1. Spirit Fanfics >
  2. Senhorita Mal Humorada (Oneshot) >
  3. Capítulo Único

História Senhorita Mal Humorada (Oneshot) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Boa leitura :)

Capítulo 1 - Capítulo Único


Lucy deu um pulo da cama ao ouvir seu celular tocar loucamente ao seu lado. Olhou para a tela e ao ver o nome de sua irmã, seus olhos se arregalaram e ela levantou depressa da cama. Tinha esquecido completamente que iria buscá-la na rodoviária hoje. Samantha, sua irmã estava vindo para sua cidade passar alguns dias com ela, já que ambas estavam de férias e não se viam a bastante tempo. Sam havia mandando uma mensagem no dia anterior avisando a hora que chegaria e Lucy se ofereceu para ir buscá-la, considerando que sua casa era bem longe da rodoviária. Depois de fazer sua higiene rapidamente, Lucy trocou de roupas, pegou seu celular, suas chaves e saiu de casa. No meio do caminho, sua irmã novamente a ligou e dessa vez ela não teve como ignorar. 

-Onde você está, Lucy? - ouviu Sam perguntar do outro lado da linha. 

- Estou chegando. 

- Chegando onde exatamente? 

- Hm...no meu portão? - brincou.

- Lúcia?!?

- Brincadeira, já estou no centro. 

- Idiota. 

- Também te amo. 

E finalizou a chamada. Após uns 5 minutos, ela estacionou na entrada do terminal, enxergando sua irmã sentada em um dos bancos, olhando distraída para qualquer lugar. Buzinou três vezes, fazendo Samantha levar um pequeno susto e praticamente correr até o carro. 

-Você é muito escandalosa, garota! 

- Não reclame, senão deixo você aqui. 

- Haha você não é louca. - Sam riu nervosa.

- Haha até parece que você não me conhece.

Samantha apenas estreitou os olhos e elas seguiram para a casa de Lucy. Chegando lá, Sam se acomodou no quarto vago da residência e depois se sentou na cozinha onde a irmã preparava o café da manhã, já que tinha saído de casa sem comer. 

Passaram a manhã e começo da tarde conversando sobre suas vidas, as novidades e já planejando o que fariam nesses dias juntas. As irmãs eram bastante unidas e adoravam sair. A amizade e cumplicidade de ambas era muito bonita de se ver e elas sempre compartilhavam tudo. 

Fazia quase três anos que Lucy tinha saído de sua cidade natal e ido morar ali. No começo foi apenas para um curso de seis meses em que tinha se inscrito, mas quando terminou acabou arrumando um ótimo emprego e decidiu ficar. Isso sem dúvidas a ajudou a construir sua independência e liberdade. Hoje ela já tinha seu próprio carro e morava em uma casa muito aconchegante no bairro mais calmo da cidade. 

As duas estavam agora sentadas na sala assistindo TV, quando o celular de Lucy começou a tocar na mesinha de centro. 

Ela sorriu ao ler o nome na tela e atendeu:

-E aí, Gabe! 

- Ei Lucy, tudo bem?

- Tudo ótimo e por aí? 

- Tudo certo. Hoje vai ter um show naquele clube do centro, bora? 

- Opa, claro. 

- Perfeito. Lá pelas 22h passamos aí pra te buscar, pode ser? 

- Pode sim. E ah, guarda mais um lugar no carro..

- Hm...vai acompanhada de quem? - Gabe perguntou sugestivo fazendo Lucy dar risada. 

- Da minha irmã, seu bobão! 

- É mesmo? E ela está solteira? 

- Nem pense em bancar o cupido pra ela também, Gabe! Você é péssimo nisso. 

- Você que é muito exigente, Lu. 

- Eu tenho que ser mesmo, você só me arruma furada. 

- Que mal agradecida, você sempre sai acompanhada das festas graças a mim.

- Não exagera, tá. Também sei dar meus pulos. 

- E eu não sei? Enfim… estou ansioso para conhecer sua irmã. Até mais tarde. 

- Rum...estou de olho. Até Gabe. 

