1. Spirit Fanfics >
  2. Senhor Malik >
  3. Capítulo doze

História Senhor Malik - Capítulo 12


Escrita por:


Notas do Autor


Oi princesas, desculpem a demora pra atualizar, mas tenho vivido muitas crises existenciais e futuristas, me fazendo perder toda minha criatividade e vontade de escrever. Mas, durante essa quarentena, vou me esforçar para aparecer mais vezes. Espero que vocês gostem, boa leitura ❤

Capítulo 12 - Capítulo doze


Fanfic / Fanfiction Senhor Malik - Capítulo 12 - Capítulo doze

Capítulo doze

Sabrina Carpenter

“Regent Street, 989 – Apartamento 231. Às 22Pm”

Leio a mensagem de Zayn e jogo o celular em cima da cama, sem ao menos respondê-lo. Isso tem que acabar. Ir até mim e jogar um acordo sexual que nunca dará certo foi um erro da parte dele. Nunca vou me subestimar a um acordo ridículo vindo de um homem arrogante ao ponto de se achar-se dono do mundo. O ego de Zayn transparece uma arrogância tão incômoda que até me pergunto como consegue dormir com ele. Duas vezes.

Tudo bem que, na primeira eu não estava sóbrio, o que o deixa mais babaca. Ele simplesmente transou comigo em um estado em que eu me encontrava fora de mim e consequentemente, vulnerável. Idiota. E na segunda, a culpa foi totalmente minha. Eu fui atrás, eu dei a iniciativa, óbvio que com a grande influência da minha transa.

Que saco! Essa situação é uma grande merda.

Em outras circunstâncias eu não me importaria, muito menos me negaria a fazer sexo com Zayn. Mas, na situação que me encontro, me sinto na obrigação de não me aproximar dele. Não há um motivo plausível pra isso. Eu só sinto que se eu me jogar nessa história ridícula vou descobrir algo que não quero. Não que esse algo possa me magoar, de maneira alguma, não me importo tanto assim a ponto de me magoar com qualquer coisa que tenha haver com Zayn, mas sinto essa insegurança.

Fora esse motivo nada convincente, não há mais nada que possa me fazer negar essa proposta. Quer dizer, depois de ter rompido com Kol, que, aliás, já estava começando a esperar algo que jamais iríamos ter, eu vou precisar de uma nova pessoa para secar o meu potinho de tesão acumulado. E, segundo as “vontades” ridículas de Zayn, não teríamos problema em relação a esperar mais que sexo.

O meu celular toca, me libertando de meus devaneios confusos e intrigantes. Pego o celular e o atendo assim que vejo o nome do meu pai.

- Sabrina? – Ele diz em um tom animado.

- Bom dia, pai – Forço o mesmo tom.

- Como você está princesa?

- Cansada... – Digo e me jogo na cama – E você?

- Bem... Sua mãe e eu vamos tirar uns dias de férias, e assim que voltarmos, queremos que venha passar uns dias conosco – Meu pai diz com um tom esperançoso.

- Certo, só me avisem quando chegar que irei. – Asseguro - A, pai, eu já enviei o texto pra você e espero que esteja melhor que os incompetentes da sua agência tenha feito.

- Não fala assim, princesa – ele me adverte com um tom carinhoso – Eu li o texto e adorei. Obrigado, está ótimo.

- Que bom que gostou... – Sinto meu ego inflamar - Agora preciso ir... Tenho que ajudar Emma a comprar um vestido pra um evento de idosos no hospital – Sorrio.

- Vai lá, princesa. Tenha um ótimo dia, e mande um beijo para Em, estou com saudades da sua prima.

- Pode deixar papai, te amo.

- Também te amo, muito.

Desligo, sentindo uma pequena paz de espírito. Eu amo tanto meu pai, que às vezes não cabe no peito e esse amor, só reforça meus pensamentos de que o amor, ele não pode ser sentido por algum desconhecido ou por pessoas que não são da família.

