História Sempre te amei - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Os Heróis do Olimpo, Os Vingadores (The Avengers)
Personagens Annabeth Chase, Frank Zhang, Hazel Levesque, Jason Grace, Leo Valdez, Nico di Angelo, Percy Jackson
Tags Jasico
Visualizações 115
Palavras 1.779
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Bishoujo, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, LGBT, Luta, Magia, Romance e Novela, Suspense, Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Spoilers, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


TO TÃO MARVETE!! AHH AMO!!

Capítulo 1 - Eu te amo, Nico


QUEM É WILL NA FILA DO PÃO?!! PERCY?!! SE TEMOS JASON E NICO GAIA!!! JASICO É OTP SUPREMO. 

Jason estava sentado no teto do alto da torre dos vingadores. Ele observava a enorme cidade que tinha abaixo de si. 
Assumir e carregar o manto de capitão América nesta época, não era uma tarefa fácil... Tirado de seu passado e forçado a se ajustar a uma realidade que não é sua é constantemente uma luta diária. As lembranças nunca vão embora, o passado que ele conhecia, os amigos que tinha...a família que tinha. Todos estavam mortos, bom nem todos... 
Pelo menos Jason não estava assim tão sozinho, ele tinha encontrado e feito uma nova família com seus amigos, os heróis da terra. Leonidas(Léo) Stark, o homem de ferro. Rachel Maxinoff, a feiticeira escarlate. Annabeth Romanove(Viúva Negra). Ops: AHHH!! ANNABETH É A VIUVA NEGRA(NOME DE ARANHA) BATI FINAL NA VIDA UNIVERSO!! Hã-Hã..voltando ao assunto. Percy Jackson Parker, era o homem aranha. E também tinha o... Nico... Nicolas Barnes, seu amigo desde quando se entende por gente. O amigo que cresceu, viveu e lutou com ele no passado... Nico havia se tornado um super soldado como Jason, Tartarus, a facção criminosa mais famosa do mundo por suas ideias nazistas e facistas planejava usar Nico como uma arma, por isso lhe aplicaram o mesmo soro de Jason e congelaram por anos depois do fim da guerra. Quando foi liberto, Nico sofreu lavagem cerebral. Matou pessoas, destruiu tudo que estava em seu caminho até ser detido pelos vingadores e seu amigo Jason que não acreditava no que via.  Seu amigo estava vivo... E nem precisou dizer que o nome de sua mãe era MARTHA!!( SANTA REFERÊNCIA! CAPITÃO TREMEU!) Para derrota-lo. Ele parecia se lembrar de Jason, lembrar de algumas coisas... Mas seu cérebro parecia ter fritado. 
Infelizmente a ONU ordenou que ele fosse encontrado e preso. Nem mesmo a Shield sabia que ele estava escondido na torre dos vingadores. 
Jason suspirou, ele se levantou e ajeitou o escuto em suas costas. Ele se dirigiu calmamente para o quarto de seu amigo Barnes. Quando ele abre a porta, o encontra sentado fazendo o mesmo que o loiro fazia. Olhava para o horizonte fixamente como se fosse a coisa mais importante. No chão havia varias embalagens de MC Lanche feliz e latas de Coca cola. Pelo menos o rapaz apreciava uma boa comida. 
Jason sorriu, era automático sempre que o via. 
-Sabe, uma faxina é sempre bom as vezes. Semana passada, uma barata quase roubou meu escudo e com certeza os ratos iriam rir da minha cara. - diz ele. 
Nico não respondeu e isso fez Jason suspirar ele apenas queria fazer ele sorrir, não aquele sorriso sarcástico que ele sempre exibia, mas um sorriso doce e sincero como Jason se lembrava a 70 anos atrás. 
-Nico. - disse ele. - Você precisa entender... 
-Não me aborreça Jason. - ele disse as primeiras palavras em três dias de silêncio e trancafiado em seu quarto. -Estou, ocupado pra suas besteiras. Vai passar ferro na sua roupa colada. 
