História Semente De Rosa - Capítulo 8


Escrita por: ~

Postado
Categorias Saint Seiya
Personagens Afrodite de Peixes, Aiolia de Leão, Aioros de Sagitário, Aldebaran de Touro, Camus de Aquário, Dohko de Libra, Hyoga de Cisne, Ikki de Fênix, Kanon de Gêmeos, Mascára da Morte de Câncer, Miro de Escorpião, Personagens Originais, Saga de Gêmeos, Saori Kido (Athena), Seiya de Pégaso, Shaka de Virgem, Shion de Áries, Shiryu de Dragão (Shiryu de Libra), Shun de Andrômeda, Shura de Capricórnio
Tags Comedia, Drama, Lemon, Mpreg, Romance, Saint Seiya, Yaoi
Visualizações 127
Palavras 1.254
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fantasia, Lemon, Magia, Romance e Novela, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oiee amores lindooos!! Turubooumm? (Loka)
Aqui está mais um cap, e eu sei muito bem que muitos de vocês estavam quase arrancando os cabelos de nervoso, não é?! Kkkkkkkk
Um suspense assim de vez em quando é bom, e até saudável kkkkkk
Entao aqui está
Bjos e boa leitura

Capítulo 8 - Tensão


Fanfic / Fanfiction Semente De Rosa - Capítulo 8 - Tensão

--- De sangue?! 

Pensamentos e mais pensamentos vieram a mente do canceriano. Não só dele, mas de todos ali. Dite estava inconsciente e gelado. Mikaela disse chorosa:

--- Vamos pro hospital agora! 

Imediatamente Mask se levanta com Dite que estava em seus braços. Uma lágrima teimava em querer escorrer. Atena deu as mãos com Mú e teletransportam Mask e os outros para o hospital do Santuário. Ao chegarem no lugar, encontram Ana Clara que tinha acabado de chegar para o plantão. 

--- Senhor Shura? Mas o que houve?! 

--- Doutora Ana Clara, é urgente! O Afrodite começou a sentir umas dores e teve sangramento. Ele está inconsciente! 

--- Essa não! --- Exclamou Ana. --- Onde está ele?!

Nesse momento Alessandro entra no hospital com Afrodite e Aioria o segura. A doutora e o canceriano ao se encontrarem, sentem um choque que os paralisou. Estavam em um transe, nem sequer piscavam.

Ana Clara (Pelos deuses, será possível que...)

Alessandro (Não...não pode ser...isso é impossível!)

Lembranças e mais lembranças vieram na mente do cavaleiro e da doutora. Mas logo se livra do transe ao ver o estado de Dite. Ordenou aos enfermeiros: 

--- Preparem-no, eu vou fazer uns exames para checar a saúde dos dois. Coloquem ele em observação em um apartamento, logo iniciarei os exames.

Assentirem e levaram o pisciano para ser internado. Ana Clara tentou a tava a todo custo tirar aquilo da cabeça mas não deixaria aquilo afetar o trabalho.

--- Eu vou pedir uns exames de sangue e uma ultrassonografia. Eu sinto muito, mas tudo aponta uma ameaça de aborto espontâneo. E isso também pode afetar o Afrodite e muito.

--- Tem razão, a gestação é muito delicada e os dois correm risco. --- Lembrou Shaka. --- Por Buda, que não tenha acontecido o pior.

Shaka abraçou Aioria choroso. E Mikaela abraçou-se com a irmã Atena. Shura tentava ligar parque Aioros. Enquanto isso a doutora se retirou para se preparar e também para não ficar ainda mais nervosa ao ver...ele.

--- Tranquilo, meu amor. Vamos torcer pelo nosso amigo, ele vai suportar e salvar a vida do neném. Ele é forte. --- Confortava Aioria.

A notícia caiu como uma bomba para Alessandro. Perderia seu filho(s) e...Dite? Se sentou na cadeira e desabou em lágrimas. No dia que descobrira uma felicidade como aquela a perderia? E pior, levaria seu amado consigo?! Todos os amigos do canceriano o abraçaram fortemente. Em meio a aquele gesto de carinho, Mask pensou um pouco e ao ver Ana Clara passar novamente no corredor, se separou dos amigos e foi até a mesma, palpitante, criou coragem e falou com ela desesperado: 

--- Por favor doutora, me deixe acompanhar o meu esposo nos exames. Eu não posso me separar dele! 

--- Você é o pai e esposo de Afrodite, certo? --- Quase gaguejou. 

--- S-sim, sou sim.

--- Então...claro, claro. Pode vir. Me acompanhe, por favor. 

Os dois foram em direção a um corredor no hospital, mas ainda com a mesma tensão no peito. Tinham certeza de que já se conheciam, a pergunta era...

Alessandro (Mas e se isso for um engano? E se ela...)

Clara (...Não lembrar de mim?)


___________________________


--- Acalme-se, por favor, minha irmã. --- Atena abraçava a irmã.

Estavam no banheiro feminino. Afrodite chorava nos braços de Atena. Dadas as explicações para a deusa, ela começa a chorar copiosamente. 