Lucy desligou o celular ainda rindo. Gabe era um de seus melhores amigos. E como ela havia dito, ele sempre tentava bancar o cupido arrumando pessoas para ela ficar, mas eram raras as vezes que ele obtinha sucesso. Mas Lucy achava engraçado ele tentar. Seu grupo de amigos tinha mais quatro pessoas, além de Gabe. Alguns que ela conheceu no trabalho, nas festas e costumavam sair juntos. Eram ótimas pessoas e o fato de serem completamente diferentes uns dos outros, tornava a amizade melhor ainda. 

-Quem era? - sua irmã quis saber. 

- Um dos meus amigos. Já temos para onde ir hoje. 

- Ótimo. Mas antes preciso comprar algumas coisas que esqueci de trazer. Tem algum supermercado aqui perto? 

- Tem sim, logo ali na esquina. 

Sam foi até sua mochila pegar sua carteira e elas saíram da casa em seguida. Foram andando mesmo. Lucy também comprou algumas coisas que estavam faltando em casa e depois de pagar, saíram do supermercado. 

As irmãs estavam quase chegando em casa, quando Samantha parou para responder uma mensagem no celular. Lucy olhou para trás e chamou por ela, sem parar de andar. 

-Algum problema? - perguntou ao notar que a irmã estava demorando demais com aquilo. 

- Não, só precisava responder essa mensagem agora. 

- Hm...algum preten… - Lucy mal terminou de falar e sentiu seu corpo colidir com alguém. A trombada foi tão forte que suas sacolas foram parar no chão. 

-Você nunca olha por onde anda, né? - a pessoa reclamou. 

- Foi mal, eu realmente não te vi.

- Você nunca vê. 

- Já pedi desculpas. Pra quê essa grosseria toda, eu hein! 

- Tanto faz. 

A tal pessoa saiu pisando forte, com a cara fechada, deixando uma Lucy de cenho franzido para trás. Ela pegou suas sacolas e logo sua irmã a alcançou.

-Quem era aquela garota? - Sam perguntou quando elas já estavam na cozinha de casa, guardando as coisas. 

- Eu a chamo de Senhorita Mal Humorada. 

- Você a conhece? 

- Não exatamente, mas a gente já se esbarrou algumas vezes. E ela está sempre com esse humor maravilhoso. 

- Pelo jeito que falou parecia que a conhecia muito bem. 

- Você sabe que odeio gente sendo babaca fora de hora, né Sam, se é que existe hora pra isso. E ela nunca foi gentil, então...

Samantha riu. Realmente Lucy era uma pessoa muito divertida e na dela, mas não levava desaforo para casa. Não tinha medo nenhum de falar o que estava pensando quando alguém era idiota e era irritantemente sarcástica. 

-Você é terrível. 

- Fazer o quê! - deu de ombros. 

Depois de decidir o que vestir, as duas jantaram e em seguida tomaram seus banhos começando a se arrumar. Era por volta das 22:15 quando ouviram uma buzina. Gabe tinha chegado. 

Lucy chamou pela irmã e as duas saíram. Trancou o portão e guardou as chaves em sua bolsa, caminhando até o carro do amigo. 

-Boa noite, senhoritas. - Gabe cumprimentou assim que elas entraram no veículo. 

- E aí! 

- Não vai nos apresentar, Lucy? - Gabe perguntou sorrindo de lado, apontando Samantha. 

- Mas é claro. Sam este é meu amigo GAYbe. - Lucy brincou o que fez o amigo lhe dar  tapa no braço. 

- Você não me respeita mesmo, hein Lúcia?  

- Tô falando alguma mentira? Cê sabe que não. - Lucy falou, erguendo as sobrancelhas.

- Afs como você aguentou essa garota a vida toda? - ele perguntou para Sam. 

- Ela é minha irmã, eu não tive escolha. 

- Vamos logo, deixem pra falar mal de mim quando eu não estiver por perto. 

Lucy reclamou, fazendo Gabe dar partida no carro. Eles mantiveram uma conversa aleatória até chegar ao centro. Lucy notou que seu melhor amigo já começava a caçar informações com Sam a fim de lhe arrumar alguém, agradecendo por não ser com ela. E até aproveitou para dar pitaco nas informações. 

Gabe estacionou e os três saíram do veículo. Compraram os ingressos e logo estavam dentro do clube. Estava bastante movimentado e uma música agitada preenchia o local. Andaram um pouco até parar em uma rodinha com o restante de seus amigos e mais algumas pessoas.

