História Sem Rumo - Capítulo 6


Escrita por:

Postado
Categorias Histórias Originais
Tags Ficção, Survival, Suspense, Terror
Visualizações 2
Palavras 2.664
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Ficção, Ficção Científica, Survival, Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Capítulo de hoje mostra um pouco de passado de Clarisse e brutalidade de Bruce, além de personagens novos.

Capítulo 6 - Lembranças


Clarisse está dentro do seu quarto ouvindo música no seu fone até que seu namorado aparece na janela, Clarisse vai até a janela

– Jake?? O que você está fazendo aqui???

– Ué, você não foi pra escola hoje então eu pensei em vim te ver

– Onze da noite??

– Era pra ter certeza que seus pais estivessem dormindo, então... Posso entrar?

– Entra logo seu bobo

Jake entra mas com dificuldade

– Aí, essa janela é muito pequena

– Se viesse mais cedo tinha entrado pela porta!

– Pro seu pai me prender?

– Ele ia entender!

– Hmpf... Tava com saudades

– Você me viu ontem seu bobo

– E você não acha que é motivo suficiente pra eu sentir saudades? 

Eles se beijam, o beijo vai ficando mais quente e eles deitam na cama

– Hmm você tá com bafo de cerveja!

– É, depois do jogo eu e meus amigos fomos beber mas eu juro que foi só um pouco

– Jake eu quero ficar com você por muito tempo! Se você morrer de cirrose onde eu vou arrumar outro idiota pra namorar?

– Olha você tá começando a ter senso de humor! Finalmente!

– Jake!

– Fala

– Eu tô pronta..

– Hum... Tem certeza?

– Tenho

– Eu ia trazer camisinha mas você sempre diz que não tá pronta aí eu não trouxe hoje pra não te pressio...

– Jake!!!

– Ok, ok

Jake e Clarisse continuam se beijando deitados e um vai tirando a roupa do outro até os dois começarem a transar, depois de um tempo, Clarisse não se sentia mais confortável

– Jake! Jake! Vai devagar meus pais vão escutar!

– Você é tão gostosa!!!

– Jake, tá doendo!!!

O barulho começou a ficar mais alto e Jake estava fora de controle, ele começou a segurar Clarisse com força, obrigando ela a continuar 

– Jake!! Me solta!!! Por favor!!!

– Espera!! Espera!! Vou gozar!!

– JAKE!!!

– AHHHH!!!!

Os pais de Clarisse acordam e vão até o quarto de Clarisse, Jake se assusta e sai de cima de Clarisse, o pai de Clarisse vai brigar com Jake mas Jake dá um soco nele, em seguida Bruce chega no quarto e espanca Jake, a mãe de Clarisse protege ela, Reddie chega logo em seguida, e a história retorna ao presente

Clarisse está em uma loja procurando suprimentos e acha pílulas de aborto, se lembrando do acontecimento com Jake

– Achou alguma coisa?

– Não

– Vamos, Bruce já ligou o carro

Dayle e Clarisse entram no carro

– O que acharam?

– Nada demais, vamos continuar

Eles seguem de carro pela estrada até que algumas barricadas barravam as estradas

Três pessoas aparecem e apontam as armas pro carro

– Desçam do carro com as mãos pra cima! Agora!!

Dayle, Clarisse e Bruce descem do carro

Uma das pessoas que abordou era uma mulher, ela pega o walkie talkie e diz

– Beth! Você não acredita no que eu encontrei!

Dayle, Clarisse e Bruce são levados até a fazenda e é lá que a patrulha desaparecida estava, Após um ano  Dayle finalmente reencontra a sua mulher, eles se abraçam e os dois choram muito

– Achei que tinha te perdido meu amor

– Eu também!! E o Jimmy..... O Jimmy...... Eu tentei.....

– Tudo bem amor tá tudo bem

– O Reddie estava conosco esse tempo todo e ele....

– Amor você tá cansado, é melhor entrar, vamos

Jake também estava se abrigando lá

– Clarisse???? O que tá fazendo aqui???

– Eu que devia te perguntar

Jake abraça Clarisse

– Aí Clarisse!! Senti tanta a sua falta!!

Clarisse empurra Jake e diz

– Não me toque nunca mais!!

E entra pra dentro da casa também

Beth apresenta o dono da fazenda para o pessoal

– Gente, esse é o senhor Benjamin, ele que nos abrigou

– Muito prazer em conhecê-lo senhor Benjamin

– Por favor, me chame de Ben!

