1. Spirit Fanfics >
  2. Sempre Minha (Vondy) ( Trendy) >
  3. O Desprezo

História Sempre Minha (Vondy) ( Trendy) - Capítulo 56


Escrita por:


Notas do Autor


Boa noite leitores (as) a partir de hoje não ficarei tanto tempo sem postar capítulos para vocês, estamos quase chegando ao final da segunda parte, falta só mais três capítulos para terminar. Digo mais que a terceira parte terá muitas surpresas e o nosso casal vai se aproximar cada vez mais.
Dando um pouquinho de spoilers para vocês..


Bem agora a Dulce sofrerá por amor só um pouquinho, como quem leu no começo da História, ela vivia desprezando e fazendo pouco caso do Christopher. E por mais que as vezes ele seja um babaca, ele sofreu de amor pela Dulce no começo dessa história, e por mais que a Dulce no começo da história adimitia que não gostava dele, a mesma sempre fora apaixonada por ele, só que agora esse amor cresceu dentro dela, e ela está se dando conta de que realmente o que ela fez no passado foi uma tremenda burrada.

Me desculpem mais uma vez. Eu só escrevi esse pequeno texto para que vocês possam compreender essa história melhor.

Boa leitura a todos (as)

😘

Comentem 👇👇👇

Capítulo 56 - O Desprezo


Durante o caminho até a casa da Sherlyn, o silêncio reinava naquele carro. Christopher olhou para o lado, e viu, que a Dulce tinha adormecido, e o mesmo não pôde deixar de perceber o quanto aquela garota que estava adormecida ao seu lado, era linda, e parecia com um anjo. Por fim chegou a casa da Sherlyn, parando o carro bem na frente da entrada da casa da mesma. Ele foi até a Dulce acorda—la, dizendo que tinha chegado. 

 

 

Christopher: Dul, acorda. — Cutucou a mesma, que logo deu um pequeno resmungar. 

 

 

Dulce: Hum, acordar para que, eu eu quero voltar para festa, lá estava tão bom. Eu não sei o que deu em você para me tirar de lá, e acabar com a minha alegria, sabe você e um imbecil mesmo, além de ficar se esfregando com aquela ruiva na minha cara, ainda me tirou de lá só por que eu estava me divertindo. 

 

 

Christopher: Dulce olha só eu não acabei com a sua alegria coisissima nenhuma. Ou me diga que você queria continuar dançando igual a uma vagabunda com aquele monte de babaca se esfregando em você. 

 

 

Dulce: Veja bem Christopher, meça as suas palavras antes de você me chamar de vagabunda ok! E aliás eu só estava me divertindo, e um pouco de diversão não faz mal a ninguém você não acha? 

 

 

Christopher: Sim Dulce como você disse diversão, e o que você estava fazendo naquela droga da pista de dança não era diversão. Porra Dulce, você queria o que, queria que eu te deixasse lá, para na segunda feira o seu nome estar rolando na boca do colégio inteiro, e por uma fama que você nem é? 

 

 

Dulce: Que fama Christopher? 

 

 

 

Christopher: De fácil vagabunda, que fica se esfregando com qualquer um e isso. 

 

 

 

Dulce: Mas Christopher, eu não estava me esfregando com qualquer um, eu só estava dançando, o que tem de mal nisso. 

 

 

 

Christopher: Tudo Dulce, eu só não gostei de ver aquele monte de babacas de comendo com os olhos e isso. — Falou nervoso dando um soco no volante. 

 

 

A mesma encostou os seus lábios no ouvido do mesmo, e sussurrou, fazendo o mesmo se arrepiar por inteiro. 

 

 

Dulce: Por acaso você não está com ciúme, ou está? 

 

 

Christopher: Cla claro que não, dá onde que você tirou isso hein Dulce? 

 

 

Dulce: Ah sei lá, pelo jeito que você falou só isso. 

 

 

Christopher: Olha Dulce eu só te tirei de lá, para lhe proteger de você mesma, ou você queria que alguns daqueles babacas te pegassem e levassem para o quarto a força e te estuprasse. 