-Olha ela aí! - uma garota loira, Eva foi a primeira a vê-los. 

- Oi gente! Essa é Samantha, minha irmã. Sam esses são meus amigos que te falei. - Lucy apresentou e cumprimentou todos, e sua irmã fez o mesmo. 

- Onde está a Julie? - Gabe perguntou.

- Ela foi comprar bebida com o Lucca. - Eva avisou.

- Quem é Julie? - foi Lucy quem perguntou. Ela não conhecia ninguém com esse nome e ali todos eram seus conhecidos. 

- Uma garota que eu conheci na semana passada. Ela é nova por aqui e está morando lá perto de casa. 

- E por quê você não me falou sobre ela? 

Realmente Gabe não tinha comentado que tinha conhecido alguém. Ainda mais em sua rua.

-Não falei? Ah... devo ter esquecido. - Lucy franziu o cenho. - Quando ela voltar apresento vocês. 

- Ela não é mais uma de suas pretendentes pra mim, não né? - Lucy perguntou embora já soubesse a resposta. 

- De forma alguma. - Gabe mentiu na maior cara de pau, piscando um dos olhos para ela. 

Lucy suspirou e rolou os olhos. Eva pegou um de seus  braços, puxando papo. Samantha estava conversando com Gabe e mais alguns outros na rodinha. 

Após alguns minutos Lucca retornou com a tal Julie e parou ao lado de Gabe. Samantha que estava logo do lado dele, reconheceu aquela garota de algum lugar e quando sua mente se lembrou, ela ergueu levemente as sobrancelhas. 

- Isso vai ser engraçado. - comentou soltando uma risadinha. 

-Aí está você ! - Gabe pegou na mão de Julie. - Lu? - chamou pela amiga, mas ela estava meio de costas conversando com Eva. - Lúcia?? 

- Oii! - ela virou de repente e ao enxergar a garota ali, sua expressão ficou séria.

- VOCÊ!? - as duas disseram ao mesmo tempo. 

- Espera, vocês se conhecem? - Gabe perguntou. 

- Não exatamente. Mas a Senhorita Mal Humorada aqui e eu já nos esbarramos algumas vezes. - Lucy comentou sapeca. 

- VOCÊ que esbarra em mim, né? Nunca está olhando pra frente. - Julie rebateu. 

- Você praticamente brota na minha frente, garota, não me culpe por não te ver.

- Eu…- Julie iria retrucar novamente, mas Gabe a interrompeu. 

- Já vi que vocês têm muito o que conversar, não é Sam? 

- Com toda certeza! Vamos dançar? - Sam chamou e saiu puxando o amigo da irmã, mas não sem antes dizer em seu ouvido. 

- Divirta-se maninha! 

- O que? Espera aí... - mas eles já tinham sumido no meio das pessoas. 

Lucy então olhou em volta e percebeu que todo os seus amigos tinham literalmente sumido e ali só restava ela e Julie. 

As duas permaneceram paradas, uma de frente para a outra, com expressões sérias e braços cruzados. Nem parecia que estavam no meio de uma festa. 

Lucy não queria começar uma conversa com aquela garota e pra falar a verdade nem sabia como. Então ela parou para reparar direito nela, já que sempre que a via era muito rápido e quase nunca prestava atenção em seu rosto. Lucy notou que apesar da cara fechada e postura séria, Julie era muito bonita e exalava confiança. Seus olhos e cabelos eram de um preto muito escuro contrastando com o tom de sua pele bronzeada. Ela era realmente muito atraente. Pena que o que tinha de beleza, também tinha de mau humor. 

Lucy viu uma das sobrancelhas de Julie se erguer e ela notar que estava sendo observada na maior cara de pau. No entanto, não desviou o olhar. 

-Você perdeu alguma coisa na minha cara? - Julie perguntou alto para que ela ouvisse.  

- Só estou me perguntando como uma garota tão bonita, pode ser tão mal humorada!

- Então você me acha bonita? - Julie perguntou, sorrindo de lado. 

- E mal humorada. Você é assim sempre ou só comigo? 

- Eu posso ser mal humorada, mas você é distraída igual. Então, a culpa do meu mau humor é sua. - Julie falou causando uma gargalhada em Lucy.