– Obrigado por dar abrigo a minha esposa, eu sei o quanto é difícil confiar em alguém hoje em dia

– Tudo bem, Beth tem um coração enorme

– Deixa eu apresentar meus amigos, esse é Bruce e essa é Clarisse

– Infelizmente os quartos já estão todos ocupados, mas eu e minha família costumávamos acampar, podem pegar as barracas e dormirem lá fora

– Obrigado!

Depois de cumprimentar Ben, Clarisse foi conversar com Jake lá
fora

– Como você veio parar aqui???

– Ben é da família do meu pai, eu tô aqui desde o início do surto

– Olha só, eu não quero que você me encoste, não quero que fale comigo e nem que olhe pra mim!!!!

– Por que você me odeia tanto???

– Por que???? Jake você destruiu a minha vida!!!!!!! Eu só tinha 16 anos!!!!!!

– E você me disse que estava pronta!!!

– Eu pensei que você não fosse daquele jeito!!! Porra, eu tive que tomar pílulas!!! Com 16 anos!!! Minha mãe nunca mais olhou na minha cara direito!!!!!!

– E você acha que minha família gostou?? Meu pai tirou tudo de mim!! Ele me tirou do futebol e o time ainda perdeu o campeonato por causa disso!!!

– Jake.... Você é nojento!

Clarisse sai e volta para dentro da casa

Dayle e Ben estão dando uma volta pelo campo da casa de Ben

– Eu tenho três filhas e uma neta e elas são a minha razão de viver

– No mundo de hoje ter um propósito de vida é muito importante

– Tem toda razão... Beth me contou sobre seu filho, eu sinto muito

– Tudo bem

– Seu amigo parece estar mal

Ben aponta pro Bruce, que está sentado no capô do carro olhando pro horizonte

–.... É... ele já sofreu muito

– Vem por aqui, quero te amostrar a nossa plantação

Clarisse está conhecendo o restante do pessoal, ela conhece a mulher de Ben, Margareth, que é cadeirante, conhece a filhas de Ben, Nancy, Victoria e Meg, e sua neta chamada Sarah, Beth ajuda Clarisse a montar as barracas

– Como conseguiu chegar até aqui?

– Bom, nós sofremos um acidente na patrulha quando estávamos na cidade, eu fui a única sobrevivente, Jake e Victoria me encontraram e me trouxeram até aqui, e vocês, como vieram parar aqui?

– Foi tudo graças ao Reddie, nosso parceiro, ele praticamente salvou nossas vidas, devemos tudo a ele

– Vocês conheceram Führer?

– Infelizmente...

– Eu não tô entendendo essa história direito

– Führer estava infectado e estava levando pessoas até uma fábrica pra infecta-las também, ele infectou Reddie, Bruce o matou, ele disse que os únicos que não estavam infectados eram os soldados, ele disse que induziu eles falando que se o ajudassem os soldados iriam ter a vida eterna no paraíso, conclusão, fugimos de lá e as filhas do coroa nos acharam

– Meu Deus, isso é inacreditável

– Tudo hoje em dia é inacreditável... Terminei de montar essas barracas

– Pode deixar que eu termino essas

– Ok

Dayle e Ben estão conversando na plantação

– O senhor fez um ótimo trabalho aqui, mesmo sendo um homem idoso conseguiu cuidar de todo mundo

– Ah, todos ajudaram muito, sua mulher é muito ativa, está sempre fazendo alguma coisa, desde cedo minhas filhas já ajudavam muito em casa, então elas já estavam bastante amadurecidas no início de tudo, Sarah minha neta, só tem catorze anos, ela é muito nova, eu não cobro muito dela mas ela sempre ajuda no que dá, Jake é um bom garoto, ele é filho de um amigo meu, está conosco desde o início também

– O que o senhor fazia antes de tudo?

– Eu era pastor, eu ainda sigo a palavra de Deus, nas refeições nós oramos e antes de dormir eu leio a palavra, eu prometi a Deus que nunca mais tocaria em uma arma

– Como assim?