 

 

 

Dulce: Ai Christopher você acha mesmo que isso iria acontecer, ou eu iria deixar isso acontecer comigo, será o possível que eu não posso me divertir uma vez na vida, e ser uma adolescente normal, poxa que saco. Sabe de uma coisa você está parecendo a minha mãe, que quer me proibir de fazer tudo. 

 

 

 

Christopher: Dulce, eu não estou te proibindo de se divertir, e afinal eu não sou os seus pais para dizer o que você tem que fazer ou não, eu só estava lhe protegendo só isso. Ou você queria que eu deixasse você naquele estado lá na festa. Sabe Dulce, como eu disse mais cedo, você e muito especial para mim, e eu não me perdoaria se alguém lhe fizesse algum mal, ou encostasse o dedo em você, entende. — Falou acariciando de leve o rosto da mesma. 

 

 

Dulce: Então se preocupa comigo? — Falou olhando bem fixo para os olhos do mesmo. 

 

 

 

Christopher: Sim. — Respondeu retribuindo o olhar, e continuou a acariciar o rosto dela. — Bem, eu vou ligar para Sherlyn, e perguntar se ela já chegou ou ainda está lá na festa. 

 

 

Dulce: Bem eu acho que ela já está em casa, até porque a luizinha do banheiro está acesa. 

 

 

Christopher Então tá, mas mesmo assim eu vou ligar para ela. 

 

 

Christopher ligou para mesma. E ela lhe avisou que já tinha chegado em casa, e que procurou Dulce por toda festa, e não a encontrou, então acabou pegando carona com o Alfonso, sim ela e a Camila acabaram encontrando com o mesmo, que estava acompanhado de uma garota, que acabou vindo com eles também. 

Christopher desligou o celular, e virou para Dulce, que estava olhando pela janela, para ver se sua amiga já estava vindo. Christopher a chamou fazendo a mesma virar:

 

 

Christopher Dul, posso te fazer uma pergunta? 

 

 

Dulce: Sim claro. 

 

 

Christopher: E verdade que você não gostou de me ver dançando com a ruiva na pista de dança, e por isso começou a beber igual uma desesperada, estava com ciúmes não estava? 

 

 

Dulce: Eeeu clacla claro que não, Chris de onde você tirou essa ideia de eu ter bebido por que eu estava com ciúmes de você. — Mentiu. 

 

 

Christopher: Sei lá e que você deu a entender que foi por causa disso.— Se aproximou dela, acariciando o rosto de Dulce. E Dulce aproximou os seus lábios, roçando próximo aos lábios dele, quando os dois estavam quase se beijando, acabaram escutando uma voz bastante conhecida pelos dois, principalmente a Dulce, fazendo com que eles dois se separarem um do outro rapidamente. 

 

 

Sherlyn: Ei garota, isso são horas de chegar em casa? Te procurei por toda aquela casa e não te encontrei. — Falou se aproximando do carro. 

 

 

Dulce: Ai Sherly me desculpa e que quando eu desci e fui em direção ao bar, vi você e a Camila, aos beijos. Você com o garçom, e a Camila com um outro garoto lá da festa. E como eu estava sobrando eu resolvi ficar por ali mesmo no bar, e quando eu olhei de volta para aonde você e a Camila estavam, vi que vocês duas tinham sumido, e  resolvi pedir uma bebida. E acabei pedindo justamente aquela batida de morango que você tinha tomado mais cedo. Ah e eu vi que aquilo era tão bom que eu resolvi pedir outra, e depois eu só me lembro de estar me acabando na pista de dança, e do Christopher me tirar de lá a força. 

 

 

 

Sherlyn: Ah então quer dizer que a senhorita bebeu além da conta? 

 

 

Dulce: Sim, mas porque algum problema? 

 

 

Sherlyn: Não amiga, nenhum. Ah e sabe de uma coisa. Ai eu estou muito orgulhosa de você, da minha bebê ter tomado o primeiro porre da vida. — Falou fazendo o Christopher soltar uma leve gargalhada. 

 

 

 

Dulce: Ai Sherlyn para com essas coisas, você não está vendo que esta me fazendo pagar o maior mico na frente do Christopher. 