-Olha só, ela sabe fazer piada. 

- Mas é claro que eu sei. 

- O mau humor você deixa pra mim né? 

- Exclusivamente para você. 

Julie levantou o copo que estava segurando e piscou um dos olhos, bebendo uma pequena quantidade em seguida. 

-Entendi. Estou indo pra pista? Você vem? - Lucy chamou. 

- Daqui a pouco. 

- Ok. 

Enquanto ela andava até os amigos, Julie caminhou até o bar e se sentou em um dos bancos altos dali, ficando de frente para a pista. Viu quando Lucy finalmente chegou perto de sua irmã e de Gabe e começou a dançar junto com eles. Ela tinha que admitir: o que Lucy tinha de linda, tinha de debochada. Seu jeito descontraído e engraçado, fez Julie mudar completamente a imagem que tinha dela, considerando apenas seus esbarrões. Ela era irritante. Irritantemente linda.

Continuou ali sentada, mesmo tendo terminado de beber o conteúdo de seu copo. A imagem de Lucy dançando, exibindo seu lindo sorriso e movimentos, completamente alheia aos seus olhares furtivos, estavam começando a lhe agradar demais. 

De repente seu olhar cruzou com o de Gabe que estava a alguns segundos lhe observando sorrindo sugestivo. Julie levantou uma das mãos e discretamente chamou por ele. O rapaz deu uma desculpa qualquer para as irmãs e saiu na direção de sua mais nova amiga vulgo pretendente de Lucy. 

-Mais um pouquinho e sua baba começa a escorrer, pequena Julie. - foi a primeira coisa que Gabe disse quando se aproximou dela.

- Nunca fui muito boa em disfarçar, sabe? 

- Eu tô vendo. Pelo jeito a conversa de vocês foi boa, né. - ele se sentou ao lado dela. 

- Você viu do que ela me chamou? Senhorita Mal Humorada, rum! Ela que não olha por onde anda. - Gabe soltou uma risadinha. 

- Confessa que está louca para agarrá-la, vai? Eu vi o jeito que você estava olhando ela dançar. 

- Não vou mentir, estou mesmo. Mas será que rola? Ela parece me odiar secretamente. 

- A Lucy não odeia ninguém, mas ao contrário de você, ela sabe disfarçar, então você vai ter que arriscar. 

- Ah Gabe. Me dá uma ajudinha vai? Dá uma sondada pra ver se ela realmente quer. 

- Afs eu tenho que fazer tudo? - ele fingiu exaustão.

- Você é o cupido, ué! 

- Estou pensando seriamente em pedir demissão. 

- Só depois de hoje. - Julie piscou um dos olhos e pediu outra bebida para o barman.

- Já volto. 

Ele avisou e voltou pra pista, parando perto de Lucy e se aproximando para dizer algo em seu ouvido. Julie não conseguiu desviar o olhar dos dois, e quando seus olhos encontraram os de Lucy, ela viu a garota lhe encarar e sorrir mordendo o lábio inferior. 

Por algum motivo desconhecido, Julie virou de costas, ficando de frente para o balcão e tomou uma grande quantidade de sua bebida. O álcool desceu queimando sua garganta, lhe causando uma careta. 

Não deu cinco minutos e Gabe apareceu atrás dela, com a expressão de um verdadeiro cupido que obteve sucesso em sua missão. 

-Ela disse pra você encontrá-la na entrada do clube. - Gabe disse em seu ouvido. 

- Ela está indo embora? 

- Não, mas a quantidade de pessoas por lá é menor, se é que você me entende. 

- Ah sim. - bebeu o último gole de sua bebida, limpando os cantos da boca. - Obrigada mesmo. 

- Imagina. Depois quero saber de tudo. 

- Pode deixar. 

Julie levantou, ajeitou sua roupa e depois de acenar para o amigo, seguiu para a entrada. 

Conforme ela andava, percebia que a quantidade de pessoas ia diminuindo podendo até contar os casais nos cantos. Passou por uma parede e de repente alguém a puxou para um deles. Quando se deu conta já estava presa nos braços de Lucy, sentindo o hálito quente dela em seu rosto. 

-Você me assustou! - falou e ouviu ela rir. Suas mãos já estavam pousadas na cintura de Lucy, onde ela aproximou ainda mais seus corpos. 

