1. Spirit Fanfics >
  2. Sempre Ao Seu Lado ( continuação de Minha Melhor Amiga) >
  3. Ficou Maluco?

História Sempre Ao Seu Lado ( continuação de Minha Melhor Amiga) - Capítulo 66


Escrita por:


Notas do Autor


Oi pessoal.
Será que hoje saberemos oque se passa pela cabeça do Anthony?

Capítulo 66 - Ficou Maluco?


O terapeuta pegou calmamente a ficha de Anthony folheando-a, sob o olhar aflito de Jennifer lidar com os pais era de longe a pior parte de seu trabalho. Ainda mais naquelas circunstancias pensou olhando para o menino sentado chão, mas não havia nada a ser feito além de lhes dizer a verdade para que decidissem o que fazer. Em casos como este a internação era opção escolhida pelas famílias, especialmente as ricas e influentes que tinham uma reputação para manter. Notou que Jennifer estava claramente aflita como era de se esperar se tratando de uma mãe, perguntou-se como ela reagiria quando soubesse sobre o problema de seu filho. Observou como Michael estava calmo apesar das circunstâncias desagradáveis, concluiu que o pai deveria ser a figura mais forte da família e provavelmente o líder desta. Alheio a conversa dos adultos Anthony puxou alguns livros infantis da estante, os colocou abertos formando um semicírculo ao redor dos blocos que tinha montado. Habbit o observou concluindo que aquele comportamento era mais uma anomalia e com o passar do tempo estas ações estranhas se tornariam mais frequentes e graves.

 -Então senhores Jackson. –Disse depois de uma longa pausa. –Após alguns testes descobri que Anthony sofre de um transtorno mental grave.

 -Que transtorno? –Michael perguntou nervoso.

 -Esquizofrenia.

 -Está falando que ela é louco? –Jennifer perguntou se erguendo da cadeira.

 -Deixe o doutor falar. –Michael pediu segurando sua mão fazendo-a se sentar. –E isso mesmo doutor? –Perguntou se dirigindo ao terapeuta.

 -Não costumamos usar este termo. –Habbit disse de maneira calma. –Mas esta é a situação seu filho sofre desse transtorno.

 -Não pode estar falando sério. –Jennifer falou ainda choque.         

 -Infelizmente é sério senhora Jackson e recomendo que iniciem o tratamento dele o quanto antes.

 -Que tipo de tratamento? –Michael perguntou.

 -É preciso iniciar a administração dos medicamentos o quanto antes. –Explicou de maneira categórica. –E dependendo da evolução do quadro pode ser aconselhável a internação em uma clínica especializada.

 -Não vou por meu filho em um hospício. –Jennifer afirmou um pouco alterada.

 -Calma querida. –Pediu segurando sua mão e se dirigindo ao terapeuta completou. –Como pode ter certeza doutor?

 -Os senhores já devem ter reparado que Anthony tem amigos imaginários e que conversa com eles.

 -Sim. –Jennifer confirmou. –Mas isso é normal ele é só uma criança todas brincam com amigos imaginários.

 -Não quando elas brincam apenas com seus amigos imaginários como é o caso do seu filho.

 -Não tem nada de errado com meu filho diferente do senhor que...

 Jennifer deu início a uma discussão acirrada com o terapeuta que tentava defender sua posição, só que não era uma tarefa fácil argumentar com ela na atual situação. Apesar de ambas as partes estarem falando de maneira calma e controlada, a hostilidade se fazia presente em cada palavra educada e gesto contido. Quem os visse de longe nem sequer imaginaria que estava acontecendo uma discussão, na verdade tomavam tanto cuidado para não se exaltar que parecia uma conversa amigável. Michael tentava em vão agir como mediador acalmando os ânimos dos presentes, mas sabia que era impossível fazer Jennifer se calmar, o doutor por sua vez não estava ajudando. No fundo estava feliz por Jennifer não ter perdido o controle de uma vez e ataca-lo fisicamente, mas sentia pena do homem encolhido na cadeira sem forças para argumentar. A discussão chegou a um ponto que até Anthony largou os brinquedos e se virou para ver por que os adultos estavam tão zangados deitou no chão assistindo a cena.

 -Quer saber de uma coisa? –Jennifer disse ficando de pé. –Tenha um bom dia. –E pegando Anthony no colo completou. –Vamos meu bem.

 -Me desculpe doutor. –Michael pediu seguindo-a.

