História Senhor U-hum - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Visualizações 16
Palavras 1.158
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Festa, Ficção, LGBT, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - A pior noite de todas - 3


Fanfic / Fanfiction Senhor U-hum - Capítulo 3 - A pior noite de todas - 3

Fiz uma cara de desentendimento na mesma hora que Seokjin disse aquilo. Não havia nem olhado direito o comentário de Namjoon no meu tweet. Apenas olhei o nickname dele e BUM! Sorri no mesmo instante. sou considerado uma pessoa ''bipolar'' na visão de algumas pessoas - pra te falar a verdade, meus próprios amigos. - Outro dia estou te xingando de tudo que é nome e depois, você me dá uma casca de banana e eu te abraço, te beijo e te dou o mundo todinho. Mas é porque, Jeon Jeongguk é, um homem bem trouxa, convenhamos.

Eu poderia muito bem perguntar o que ele havia respondido para o loiro à minha frente, meu celular estava em sua mão, e lá fui eu.

—  Não prestei muita atenção... o que ele escreveu?

— Só um monte de merda, típico do que ele gosta de falar — Jin por fim, jogou o resto de seu lanche que não conseguiu comer, estendeu-me - lê-se, jogou - o celular que pertencia e mim e, foi-se embora, todos sempre faziam isso comigo, só queria entender, porque. Deve ser porque ás vezes fazia perguntas bobas demais e, irritava, todo mundo.

Dei de ombros e taquei aquele lixo que parecia muito com Namjoon na lixeira. Não tinha motivos para o mas velho não contar o que o cara disse, mas eu juro por deus que, quando eu perguntei, pude ver uma raiva crescer em seu rosto. Se irritava com poucas coisas, tipo quando você vai dormir e, tem uma mosquinha chata que fica pousando na sua cara o tempo todo e você não consegue dormir porque o inseto é maior que todos os brigadeiros do mundo juntos.

E eu, a anta que era, não fiz nada. Como disse acima, coisas desse tipo sempre aconteciam comigo, talvez pelo fato de eu ser mais novo da maioria das pessoas que conheço, não sei. E, também citado acima, como a anta que era, nunca faço nada.

Fiquei olhando Seokjin correndo para a saída do shopping até me chamarem. Eu não conseguia desgrudar os olhos do loiro oxigenado. Então, o ou a idiota que estava me chamando gritou meu nome quase trinta vezes no meio daquele shopping - quase - lotado. Senti alguém parando alguém atrás de mim, e puxando meu ombro de um jeito brusco.

— Jeongguk, você é burro pra caralho, não viu eu te chamando não?

Haneul era, a tão famosa e feminina - ironicamente falando -,  namorada de Yoongi. Era como ele, fria, e grossa para um caralho. Viviam brigando e por incrível que pareça, transando.

Outro detalhe sobre Haneul que esqueci de citar é que, estava grávida. De Yoongi. Que em uma de suas noites de puro prazer acabou se esquecendo de algo importantissímo.

— Ah, eu já tô indo, é pra ir embora?

— Sim, Jeongguk. Já viu a porra da hora? Essa coisa fecha daqui a uns trinta minutos.

A menina era como uma velha de oitenta anos, sempre se esquecia de tudo, e não fazia o mínimo trabalho de lembrar, pois sabia que todos estavam pouco se fodendo e, colocava o primeiro nome que vinha na cabeça para os ''trecos'' - como gostava de dizer -.

Ela pegou no meu pulso, e puxou em uma força desumana. Me tirou daquele refeitório que fedia a óleo. Andou reto por um tempo e depois, me jogou em uma escada rolante. Tudo bem, entendia que estava puta comigo, não era novidade para ninguém, todos ficavam.

Eu devo estar parecendo um nerd triste com a vida falando assim. Mas não, sou só um pirralho de vinte anos que, até boca virgem sou ainda e não sei nem fazer uma divisão de matemática sem dar uma olhada na tabuada. E me orgulho disso.

Quando a mini-viagem de escada rolante chegou ao fim, pude ver o  como chamava. Aqueles que tu fica na frente e, eles imediatamente se abrem. O aparelho já estava aberto, pela enorme quantidade de pessoas que saiam da sala de cinema e iam imediatamente para o lado de fora, indo para seus doces lares, com medo de serem assaltadas.

E quando sai daquele lugar quase que imediatamente um cheiro insuportável de fumaça invadiu minha mente, corpo e alma. Digo assim que, para vocês pode parecer de boas mas para mim, é um inferno. Eu espirro para um caralho se sentir qualquer cheiro forte. Qualquer.

Senti meu rosto ficando gelado, era uns vagabundos fumando encostados na parede do lado do portão eletrônico. Olhei para eles e os caras viram meu estado, mas não fizeram nada. Forcei mais minha expressão o que só fez minha rinite atacar mais, dessa vez vindo com tudo. Comecei a espirrar de um jeito incontrolável, atraindo a atenção de todos que estavam naquele lugar fedorento, a mim.

Haneul segurou meus dois cotovelos e me puxou, me colocando dentro de um carro que eu chutei ser o do uber. Dessa vez, a menininha mimada amiga de Haneul, não havia ido com a gente, o que fez ela ir sozinha também. Eu dei graças a deus por isso, porque muito provavelmente o motorista ficaria aborrecido, pois gastou seu dia todo em um caro que todo tipo de pessoa entrava e o enchia o saco.

Me endireitei no carro e fechei os olhos, fungando o mais alto que podia. Mal conseguia ouvir os dois - motorista e Haneul - conversando, apenas queria deixar meu nariz livre para respirar.

Quando o deixei limpo e belo, abri meus olhos, consegui ver a iluminada rua. Taehyung, como de costume foi no colo de seu namorado, eles estavam do meu lado esquerdo e Haneul, direito.

Na frente foi Yoongi, que tinha seus fones de ouvido plugados ao celular com a tela em uma rede social qualquer, e ouvindo música, provavelmente, alguma das de Rap Monster.

Eu estava parecendo um peixe, minha boca estava aberta como se tivessem a arrombado, Meus olhos - vermelhos - estavam mais abertos que o maior cu do mundo, e pra completar, minha cara, branca.

Me remexi um pouco, fazendo um grande barulho nos plásticos do bando em que estava sentado. Meu corpo mole escorregou um pouco para frente, mas por sorte, Haneul estava com as pernas na minha coxa, ela não era muito magra, sabe?

Virei minha cara de peixe para a janela e consegui avistar a fachada de minha casa. Tomei vergonha na cara e sentei direito, apenas esperando a hora de descer. Não demorou muito para o carro parar e todos arrumarem suas coisas, Haneul abriu a porta do carro e falou;

— Quer ajuda Jeongguk? Você não parece muito bem.

Minha amiga conseguia ser séria na maioria das vezes, mesmo com seu jeito ''debochado''

— Não Ha, tá tudo bem.

Sai do carro, e como a única pessoa que tinha a chave naquele lugar, abri o portão e adentrei casa a dentro. Como já sabia que a porta do meu quarto está trancada, deitei no sofá, e fechei meus olhos, pra ver se essa porra melhora.


Notas Finais


olha, eu sei que o capitulo tem poucas falas, perdao
eu sei q eh portao automatico, eu to tentando deixar essa fic bem parecida com a vida real, como as pessoas sao


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...