História Sempre Discreto - Capítulo 1


Escrita por: e KimBiih

Postado
Categorias Got7
Personagens JB, Youngjae
Tags 2jae, Comedia, Eo2jae!pré-debut, Eyes On 2jae Project, Fluffy, Got7, Romance, Yaoi
Visualizações 157
Palavras 2.041
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Fluffy, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Helloo!
Espero que todos estejam bem :3
Quero agradecer a todos dos projeto que me aceitaram muito bem aqui e também agradecer a beta (@blinesty) e a capista (@pcyniceskirt) <3
Espero que eu consiga escrever bastante aqui, e que vocês gostem do que for postado!
Obrigada por tudo e boa leitura <3 <3 <3
KimBiih~

Capítulo 1 - Capítulo Único


Jogou a bolsa que guardava seus materiais com força no chão. Estava completamente irado depois de um dia corrido e estressante.

Youngjae estava uma pilha de nervos, não dormia há horas graças a seus estudos e palavras que ouvira de sua mãe quando fora passar em sua casa por livre e espontânea obrigação. As palavras que ela usara acabaram acertando-o em cheio, fazendo o mesmo querer jogar tudo pro alto e se jogar da ponte mais próxima possível.

Estava cansado dessa bagunça que chamavam de vida, ainda mais com essa bagunça que estava na sua cabeça. Sentia-se como se fosse explodir a qualquer momento, como se fosse uma bomba relógio que marcava suas dez horas de duração. Não entendia seus pais, não entendia sua mãe, não entendia seus amigos, não entendia seu cachorro, e principalmente, não entendia Im Jaebum.

Sempre fora um garoto calmo, mas do começo do ano para a metade, começou a se estressar facilmente e descontar tudo em um travesseiro ou sofá que estivesse pela frente. Não estava mais aguentando toda essa enxurrada de coisas que estavam jogando para cima de si. Não fazia sentido para a alma do pobre garoto sofrer tudo o que estava sofrendo com essa bagunça de sentimentos e palavras que diziam para si. Anos atrás, seus pais diziam para manter-se longe do garoto de cabelos negros, porém, hoje dizem para aproximar-se mais.

Respirou fundo, passando a mão em seus cabelos loiros, aprovando uma carícia leve no local. Pegou o celular em seu bolso, o jogando na cama e o vendo-o pular levemente no colchão macio. Resmungou, seguindo para o banheiro a fim de conseguir tomar um banho relaxante e dormir em paz. Achava que pelo menos na sexta conseguiria descansar um pouco depois dessa semana barulhenta.

Foi uma semana de provas, recheada de trabalhos e estudantes correndo para lá e para cá. Muitos trabalhos em grupo foram colocados em prática por algumas semanas, o que só piorou o caos nas salas de aula. Os alunos não conseguiam nem ao menos prestar atenção nas aulas, o que fazia com que os professores ficassem ainda mais irritados e começassem a dar sermões, atrapalhando toda a explicação dos mesmos. Se até eles se encontravam em estado deploráveis, imagina os alunos.

Mas, um aluno em especial não estava tão preocupado da mesma forma que os outros. Tirou nota boa nos primeiros bimestres, então mesmo que este não conseguisse ir bem em todas as provas, não teria chance de reprovar ou algo do tipo. Além de que os professores tinham o mesmo como seu queridinho aluno.

Mesmo se esforçando muito, Youngjae não conseguia chegar ao nível de Jaebum. Aliás, também não estava em seus planos chegar ao nível do crush para apenas ficar admirando-o. Tinha que correr atrás, partir pra cima, e tentar virar amigo do outro para ver se daria certo.

Im Jaebum era quem mexia com seu coração de todas as formas. Não entendia como o mesmo fazia tudo isso consigo. Achava que só era brincadeira, e que não estava realmente se apaixonando. Mas quando se pegou olhando-o, escondido, no vestuário dos garotos, enquanto o mesmo se vestia depois de várias partidas no basquete, achou que as coisas estavam começando a ficar sérias. Ignorou-as por um tempo a mais, porém logo essa bagunça de sentimentos acabou aumentando.

Começou a vigiá-lo no pátio da escola, nos banheiros, na sala de aula, indo para a casa, jogando vídeo-game, ou treinando sozinho em casa no quintal. Chegou a um ponto que ele não sabia mais o que fazer. Acabou a pedir ajuda de sua tia, tentando entender mais sobre esse assunto que tanto lhe assola. Esta que não o ajudou de nada, pois estava mais ferrada que ele no quesito amoroso.