 Ele saiu rapidamente do consultório sentindo-se atordoado depois de tudo que aconteceu, não fazia ideia do que deveria fazer muito menos como conversaria com Jennifer. Sabia o quanto ela era sensível se tratando dos filhos especialmente Anthony, sempre havia sido cuidadosa com ele por causa dos problemas de saúde que tinha. Jennifer o protegia muito além do que era saudável para sua educação, tanto que era quase impossível alguém repreende-lo sem que ela intervisse. Sua cabeça ficou a mil depois de ouvir o diagnóstico nem pode pensar direito com a discussão, de todas coisas que poderiam acontecer nunca imaginou que Jennifer brigaria com o médico. Na verdade estava tão nervoso que nem tinha noção de quem tinha razão, mas de uma coisa tinha certeza esquizofrenia era uma doença grave para não dizer perigosa. Estava tão preocupado em alcançar Jennifer que nem prestou atenção no castelo de blocos, com uma floresta formada pelas ilustrações dos livros infantis ao fundo.

 Entraram no carro que partiu rumo a casa de sua família em Encino tinham um almoço lá, mas todo seu ânimo para comemorar tinha evaporado dentro daquele consultório. Sentada no banco de trás Jennifer lutava para não chorar por medo de assustar Anthony, alheio a isso ele brincava com seu carrinho em seu colo. Em outras circunstancias teriam cancelado tudo e ido direto para sua casa, mas Hans havia pedido aquele almoço dizendo que tinha algo muito importante para lhes contar. Além disso Michael queria ver sua mãe e tinham que buscar os meninos que foram na frente, também era o aniversário de Connie a filha da Vic e afilhada deles não podiam perder a festa. Na verdade precisava de algo para esquecer o que tinha acontecido ir aquela consulta foi um erro, pelo menos Jennifer não o havia culpado pelo que havia acontecido no consultório. Ainda com Anthony no colo Jennifer tentava se acalmar e esquecer o que tinha acontecido, ela precisava se recompor em menos de duas horas se encontraria com sua família. O silencio se instalou entre os dois durante os primeiros minutos de viagem, Michael observava Jennifer ao seu lado se perguntando o que ela estava pensando.

 -Jenni precisamos conversar. –Disse quebrando o silencio.

 -Se for para defender aquele sujeito melhor nem começar. –Avisou sem disfarçar a irritação.

 -Não acha que está exagerando? –Perguntou tentando manter a conversa calma.

 -Como quer que eu fique depois... –Tampou os ouvidos de Anthony de continuar. –Depois daquele sujeito dizer que Anthony está louco?

 -Eu entendo como você está se sentindo só que temos que lidar com isso de maneira séria, não é o tipo de coisa que deve ser levada com emoção.

 -Também acha isso?

 -Não estou dizendo que ele tenha razão. –Disse de maneira calma. –Só que como profissional tem o dever falar seu diagnóstico, mesmo que esteja errado.

 -Então por que insiste no assunto?

 -Jenni só por que não concordamos com a opinião dele não significa que tenha nada acontecendo, precisamos procurar outro médico.

 -Eu não quero mais saber de psiquiatras! –Disse irritada o ajeitando seu colo.

 -Jenni, por favor, você sabe que podemos deixa-lo sem tratamento.

 -Não quero falar sobre este assunto agora. –Disse abraçando Anthony.

 -Está bem não é o momento. –Falou acariciando o dorso de sua mão tinham uma festa para ir.

 -Droga. Esqueci o presente da Connie no rancho. –Lembrou.

 -Vamos busca-lo.

 -Não são quatro horas de viagem vamos chegar na casa da sua mãe de noite. –E se dirigindo ao motorista disse. –George precisamos passar por uma loja de brinquedos antes de ir a festa.

 -Sim senhora. –O motorista disse mudando a rota.

 Assim que o carro parou em frente à loja os seguranças desceram para verificar o perímetro, depois de alguns minutos o último cliente saiu e a placa foi virada de aberta para fechado. Então a com a loja vazia a entrada deles para fazerem as compras, apesar de incomoda esta era a única forma de frequentarem qualquer estabelecimento comercial. Assim que entraram foram direto a parte onde ficavam os brinquedos de meninas, enquanto Jennifer escolhia um presente Michael olhava em volta pensando em levar tudo. Depois de alguns minutos ela optou por uma casinha de bonecas a mais cara da loja, entregou para uma vendedora pedindo que a embrulhasse caso fosse possível. Tinham se distraído tanto com as compras que esqueceram de Anthony no meio dos corredores, por um momento acharam que ele pudesse ter saído para rua quando estavam distraídos. Olharam em volta até que o viram se aproximando com um Bisonho de pelúcia nos braços, não foi preciso muita insistência para que Jennifer o deixasse levar o brinquedo.

