1. Spirit Fanfics >
  2. Sem Rumo >
  3. Zona segura

História Sem Rumo - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Me corrijam caso perceberem furos de roteiro, erros de continuidade e afins

Boa leitura.

Capítulo 1 - Zona segura


O capítulo se inicia na casa de Jimmy, de nove anos, que mora com seu pai que se chama Dayle e sua mãe que se chama Beth, certa noite, Jimmy assistia aos noticiários em seu quarto, as notícias falavam de um vírus que estava se espalhando por todo norte - americano da Geórgia, além de já ter ocorrido casos na Rússia, China, Coreia do Norte e Portugal, o governo da China já emetil sinais de alerta, Dayle que estava passando pelo corredor viu Jimmy assistindo aos noticiários

Dayle: Já falei para não assistir aos noticiários!

Jimmy: Desculpe pai

Dayle: Vai se deitar, já está tarde

Jimmy: Ok

Jimmy vai se deitar e Dayle vai até seu quarto se deitar com Beth, ele se deita ao lado dela, ela acaba acordando

Beth: O que as notícias falavam?

Dayle: Mesmas coisas de sempre, agora chegou aqui em Atlanta

Beth: Acha que devemos nos preocupar?

Dayle: Bom, vamos fazer de tudo para evitarmos uma infecção

Beth: Estava pensando de tirarmos umas "férias"

Dayle: Huum... férias?

Beth: É, você nunca fica em casa, sempre diz que só queria relaxar em uma fazenda

Dayle: Eu falo isso por que eu vivia na fazenda dos meus avós

Beth: Eu sei, não seria uma má ideia agora, já que tá tendo essa loucura, podemos fugir

Dayle: Fugir? Você fala como se ainda fosse aquela garota de quinze anos que eu conheci na escola

Beth: Eu ainda tenho aquele rostinho de quinze anos?

Dayle: Quem dera se tivesse, agora você está acabada

Beth: Palhaço!

Eles se deitam e começam a dormir, eram 23:45 da noite, Dayle acorda 03:12 da madrugada, ele se levanta, Beth acaba acordando também, ela se vira para ele

Beth: O que houve?

Dayle: Nada, só vou tomar uma água

Dayle desce as escadas e vai até a cozinha e bebe uma água, ele está pensando muito sobre essa nova doença que está surgindo e que já está assustando a população mundial, ele reflete um pouco enquanto olha a rua pela janela da cozinha, até que em uma de suas portas de bindlex que dá no quintal de casa começa a ser pressionada, ele com medo pega uma faca na cozinha e vai até a porta com blindex, ele se depara com seu vizinho, Evan, que estava com a pele podre e estava tentando entrar na casa, Dayle fica muito assustado com o que vê e ele tenta alertar a Evan

Dayle: Evan! Evan! Sou eu!! Sou eu cara!!!

Evan quebra o vidro de blindex, Beth escuta e se levanta, Jimmy também, Beth manda Jimmy ficar no quarto e desce para ver o que está acontecendo, Evan vai para cima de Dayle e cai por cima dele, Evan tenta morder ele mas Dayle consegue esfaquear Evan na cabeça, Beth desce a escada e vê Dayle tirando a faca da cabeça de Evan

Beth: Dayle??

Dayle: Eu não sei o que estava acontecendo com ele, acho que ele estava doente!

Beth: Precisamos sair daqui!

Dayle: Tem razão, onde está Jimmy?

Beth: No quarto

Dayle: Vai buscar ele!

Beth vai até o quarto buscar Jimmy e fazer as malas, o celular de Dayle começou a tocar, quem estava na linha era seu amigo e vizinho Reddie, Dayle atende

Reddie: DAYLE????

Dayle: Reddie!! Estou aqui!

Reddie: Caralho, fudeu tudo!!

Dayle: O que está acontecendo??

Reddie: A doença dos jornais, tá deixando as pessoas malucas!!

Dayle: Reddie?! Eu... eu matei Evan

Reddie: O que?????

Dayle: Ele me atacou, ele parecia estar doente!

Reddie: Caralho cara, precisamos sair daqui!

Dayle: Falei com Beth, mas pra onde iríamos?

Reddie: Entrei em contato com a minha prima, ela disse que estão abrigando civis perto de onde ela tá, podemos ir lá!!!

Dayle: Ok, ok, onde você está?

Reddie: Estou em casa, apareçam aqui!!!

Dayle: Já estamos indo!!

Dayle, Beth e Jimmy vão até a casa de Reddie, Reddie aparece e eles saem de carro, Reddie dirigia enquanto conversava com Dayle, no banco de trás Beth fica abraçada com Jimmy

Reddie: O trânsito na principal está gigante, vamos ter que improvisar

Dayle: Beth, Jimmy, se segurem

Reddie acaba arriscando ir por uma estrada de terra para poderem fugir do trânsito

Jimmy: Mamãe, o que está acontecendo?