 

 

Sherlyn: Ai Dulcita Dulcita, até parece que o Christopher não está acostumado com essas coisas, afinal quando se trata dele, ele e expert nesse assunto. 

 

 

Christopher: Ei, — Protestou. 

 

 

 

Sherlyn: Ai Christopher fazer o que eu só estou falando a verdade. Ah vamos entrar ta mocinha, que já está bem tarde para a senhorita está na rua. 

 

 

Dulce se despediu do Christopher com um beijo no rosto, agradecendo ele, e abrindo a porta do carro, e saiu indo até Sherlyn que estava esperando no portão para entrar. A mesma acenou para ele, que logo foi embora. As duas entraram dentro de casa, e logo a Sherlyn começou a bombardear a garota de perguntas:

 

 

Sherlyn: Ei Dul, foi aquilo mesmo o que eu vi que você e o Christopher iria fazer no carro, ou estou enganada? 

 

 

Dulce: Fazer o que no carro Sherlyn?

 

 

 

Sherlyn: Anda Dulce me conta e não se faz de desentendida, por que você sabe muito bem do que eu estou falando ta. 

 

 

Dulce: Ah eh que o Christopher e eu quase nos beijamos pela segunda vez. — Falou mordendo o lábio inferior. 

 

 

 

Sherlyn: Como assim pela segunda vez, anda amiga conta me tudo, e não me esconda nada. 

 

Dulce contou para ela, sobre o beijo em que ela deu nele na festa, fazendo a mesma ficar surpresa com a sua atitude, e a também dar vários pulinhos de alegria. 

 

 

Dulce: Mas não foi só isso. — Foi interrompida por Sherlyn. 

 

 

Sherlyn: Ai tem mais, ah não acredito vocês. —Quando ia falar, Dulce a interrompe. 

 

 

Dulce: Não Sherlyn, ficou doida, e claro que nem chegou acontecer isso com nos dois, só conversamos, e nos beijamos só foi isso. —Mordeu o lábio inferior. 

 

 

Sherlyn: Esta bem, já que não aconteceu mais nada entre vocês, além do beijo. E melhor nos irmos dormir, afinal já são quatro da manhã. 

 

 

Dulce trocou de roupa colocando o seu pijama, escovou os dentes, tirou a maquiagem, e deitou em sua cama improvisada, e logo adormeceu, e Sherlyn fez o mesmo que ela. 

 

 

Com Christopher:

 

O mesmo, voltou para a festa na casa do Derick, estacionou o carro dele na garagem, e caminhou para dentro da casa de seu amigo, ainda com a festa rufando, as 4:00 horas da manhã. Procurou por seu amigo, e acabou encontrando com ele no bar. 

 

 

Derick: Rapaz até que fim você chegou. Você demorou demais, achei até que você nem iria mais voltar. 

 

 

Christopher: Que isso cara, não precisa exagerar, também não e para tanto. 

 

 

Derick: Hum não e para tanto, sei. Então quando você foi levar a sua gata em casa, não rolou nada entre vocês não, você sabe do que eu estou falando. — Cutucou o ombro do seu amigo. 

 

 

Christopher: Ficou doido Derick, claro que não, você acha que eu seria doido de se aproveitar da garota naquele estado, pensa rapaz. 

 

 

Derick: Ah cara sei lá, não que você não seja confiável, mas se tratando de "você".

 

 

Christopher: De você o que cara, só porque eu já fiz isso com outras garotas cara, não significa que eu faria isso com a Dulce também né seu mané. — Deu um peteleco na cabeça de seu amigo. 

 

 

Derick: Ah eu me esqueci que você e completamente apaixonado pela Dulce. 

 

 

Christopher: Sim sou mas xiu, ninguém precisa saber ok. 

 

 

Derick: E por que ninguém precisa saber? 

 

 

Christopher: Porque isso e um segredo ok. 

 

 

 

Derick: Sim minha boca e um túmulo. 

 

 

Christopher: Hum sei. Ah por acaso você não viu aquele viado do Martin por aí, ele sumiu desde quando nos estávamos lá no freezer abastecendo com as bebidas. 