-Bom, dizem que fico lindo de bonito nessa roupa. - sorri Jason. 
-Ahan, com os músculos enormes. - responde Nico. 
-Fico feliz por ter reparado. - sorri Jason. 
-Ficaria feliz se sumisse do meu quarto. Me deixe morrer em paz. - responde ele. 
-Se afundando na culpa? - perguntou o loiro. 
-É o que mais carrego, além de ódio e raiva. - diz ele suspirando. 
Apesar dele ser grosso a maior parte do tempo, Jason sentia e sabia que ele apenas falava aquilo para despistar qualquer conversa e ficar sozinho com seus pensamentos. Rachel tentou usar seus poderes mentais sobre ele na esperança de ajudá-lo, mas Nico não deixava. Ele não podia ser ajudado, por que ele não queria ajuda. 
-O mundo mudou Jay... - ele disse Jay... Jason naquele momento não estava mais amo na torre dos vingadores e sim em seu passado na segunda guerra. Nico e ele se conheciam a tanto tempo... Sabiam tantas coisas um do outro... Antes de Nico ser atirado do trem em movimento que supostamente provocou sua morte, ele chamou Jason de Jay pela última vez e lhe tocou seus lábios no loiro pela primeira vez em sua vida... Ele o amava, eles se amavam... Apenas tinham medo de admitir tal coisa. Não podiam se culpar, o mundo era perigoso e intolerante e infelizmente, mesmo nessa época atual ele continua sendo. - Quando acordei, me falaram que vencemos a guerra. Mas, não me falaram que perdemos tanto. 
-Nenhum de nós pode voltar Nico, temos que nos ajustar onde estamos e ainda fazer o nosso melhor. - sorri Jason. 
-Por que? - perguntou ele e pela primeira vez nessa conversa, ele encara Jason. Seus olhos tão negros quanto a densa noite. Era a única parte de seu corpo que poderia ser vista, pois ele usava uma máscara preta em cima do nariz e de sua boca. - Olha a sua volta Jason, não importa quanto Mal você enfrente, ele sempre existirá. Sou um exemplo disso. 
-Não fale assim Nicolas! - exclamou Jason socando a parede e deixando a marca de seu golpe. - Você não é como os outros! Foi usado! Engano e manipulado! Não era você! 
-Sendo eu ou não, o sangue está em minhas mãos. - responde ele. - Não ter tido razão naquele momento, não justifica meus atos. Eu fiz, eu matei... Destrui vidas, quase destrui você. 
-Não, você não ia. Eu sabia, eu sentia. - diz Jason se aproximando de si e o encarando docemente. Seus olhos se encontraram mais uma vez, como todas as outras mil vezes que fizeram isso, ambos se perderam na imensidão profunda do olhar do outro. - Sempre acreditei que meu querido e amado amigo ainda estava ali dentro. Só precisava acordar. Desejo tanto que você melhore. 
Nico sorri, mas era um sorriso irônico. 
-Sempre tão altruísta. - diz ele. - O mundo não é uma fábrica de realização de desejos. Tanto, que eu quero muito ser punido pelos meus erros ou morto, mas você não permite que isso aconteça. 
-Não quero você longe de mim de novo, Nico é o único aqui que me lembro.bra de como era meu passado, de como era minha verdadeira vida. Não importa o aquecimento aconteceu você sempre esteve lá comigo... Quero retribuir, é meu dever retribuir. - disse Jason. 
Era isso que Nico detestava em Jason, ele era honesto, gentil, sempre via algo bom em todo mundo que podia. Salvava vidas e tinha um sorriso perfeito. Nico as vezes queria socar aqueles dentes... Antigamente era socar com murros, hoje depois de dias com ele e recuperando um tanto de sua memória, ele queria socar Jason com beijos. 