Não sou uma pessoa fria, que não sente ou nega-se a sentir. Sou uma pessoa calorosa e que entende que o amor é algo complexo e forte demais. Jamais iremos amar alguém que não tenha os mesmos laços sanguíneos. Iremos nos atrair, e ficarmos propícios a ter relações e procriar, isso é um fato biológico; somos feitos para procriar. Fim.

Tiro o roupão branco e coloco um vestido de seda da cor creme. Opto por tênis e seco os cabelos, fazendo um maquiagem logo em seguida. Assim que saio do meu quarto, Emma está apoiada no balcão, com uma xícara de café em mãos e a cabeça baixa, lendo um livro grosso, que deve ser algo relacionado ao seu curso de fisioterapia.

- Ainda são... – Olho para o celular rapidamente – Dez da manhã, Emma. Larga esse livro.

- Bom dia, S – Ela me ignora – Carla ligou, dizendo que vinha mais tarde hoje, parece que seu filho ficou doente e então falei que ela precisava vir hoje. Acho que sobrevivemos um dia sem nossa governanta.

- Com certeza sobrevivemos – Falo indo até a cozinha para ver o que Emma fez.

- Só tem café – ela sorri.

- Tudo o que eu preciso é café – Murmuro e me sirvo.

- Você está meio tensa, o que houve – Emma fecha o livro e me olha.

- Não diria tensa, mas intrigada... – Dou um gole no café docinho.

Emma me olha com os olhos azuis curiosos, e então eu continuo:

- Lembra do Zayn?

- O irmão da sua melhor amiga que dormiu esses dias aqui?

- Exatamente.

- O que tem? – Ele fecha o livro, me dando mais atenção.

- Nós transamos? – Pergunto de uma vez.

Emma se envergonha, corando as bochechas.

- Não...

- Tem certeza, Em?

- Absoluta. – Ela responde rápido e morde o lábio inferior – Passei a noite toda com você e ele dormiu no sofá.

- Por que ele estava na minha cama de manhã? – Pergunto confusa.

- Quando sai do quarto de manhã, o acordei sem querer e então ele veio apenas buscar as roupas que deixou no seu quarto.

- Eu estava nua... – Murmuro e ela sorri.

- Você deu trabalho... Eu dei banho em você e Zayn ficou correndo com você para o banheiro com você enrolada em um lençol por não querer colocar roupa...

- Então não rolou nada? – Pergunto para me certificar.

- Naquela noite não... Por quê?

Filho da puta. Ele mentiu pra mim e eu cai na pilha dele certinho.

- Nada... – Sorrio para ela e me levanto – Vamos? Mais tarde vou ter que ir com Noora ao shopping também... ela vai pra Espanha e quer comprar umas coisas.

- Se quiser eu vou sozinha.

- Não! Eu prometi te ajudar a escolher um vestido e vou.

- Vou pegar minha bolsa!

Zayn Malik

- Senhor Malik? – Vanessa se levanta assim que entro no escritório.

- Bom dia, Vanessa – Digo calmo.

- Bom dia – Ela sorri envergonhada – Já liguei para a empresa de faxineiras e uma já está a caminho do apartamento que me enviou o endereço.

- Ótimo, assim que ela acabar, me informe.

- Certo. – Ela continua caminhando comigo até o elevador – Aqui estão os processos que acontecerão nesses três dias e os advogados responsáveis por eles – Vanessa me passa algumas pastas e eu agradeço e entro no elevador.

Vou direto para minha sala e começo a analisar as próximas audiências que terão.

Sempre prezei por esse lugar. Mesmo vindo trabalhar aqui por não ter outra opção, mas vim.

Ainda sinto muita raiva de mim mesmo por ter tomado decisões que não deveria, mas não encontrei outro solução e hoje sofro diariamente por ter deixado o amor da minha vida para trás. O pior de tudo não é só conviver com essa decisão errada em minhas costas, mas a saudade... ela piora e aumenta a minha angústia. Ela me faz passar a noite acordado revirando as poucas fotos que tem no instagram. Me faz ficar ansioso e nervoso cada vez que surge uma notificação de um novo stores, e depois a porra de uma grande decepção por ver que eu não estou ao seu lado durante um passeio de merda pela cidade que ela mora.