– Meu pai era policial, e quando eu era jovem eu peguei a arma dele escondido com meus amigos, acabei atirando sem querer em um dos meus amigos, ele morreu e eu fui preso por homicídio culposo e fiquei sete anos da minha vida preso, então desde que saí da prisão eu prometi a Deus que nunca mais encostaria em uma arma novamente

Nancy chama todos pra almoçar

– Vamos, minha filha faz um frango delicioso

– Pode ir, preciso fazer uma coisa

Dayle vai até Bruce

– Ei Bruce, vem, hora do almoço

– Tô sem fome

– Vamos, hoje foi cansativo, você precisa comer

Bruce acaba indo junto com Dayle

Na sala, todos se reuniram pra comer, Ben foi fazer a oração

– Dêem as mãos por favor e fechem os olhos... Muito bem, senhor Deus nosso pai, muito obrigado por mais uma refeição, peço ao senhor que abençoe esse alimento, mais uma vez te agradeço por não deixar faltar nada senhor, te agradeço e te louvo, amém

E todos dizem amém junto, Sarah come enquanto olha pro braço de Bruce

– Gostei da tatuagem!

– O que?

– O dragão no seu braço, é legal

– Hum

– Onde fez?

– Não sei

– Ah qualé não seja babaca

– Não tô sendo, eu tava chapado no dia com os amigos, e eu não lembro muito

Clarisse chama a atenção de Bruce

– Bruce! Por favor!

E a Sarah com um sorriso no rosto disse

– Daoora

– Nancy eu tenho que dizer, esse frango está uma delícia! — diz Beth

– Ah, obrigada

– Você fazia culinária? — perguntou Dayle

– Não, na verdade eu cursava medicina

Enquanto todos conversam, Jake e Clarisse ficam trocando olhares, mas sem um ter contato visual um com o outro

Já de noite, Clarisse e Victoria ficam de vigia de noite, e Victoria puxa assunto

– Já matou muitos infectados?

– Eu não conto

– Mês passado tinha um perambulando pelas plantações, e daqui eu acertei na cabeça do desgraçado, tiro certeiro

– Você se diverte com tudo isso?

– É uma forma de lidar

– Situação de vida ou morte não é brincadeira

– É mais... Olha, olha, um coelho!!

– Aonde??

– Lá, perto da árvore

– Nossa

– Eai, quer matar?

– Não, não, pode matar

– Se liga

Victoria acerta no coelho, que estava se mexendo

– Eu tô foda no tiro em coelho!! Hahaha

– É...

– Eu quero ver o seu tiro, olha, ali tem outro coelho

– Ah não, eu tô bem

– A qualé, vamos! Vai, toma meu silenciador

– Ok

Clarisse acerta o coelho

– Huuum, bom tiro

– E olha que eu não peguei apoio nenhum

–... Seus olhos são bonitos

– Que?

– Seus olhos, verdes, são bonitos

– Ah... valeu

E fica um clima no ar, elas comecam a aproximar os rostos até que Sarah chega no telhado

– Oláááá

– Sarah?? Não era pra você tá dormindo??

– Era, mas daqui algumas semanas eu faço quinze anos e eu queria muito aprender atirar

– Eu te ensino outra hora

– Ahhhh qual ééé, eu vi vocês treinando com os coelhos, deixa eu treinar também

– Outra hora Sarah!!!

Sarah começou a andar no telhado

– Victoria por favor eu nunca te pedi na...

Ela escorrega e quase caí, por sorte Clarisse conseguiu segurar ela

– Te peguei, vem, vem

– Ah cara, isso foi intenso, é melhor eu ir dormir

Sarah volta para seu quarto

Dayle e Beth vão dormir juntos na mesma barraca

– Dormir com você vale muito mais a pena que dormir em uma cama confortável

– Tem certeza? — perguntou Dayle rindo

–.... Não — respondeu Beth rindo

 Bruce fica sentado dentro do carro fumando, pensando e olhando pra paisagem, com certeza a morte de Reddie mexeu muito com Bruce

Na manhã seguinte, Dayle e Victoria estão planejando irem até a cidade procurar por suprimentos, e Victoria diz

– Essa parte da cidade está limpa, já não tem mais nada lá, podemos procurar nessa parte e nessa parte

– Vocês encontram muitos infectados por lá?

– Às vezes, é sempre bom tá preparado, dentro do carro estão alguns silenciadores para não chamarmos a atenção de ninguém, acho que precisamos de mais alguém, podemos chamar Jake ou Clarisse

– Ben me falou que Jake estão com vocês desde o início e eu não vejo muita experiência nele, Ben tem muita consideração por ele, se acontecer algo com ele não quero esse peso na consciência, Clarisse tem que ficar pra caso acontecer algo aqui ela ajudar, eu sei quem chamar

Dayle vai até Bruce, que ainda estava dentro do carro

– Ei Bruce, preciso da sua ajuda

Bruce nem olha pra ele, e continua fumando

– Vamos cara, eu preciso de você!

