História Sempre cuidarei de você - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Supergirl
Personagens Alex Danvers, Cat Grant, Eliza Danvers, James "Jimmy" Olsen, J'onn J'onzz "John Jones" (Caçador de Marte), Kara Zor-El (Supergirl), Lena Luthor, Maggie Sawyer, Winslow "Winn" Schott Jr.
Tags Kara, Lena, Supercorp, Supergirl
Visualizações 524
Palavras 3.047
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção, Mistério, Policial, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


ACHARAM QUE EU NAO IRIA REBOLAR A MINHA NÁDEGAS HOJE! Kkkk kkk

Sorry pela demora, choveu aqui na região e eu morro no mato, net até agr não voltou (roteador da irmã hehe)

Bjs e boa leitura 📖

Capítulo 11 - Cap. 11


Pov's Lena

Não sei à quanto tempo estou nesse maldito o quarto, sei que sempre volto para ele, minha vida virou uma repetição parece que estou em loop, sempre que volto pra este quarto tento fazer as coisas diferente, sei que posso mudar algo, só tenho que fazer a coisa certa.

Levanto meio zonza, tiro os fios que estão conectado ao meu corpo, visto uma calça e uma blusa que estão na poltrona perto da cama onde eu estava, calço os sapatos que estão perto da roupa e por incrível que pareça servem perfeitamente em mim, saio da sala onde eu estava, tenho pressentimento de que hoje às coisas vão mudar.

Faço todo o trajeto que sempre faço, sigo em frente passando por todas as salas que estão ao redor, chego no final do corredor e aperto o botão do elevador, como sempre não à ninguém dentro, aperto o primeiro botão ,que me levará para o primeiro andar térreo, pelo mapa que eu vejo aqui na porta do elevador, Kara deve estar lá, e eu espero que ela esteja, tenho medo, quando chego perto dela é sempre a mesma coisa, eu à encontro e logo em seguida Lilian me acha e eu volto para aquele maldito quarto.

O corredor está vazio à apenas algumas pessoas andando entre o corredor, visto uns dos jalecos que encontro em cima da cadeira e continuo o caminho, mais pra frente vejo um computador ligado, olho ao redor e não à ninguém, começo a procurar por Kara ou onde ela posso estar, depois de algum tempo tamborilando os meus dedos no teclado consigo achar a planta da instalação e as senhas para cada porta, pego uma caneta que está em cima da mesa e marco as senhas em meu braço, me levanto e acabo me esbarrando em uma mulher, meu coração acelera assim que os meus ohos encontram os dela, pode ser só coisa da minha cabeça mas Alex está aqui na minha frente tão assustada quanto eu.

-Meu Deus! É você - meus olhos começam a ficar marejados, por impulso eu abraço ela que por incrível que pareça me retribui. A gente não é muito próximas, ela sempre teve aquela desconfiança por eu ser uma Luthor e vendo onde a gente acabou de se encontrar não tiro a razão dela

-Lena, você sabe à quanto tempo está aqui? - Me pergunta se desvencilhando dos meus braços.

-Não exatamente.

-Você está com eles? - Pergunta e se afasta de mim.

-Não, nunca! Todo dia bolo um plano pra sair desse lugar e agora que você está aqui acho que podemos resgatar Kara.

-Ok, mais depois temos que conversar -diz por fim - por onde vamos?.

-Venha - pego em sua mão e caminhamos para o fim do corredor novamente - Você veio sozinha?

-Não - Alex só diz isso e fica em silêncio, e eu não pergunto mais nada, seguimos o caminho em silêncio.

Pov's Alex

Que porra de lugar é esse, isso é um labirinto pra onde olho tem porta e corredores se alguém já conseguiu sair daqui sem se perder eu dou um oscar para ela. Checo o meu relógio e já se passaram sete minutos, acabo batendo de frente com uma mulher, assim que olho em sua direção meus olhos quase saem do meu rosto, é ela, Lena Luthor a mulher pela qual Kara foi imprudente, desde o começo do relacionamento delas eu avisei a Kara que não podia confiar em uma Luthor e agora olhando pra ela na minha frente tudo voltou a tona. Lena estava magra, seu rosto estava pálido, com olheiras profundas quem visse ela do jeito que está agora ninguém imaginária a mulher imponente e sedutora que comanda um dos maiores impérios tecnológicos. Esse lugar está acabando com ela.

-Meu Deus! É você - diz ela com os olhos aguados e logo em seguida me abraçando, a minha primeira reação foi de espanto, não é novidade para ninguém Lena e eu nunca fomos próximas nos cumprimentavamos por educação e por causa de Kara, e por impulso eu retribuo o abraço.

-Lena, você sabe à quanto tempo está aqui? - Pergunto me afastando dela, preciso olhar em seus olhos.