Eu fiz a minha decisão ruim e vou conviver com ela pra sempre e por isso, qualquer tentativa de amenizar meu sofrimento é válido, nem que pra isso eu tenha que me submeter a negociar por sexo com a irritante Carpenter.

- Zayn?! - Ouço a voz de Louis vindo da porta do meu escritório.

- Entra. - Peço contendo o tom rouco.

- Preciso que você assine isso. É o relatório final de um dos meus casos - Ele me entrega uma pasta volumosa - Mais uma vitória que me deixa no segundo lugar do ranking de advogados que mais possuem casos encerrados e ganhos - Louis se senta na poltrona a minha frente, com um sorriso arrogante e convencido nos lábios. Ele é um ótimo advogado e um bom amigo.

- Ficando atrás apenas do meu velho - Sorrio de lado, sentindo o luto ainda, após um ano de sua morte.

- Sim... - Louis engole em seco - Já assinou?

- Assinado. - Entrego-lhe a pasta - E parabéns pelo caso.

- Vamos comemorar indo na The Griffin!

- Nem fodendo que vou parar naquela boate de stripper novamente - Me nego.

- A, vai dizer que você não gostou de ver o show que aquelas mulheres dão?! - Ele me pergunta com um tom persuasivo - Mesmo que continue com esse jejum ridículo por causa da Hadid, vai ser legal.

- Foi mal, Tomlinson, tenho outros planos.

- Qual é, Zayn... você precisa superar logo a Gigi, cara... esse lance de que só existe "um amor da sua vida" é furado. Você não precisa amar ninguém... só precisa de sexo, e sexo limpo, sem enrolar ou usar alguém... se é que me entende.

Louis pega sua pasta e com um ar de razão, sai da minha sala.

Talvez ele tenha razão e eu precise parar com isso. Devo voltar atrás e esquecer desse lance de transar com Sabrina pra fantasiar a Gigi? Sim, talvez eu deva realmente fazer isso. Mas, deixaria a dor de perdê-la foder comigo e isso eu não suporto mais.

Meu telefone toca, e eu o atendo imediatamente.

- Sim? – Vejo o nome de Vanessa no visor.

- A faxineira já limpou o seu apartamento.

- Obrigada – Digo, e desligo.

Levanto-me as pressas e junto minhas coisas, enquanto mando uma mensagem a Noora dizendo que chegarei tarde. Assim que arrumo as coisas no escritório, me dirijo a saída e rumo ao apartamento.

♤♧♤♧

Estar nesse apartamento depois de um ano e alguns meses me faz sentir uma dor que eu jamais senti, a dor de perder o único amor da sua vida. Eu vivi com Gigi nesse apartamento, as mais loucas aventuras e paixões que um casal pode viver. E, estar aqui, não me faz bem. Me faz lembrar dela e de tudo que vivemos. Mas isso, essas lembranças vivas, vão me ajudar a fantasiá-la melhor.

Passo o indicador pela borda do copo de whisky, enquanto olho fixamente para a vista de cidade. A brisa da cidade, o trânsito caótico londrino e o álcool correndo em minhas veias me faz sonhar mais, me lembrar mais dela.

Tive que retirar nossas fotos, e empacotei algumas peças de roupas que sobraram com seu cheiro. Isso é doentio, mas viciante. Obsessivo e depravado, mas ao mesmo tempo tudo isso parece tão certo, e parece que vou vê-la novamente em minhas fantasias.

Dou mais um gole no whisky, degustando o gosto amargo que desce por minha garganta dando uma leve ardesse. Olho para o relógio do grande prédio a minha frente. Faltam dez minutos para às dez da noite. E talvez ela não apareça. Ou apareça. Que loucura.