 

 

Derick: Não, eu nem reparei cara, ah mas não se preocupe, com certeza ele deve estar fodendo com alguma mulher. 

 

 

Christopher: Ah para ele ter sumido assim derrepente com certeza sim. — Christopher falou e os dois caíram na gargalhada. 

 

 

Derick olhou em seu relógio e viu que já era 4:30 da manhã, e viu que mesmo sendo tão tarde, ainda tinha bastante gente em sua casa. O mesmo, resolveu da a sua festa por encerrada, dispensando os garçons e o Dj, e as pessoas começaram a ir embora, entendendo que a festa tinha acabado. Christopher fez um sinal para o mesmo, dizendo que já estava subindo para descansar Martin apareceu do nada, também dizendo que já iria se recolher, e deixou ele ali sozinho diante de toda aquela bagunça. Derick olhou para aquela bagunça toda, e por ser tarde demais, decidiu trancar a casa, e antes que seus pais chegassem, iria dar um jeito naquela bagunça toda. Os três acabaram acordando 13:00 hora da tarde e se deparando com aquela enorme bagunça que estava a casa. Derick resolveu ligar para uma equipe de limpeza conhecida por ele, já que essa equipe de limpeza era a única que costumava funcionar aos domingos, para que organizassem aquela bagunça, antes mesmo de seus pais chegarem. Passado uma hora, a equipe de limpeza contratada pelo mesmo, chegou em sua casa dando uma geral, enquanto Christopher e Martin foram embora para as suas casas. 

 

Com Dulce: 

 

Dulce Camila e Sherlyn acordaram 12:30, se ajeitaram, e foram direto para a cozinha, ao passar pela sala, Sherlyn fez uma cara de surpresa ao perceber que os seus pais, estavam em casa, ela caminhou em direção aos dois e deu um beijo em cada um e um abraço apertado nos dois. Camila e Dulce que observava aquela cena, também se aproximaram para cumprimentar os pais da Sherlyn, e logo após aos cumprimentos, as três foram para cozinha preparar algo para comer, pois estavam famintas. Sherlyn abriu a geladeira e tirou de lá queijo requeijão e presunto, e também o refrigerante, Camila pegou o pão, e logo elas começaram a preparar os lanches, até Camila ser a primeira a falar algo, já que o silêncio era absurdo. 

 

 

Camila: Milagre Sherlyn os seus pais estarem aqui hoje, sempre que eu venho aqui, eles nunca estão em casa. 

 

 

Sherlyn: E que eles chegaram de viagem ontem as 23: 00 horas, mas infelizmente amanhã eles irão viajar novamente. 

 

 

 

Camila: Mas já, nossa eu não sei como você aguenta, juro eu no seu lugar morreria se os meus pais vivessem viajando pra cá e para lá a trabalho. 

 

 

Sherlyn: Sabe Camila agente acaba se acostumando a tudo nessa vida, e eu acabei me acostumando dos meus pais serem assim sempre botar trabalho em primeiro lugar, e esquecer dos filhos, juro que eu não desejaria que isso acontecesse nem com o meu pior inimigo. 

 

 

Camila: Sherly amiga não fica assim não, você tem a mim tem a Dul, que por mais que não seja a sua irmã de sangue, nós te consideramos como uma, não e Dul? 

 

 

Dulce: Ham Oi que foi que você disse mesmo Camila? 

 

 

Camila: Que isso Dul, aposto que estava com a cabecinha no mundo da Lua, pensando em que? 

 

 

 

Dulce: Ah nada Camila, mas o que foi que você disse mesmo. 

 

 

Camila: Ah eu disse para a nossa amiga aqui. — Deu um tapinha no ombro da Sherlyn, que por mais que os pais dela prefere se dedicar ao trabalho, ao invés de se dedicar a filha, e que por mais que ela sempre esteja sozinha o tempo inteiro nessa casa, ela tem a nós que somos como uma irmã para ela não é? 

 

 

Dulce: Ah e claro que sim, olha Sherly, você sabe amiga que pode sempre contar comigo para tudo, afinal nos somos quase irmãs como a Camila disse, principalmente nos dias que nos conhecemos desde o jardim de infância. 