Youngjae ficou mais carente, delicado, vaidoso, começou até a se preocupar com seus fios loiros pelo menos uma vez por semana. Começou a passar leves e até fazer limpeza de pele com alguns produtos que achava quando ia a casa da sua mãe.

Este não sabia mais o que fazer contra aquele homem de cabelos negros e sedosos. Os olhos brilhantes e lindos que refletem uma linda paisagem tropical que liberta calmaria e carinho. Os lábios que só de imaginar já são de dar água na boca.

Os braços fortes e bonitos de causar inveja. O corpo bem marcado por camisas regatas, as quais ele mais amava e não tinha vergonha em usar. As coxas fartas e brancas que ele poderia muito bem apertar se não fosse tão tímido.

Tantos detalhes que poderia citar sobre ele, que demoraria séculos para escrever tudo.

Youngjae via ele como um Deus grego, literalmente.

Depois de seu banho, preparou um chá de camomila para conseguir dormir calmamente.

Viu algumas folhas que havia deixado em cima de seu criado mudo e logo foi se deitar.

Quando estava prestes a entrar em seu sono profundo, ouviu alguns barulhos estranhos, logo acordando e pensando que poderia ser um provável demônio ou o gato da vizinha.

Se ele quase teve um ataque quando ouviu alguns barulhos na janela? Se tivesse uma cruz e água benta alí, ele já estaria encharcado e estaria segurando a cruz bem em frente ao corpo.

Seria até uma cena engraçada de se presenciar, mas ele apenas se levantou em uma posição estranha de defesa que ele achava que o protegeria caso ele fosse atacado por um fantasminha camarada — Nem tão camarada assim, mas a gente releva.

Foi direto para a janela, olhando-a de soslaio para não ter outro ataque.

Por incrível que pareça, se assustou mais do que com o fantasminha quando acabou por dar uma olhada no que estava em frente a sua casa.

Conhecem o momento em que o coração acelera uns mil por segundo ao tomar um susto de algum filme ou série que você até sente aquela tontura loucona do nada?

Foi como ele se sentiu no momento em que se deparou com Im Jaebum na frente de sua casa, todo encapuzado e com um olhar perdido.

O que ele estava fazendo alí naquele horário? Já era quase duas da manhã.

A única coisa que conseguiu pensar foi “Ai ai, esses adolescentes de hoje em dia…” naquele tom de gente velha mesmo, que as vovós usam quando vêem o adolescente ou jogando algo, ou mexendo no celular.

Abriu a porta com certo receio, olhando para o ser de uma forma meio assustada e com um toque de surpresa. Os dois ficaram se olhando por um tempo em silêncio, até o de cabelos negros resolver falar.

—Não vai me deixar entrar? — Ele perguntou com certo receio, vendo o outro acordar do pequeno transe que tinha entrado por alguns minutinhos.

— A-Ah sim, claro! — Disse dando espaço para o mesmo entrar, contendo um pouco do entusiasmo de encontrar o boy magia em sua própria casa. — O-O que lhe trás aqui a essa hora? — Fechou a porta, seguindo para a sala com as bochechas levemente coradas e o cabelo e roupas amassados por ter se revirado na cama quando estava prestes a dormir.

— Preciso falar com você. — Disse meio incerto, tirando um dos casacos e os colocando em cima da poltrona que havia ali. — É um pouco sério. — Disse com um olhar recheado de malícia para cima do outro.

Youngjae estranhou um pouco, sentando-se em seu sofá e batendo algumas vezes fracamente ao seu lado, sinalizando para ele sentar também. Jaebum sentou-se ao lado dele, como o pedido, e logo embarcou a falar.

— Primeiro, eu estava em uma festa com alguns amigos e eles fizeram um desafio.

Youngjae olhou para o chão, puxando mais ainda o cobertor que trouxe de sua cama. — E o que eu tenho a ver com isso? — Disse baixinho tentando não ser muito grosso.

— Bom… — Ele disse meio sem graça, mexendo de leve nos cabelos da nuca. 

Demorou alguns minutos até Youngjae falar. 

— Bom…? — Disse, incentivando ele a falar algo. — O que, Jaebum?

— Eu gosto de você, Youngjae. — Disse um pouco enrolado, olhando para o outro de forma tensa, com medo.

Youngjae sentiu seu coração parar por alguns segundos, então logo perguntou. — Isso faz parte do desafio ou é verdade? — Disse um pouco sério, não queria sofrer depois.

— É verdade! Eu juro!

Youngjae sentiu o coração acelerar novamente. Não esperava aquilo, justo neste dia que havia sido uma droga.