Me sirvo de mais uma dose de whisky e afrouxo a gravata, ouvindo um barulho vindo da entrada. Afundo mais a mão em meu bolso e não me movo, apenas levo o copo até a boca, e dou maia gole na bebida.

- Eu sabia que ia aparecer – Minha voz sai rouca.

Ela não diz nada e então me viro, vendo-a usar um vestido vermelho. Ele é justo, valorizando a cintura fina de Sabrina. A cor vibrante tem um contraste atraente por sua pele. Um decote em V, valoriza os seios pequeno da loira. E os cabelos longos, jogados para frente com ondas perfeitas e bonita.

Sabrina caminha até mim, com o ar mimado e superior. Ela está excitada. Assim como eu. É fácil imaginar Gigi aqui, com os olhos azuis me olhando de uma forma tão intensa que faz meu pau querer liberar toda sua porra apenas com esse olhar safado.

- Não pense que estou aqui pra compactuar com sua loucura – A loira diz em um tom baixo.

Viro todo o whisky, vou precisar beber muito.

- Então por que veio? – Pergunto, dando alguns passos para frente, para ficar mais próximo. Tão próximo, que sinto seu cheiro doce, misturado com a sua excitação.

Coloco o copo em cima da mesinha de vidro, fazendo o barulho do contato ecoar pelo cômodo mal iluminado. Sabrina desce os olhos azuis para o copo e logo em seguida sobe para meus olhos, me fazendo sentir estranhamente bem.

- Por sexo, Malik – Ela diz, curvando os lábios em um sorriso malicioso e esse sorriso me faz perder qualquer tipo de controle e juízo que há em meu ser.

Oh, nós não estamos no mesmo lugar, mostre-me sob a mesma luz

Agarro a cintura de Sabrina, grudando nossos corpos, enquanto levo uma das mãos ao seu rosto, puxando-o para meu, juntando nossos lábios de uma vez, acabando com todo esse joguinho idiota.

Ela, por sua vez, sobe as mãos para meus cabelos, os bagunçando enquanto sua língua se junta com a minha, em um beijo agitado, raivoso e carregado de tesão.

Parece certo quando nós voamos sem roupa, e ela é tão macia. Essa não é uma luta justa, yeah

Desço ambas mãos para sua bunda, sem parar o beijo e aperta suas nádegas, puxando-a para o meu colo. Sabrina agarra minha cintura com suas pernas, e meu pescoço com os seus braços. Ela é leve, pequena, mas ágil e safada.

Eu quero chamar atenção para isso, eu vou deixá-la mais molhada do que nunca

Ela arfa sob meus lábios, então puxo o seu inferior, chupando e sugando com os meus. Caminho até o quarto com ela, esbarrando entre alguns móveis, como acontecia constantemente comigo e Gigi. Assim que entro no quarto, a deito na cama, ficando por cima dela.

Sabrina abre suas pernas, me dando espaço. Fico de joelhos na cama, observando a loira morder o lábio com força e desabotoar os botões de minha camisa com rapidez.

Quatro letras nunca são a questão. Ela gosta quando estou bagunçado e eu gosto de quando ela tira a roupa

O tecido branco da minha camisa social sai de mim, e então a loira me puxa, juntando nossos lábios novamente. Sua boca quente, gostosa e feroz, faz meu pau enrijecer cada vez mais.

Estou aqui com você porque você faz meu tipo, você parece ter uma mente legal

Nos viro, me sentando na cama e colocando a loira em cima de mim. Ela sorri gostando.

Sabrina afunda os quadris contra o meu, esfregando sua bocetinha molhada em meu pau duro. Subo a mão para o seu cabelo, e os puxo com força, fazendo-a jogar a cabeça para trás. Com a outra mão, forço seu quadril a se esfregar cada vez mais em mim, enquanto passo a língua por seu pescoço, em uma trilha molhada, até sua boca, onde chupo seu lábio, dando uma leve mordida.

Mas tem que ser no tempo certo, nós só servimos para a noite

Ela arfa rouco e sinto seu corpo vibrar.