-Precisa me dar liberdade pra fazer minhas escolhas Jason, você é o capitão América. O mundo precisa de ti, eu preciso de paz, minha mente está uma zona, mais bagunçada que este quarto e eu juro, se eu escutar mais alguma piadinha daquele imbecil do homem de ferro, eu acabarei com ele. - responde ele. - Já não gosto dele por ele ficar com gracinha com você. 
Jason notou que o tão de voz mudou... Será que era ciúmes? Só de pensar nisso, Jason sorriu animadamente por dentro, talvez Nico ainda lembrava... Talvez ainda lembrasse que o amava.. e nem o tempo poderia acabar com isso. 
-Valdez é engraçado. Ele apenas gosta de me irritar. - responde Jason. 
-Pensei que esse era o meu papel. - sorri Nico. - Eles não gostam de mim... Não os culp
-Eles tem o direito de terem o tempo que for pra digerir isso. - diz Jason. - Só quero que se sinta em casa, como eu me sinto. 
Nico sorri.
-Te odeio Jason. - disse ele. - Por que não me abandona como qualquer pessoa que viu eu fazer o que fiz faria. 
-Não posso abandonar o meu garoto. - Jason levantou a mão direita e abaixou devagar a máscara de Nico. - Não, enquanto ele ainda me deve mais beijos desde aquele dia a 70 anos. 
-Achei que tinha esquecido disso. - sorri ele sinceramente é isso quase fez Jason derreter, era exatamente igual de como ele lembrava. Mas mais lindo que nunca. 
-Nunca esqueço do que é bom. - responde Jason. - Na verdades o que é bom. Sempre é melhor repetir. 
-Tipo os socos que lhe dei na cara? - diz Nico. 
-Não, prefiro isso. - diz Jason se aproximando calmamente do rapaz. Nico levantou seu braço de ferro para soca-lo, mas Jason o segurou. O loiro pela primeira vez em sua vida, foi ousado em alguma coisa. Ele tomou pra si aqueles pequenos lábios rosados. Nico se sentiu vivo, era seu primeiro beijo em 70 anos. Quase tinha se esquecido como era a sensação gostosa do ar sendo prendido, das línguas se chocando e entrelaçando uma na outra! CREDO! QUE DELÍCIA! 
Jason por outro lado, já havia beijado desde que acordou e não vem ao caso agora com quem nosso capitão América depositou seus beijos viciantes e hipnóticos. 
Nico ergueu seu braço de ferro o colocando na nuca do loiro enquanto Jason entrelaçavam sua cintura. Nesse momento eles não estavam mais ali naquele quarto sujo e sim no passado, quando se conheceram, quando tocaram seus lábios pela primeira vez. O sabor um do outro não mudou nada. Era intenso, o beijo se tornou afoito e urgente. Eles apenas pararam para poder respirar por um segundo. 
A cabeça de Nico latejava cada vez mais, o coração de Jason quase pulava do peito. As pernas de Nico pareciam chumbo grosso o impedindo de pular aquela maldita janela. Jason percebeu que seu amigo parecia assustado e o abraçou carinhosamente na esperança de fazer ele se acalmar. 
-Jason... Isso... Isso não é certo. - dizia ele. 
Jason apenas alisou seu queixo e seu rosto. 
-É errado tentar ser feliz? É errado fazer o que te deixa alegre? Contanto que sua felicidade não atrapalhe ninguém, ela é mais do que bem vinda. Se o que fazemos é errado, eu admito. Amo ser a pessoa mais errada desse mundo! - sorriu o loiro. 
Ps:Levem essa frase de nosso capitão pra vida real. Só você sabe a luta e o sacrifício pra sua felicidade e por quem você ama. Se não interfere na vida de ninguém, ninguém tem nada haver com isso. Se quer comer pizza todo dia, coma. Gordos e gulosos são as melhores pessoas. Se ama o curso da faculdade que escolheu, invista nele. Não interessa se ele é fraco no mercado. Nao e o curso que faz a pessoa, é a pessoa que toma as rédias e o faz ser o melhor do mundo.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...