- Um passarinho rosa me contou que você está louca pra me beijar, verdade? - Lucy perguntou na lata.

- Droga! Eu mato o Gabe. - Julie murmurou e novamente sentiu a risada dela em seu rosto. - Mas ele não mentiu. 

- Então me diga você o que quer fazer agora, neste exato momento. 

Lucy sussurrou provocante em seu ouvido, causando-lhe um arrepio e um sorriso. Mas Julie não queria falar, na verdade a última coisa que queria no momento era falar. 

-Não sou muito boa com palavras...prefiro te mostrar. 

Julie sentiu quando Lucy fez menção de dizer alguma coisa, mas não deixou que continuasse. Ergueu a mão e levou até sua nuca, segurando firmemente em seus cabelos e juntando seus lábios. A mão apoiada na cintura de Lucy, agora a envolveu e deram início a um beijo lento e envolvente. Seus movimentos eram tão intensos que deixaram a garota um pouco surpresa, demorando a retribuir. Quando Julie ouviu o pequeno gemido de satisfação que escapou da garganta dela, não conseguiu evitar sorrir em seus lábios. Iria se afastar para encarar seu rosto, mas Lucy não deixou ela se mover um centímetro sequer, jogando os braços ao redor de seu pescoço e unindo ainda mais seus corpos, quase os fundindo. 

O beijo dessa vez não tinha tanta lentidão. A calma de antes deu lugar a pressa e ao fervor, rendendo suspiros contidos em ambas. Era difícil distinguir qual delas estava mais entregue.

Quando o ar foi estritamente necessário, elas se afastaram respirando pesado, ainda perdidas nas sensações recém vivenciadas. Lucy que até então tinha os olhos fechados, os abriu devagar e recebeu um molhado beijinho em seu pescoço, lhe arrepiando. Ela ainda mantinha os braços em volta do pescoço de Julie e elas ainda estavam agarradas. Vários selinhos começaram a ser distribuídos por sua pele, fazendo-a erguer a cabeça a fim de dar mais espaço para Julie, mas de repente Lucy sentiu um sorriso largo, seguido de uma risadinha. 

-Do que está rindo? - perguntou num fio de voz. 

- Da gente. Hoje de manhã você era apenas a garota debochada que insistia em esbarrar em mim e agora aqui estou, com a boca em seu pescoço e as mãos em sua cintura. - Lucy acabou rindo também.

- Verdade, não posso nem mais te chamar de Senhorita Mal Humorada

- Porque eu NÃO sou mal humorada. - Julie mordiscou seu lábio inferior. 

- Você disfarça muito mal. Como naquela hora em que estava me olhando dançar. 

- Você... percebeu? - Julie parecia chocada. 

- Óbvio que percebi. 

- Culpada. - Julie se entregou. - Discrição nunca foi meu forte. Quando quero algo, não tenho receio de investir. Mas no seu caso precisei de uma pequena ajuda do Gabe. 

- É mesmo? Mesmo ele sendo o pior cupido da vida? 

- Sim. Ele já tinha me dito que queria me apresentar a alguém, mas quando eu vi que era você, eu meio que desisti da ideia. 

- Por quê? Não é como se eu te odiasse. - Lucy roçou seus narizes. 

- Mas foi exatamente isso que pensei. Só que aí começamos a conversar, e você disse que me achava bonita e eu fiquei tipo “woow”…- Lucy riu. - Minha visão de você mudou completamente, mas eu precisava de certeza. 

- Eu te chamo de Senhorita Mal Humorada desde nosso primeiro esbarrão, mas só de provocação. 

- Você realmente não me vê quando esbarra em mim? Por que não é possível…

- Não vejo. Você literalmente brota na minha frente, isso porque nem mora naquela rua. - Lucy respondeu. - Aliás, por que você sempre passa por lá? 

- É o caminho mais curto para aquele supermercado que tem na sua esquina. Perto de casa não tem tanta variedade. - Julie explicou. 

- Hm...entendi. 

De repente as duas ficaram sem assunto e entraram em um silêncio.

- Acho que essa é nossa deixa.

Julie falou e em seguida juntou seus lábios. De fato, falta de assunto só poderia resultar em uma coisa. Muito melhor, aliás. 