Beth: Vai ficar tudo bem filho, vai ficar tudo bem

Reddie: Quando chegarmos lá, vamos encontrar com ela e irmos direto para a zona de proteção, não vamos ser o únicos lá, vamos ficar juntos

Dayle: Ok, ok

Reddie para o carro na frente da casa de sua prima, ele buzina várias vezes e sai sua prima e seu primo de lá, eles entram em seu próprio carro, Reddie agora segue o carro deles

Reddie: Minha prima se chama Clarisse, ela já serviu no exército, sabe o que está fazendo

Dayle: E quem é o outro cara?

Reddie: O nome dele é Bruce, ele é um pouco agressivo, nós não nos damos muito bem

Eles vão até a cidade, e lá está um caos, pessoas correndo, prédios pegando fogo, carros batendo, pessoas devorando umas as outras

Reddie: Meu Deus!

Dayle: Reddie, acelera

Reddie: Não dá pra acelerar, tem pessoas na frente!

Dayle: Você vai acabar perdendo o carro deles de vista

Jimmy: Mamãe!

Beth: Feche os olhos querido, vai passar logo

Dayle: REDDIE!!

Reddie pisa fundo e atropela um monte de pessoas e infectados e quando eles estavam quase chegando nos carros do exército um carro desce a rua muito rápido e acerta a lateral do carro, fazendo ele capotar, eles ficam desacordados uns minutos, mas Dayle acorda e tenta sair do carro, Reddie acorda em seguida e Beth e Jimmy também, Dayle chuta o vidro da janela e sai com cautela, mesmo assim ele arranha bastante o seu braço, além de outros ferimentos no rosto e em todo corpo, ele ajuda Jimmy a sair do carro e logo seguida Beth, Reddie também consegue sair do carro e conversa com Clarisse na chamada

Clarisse: Onde vocês estão? Já estamos aqui!!

Reddie: Perdemos o carro! Teremos que ir andando!!

Clarisse: Vem rápido!

Eles tentam correr até a zona mas um posto de gasolina explodiu e bloqueiou a rua, forçando eles a irem por atalhos, eles passam por vários becos, em um desses becos havia um portão, eles passam por esse portão e como havia infectados atrás deles, Reddie tenta fechar esse portão mas os infectados não deixam, fazendo com que Reddie tenha que ficar empurrando o portão para os infectados não passarem

Dayle: Reddie??!

Reddie: Vai! Eu alcanço vocês depois!!!

Dayle olha para Beth e eles continuam correndo, eles chegam até a zona e encontram Bruce e Clarisse

Clarisse: Onde está Reddie??

Dayle: Ele ficou pra trás, precisamos salvar ele!!

Bruce: Então vamos!

Dayle, Bruce e Clarisse saem da zona segura e vão atrás de Reddie, enquanto Beth e Jimmy então em um dos caminhões do exército e se vão, Dayle, Bruce e Clarisse chegam até Reddie, Reddie solta o portão, os infectados entram e eles com muita dificuldade conseguem matar todos, eles retornam até a zona segura e vêem que os caminhões com civis partiram, eles decidem que em meio a todo esse caos, era melhor encontrarem um local pra ficarem, é o que fazem, voltando para casa de Clarisse, o plano é se hospedar lá até um próximo comboio do exército vir buscar os civis, no dia seguinte, eles ficavam de olho nos rádios pra verem as notícias se o exercito iria passar por lá novamente, quem estava ouvindo o rádio era Clarisse, Dayle chega perto dela

Dayle: O que eles falaram?

Clarisse: Falou sobre buscas do exército em Washington, Chicago e Miami

Dayle: Miami? Não é muito longe

Clarisse: Ok, mas não temos recursos o suficiente pra chegarmos até lá, as estradas estão bloqueadas e o perigo daquelas coisas lá fora então...

Dayle: Precisamos ir ao supermercado, procurarmos por alimentos

Clarisse: Eu posso ir lá depois

Dayle: O mundo está um caos, deveríamos ir o mais rápido possível antes que as coisas acabem, somos poucos, vamos em três, um fica

Clarisse: No que você trabalhava?

Dayle: Administração de empresas, por que?

Clarisse: Você fala com uma boa noção

Eles se decidem e quem vai é Dayle, Reddie e Bruce, quem fica é Clarisse, eles vão até um supermercado próximo, eles param em frente ao supermercado

Bruce: Já tá tudo quebrado!

Dayle: Ainda pode ter coisas lá dentro, vamos entrar

Eles saem do carro e entram, Bruce se vira para Dayle

Bruce: Sabe usar uma arma bonitão?

Dayle: Vou aprender

Bruce: Éramos pra termos treinado antes de sairmos então

Dayle: Só vamos pegar o necessário e sairmos, nem precisaremos de arma

Eles andam pelo supermercado e não acham tanta coisa, coisas mais importantes já foram saqueadas, enquanto andavam pelo supermercado atrás de comida, Bruce provoca Reddie

Bruce: Não ache que o fim do mundo vai fazer eu te perdoar

Reddie: Me perdoar?