Desço mais uma vez, as mãos para sua bunda, subindo o vestido e tocando sua pele nua. Ela está de fio dental, e isso mexe com a minha imaginação. Eu quero mais, Gigi. Continuo subindo as mão, em hm toque firme para sua cintura, barriga e seios. Os apertos com força, sentindo os bicos se enrijecerem e ela gemer.

Desço as alças do vestido e abocanho um de seus seios de uma vez, puxando o bico com força, sentindo-o em minha boca, me deixando mais louco. Meu pau grita, querendo meter tudo de uma vez, mas eu tenho que ir com calma e aproveitar cada segundo desse corpo delicioso.

Porque eu sou um problema com problemas, eu sei quem eu sou, e eu não sou boa

- Zayn – Ela geme enfiando as unhas em meus ombros.

Levanto o olhar, sem soltar seus seios, e vejo seus olhos azuis tão claros e intensos. Meu corpo se arrepia e eu me perco completamente na porra desses olhos azuis.

Afasto minha boca, passando a língua por seus bicos e tiro o seu vestido, impaciente, a jogando na cama mais uma vez. Sabrina está corada, as bochechas, o pescoço e os seios avermelhados. A pele branca combina com a vermelhidão que minha boca lhe causou.

A loira está com uma calcinha também vermelha, pequena e de renda. Abro suas pernas, vendo um pouco da sua boceta rosada e passo o dedo pelo fio de sua calcinha, sentindo-a molhadinha.

Você pode me ter por essa noite ou nunca, achei que tivesse entendido. Querido, algumas pessoas são feitas para serem amadas e outras, apenas amam

Diante uma das cenas mais excitantes desse um ano, eu desabotoo minha calça, sem tirar os olhos dela. Assim que tiro a calça, e cueca, ficando completamente nu, me deito sob ela, sentindo sua pele macia na minha.

Então pegue o que eu tenho para dar, ame ou odeie, oh

Ela treme, olhando em meus olhos, em uma conexão estranha, que não permite nenhum de nós romper. Suas unhas sobem por minhas costas, passando de leve, arrepiando a minha pele. Apoio-me em meus ombros, sentindo a sua respiração se acelerar conforme vou aproximando meus lábios dos seus, até os tocarem, fazendo ambos se entregarem a esse tesão filho da puta.

Você está procurando no lugar errado, pelo meu amor.

Minhas bolas doem sentindo sua intimidade úmida, ainda com a calcinha. Sabrina lambe meus lábios, e eu arfo, sentindo seu gosto.

Sem perder mais tempo, afasto sua calcinha, guiando meu pau por sua entrada, e deslizando para dentro, fazendo ambos gemerem contra os lábios dos outros. Vou fundo, sentindo-a macia e molhada, ao meu redor. Travo a mandíbula, saindo lentamente, e voltando, mais fundo. A minha loira arqueia as costas, me recebendo gostoso.

Não pense que porque você está comigo isso é real

(Não pare o que você está fazendo)

Seu corpo treme, me fazendo ter a certeza de que estou bem fundo. Agarro sua boca com a minha, e aumento a velocidade de minhas estocadas, indo fundo, bem fundo, cada vez mais. Sabrina geme por debaixo de mim, arranhando minhas costas e chamando por meu nome enquanto a fodo, enterrando meu pau em sua boceta lambuzada, gostosa.

Nossas respirações vão se acelerando, vou sentindo cada vez mais o meu corpo de conectar e tremer com sua boceta. Eu quero senti-la mais.

Rapidamente troco-nos de posição, me sentando na beija da cama, e colocando-a em cima de mim, para sentir mais meu pau a fodendo.

Você está procurando o meu amor no lugar errado, amor

Não pare o que você está fazendo, porque eu gosto de como você faz (faz, não)

Ela coloca suas pernas, uma de cada lado do meu corpo. Em sua testa há alguns fios de cabelos grudados, pelo suor. Seus olhos mais claros, idênticos aos de Gigi. Os encaro, vendo minha Hadid montada no meu pau.