-Não exatamente - Me responde, e vejo em sua reação que pra ela se passou uma eternidade, e isso me deixa mais confusa.

-Você está com eles? - Digo, preciso saber.

-Não, nunca! Todo dia bolo um plano pra sair desse lugar e agora que você está aqui acho que podemos resgatar Kara. - Diz dessesperada, não posso confiar nela, mais é a única opção que eu tenho no momento.

-Ok, mais depois temos que conversar -falo - por onde vamos?.

-Venha - Lena segura na minha mão e caminhamos para o fim do corredor novamente - Você veio sozinha?

-Não - ela entende que não vai receber mais resposta de mim, seguimos o caminho em silêncio.

Pegamos a escada e descemos mais dois níveis, e lá vamos nós mais corredores, Lena ergue a manga da blusa e digita no painel da última porta um código que ela tinha marcado em seu braço, assim que a porta se destrava é revelado um elevador, entramos nele e Lena aperta os botões 37833263 e o elevador se move.

-No curto tempo em que eu passava com Lilian ou a gente estava jogando xadrez ou estávamos vendo documentário sobre os animais que se escondiam - Lena olha pra mim e sorri debochada - Sabe, como os morcegos os furões (risos) eu sempre achei isso peculiar de sua parte , até que um dia eu a segui pelo nosso jardim, ela entrou na garagem de ferramentas e eu entrei logo em seguida mais ela não estava lá, parecia uma mágica - fala olhando pro nada - Acho que ela já era louca, e acabou passando a sua loucura pro coitado do Lex, posso te fazer uma pergunta? - Lena olha pra mim, eu aceno um sim com a cabeça - Agora, nos estamos de baixo da terra - ela arca a sobrancelhas e aponta para os pés.

-Estamos - Sorrio pra ela sem perceber e ela retribui.

-É nessas horas que eu agradeço por não ser uma Luthor, ou ser, sei lá.

Eu não sei muito sobre a vida de Lena, mais pelo o que Kara me contou "Lena não é igual ao irmão Alex, poxa, você nem deu a oportunidade de conhece lá direito" lembro de Kara falando em uma das milhares de vezes que discutíamos o fato dela namorar uma Luthor. E de fato eu não à conheço.

Acordo dos meus pensamentos com a porta do elevador se abrindo, não sei bem em qual direção ele foi (sabe aquele elevador do filme "A Fantástica Fábrica De Chocolates" entao KKKKK) sei que entramos em mais um dos corredores que haviam naquele lugar, só que esse era diferente, as luzes estavam um tom mais escuras, haviam só quatro portas, passamos por elas olhando o que havia em cada sala, a primeira parecia ser um laboratório, com vários frascos de remédios que eles mesmo produziam aqui, a segunda sala parecia um berçário, bem não parecia um berçário era um, poderiam haver crianças aqui com eles mais agora só à uma, cheguei perto e parecia estar dormindo, não sei o que eles fizeram com os outros recém nascidos mais coisa boa que não é. Saímos e seguimos para a próxima porta, essa precisava de um cartão de acesso Lena passou na minha frente e abriu sem nenhuma cerimônia, a sala estava dividida o lado em que estávamos era onde os cientistas ficam para saber se o experimento está sendo executado com sucesso e no outro lado estava Kara, amarrada na cama o quarto onde ela estava era de um tom azul marinho a única coisa que nos separava era o vidro, Lena chegou perto, encostou a cabeça no vidro, pude ver as suas lágrimas caindo feito cascatas, cheguei perto dela e a abraçei.

-Eu vi ela morrendo milhares de vezes, me diz se ela está viva - disse Lena.

-Ei calma, a gente vai tirar ela daqui ok - falei tentando acalmá-la - Vamos resgatar a supergirl Luthor - Eu sorri de canto pra ela. Lena secou as lágrimas com a palma da mão. Entramos no quarto onde Kara estava, desliguei as luzes que estavam transmitindo Kriptonita para o seu corpo, tirei os fios que também estavam com Kriptonita, mesmo inconsciente eu passei as mãos pelo seu rosto "A gente vai ficar bem maninha, eu prometo" disse pra ela e depositei um beijo em sua testa.

Procurei por Lena na sala mais ela ficou distante, ficou na porta do quarto observando eu com kara. Passei a mão na minha cintura e peguei a pequena caixa que trouxe comigo, uma vez quando Kara estava lutando contra um alienígena ela ficou fraca, seus poderes estavam se esgotando ela teve que deixar o alienígena escapar pois seus poderes não aguentaria muito. Winn então fez essa caixa que contém luz solar, assim que ativada ela libera uma luz quase tão forte quanto a do sol, o suficiente para fazer Kara se recuperar de uma briga , posicionei a caixa perto da sua cama e ative, fui para fora do quarto trazendo Lena junto comigo, fechei a porta e esperei. Lena estava apavorada, sempre olhando ao redor, como se procurando por alguém, os dias aqui à deixaram paranóica.