Bruce continua ignorando ele, Dayle decide apelar

– Acha que eu também não fiquei mal com a morte dele?? Eu conhecia o cara desde a minha infância!! Eu que levei todo mundo pra aquela cidade maluca! Quem deveria ficar assim era eu!! Mas não estou, por que temos que continuar, existem outras pessoas que precisam da gente, e se você continuar assim mais gente vai ter o fim de Reddie!!!!

Bruce solta a fumaça do cigarro na cara de Dayle e diz

– Tem razão, você não pode ficar mal com a morte do Reddie, você tem mulher, tem pessoas que confiam em você, que estão sendo guiadas por você, mas eu não, eu não tenho mais ninguém, ninguém precisa de mim

– Eu preciso de você Bruce!! Eu preciso de ....

Bruce levanta o vidro do carro enquanto Dayle falava, Dayle volta puto até a Victoria

– Vamos chamar Clarisse

Dayle, Clarisse e Victoria saem até a cidade em busca de suprimentos, Dayle se despedi de sua esposa

– Eu não vou conseguir te perder de novo!!

– Eu vou voltar, eu juro!! Eu te amo!

Eles e beijam e Dayle vai no carro do Ben, Bruce viu tudo isso pelo retrovisor do carro que eles roubaram, e continua pensativo

Dayle, Clarisse e Victoria estão na estrada até a cidade, quando o carro passa por cima de arames de ferro, Dayle derrapa, perde o controle e o carro capota, Dayle ainda está consciente, mas Victoria e Clarisse desmaiaram, os soldados cercaram o carro e tiraram Dayle de lá, Dayle meio zonzo dizia

– Por favor..... Tirem elas do carro.... Por favor....

Um soldado da uma coronhada em Dayle, desmaiando ele, já de noite, o pessoal da fazenda acaba recebendo uma "visita"

Carros começam a se aproximar do acampamento, Bruce dentro do carro, vê de longe

– Merda..!

Bruce vai até a casa e avisa todos

– Tem homens de CityVille vindo de longe! Se escondam todos!!!

Meg perguntou

– O que vai fazer???

– Matar esses desgraçados

Ben chega até Bruce e fala

– Olha eu sei que esses homens fizeram você perder uma pessoa importante, mas enfrentar eles sozinhos é burrice

– E qual seu plano coroa?! Arriscar sua vida?? Arriscar a vida das próprias filhas!?!? 

Ben não responde nada

– Foi o que eu pensei!!

Bruce sobe até o segundo andar, e fica na janela e apoia sua arma, esperando eles chegarem na frente da casa, eles chegam mas o que Bruce não esperava é que eles lançariam gás lacrimogêneo na casa, eles jogam e quando a fumaça sobe eles decidem entrar

Bruce sai pela janela da casa e desce pela frente da casa, contornando todos

Ele chega do lado do carro e vê que tem um soldado dentro do carro no banco do volante, ele contorna o carro e vai até a outra porta, abre ela e mata o soldado, ele pega sua metralhadora e uma das máscaras de gás que tem sobrando no banco de passageiro

Tem dois soldados no primeiro andar e dois soldados no segundo andar

Ele pega os soldados do primeiro andar silenciosamente

Sobe até o segundo andar e também pega um no segundo andar silenciosamente, que estava no corredor

O último soldado estava no quarto de Sarah, e Sarah estava embaixo da cama, chorando com a mão na boca, com medo e ofegante

O soldado vai pisando lentamente, quando ele ia abaixar pra ver se tinha alguém debaixo da cama Bruce chegou, chutou a barriga do soldado, tirou a máscara dele e começou a espancar ele, sem perceber que Sarah estava ali embaixo vendo toda a cena, Bruce bate bate muito no soldado, vai deixando o rosto dele sangrando e inchado, o soldado acaba vendo que Sarah está ali debaixo, Sarah olha dentro dos olhos do soldado, que começa a ficar desfigurado de tanto soco que está levando, Bruce levanta e começa a chutar a cara dele até esmagar ela completamente

Ben chega no quarto e grita 

– BRUCEEEEE!!!

Bruce olha pra Ben, Ben olha para Sarah debaixo da cama, ela sai de debaixo da cama e sai correndo do quarto, chorando muito, Ben encara Bruce e Bruce diz

– Que foi?...

E sai do quarto

Só Ben fica lá, vendo o estrago que Bruce fez.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...