 

 

 

Sherlyn: Ai meninas muito obrigada, eu não sei o que seria de mim, se não fosse vocês duas na minha vida, minhas irmãzinhas. — Falou, e as três deram um abraço fraterno. 

 

 

 

Camila: Dul agora eu vou te fazer uma pergunta, e preciso que você seja bastante sincera. 

 

 

 

Dulce: Sim, mas depende do que você vai me perguntar. 

 

 

Camila: Ah relaxa eu tenho certeza que essa você não vai deixar passar. — Deu uma leve batidinha no ombro da mesma. Então por que as vezes você fica tão pensativa? Sei que essa pergunta parece boba, mais eu preciso que você me falem a verdade, aliás, você sabe que a sua amiga aqui e bastante curiosa. 

 

 

 

Dulce: Ai Camila só você mesmo, está bem eu vou te contar a verdade por eu está tão pensativa, assim como você diz. Bem e que ontem eu acabei fazendo uma coisa.— Mordeu o lábio inferior. 

 

 

 

Camila: Que coisa? 

 

 

 

 

Dulce: Lembra lá na festa, quando eu deixei vocês ali na sala para procurar o banheiro? 

 

 

Camila: Sim. 

 

 

Dulce: Então acontece que o banheiro fica lá em cima.— Foi interrompida por Camila. 

 

 

 

Camila: É? 

 

 

Dulce: E que quando eu subi e adentrei corredor, adivinha quem estava lá e me chamou? 

 

 

 

Camila: Ah eu já até sei. — Antes da mesma terminar, Sherlyn se pronunciou. 

 

 

 

Sherlyn: Christopher Camila. 

 

 

 

Camila: Ah não acredito e o que ele queria com você? 

 

 

Dulce: Conversar comigo. 

 

 

Camila: Sério? 

 

 

 

Dulce: Sim. 

 

 

Camila: E o que conversaram? 

 

 

 

Dulce: Ah ele só quis me pedir desculpa pelo aquele dia lá no refeitório. 

 

 

 

Camila: Verdade? 

 

 

Dulce: Sim. 

 

 

Camila: Ai que fofo amiga, e você o desculpou? 

 

 

 

Dulce: Sim e claro. 

 

 

Camila: Ai e ai só foi conversa o rolou algum beijinho hein? — Levantou as duas sobrancelhas. 

 

 

 

Dulce: Rolou sim. — Mordeu o lábio inferior. 

 

 

 

Camila: Então quer dizer que o boy te beijou? 

 

 

 

Dulce; Não, eu beijei ele. 

 

 

Camila: AIIII NAAAAO ACREEEDIITOOO. — Deu um dos seus famosos gritinhos. 

 

 

 

Dulce: Ai Camila também não precisa gritar desse jeito, assim vai acabar deixando a Sherlyn e eu surdas. 

 

 

Camila: Ai desculpa amiga, e que eu acabei me empolgando, até que fim hein Dulcita tomou atitude, e assim que eu gosto. — Deu uma leve batidinha no ombro da mesma. 

 

 

 

Dulce: Mas Camila pelo amor de Deus, eu vou te pedir uma coisa, isso não pode sair daqui ok. 

 

 

 

Camila: Sim Dulcita, você sabe néh amiga que a minha boca e um túmulo. 

 

 

 

Dulce/ Sherlyn: Sabemos Camila. — Responderam juntas. 

 

 

 

Camila: Ai gente vendo vocês falar assim, até parece que eu saio por aí fofocando da vida alheia. 

 

 

Sherlyn: Amiga não nos leve a mal, te conhecemos e muito bem por sinal, não e que você seja fofoqueira e tal, mas e um pouco língua solta. 

 

 

Camila: Ham, eu não sou língua solta ta Sherlyn, eu sei guardar segredo ta. — Falou fazendo bico, e cruzando os braços. 

 

 

 

Dulce: Ah e nem adianta fazer esse bico ai que você sabe muito bem que e verdade. 

