certeza? - Ivy se virou para Stiles. -Ele disse que iria…

-Ele disse “talvez”, Ivy. -Stiles a interrompeu. -Ele não vai.

Dado um tempo, Scott, Stiles e Ivy, foram até a casa da Lydia. Ela estava com muitos papéis sobre a cama. Liam e Malia já estavam lá. Os três chegaram e foram recebidos com olhares duvidosos de Lydia.

-Cadê o Isaac?

-Não faço ideia. -Reclamou Stiles. -Disse que talvez apareceria por aqui, mas tenho certeza que ele não vai aparecer.

-É importante. -Brigou Malia. -Tomara que ele não desapareça por mais uma semana.

De fato, sempre que saia para pensar, algo de ruim acontecia, mas desta vez, ao invés de perambular pela cidade ou ir até a casa de Derek, fui até a minha antiga casa. Ninguém entrava lá, os móveis estavam cobertos de poeira. Sentei em minha antiga cama, o pó se levantou instantaneamente.

-Ai que existência miserável a minha. -Lamentei a mim mesmo enquanto jogava meu corpo na cama.

Permaneci alguns minutos deitado, olhando para o teto amadeirado, várias memórias e lembranças boas vieram a tona, tanto as boas lembranças da minha mãe, quanto as péssimas lembranças que ocorreram antes de eu sair de lá para sempre. Não pude deixar que algumas lágrimas escorressem pelo meu rosto triste, no entanto aquelas lembranças sumiram rapidamente quando pude ouvir passos na casa, fiquei intrigado, porque ninguém ia lá. Levantei me enxugando as lágrimas e caminhei silenciosamente até os passos. Meu coração quase pulou para fora do meu peito quando vi quem era o intruso, na verdade fiquei com raiva do intruso, mágoas passadas que ainda me irritavam.

-O que está fazendo aqui? -Esbravejei. -Esperou que eu ficasse sozinho para poder me tirar do seu caminho?

-Na verdade, eu quero apenas conversar. -Explicou Seige calmamente.

Nunca achei que Seige pudesse ter um tom amigável comigo, na verdade com qualquer pessoa que não fosse a Ivy. Puxei uma cadeira próxima a mim para que Seige pudesse se sentar, logo, me sentei em sua frente.

-Desembucha. -Falei ainda irritado.

Seige suspirou antes de começar a falar.

-Sei que não nos gostamos e por nós dois, nos mataríamos aqui mesmo, mas como já deve saber, a Ivy é minha irmã e ela ama você. Como apaguei as memórias dela, a magia entorno dela aconteciam sem que ela soubesse, e foi ela que fez com que o feitiço recado não te matasse, se não fosse por ela, certamente já estaria morto. -Seige fez uma longa pausa acompanhado de um suspiro. -Mas assim como ela te salvou sem saber, ela o enfeitiçou no momento em que ela gostou de você, porque o que ela mais queria, era que vocês se desse bem de algum jeito e assim que ela lançou um feitiço em você, deve ter sentido algo estranho perto dela, talvez falta de ar e desmaiado algumas vezes.

Realmente, desmaiei duas vezes perto dela e minha respiração pesava. A cada coisa que Seige falava, eu acreditava que o amor que eu tinha pela Ivy nunca foi real, isso me machucava muito, porque era tão forte.

-Sei que está triste, mas vou ajudar a Ivy a quebrar esse feitiço, conheço uma feiticeira incrível que vai nos ajudar, ela é profissional em contra feitiços.

-E como funciona isso? Tipo, como ela vai fazer pra quebrar isso? -Perguntei.

-Ela vai fazer uma poção, você deve ingerir essa poção e assim quebrar o encanto.

-Mas e a Ivy, não vai acontecer nada com ela, não é?

-Ela apenas vai ficar com o coração partido, mas ela supera…

-Não quero que ela sofra…

-Ela vai sofrer muito mais se a gente não resolver isso.

-Odeio ter que concordar com você. -Bufei.

-E eu odeio ter que conversar com o inimigo. -Riu ele.

Por mais estranho que isso parecesse, passamos longas horas conversando, não apenas sobre a Ivy, mas conversamos sobre seus primeiros feitiços e como ele era bom em fazer as pessoas melhorarem de suas doenças. Por outro momento, conversamos sobre a razão de eu querer ser um lobisomem. Era bizarro o quanto nossa conversa estava fluindo tão natural e o que deixava tudo mais estapafúrdio, era o fato de estarmos rindo juntos. Nem parecia que na noite anterior um queria matar o outro, não que ainda não quiséssemos, mas a vontade havia diminuído. A conversa estava fluindo tão bem, que não lembrei da reunião na casa da Lydia, não que eu tivesse a intenção de ir, mas pelo menos teria uma desculpa decente, mas não tenho certeza de que os outros iriam acreditar, “Nunca que Isaac Lahey sentaria para bater um papo com Seige”, pois é, nem eu acreditaria se o meu eu do futuro falasse.