Jaebum sentiu o celular vibrar em seu bolso, pegou rapidamente para dar uma olhada. Se deparou com algo que não queria ver tão cedo.

Um de seus “amigos” havia mandado uma foto dele, beijando uma pessoa qualquer daquela festa, também vítima de um desafio. Apagou a imagem, olhando para Youngjae, se deparando com um olhar confuso.

— O que era? —  Young perguntou, pouco se importando com a falta de vergonha, pois percebeu que JB estava levemente tenso depois de ver a imagem no celular.

— Você não está com o seu celular, não é? —  Perguntou meio nervoso, encarando os olhos negros do outro.

— Está lá em cima, por quê? Está me escondendo algo…? — Fez essa última pergunta com um pouco de receio.

— Não, não é nada. —  Sorriu amarelo.

Youngjae se sentiu meio mal, se encolhendo ainda mais debaixo de sua coberta. — Era só isso? —  Disse baixinho, não o encarando. 

— Hm? — Se mexeu levemente incomodado — Não. Eu poderia fazer uma coisa que posso me arrepender no futuro? —  Olhou para o outro novamente.

— Não sei…? — O alguns meses mais novo falou, finalmente levantando o rosto para o encarar direito.

Jaebum se aproximou um pouco mais, puxando-o pela cintura coberta pelo manto fino. O Choi apenas deixou-se levar, corando e paralisando ao ponto de que Jaebum aprofundava o beijo que o mesmo havia iniciado. Este que sentia-se levemente nervoso, mas ao ser correspondido, simplesmente deixou-se levar também.

Os dois ouviram o som de uma notificação abafada que vinha do andar de cima.

Youngjae afastou-se devagar, sem abrir os olhos. Não estava pronto para encara-lo.

Em menos de alguns segundos, sentiu Jaebum levantar do estofado do sofá. Abriu os olhos rapidamente, encarando-o já a alguns metros de distância, seguindo rapidamente para as escadas.

— Aonde você está indo? — Levantou, se enrolando ainda mais no cobertor, achando que aquilo continuava sendo uma brincadeira. 

Jaebum parou, encarando-o. 

— É rápido! Já volto, está bem? — Disse, voltando rapidamente, dando mais um selinho rápido em Youngjae. — Não vou fugir. — Sorriu fofo, voltando a ir para as escadas e dessa vez as subindo.

Youngjae sentou-se novamente no sofá, encolhendo as pernas no mesmo. Estava feliz, mesmo que um pouco desconfiado. Ficou ali por um tempo, pensando em algumas coisas. Já estava batendo um certo sono por estar tão aconchegado em sua coberta e o sofá ser tão confortável. De qualquer forma, ficou esperando Jaebum voltar, pois queria falar com ele.

Alguns minutos depois o mais velho finalmente voltou, sentando-se ao lado do outro, o encarando.

— O que você foi fazer? — Youngjae perguntou primeiro.

— Ah, nada demais. — Disse, puxando o mesmo para o colo, puxando um pouco do cobertor dele para se aconchegar também. — Desculpe se estou invadindo muito seu espaço, mas você é muito cheiroso. Sinto vontade de ficar te abraçando.  

O de cabelos tingidos de loiro sentiu o coração bombear ainda mais sangue que o normal. Estava extremamente vulnerável naquele momento, e toda a raiva que carregava desde tarde havia se esvaído desde que Jaebum havia entrado em sua casa.

— Tudo bem. — Disse brevemente, aconchegando-se no outro, como se fosse um gatinho.

Jaebum sorriu, beijando brevemente a cabeça do outro, aproveitando para fazer um leve carinho com os dedos nos fios macios.

Trocaram mais algumas carícias e poucas falas até os dois acabarem pegando no sono como se fossem namorados há muito tempo.

O mais novo não sabia, mas antes mesmo dele começar a perseguir Jaebum pela escola ou pelo quintal da casa do mesmo, o de cabelo negros já o amava há tempos, e planejava contá-lo daqui a alguns dias que percebia as secadas que Youngjae dava para cima dele, as secadas que eram para ser discretas, mas estas não eram nem um pouco.

Quanto a foto, com certeza era alguma montagem idiota que algum babaca havia feito, mas Jaebum explicaria caso Youngjae visse.

Talvez poderia até chegar a contar que aquele desafio era só uma desculpa para conseguir chegar mais perto do outro e dar-lhe seu primeiro beijo.


Notas Finais


Espero muito que tenham gostado <3 Essa fanfic foi bem simples porque eu não tinha planejado muito bem o que iria fazer, me desculpem. Prometo que a próxima vai ser maior e mais complexa ^u^ Beijinhos da nova anã <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...