-Ei, Lena, você está bem? - Disse chacoalhando ela.

-É agora Alex - ela disse olhando pra mim -É agora que Lilian nos pega e tudo volta naquele maldito quarto - Eu estava ficando com medo da sua expressão.

-Calma, vai ficar tudo bem - disse passando as mãos em seu cabelo.

-Alex, está muito calmo aqui, você não acha?- Lena disse. Assim que eu iria questinar ela vi uma luz saindo por entre as frestas da porta, entrei puxando Lena comigo para dentro do quarto. Pude ver o exato momento em que Kara abriu os olhos e suspirou.

-Kara - Eu disse correndo pra cima dela - Ow você está bem? - Senti as lágrimas saírem.

-Alex -disse Kara mais parou quando Lena se jogou pro seu colo -Lena, você está viva - Kara passou as mãos pelo rosto de Lena verificando que era ela mesma seus olhos estavam marejados -Eles me disseram que você não tinha aguentado, me desculpa - Kara já estava chorando desesperadamente - Eu deveria te proteger - Kara abraça Lena, agora as duas estão chorando, eu fiquei ali como uma espectadora, vendo o final de um filme.

-Estamos bem Kara, você consegue andar? Temos que sair daqui o mais rápido possível - disse Lena - Só terei sucego quando estivermos fora daqui -Seja lá o que eles fizeram com Lena ela estava apavorada com a possibilidade de pegarem ela de novo, eu vi o dessespero em seus olhos, e isso me apavorou, se Lilian não teve piedade nem da sua filha imagina o que eles fizeram com kara.

-Alex -disse Kara sorrindo pra mim - Você é mais a Supergirl do que eu

-Vamos - retribui o sorriso pra ela.

Kara conseguia andar sozinha, ela só estava sem os poderes, trocamos as roupas que ela usava, para podermos sair como entramos sem sermos vistos, olhei em meu relógio e tinham se passado 37 minutos desde que eu e minha equipe entramos, acionei o meu comunicador.

-Pessoal, achei a Supergirl, me encontrem no nosso ponto de partida.

-Ok- disse Nolan

-Ok- disse Swan

-Ok - disse Sky

A agente Gal estava demorando pra responder, só falta ela ter sido pega.

-Ok - disse ela por fim, suspirei aliviada, estavam todos bem.

Antes de sairmos peguei as bombas que eu tinha trazido comigo, enchi aquele corredor assim que saíssemos daqui eu a acionaria. 

Estávamos chegando perto do elevador e Kara parou de andar.

-O que foi Kara? - Perguntei.

-Vocês viram algum bebê, ou algo assim quando estavam vindo pra cá?.

-Sim - disse pra ela

-E como a criança estava? - Kara me questionou

-Acho que bem, ela parecia estar dormindo - respondi

-Eh....- ela êxitou - e onde ela está agora? - Não estava entendendo onde essa conversa iria chegar mais eu queria acabar logo e ir embora e finalmente poder dormir, como à muito tempo não dormia.

-Ela está nesse quarto, acho que tinham mais bebês aí, mais agora só à ela - Kara entrou no quarto e pegou a criança no colo, viu umas marcas em seu corpo, marcas de agulhas fui em direção à elas -O que eles fizeram?.

-Alex, eles estavam tentando criar um transmutado apartir do meu dna, no pouco tempo em que eu estive acordada eu escutava choro de criança mais logo parava, pela quantidade de Kriptonita que eles estavam injetando em meu corpo o meu dna não valia nada, eles precisariam do meu sangue puro.

-Isso explica porque você ainda está viva - ouvi Lena falar

-Vamos, quero sair daqui logo - disse Kara pegando a criança e enrolando em um pano

Seguimos para o final do corredor, Lena abriu o elevador e entramos, apertou os botões na sequência 8486742 e começou a se mover.

-Olha - disse Lena apontando para a criança que Kara segurava, estava saindo sangue de sua boca, seus olhos escureceram, olhei pra Kara e ela estava em choque e sem reação - o que está acontecendo? - Perguntou Lena

-Está tendo uma reação ao meu dna - Kara falou com voz de choro - Ela não vai aguentar muito tempo - todos nós ficamos em silêncio - QUE PORRA, ELES NAO PODEM MUDAR UMA PESSOA SÓ PARA USAREM COMO BEM ENTENDER! - Grito no elevador, olhei pra Lena e ela estava chorando. Kara apertou a criança já sem vida em seu braços. Eu fiquei sem reação, não sabia o que fazer ou o que falar, simplesmente deixei ela chorar.