 

O lanche ficou pronto, e as três, sentaram á mesa para lanchar entre conversas brincadeiras e risadas. Dulce por sua vez, resolveu não contar a Camila sobre o seu primeiro porre de Batida tequila, e entre outras bebidas. A tarde passou em uma velocidade, e logo chegou a noite, e Dulce e Camila, foram para as suas casas. Dulce chegou em casa, e deu de cara com a sua mãe, assistindo tv na sala junto de seu pai, foi até eles e abraçou, e depois subiu para o seu quarto. A mesma deitou em sua cama, e por fim adormeceu, pois estava muito cansada, e precisaria de bastante energia para amanhã, pois teria aula. 

 

No dia seguinte o tempo amanheceu um pouco nublado, e frio. E como de costume, o Pai de Dulce, a deixou em frente ao colégio. Antes de sair do carro, Dulce se despediu do seu pai e saiu do carro do mesmo, indo em direção as suas amigas que estavam lhe esperando sentadas em um banquinho. Dulce caminhou em direção aonde suas amigas estavam sentadas, e as cumprimentou:

 

 

Dulce: Bom Dia! meninas.

 

 

Camila/Sherlyn: Bom Dia! Dul. Responderam juntas. 

 

 

Camila: Ai sério fiquei com uma enorme preguiça de vim para o colégio hoje, vocês acreditam. 

 

 

Sherlyn: Sim, pior que eu também, ai na boa ainda não consegui me recuperar daquela festa de sábado totalmente. 

 

 

Dulce: Ai sabe meninas eu não estou nem um pouquinho desanimada. 

 

 

Sherlyn: Novidade, amiga o dia em que você tiver desanimada para vim para o colégio, pode ter certeza, que o mundo irá acabar. 

 

 

 

Dulce: Ai Sherlyn, também não exagera eu posso até gostar de estudar mais acredite ou não, já teve dias em que eu também tive desanimo de vim para o colégio. 

 

 

 

Sherlyn: Ham sei, e qual foi esse dia hein Dulce? 

 

 

Dulce: Ah foi alguns dias atrás. — Antes de Dulce terminar de falar, e interrompida por Sherlyn. 

 

 

Sherlyn: Ah já sei o dia em que o Christopher te humilhou no refeitório, acertei? 

 

 

 

Dulce: Sim, ai nem me lebre desse dia, foi horrível, aínda bem que ele veio me pedir desculpas lá na festa. 

 

 

 

Sherlyn: Ah claro e com direito a beijinhos. — Fez um biquinho para Dulce insinuando beijinhos. 

 

 

Dulce: Hahaha, palhaça. — Riu sem graça. 

 

 

Sherlyn: Ah amiga brincadeirinha. — Abraçou ela de lado. 

 

 

Camila: Ah eu também quero. 

 

 

Sherlyn: Vem cá Camilinha, junte-se a nós.— As três se abraçaram em meio a gargalhadas. 

 

 

 

Com Christopher: 

 

Christopher saíu de sua casa em direção ao colégio, em seu skate, a toda velocidade. Chegou no colégio, dando de cara com Martin e Derick que estavam também na frente do colégio. 

 

Christopher: Fala veado 1 e veado 2.— Deu uma batidinha no ombro dos dois. 

 

Martin: Mostrou o dedo do meio para ele. — Veado e o caralho, porra Christopher está me estranhando. 

 

Derick: Por*a Christopher quantas vezes eu vou te falar para parar de me chamar assim ca*alho. 

 

 

Christopher: Ih calma galera, relaxa e só brincadeira que isso acordaram de mal humor foi, que isso e falta de comer alguém é

 

 

Derick: Não Christopher, olha vai se ferrar ta. 

 

 

Christopher: Ta bom não está mais aqui quem falou. O Martin, tu ficou com a Vanessinha do Santoro? 

 

 

 

Martin: Sim fiquei, caralho que mulher boa e aquela pô na moral, eu que não sou de repetir a dose, com mulher nenhuma, fiquei com vontade de ficar com ela de novo. 

 

 

 

Christopher: Ih gamou heim— cutucou o amigo com os cotovelos. 

 

 

Derick: Rapaz, rapaz, e assim que começa, daqui a pouco a mina vai querer colocar uma colerinha em você, e logo você vai está igual um cachorrinho fazendo tudo que ela mandar. — Falou zuando o amigo, que acabou entrando na pilha dos dois. 