Bruce: É, quando a gente sair dessa preocupação eu vou te pegar Reddie, vou acabar com esse seu rostinho e não vai sobrar NADA, nem para os infectados comerem

Reddie empurra Bruce e Bruce cai no chão, Bruce se levanta rapidamente e monta a guarda

Bruce: Então o rapaz está mais corajoso??

Eles iam começar a brigar mas Dayle impede

Dayle: Querem parar com isso vocês dois? Temos coisas mais importantes pra fazer

Bruce: É temos, a primeira delas é acabar com esse cara!!

Dayle: Mais que merda aconteceu entre vocês dois??

Bruce: Por que não pergunta a Reddie?

Dayle:... Reddie? O que aconteceu?

Reddie: Eu decidi sair de casa pra tentar alguma coisa no mundo, estava bem e ele me culpa pela família ter ficado fraca financeiramente

Bruce: Explique direito meu primo, nossa família estava na MERDA, nossa vó estava doente e você não apareceu pra ajudar em NADA, você nos abandonou, NOS ABANDONOU!!

Reddie: A família estava fudida mesmo se eu tivesse ajudado, ninguém na família me deu apoio em nada que eu fiz

Bruce: Nossa vó morreu, enquanto você estava super bem de vida em uma dessas casaronas, seu canalha

Dayle: Olha, eu sei que isso é difícil, mas temos que focar no que importa agora, esses conflitos familiares, não significam mais nada, as pessoas estão devorando umas as outras, pessoas estão morrendo, supermercados sendo saqueados, as leis já não existem mais, o que existe agora são essas coisas e nós, e pra podermos vencer essas coisas precisamos estar unidos, então vamos focar no que é necessário para nossa sobrevivência, pois é a única coisa que importa agora!

Dayle continua andando atrás de suprimentos e encontra carne congelada

Dayle: O que forem encontrando coloquem nos carrinhos, temos que ser rápidos!

Eles conseguiram até que uma boa quantidade de alimentos, considerando que tudo foi saqueado, quando eles iam sair pela porta, para uma garotinha na frente deles, que estava infectada

Bruce: Está na hora de você treinar Dayle

Dayle: O que? Eu não vou atirar em uma garotinha

Bruce: Qualé cara, ela está infectada

Dayle: Pelo amor de Deus, Bruce!! Eu não farei isso

Bruce: Que se dane

Bruce larga seu carrinho, pega sua pistola e dá um tiro na testa da garotinha, eles saem do mercado, colocam as mercadorias dentro da mala do carro e vão embora, no carro Bruce dirigia mas percebe a cara de Dayle

Bruce: Está com a cara pálida cara, o que foi?

Dayle: Era só uma garotinha Bruce! Não deveria ter mais que oito anos!

Bruce: A garota estava toda delacerada cara, você viu o rosto dela, aquilo não era mais a garotinha

Dayle: Ela só estava doente.... não merecia esse fim

Bruce: ... Puta que pariu só tem idiota

Eles chegam até a casa, Clarisse os recepciona ainda na porta

Clarisse: E como foi lá?

Bruce: Foi tranquilo, tirando esse mariquinha aqui que não aguentou ver uma infectada

Dayle: Ela era só uma criança

Bruce: Realmente ela era só uma criança, uma criança sem um braço e com o rosto todo despedaçado

Dayle não aguenta e vomita no mato

Bruce: Puta que pariu!

Reddie: Você tá bem cara?

Dayle: ... Estou

Reddie: Vem, vamos tomar uma água

Reddie e Dayle ficam sentados na cozinha, Dayle toma um copo d'água

Reddie: Se acalmou?

Dayle: ... Sim, mas ainda não consigo compreender o que está acontecendo direito

Reddie: O governo vai encontrar uma cura, não está tudo perdido ainda

Dayle: Precisamos ser resgatados por eles logo!

Reddie: Vamos ter que esperar eles vierem para Atlanta de novo

Dayle: Falei com Clarisse, no rádio dizia que eles iriam em Miami, podíamos ir até lá

Reddie; Não acha que é muito arriscado essa viagem?

Dayle: Estamos vivendo em risco de morte a cada segundo que passa, devíamos apostar as moedas na única esperança que há

Reddie: Conseguiu falar com Beth?

Dayle: Perdi meu celular na noite passada, para onde os militares estão levando essas pessoas?

Reddie: Eu não sei, um local mais seguro, um local que eles talvez achem que seja seguro

Dayle: Isso não pode ser o fim, não assim

Reddie: Não é o fim, não nosso fim, estaremos juntos até o último segundo, eu te protegerei e você vai me proteger também, sobreviveremos juntos, eu prometo isso a você

Reddie estende sua mão e Dayle aperta ela

Reddie: Juntos!

Dayle: Juntos!

E é assim que o capítulo termina.


Notas Finais


Cometem o que acharam, indique a amigos, me ajuda bastante!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...