Chegamos no ponto de partida, minha equipe estava inteira.

-Como foram?- Gal perguntou pra mim.

-Fácil, fácil de mais, não havia muita gente lá - Eu disse 

- Agradeça a mim - ela sorriu - uma pequena explosão pra desviar a atenção deles - Eu havia falado para os agentes plantarem bombas em cada lugar, assim que saíssemos daqui esse lugar explodiria, e eu estava bem contente por isso. Estávamos entrando no último elevador até que enfim sairíamos daquele buraco. Não demorou muito quando escuto disparos vindo do corredor a nosso direita.

-Entrem, rápidos - falei. Eu e Nolan estávamos revirando e estávamos em vantagem pois dois dos deles já estavam esticados no chão - Vai Nolan - Estava entrando no elevador quando Kara se pôs na minha frente, ela acabou levando um tiro que era pra ter acertado em mim.

-Me desculpa - disse ela - Você não deveria estar aqui - o corpo da minha irmã caiu em cima de mim, puxei ela pra dentro do elevador, Kara estava sem seus poderes ela estava sangrando e muito.

Assim que saimo daquele inferno Jhon's estava com os reforços esperando pro ataque.

-Toma - dei o botão do detonador para ele - vou usar o helicóptero.

Sai com kara sem dar satisfações, entrei no helicóptero junto com Lena, ela não me disse uma palavra durante o trajeto até o DOE, chegando lá levei Kara até a ala médica o tiro pegou em seu ombro, não atingiu nenhum lugar onde poderia causar problemas futuros, Lena ficou com ela sem falar uma palavra, os médicos também examinaram ela, Lena estava com desnutrição, o médico do DOE falou para ela tomar um pouco de soro. Lena agora estava deitada do lado de Kara, as duas se recuperando

-Ei, como você está? - Perguntou Winn

-Eu estou bem - respirei fundo - Agora ela - apontei para Lena - Estou preocupada.

-Vai ficar tudo bem agora.

Base do CADMUS.... horas antes de tudo explodir

-E como vai o nosso último bebê? - Perguntou Lilian entrando no laboratório do primeiro andar, todas as pesquisas eram direcionado pra lá.

-Esse foi o que teve mais horas de vida desde que aplicamos o experimento, até agora nenhum reação - disse um dos médicos que cuidava diretamente do berçário .

-Espero que esse de certo, afinal, é o último - disse Lilian - e minha filha?

-Bem, só o tempo dirá - disse o médico - Ela é forte, acho que vai conseguir gerar o filho.

-Não estou preocupada com a saúde Da minha filha doutor - disse Lilian debochada - E sim da criança que virá dela.

- Ainda não temos os resultados dos exames, teremos que esperar para saber se deu certo. 

Lilian ouviu o barulho de uma explosão e logo em seguida foi para o seu escritório salvar uns documentos, pois se fosse uma invasão eles não poderia simplesmente pegar o projeto de quase uma vida e agora que eles finalmente estavam tentando progresso não iria deixar cair em qualquer mãos.

Nolan que estava passando por perto, viu quando Lilian estava arrumando as coisas para sair, com o barulho da explosão ele aproveitou que todos estavam alvoroçados e entrou na sala.

-Me desculpe, mais agora eu estou ocupada -disse Lilian sem olhar quem estava atrás dela.

-Ah sim, não vou tomar muito do seu tempo - disse Nolan. Lilian percebeu que estava encurralada e pegou a primeira seringa que viu na frente, virou para acertar o seu alvo mais Nolan foi mais esperto, ele segurou o pulso dela levando a sua mão até o pescoço de Lilian.

-Calma, não vai doer nada - disse Nolan aplicando seja lá o que no pescoço de Lilian. Ela caiu no chão com a boca entreaberta, Nolan pegou o pen-drive que estava na mão dela e colocou no notebook que estava sobre a mesa e começou a copiar todos os arquivos que estavam lá, alguns estavam criptografado, ele demorou pra conseguir copiar todos os arquivos e quando já estava saindo da sala ele ouviu a voz dr Alex pelo comunicador chamando para irem. 

Antes de chegar ao ponto de partida Nolan colocou as bombas que ele tinha trazido em todo o lugar. Saiu do escritório de Lilian e fechou a porta com ela dentro. 

Lilian ficou paralisada no chão, seus olhos se mechiam como se pedissem ajuda, ela escutou quando o barulho de algo explodindo foi se aproximando e logo ela não viu e nem ouviu mais nada. 


Notas Finais


Comentem oq estão achando do rumo dessa estória, voltarei em breve
Mil desculpas mesmo pela demora 🙏
Bay bay


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...