Enquanto Seige e eu nos entendíamos e não percebíamos as horas passar, Lydia abria o jogo com o resto da alcatéia. Os papéis sobre a cama dela, eram desenhos e rabiscos. Como se esses rascunhos fossem nos mostrar algo. Lydia segurou o primeiro e o segundo desenho, o primeiro era um banheiro, parecia o banheiro feminino da escola e o segundo desenho era uma peça de roupa branca manchada, o que parecia ser, sangue.

-O que significa isso? -Perguntava Scott.

-Eu fiz esses dois desenhos antes do eclipse lunar, mas acabei esquecendo de contar e iria falar com vocês na escola, no caso amanhã, mas esta noite, fiz mais dois desenhos, olhem.

Lydia mostrou o que parecia ser um grande X vermelho e vários pontos de interrogação em volta do X, mas o detalhe dos pontos de interrogação eram que “escorriam” em torno do X como sangue. O outro era mais um rabisco que dificilmente podia ler algo, mas parecia que queria dizer “Feiticeiro, quem é?” e abaixo desse rabisco podia ler em letrar miúdas e trêmulas “alguém vai morrer”.

-Foi por causa dos últimos rabiscos que decidi chamar vocês. -Começou Lydia. -Em primeiro lugar, todos os quatro desenhos eu não lembro de ter feito, mas acordei com a caneta preta e a caneta vermelha ao meu lado, fora que estava coberta de papel, e segundo, alguém vai morrer.

-Por que quando alguém está pra morrer o Isaac simplesmente some? -Intrigou-se Stiles.

Liam permaneceu em silêncio e meio pensativo,a expressão de Malia mostrava que ela começou a pensar a mesma coisa que Liam.

-Quais são as chances dele ser o feiticeiro? -Investigou Malia. -Ele quase nunca está por perto quando coisas ruins acontecem…

-Teve um dos ataques, que ele estava preso. -Comentou Scott. -Não acredito que estão acusando o Isaac.

-Mas quando o professor de química morreu, ele estava fora da sala, depois eu ele achamos o corpo do professor. Acho muito estranho o fato de ele não lembrar desse ocorrido. -Lembrou Liam.

-Mas dias depois ele foi atacado pelo feiticeiro…

-Ou é isso que ele quer que acreditamos. -Liam interrompeu Ivy. -Eu não estou afirmando que ele é o feiticeiro, pelo menos até onde sabemos, Isaac não sabe fazer magia, mas pode conhecer alguém que sabe e trabalham juntos.

-Mas Seige o salvou, por que motivo ele se torturaria? -Irritou-se Scott.

-Para que acreditássemos que ele é inocente. -Sussurrou Lydia. -Mesmo com todas essas evidências, eu não acredito que ele faria isso, vocês o conhecem, sabem que ele não seria capaz.

-Então me diga, Lydia. -Iniciou Liam. -Por que ele não está aqui?

-Eu não, mas ele não….

-Receio que seja por causa da Ivy. -Argumentou Stiles.

-Stiles está certo, a gente meio que não se entendeu mais cedo, eu não fui a melhor pessoa do mundo quando disse que precisávamos nos afastar, eu não acho que ele é o feiticeiro, apenas que ele está confuso e muito deprimido…

-Desculpe, mas confuso com o que? -Intrigou Liam. -Na verdade… Ela deveria estar aqui? Tipo… -O jovem gesticulou o nosso antigo segredo.

Ninguém lembrou, mas Liam não estava conosco ontem a noite, então ele não sabia dos novos problemas amorosos que eu enfrentava nesse momento e muito menos que Ivy já sabia de tudo.

-É que eu posso ter enfeitiçado o Isaac a gostar de mim, então nada que ele sente é real…

-Enfeitiçado? O que eu perdi ontem a noite depois que eu… -Liam engasgou. -Enfim, não importa, o assunto aqui é o que eu perdi?

A alcatéia estranhou o descaso de Liam, mas relevou, pois tinham assuntos mais relevantes no momento.

-Acontece que depois que Isaac quase morreu nos salvando dos caras que roubaram nosso livro e depois que eu descobri que meu quase namorado perfeito era um lobisomem, Seige, um feiticeiro muito assustador, caso não saiba dele, apareceu e falou umas coisas estranhas e devolveu minha memória, e eu lembrei que sou uma feiticeira da compaixão, e eu induzi Isaac a me amar, então, tudo o que houve entre nós, não foi real por parte dele.

Liam permaneceu um tempo a encarando, tentando entender o resumo da noite anterior.

-Caramba… Você brincou com os sentimentos dele…

-Eu não fiz por querer, meu irmão vai me ajudar a quebrar esse feitiço e é sério que de toda história você só pescou isso?

-Claro que não, imagina… Você é uma feiticeira e sabe que somos lobisomens… Pelo menos não temos que esconder nada de você…

-Então você está ok sabendo que sou uma feiticeira e estamos caçando outros feiticeiros?

-Estamos em Beacon Hills, coisas estranhas acontecem sempre. -Explica Liam naturalmente.

-De fato. -Intrometeu-se Scott. -Mas voltando ao assunto mais sério aqui, primeiramente, o Isaac não é o feiticeiro, seria impossível e segundo, os desenhos da Lydia nos dizem que alguém vai morrer…

-No banheiro da escola. -Finalizou Stiles juntando as peças daquele quebra cabeça.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...