 Depois de pagarem pelos brinquedos saíram da loja seguidos por um segurança carregando o presente, foi um verdadeiro milagre a casinha ter cabido dentro do porta malas do carro. Em outras ocasiões teriam organizado tudo no rancho com direito a parque, mas daquela vez ela havia feito questão de receber a família em sua residência. Ao chegarem foram recebidos por Kathe que parecia outra pessoa de tão radiante, além deles todos os Jones estavam lá junto com Rebbie, Marlon e Tito com suas famílias. Jennifer entregou o presente para a aniversariante que nem sequer foi capaz de ergue-lo do chão, coube a John guarda-lo junto com os outros depois de agradecer a cunhada por este.

 Era mais uma das reuniões entre Jones e Jackson que aconteciam em ocasiões especiais, apesar de um dos lados não se sentir muito à vontade com a presença do outro. As famílias começaram a convive muito desde que Kathe começou a sair com Hans, Marge estava feliz pelo irmão e os Jackson tentavam respeitar a escolha de sua mãe. Apesar do clima de amizade e alegria havia uma forte desconfiança por parte dos Jackson, eles temiam que Hans estivesse se aproveitando da carência de Kathe para enriquecer. Eles ainda achavam muito estranho o fato dele ter se mudado logo depois do divórcio dela, além do fato de terem começado um namoro de maneira tão repentina. Possibilidade esta que nem passava pela cabeça de Michael sabia que Hans não ligava para dinheiro, tanto que ele havia recusado uma mansão de presente para viver numa casa popular.  Todos se divertiram na festa até que chegou a hora da refeição se reuniram na mesa, Hans se levantou com uma taça na mão pedindo a atenção de todos os presentes.

 -Em primeiro lugar queria agradecer a todos por vir. –Hans começou a falar. –Estamos muito felizes em comemorar o aniversário da pequena Connie. Mudando de assunto como todos vocês já sabem eu e Kathe estamos nos entendendo faz algum tempo e como nós não somos mais tão jovens decidimos nos casar.

 A notícia surpreendeu todo os presentes os irmãos de Michael olharam para sua mãe confusos, Katherine sorriu timidamente e acenou com a cabeça confirmando. O pedido de Hans tinha sido uma das melhores surpresas de sua vida, tanto que ela não pensou duas vezes antes de aceita-lo afinal era uma mulher de princípios. Mesmo sabendo que nem todos iriam concordar com sua decisão estava decidida, afinal era adulta e mais do capaz de decidir o que era melhor para si. Já havia perdido anos de sua vida cuidando dos outros e queria começar a viver para si e não tinha dúvida de que Hans era com quem queria começar essa nova etapa de sua vida. Na verdade ela tinha começado a viver de verdade depois que se livrou de Josef e não queria desperdiçar mais nenhum momento de felicidade pensando o que iriam dizer. Fazia um bom tempo que vinham conversando sobre isso e estava na hora de darem esse passo, além disso como Hans havia dito estavam velhos demais para ficar enrolando.

 Logo os Jones se levantaram e abraçaram Hans e Kathe comemorando o boa nova, lhes deram os parabéns desejando toda a felicidade do mundo. Margaret começou a perguntar para Kathe sobre o vestido e a cerimonia, além dela Melody e Vic também estavam curiosas quanto aos detalhes do casamento. Enquanto os Jackson conversavam entre si ainda sem acreditar no que acontecia, nunca haviam imaginado que a sua mãe fosse mesmo capaz de arrumar um novo homem. Agora estavam diante de seu futuro padrasto um homem do qual não gostavam, mas isso não fazia diferença fazia um bom tempo que não tinham poder sobre ela. O único que não expressou qualquer reação foi Michael ele permanecia sério em silencio, levou o guardanapo até os lábios limpando-os antes de se levantar. Todos ficaram em silencio diante de sua expressão seria quase irritada ao caminhar, todos saíram de seu caminho enquanto ia em direção a Hans que agora o encarava preocupado.

 -Michael. –Jennifer o chamou preocupada com o que iria fazer.

 -Só tenho uma coisa a dizer. –Disse encarando Hans com seriedade. –Dá cá um abraço pai. –Completou abrindo os braços.

 -Mike garoto. –Hans o abraçou com força. –Você me pegou dessa vez.

 

 


Notas Finais


Parece que tudo acabou bem.
Mas será que Anthony tem mesmo um parafuso a menos?
Kathe e Hans serão felizes?
Como tudo isso vai afetar a vida deles?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...