 

 

Martin: Car*lho da para calar a por*a da boca vocês dois, merda só, vocês acham mesmo que eu vou deixar alguma mulher mandar em mim, porra vocês dois não me conhecem. 

 

 

Christopher: Ahhh ficou nervosinho, néh. — Zoou mais ainda o amigo. 

 

 

Martin: Christopher vai tomar no c*.

 

 

Martin saiu de perto dos dois bufando, indo direto para o seu armário. Enquanto Derick e Christopher caíram na gargalhada por seu amigo ter pegado pilha pela brincadeira que os dois tinha feito. 

 

 

Com Dulce: 

 

As três soltaram do abraço, e Dulce olhou para o lado e viu Christopher sorrindo com os seus amigos. Ai como ela gostava de vê-lo sorrir para ela o sorriso dele era o sorriso mais lindo do mundo. Virou para as suas amigas que estavam só observando ela olhar para ele, e a fazer uma cara um pouco espantosa até Sherlyn começar a falar. 

 

 

Sherlyn: Amiga olha só eu sei que você e apaixonada por ele mais na boa você tem que ter amor próprio, ou não foi você não me disse que ele falou que não te amava mais. Amiga não se chateia comigo, pois eu só estou falando a verdade. 

 

 

Dulce: Não vou me zangar com você Sherlyn, se e isso que te preocupa. Realmente no ponto você tem razão, mas sabe de uma coisa, você não sabe o que e amar uma pessoa de verdade, e sentir que ela e o seu verdadeiro amor, por mais que as vezes ele aja feito um babaca, mais eu o amo mais que tudo nessa vida. Eu sei que você gosta do Martin, mas não e amor e verdade ou estou mentindo? 

 

 

Sherlyn: Sim Dul e verdade. 

 

 

 

Dulce: Quando você encontrar com alguém que faça o seu mundo virar de ponta a cabeça, você vai me entender melhor. 

 

 

Camila: Ai amiga filosofou agora. — Bateu palminhas.

 

 

Sherlyn: Bom eu já vou indo para minha sala, agente se vê no intervalo. — Deu um beijo no topo da cabeça da amiga. — Ah e se você for falar com ele, boa Sorte. Vamos Camila. 

 

 

Camila: Ah sim, Dul olha só fica tranquila amiga vai da tudo certo, eu tenho certeza que vocês dois um dia vão se acertar, mesmo que tenham que passar por muitas coisas ainda. Sabe dá para ver que vocês dois foram feitos um para o outro. — Abraçou a Dulce de lado e ela agradeceu. 

 

 

Dulce: Obrigada. 

 

 

As duas saíram dali deixando Dulce sozinha, que continuava a olhar para Christopher, que ainda estava conversando com o Derick. Derick saiu, deixando Christopher sozinho, Dulce aproveitou a saída do mesmo para se aproximar de Christopher. 

 

 

Dulce: Oi. — Cumprimentou com um leve sorriso nos lábios. 

 

 

Christopher: Oi Dulce, quer falar algo comigo? 

 

 

Dulce: Ah sim, e que eu vim te agradecer pelo o que você fez comigo no sábado. 

 

 

Christopher: Ué, mais você já me agradeceu que eu me lembro, e porque esta me agradecendo outra vez?

 

 

 

Dulce: Sabe e que essa e a única maneira, que eu tenho de me aproximar de você. — Chegou mais perto dele, fazendo uma leve carícia na maça do seu rosto. 

 

 

Vendo o que ela estava fazendo, Christopher retirou a mão dela de seu rosto e disse: 

 

Christopher: Dulce me desculpe eu ter que te dizer isso, mais eu acho que você está confundido as coisas. — Saiu de perto dela entrando para dentro do colégio. 

 

 

Ela pensou  Christopher eu não vou desistir de você tão fácil, nem que eu tenho que provar para você que eu mudei, e que não sou mais aquela Dulce que te desprezava. E foi com esses pensamentos, que a mesma entrou no colégio caminhando em direção a sua sala. 

 

 

Continua... 

 

 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...