História Sempre enquanto durar - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, V
Tags Bts, Fluffy, Hopev, Romance, Taeseok, Vhope
Visualizações 130
Palavras 1.245
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fluffy, Shonen-Ai, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi, oi, gente ^^
Essa one era para ser postada só no meu aniversário, maaaas...~~
Ela foi inspirada em alguns vídeos e em alguns fatos e eu sempre fui doida para escrever alguma coisa sobre o beijo que eles deram no Rookie King. E COMO A VHOPE SHIPPER LOUCA QUE SOU, saiu isso na adrenalina de escrever. Vou deixar os links dos vídeos nas notas finais para quem quiser.
Disse na minha última oneshot que ficaria um bom tempo sem postar, mas, como as provas deram um intervalo de duas semanas, consegui escrever algo bem rapidinho.

Me desculpem pelos possíveis erros :))))

BOA LEITURA! <3

Capítulo 1 - Quando chega a noite


Fanfic / Fanfiction Sempre enquanto durar - Capítulo 1 - Quando chega a noite

Abriu a porta e entrou no quarto gelado, avistando seu alvo logo de entrada. Tomou cuidado para não tropeçar em algum objeto pelo caminho, já que Hoseok tinha desistido da limpeza do dormitório pela bagunça incontrolável.

Sempre que Taehyung tinha algum pesadelo, corria para a cama do mais velho, onde se espremia bem pertinho do corpo dele e passava a noite ali. E mesmo que o Jung dissesse que não tinha problema (e que secretamente esperava toda noite a porta se abrir e um Taehyung todo assustado deitar em sua cama), o Kim tinha dó de acordar a pessoa que, aos seus olhos, era única, em todos os aspectos, mas principalmente quando se tratava de entender suas maluquices.

Com a necessidade inexplicável que sempre tinha de tocar em Hoseok, sua mão perdeu-se nos fios macios do mesmo, começando a fazer carinho e ouvindo um suspiro bem baixinho. Parecia estar dormindo como uma pedra.

Taehyung não desconfiou de nada, mas o mais velho estava escutando e sentindo tudo; desde seus passos até o coração batendo rápido e as mãos de dedos longos lhe acariciando a cabeça. Na verdade, nem tinha como não sentir quando o mais novo estava por perto.

— Te peguei, garotinho.

Depois do sussurro que o pegou de surpresa, Taehyung caiu na cama de Hoseok pelo mesmo ter o puxado pelo pulso, se afundando naquela bagunça de travesseiros e cobertores, com o cheirinho de baunilha que seu hyung tinha e que era um dos maiores motivos para ele sempre se refugiar ali.

— Você me assustou! — sussurrou, sorrindo baixinho e pensando em dar um soco no Jung, mas estava muito escuro para ele saber onde estava acertando.

— Desculpa, Tae. — pediu, sorrindo baixinho também para não acordar os outros membros. — Outro pesadelo?

— Não... — respondeu.

— Então o que é?

— Está muito escuro...

Sentiu a cama mexer ao seu lado e logo depois, uma luz bem fraquinha se acendeu.

— Pode falar agora. — Hoseok disse, deitando de lado para encarar o rosto do mais novo e tentar decifrar pelas suas feições o que estava o incomodando.

— Eu estava pensando em algumas coisas e não consegui dormir mais.

— No que estava pensando, Tae? Diz para mim.

Taehyung ficou tímido e Hoseok percebeu isso quando ele abaixou a cabeça. Sempre que o mais novo falava, era olhando em seus olhos.

Depois do beijo que deram em um programa, eles não falaram nada sobre o que tinha acontecido. A relação continuou a mesma: Hoseok continuou tratando Taehyung da mesma forma, como se nada tivesse acontecido.

No entanto, o Kim não podia parar de pensar no beijo. Não foi tão bom porque ele estava tremendo e o Jung também. Mas, de alguma forma, tinha significado muito. Se não fossem as câmeras filmando ou os outros integrantes fazendo muito barulho, tudo teria sido mais fácil.

Taehyung, toda vez que pensava no beijo, ficava em uma completa vergonha. Vergonha essa que ele estava sentindo no momento.

Hoseok procurou sua mão por debaixo dos cobertores e a apertou, fazendo carinho para lhe dar segurança e brincando com a mesma para que relaxasse.

— Está tudo bem. Sabe que pode contar tudo para mim.

— Você disse que gostava de mim. Isso era verdade ou era só por conta do jogo?

— Claro que é verdade, Tae. Eu não brincaria com uma coisa dessas. Ainda mais se for com você.

A brincadeira que participaram em um programa de variedades mais cedo havia mexido no assunto intocado pelos dois. Só que, por mais que a vergonha falasse mais alto, nada do que fora dito tinha sido mentira de nenhumas as partes. A não ser...