Enrolo um braço em sua cintura e a levanto sem muito esforço, abaixando-a devagar no meu pau. Ela geme, travando os músculos vaginas em meu pau, o sugando, enquanto eu a levanto. Solto um gemido, e perdido em meio ao prazer, dou um tapa em sua bunda, apertando sua pele pálida com força, a fazendo perder o ar.

Apertando a carne de sua bunda, abro bem as bochechas e a levanto, deixando só a ponta do meu pau dentro. Ela rebola em cima da minha cabecinha e eu fecho os olhos, enfiando o rosto em seu pescoço, sentindo seu coração acelerado e o cheiro de sexo.

Perdendo toda minha consciência, a puxo para baixo, com tudo, e levanto o quadril, estocando com força ao mesmo tempo. Gememos juntos, e sinto o corpo da loira amolecer.

- Geme pra mim – Minha voz sai baixa e rouca. Geme pra mim, Gigi...

Mordisco sua pele suada, enquanto a forço rebolar em meu pau.

- Vamos, geme pra mim – Peço mais uma vez, com um tom de ordem, e ela geme. Ela faz o que peço e geme.

A deito na cama, se uma vez, me entregando a todo esse prazer que estou sentindo, essa satisfação.

- Empina pra mim, princesa – Eu digo.

Sabrina, deitada de bruços, empina a sua bunda pra mim, me deixando ver sua pele avermelhada com as marcas dos meus dedos. Tiro sua calcinha, completamente encharcada e abro bem suas pernas, entrando de uma vez, enfiando todo o meu pau em sua boceta gostosa, juntando nossa excitação em uma só.

Carpenter geme, fechando os seus olhos a medida que meu pai vai devorando sua intimidade.

- Cacete, que boceta gostosa – murmuro, afundo ainda mais fundo. Ela geme baixinho e eu tiro meu pau.

Me deito em cima dela, sentindo suas pernas trêmulas, suas costas contra o meu peito, a bundinha gostosa bem na minha pélvis.

- Zayn! – O gemido é cortado por sua respiração falha.

Esfrego meu pau em sua entrada e entro lentamente, gemendo. Seguro sua cintura para alavancar meus movimentos. Arreganho ainda mais suas coxas e passo a socar meu pau com vontade. Cada socada me deixa à beira do abismo.

Isso, Gigi, me da mais. Se abre pra mim, porra.

Meus pensamentos vão entrando em uma verdadeira confusão. A medida que me afogo nesse toque viciante, gostoso, sinto nossos corpos tremerem, nossos gemidos se intensificarem.

Seus lábios entreabertos, me fazem querer conter minhas estocadas, mas não consigo, eu quero sentir mais. Isso. Assim. Porra. Seu corpo está imóvel, me deixando comê-la do jeito que quero.

Me perco em meio ao prazer absurdo e surreal que a loira me faz sentir. Ainda a estocando, acelero mais, estocando com fúria com desejo, com medo. Eu preciso de mais.

Seu rosto gira para me olhar e nos encaramos. Seus olhos arregalados, marejados, junto a sua respiração rápida. Desço uma mão para sua boceta, massageando o clitóris, fazendo-a perder-se em prazer e gemer descontroladamente, enquanto seu corpo se agita por debaixo do meu, perdendo-se em seu próprio gozo.

Sabrina relaxa o corpo, sentindo seus esparsas de prazer, enquanto ofego, saindo de dentro dela e gozando sem sua bunda, mordendo seu ombro para não gemer o nome de Gigi.

Ofegante, suado e satisfeito, beijo o local onde mordi, vendo a loira fechar os seus olhos sem dizer nada, assim como eu.

Não pense que porque você está comigo isso é real, você está procurando o meu amor no lugar errado, amor. Não pare o que você está fazendo, porque eu gosto de como você faz.


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado. Desculpe-me qualquer erro!
A música usada é do Zayn, Wrong.

Não esqueçam de comentar!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...