--- Isso é tudo culpa minha, Atena! Eu sou a responsável por isso! Eu nunca vou me perdoar se alguma coisa acontecer! --- A menina soluçava de choro. 

--- Não, se culpe, querida. Foi um acidente, eu vou tentar apaziguar a situação, está bem? Mas precisa contar isso a ele.

--- E-eu sei...e se...ele nunca mais...quiser me olhar? 

--- Não acho que isso vai acontecer. O Dite estava extremamente feliz com a gestação, são gêmeos! Ele estava muito feliz e sei que ele vai sair dessa. Mas...então isso acho que vai ter que ficar entre você e eu. Nada de comentários com papai ou tia Deméter.

--- É, você tem razão. 

Elas se separaram do abraço e Atena segura as mãos da irmã dizendo:

--- Eu vou tentar fazer algo pelo Dite, mas não poderei fazer muito. Pode contar comigo pra tudo, minha irmã.

Atena concentra seu cálido cosmo por alguns segundos enquanto segurava as mãos de Afrodite. Após terminar, sorriram uma para outra e se abraçaram novamente. 


__________________________


Na sala de ultrassom, Os enfermeiros trazem Dite na maca para o local onde seria feito o exame. Alessandro estava esperando o amado chegar e ao vê-lo, percebeu que estava desacordado mas a pele não estava mais tão pálida, estava sereno como se apenas estivesse cochilando. O canceriano segura a mão do esposo e beija seus cabelos sussurrando:

--- Amore mio, sono qui con voi. Andrà tutto bene. (Amor meu, estou aqui com você. Vai ficar tudo bem) --- Uma lágrima escorreu de seu olho.

Ana Clara não tinha mais dúvidas. Aquele italiano, era mesmo Alessandro Sorrentino.   

--- Ele ainda não despertou?

--- Eu dei um remédio para a dor e para acalmar a situação. 

   Nervosa, Ana Clara diz ao cavaleiro de Câncer. 

--- Vamos começar com o exame. Veremos se está tudo bem com seu filho. 

A doutora passa o gel no ventre do pisciano. Tentando a todo custo não olhar para o canceriano. Liga os aparelhos mas ao tocar na mesa, deixa sua caneta cair devido a tremedeira na mão. Alessandro tenta ajudá-la a pegar e acabam se olhando nos olhos.

Um minuto de silencio se forma no local. Alessandro pode ver a pureza nos olhos daquela mulher, conhecia muito bem aqueles olhos, aquele olhar temeroso e calmo. Ela realmente seria Chiara Catteneo? 

--- Dio mio! --- Exclamou esquecendo o idioma que era para se falar. Agora Alessandro não tinha mais dúvida. Conhecera a voz.

--- O que houve?! --- Perguntou nervoso.

--- São gêmeos. E idênticos! Dividem a mesma placenta. Que teve um descolamento. E isso ocasionou um inicio de aborto. --- Explica a doutora.

--- M-mas está tudo bem, certo?

--- Agora sim. Foi apenas um susto. Mas se antes tínhamos que ter cuidado devido a fragilidade da gestação e da saúde deles, agoea é preciso atenção redobrada...ou os dois...ou melhor, os três, correm perigo de vida. 

--- Estou decidido a fazer o que for possível e impossível para ajudar a salvá-los. Não iria suportar a dor de perder meu esposo e ainda mais agora que concebe gêmeos. --- Desabafou. 

--- Sim, isto depende não só do Afrodite, mas do seu apoio também. Percebe-se que o amas muito.

--- Sim, muito.

Sorriram um para o outro e continuaram a se encarar novamente. Ao se livrarem do transe, a doutora volta ao assunto: 

--- B-bem, eu...o resultado do exame sai em 30 minutos e deve ser o tempo dele acordar. Ele já fez o hemograma, então já acabou todos os exames. Eu vou liberá-lo para o quarto, ele vai precisar ficar em observação por 24h. Depois eu vou avisá-lo do acontecido, só não vai poder receber visitas porque já passa das 22h. É melhor ir falar com os outros e depois ir retornar ao quarto. 

--- Sim, irei fazer isso. --- Sorriu. --- Muito obrigado. 

Ana Clara chamou os enfermeiros e levaram Dite novamente para o quarto. Enquanto isso, Alessandro deixa a sala para falar com os amigos e caminhava lentamente pelo extenso corredor enquanto lágrimas de alegria brotavam em seus olhos. Por duas situações. 

Ao ficar sozinha, Ana Clara se debruça sobre a mesa e chora ali mesmo, não só de alegria, mas de tensão também. Até escutar uma funcionária chamá-la: 

--- Doutora? Sente-se mal?

--- N-não, Angélica. Estou bem, obrigada. 


Clara (Depois de 17 anos...)

Alessandro (Finalmente nos reencontramos novamente. Mas...como é possível...que estejas aqui, Chiara?)





 


Notas Finais


Acaboou kkk e aí? A tensão aliviou um pouquinho? (Ou não?) quero que me digam aqui se foi o suficiente kkkkk ah, gente. O nome Chiara é italiano e se pronuncia Kiara.
Bjoooess e até o prox cap


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...