— Você também não respondeu minha pergunta... Colocou a língua quando a gente se beijou, não foi?

Balançou a cabeça devagar em um gesto positivo, afirmando.

Quando Taehyung colocou a língua experimentalmente, não achou que Hoseok tinha percebido. Foi uma coisa tímida, bem rápida, mas que ele queria experimentar de verdade como era beijar de língua o seu hyung favorito.

— E disse que gostou do beijo. Era verdade também?

Mais uma vez, Taehyung balançou a cabeça devagar, respondendo positivamente.

Se não estivesse com a cabeça abaixada, perdido em sua própria vergonha e timidez, teria percebido o sorrido bonito que Hoseok deu lhe olhando.

O Jung continuava brincando com as mãos de Taehyung, mexendo os dedos para um lado e para o outro. Era mania sua. Em qualquer lugar que estivessem, suas mãos se encontravam com as do Kim, até mesmo sem ele perceber.

— Você... Quer continuar? Vai se importar se eu quiser muito continuar te beijando agora?

Taehyung finalmente levantou a cabeça, mas só para balançar negativamente e bem rápido, o que foi um gesto bem fofo. Ele não se importaria nem um pouquinho de Hoseok continuar o beijando. Ele queria muito, na verdade.

A mão do mais velho pousou bem em sua bochecha, fazendo um carinho levinho com o dedão. Os olhos de Taehyung, que estavam bem abertos, se fecharam quando sentiu a palma quente em seu rosto. Hoseok observou bem aqueles traços delicados que faziam o mais novo ser tão bonitinho.

— Coloca a língua para fora, Tae. — pediu.

A pontinha da língua de Taehyung saiu e ele apertou mais os olhos fechados. A expressão no rosto do Kim poderia ser comparada com a de um gatinho, porque ele estava tão fofo quanto um.

Primeiro, Hoseok se aproximou e deixou beijinhos leves nos olhos de Taehyung, desfazendo a pressão que o mesmo fazia neles. Depois, desceu para a língua que só tinha a pontinha para fora e a puxou devagar para dentro de sua boca, tomando cuidado para não assustar o mais novo, já que era a primeira vez deles fazendo aquilo daquele jeito.

A língua de Hoseok era quentinha, bem macia e fazia um carinho gostoso que Taehyung se perdia todo. Não foi tão difícil pegar o jeito da coisa, já que seu hyung estava indo com calma, bem delicado; o que ele agradecia, porque queria aproveitar cada segundo direitinho.

Vários selinhos foram dados nos lábios finos de Taehyung, que formavam um sorriso bobo sem mostrar os dentes. Hoseok também estava todo bobo. Já fazia tempo que se pegava desejando os lábios do mais novo e agora seu desejo finalmente fora realizado do jeito que imaginava. Talvez até melhor.

Segurou o queixo de Taehyung e apertou, fazendo as bochechas ficarem gordinhas e um biquinho aparecer.

— Por que faz isso comigo? — perguntou.

— Porque você é fofo, e eu tenho vontade de mordê-lo. — dito isto, Hoseok mordeu a bochecha de Taehyung, fazendo-o rir.

Depois, ele jogou os braços pelo pescoço do mais velho e o abraçou, ficando com ele daquele jeito. Hoseok entendeu que o mais novo queria dormir e por isso só deu um beijo em sua testa e ficou cheirando o cabelo com cheiro de shampoo.

Taehyung não pensaria em mais nada naquela noite e nem sonharia com algo ruim. Hoseok estava ali para cuidar de si, como sempre esteve. Mesmo que ele ficasse emburrado porque o hyung pedia um pedaço de sua comida sempre; ou porque acabava o mordendo forte demais; quando acabava fazendo malcriações; ou até mesmo quando entrava no banheiro sem bater na porta e flagrava Hoseok tomando banho e acabava com vergonha por isso. Sempre seria assim. Sempre enquanto durasse. Mas o sempre é longo demais e ainda bem que era.

Porque só assim, Taehyung voltaria todas as noites.

Taehyung o beijaria todas as noites.

Tahyung dormiria abraçado consigo todas as noites.

Taehyung seria seu e só seu sempre.

Taehyung...

Taehyung...

Taehyung...

 

 

 


Notas Finais


Vhope é real, sim. Eles se pegam no dormitório escondidos, sim. Eles dormem abraçadinhos, sim. 2 beijos.

Link dos vídeos: https://youtu.be/AvTTUcjJgNA
https://youtu.be/b9dLqsfqFYM
https://youtu.be/fBQBkERDrUY


Espero que tenham gostado de verdade =))))

BEIJOS NO CORAÇÃO E ATÉ UMA PRÓXIMA! <3 <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...