As duas permaneceram ali, entre beijos e conversas rápidas, até notar as pessoas começarem a sair, indicando que a festa estava em seu fim. 

-Você vai esperar o Gabe? Ele me disse que você mora na rua dele…- Lucy perguntou acariciando a nuca de Julie com a ponta dos dedos. 

- Não sei... você quer ir para minha casa...comigo? - Julie mordiscou seu maxilar. 

- Eu... não posso. - Lucy fez uma careta. - Minha irmã está passando uns dias lá em casa. 

- Entendo. Uma próxima vez, quem sabe? 

- Quem sabe...talvez eu resolva esbarrar em você na sua rua. 

Lucy comentou e se inclinou para selar seus lábios, logo a prendendo em um beijão. 

-Vou esperar ansiosamente por esse esbarrão. - Julie falou ao encerrar o contato. 

Após alguns minutos, Gabe, Samantha, Eva e Lucca passaram por elas, mas como as duas estavam em um canto escuro não as viram. Trocaram mais alguns beijos e com muito custo saíram dali, indo atrás dos amigos. Quando os encontraram foram recebidas com olhares sugestivos e sorrisos de lado. 

-Declaro oficialmente: missão cumprida! - Gabe foi o primeiro a se manifestar, causando risadas nos amigos e um rolar de olhos das duas. - Dessa vez mandei bem, vai! 

- Nada a declarar. - Lucy falou simplesmente. 

- Não precisa me agradecer agora. - ele se gabou, recebendo língua da amiga. 

Logo todos estavam no estacionamento. 

-Quem vai comigo? - Lucca perguntou pegando suas chaves. 

- Nós vamos! - Lucy informou se referindo a ela e sua irmã. 

- Então Julie e Eva vem comigo. Certo? 

- Certo! - Eva murmurou já entrando no carro parecendo exausta. 

Eles se despediram e entraram em seus respectivos carros, ficando por último somente Julie e Lucy. 

-Se a gente não se esbarrar, o Gabe tem meu número. Peça a ele. - Julie falou se aproximando dela e segurando suas mãos. 

- Está bem. - Lucy beijou seus lábios demoradamente. - Nos vemos em breve. 

- Muito em breve. - Julie sorriu largo, piscando um dos olhos e se afastando. 

Entrou no carro de Gabe e Lucy no de Lucca.

Acenaram e os dois veículos seguiram seu caminho. Em poucos minutos, Lucca estacionou em frente a casa de Lucy, ela e a irmã desceram depois de se despedir do amigo. Entraram e seguiram para seus quartos. Sam trocou de roupas e quando estava indo até o banheiro escovar os dentes, notou a irmã jogada em sua cama, olhando para o teto com um sorriso de canto. Nem havia trocado suas roupas ou tirado os sapatos. 

-Pensando na Senhorita Mal Humorada? - perguntou parando na porta. Lucy deu risada e cobriu o rosto com as mãos, ficando envergonhada de repente. 

- Me deixa! - falou.

- Não resisti a essa sua cara de bobona apaixonada. 

- Que mané bobona apaixonada, Samantha? Eu hein. - rebateu levantando depressa. 

- Me engana que eu gosto, Lúcia! 

- Você não tem mais o que fazer, não? - tentou de mudar de assunto. 

- Não adianta mudar de assunto, não. Eu te conheço melhor que você mesma. 

- Às vezes você me estressa com essa mania de saber de tudo, sabia? - bufou. 

- Quer dizer que estou certa? - ergueu as sobrancelhas. 

- Quero dizer pra você ir dormir antes que eu te coloque pra fora do meu quarto. 

- Nossa. Já está agindo igual a namoradinha, não sei não, hein! 

- Vai dormir, Samantha. 

- Eu vou Senhorita Mal Humorada 2. Boa noite. 

- Boa noite.

Sam saiu com um sorriso contido nos lábios. Fazia tempo que não via a irmã sorrir daquele jeito. E sentiu-se feliz por ela. 

Em seu quarto, depois de trocar suas roupas e escovar os dentes, uma sorridente e suspirante Lucy demorou a pegar no sono. Pensando em como a vida pode ser engraçada e lhe surpreender das formas mais doidas possíveis.

 


Notas Finais


Me digam o que acharam, se gostaram!
Agradeço, até breve <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...