História Sensations - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Eden Hazard
Personagens Eden Hazard, Personagens Originais
Tags Eden Hazard, Esportes, Romance
Visualizações 244
Palavras 4.110
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Esporte, Festa, Fluffy, Hentai, Shoujo (Romântico)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu nem acredito que escrevi isso kkkkkkk tô muito envergonhada. É a primeira vez q escrevo algo assim então me desculpem de verdade se estiver muito ruim, se tiver erros ou se estiver confuso.

Boa leitura ^^

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Sensations - Capítulo 1 - Capítulo Único.

Pov's Claire 

 

Eu estava em mais uma festa e devia dizer que ela estaria extremamente tediosa para mim, se não fosse por ele. Eden Hazard ou melhor, só Hazard ou também meu amor. Como eu costumava chama-lo. Eu acompanhava o Hazard em mais uma daquelas festas beneficentes que o clube dele promovia e essa estava incrivelmente tediosa, mas tudo bem, tudo pela caridade.

Eu conversava com algumas das esposas e namoradas dos outros jogadores que estavam sentados na mesma mesa que nós. Os jogadores do time estavam no palco um pouco a frente tirando fotos e autografando camisas que seriam doadas para instituições de caridade. Eles estavam radiantes e realmente pareciam entusiasmados com o que faziam. Tirei a minha atenção da conversa das mulheres a minha volta e olhei para o palco em direção do meu namorado, ele estava incrivelmente sexy essa noite e eu mal podia esperar para ter sua atenção dedicada apenas para mim.

Terminado as coisas "burocráticas" e oficiais todos os jogadores voltaram aos seus lugares e meu corpo inteiro ferveu ao ver ele vindo na minha direção. Sempre com aquela cara de conquistador. Quando o conheci esse tinha sido justamente um dos motivos que me fizeram ficar com os dois pés atrás em relação a ele, afinal ele era um jogador de futebol e o que eu poderia esperar de um relacionamento com um deles? Esperei pouco e recebi muito. Hazard se mostrou totalmente o oposto do que se conhece como "homens do futebol". Sempre atencioso, gentil, educado, galanteador, amável e preocupado comigo. Conseguiu me conquistar aos poucos, me dando espaço, sempre me passou segurança sobre o que ele sentia por mim e sobre o nosso relacionamento. Me apoiava em tudo que eu fazia e eu tentava retribuir a altura tudo que ele me proporcionava. 

- Você está quieta, no que está pensando? 

- Em nós. 

- Como assim, em nós? 

- É. Em nós dois. Em como nos conhecermos, em quando começamos a namorar, quando decidimos que iríamos morar juntos. Essas coisas. 

- Eu amo tudo que passamos e tudo que somos. - Ele falou olhando nos meu olhos e deu um cheirinho em minha bochecha. - 

- Eu também amo. 

Já se passava das 02:00h e algumas pessoas já se encontravam bêbadas naquela festa, o que era engraçado tendo em vista o motivo dela. Hazard e eu já havíamos dançado, socializado e feito tudo que havia pra fazer naquela festa que agora já não estava tão monótona assim. Eu estava sentada sozinha na nossa mesa, todos os outros casais que estavam conosco já haviam dispersado. Alguns foram para casa, outros dançavam e alguns só Deus sabe.

Eu olhei para onde o Hazard estava, ele falava com alguns companheiros do time. Ele estava tão sexy naquela roupa. Ele tinha vindo com um terno preto, mas agora a parte de cima do terno juntamente com a gravata se encontrava na cadeira ao lado da minha e ele estava apenas com a camisa social branca na parte de cima. Alguns botões de sua camisa também estavam abertos o que o deixavam mais sexy ao meu ver. Tudo no Hazard me atrai, seu cheiro, sua voz, seu toque, seu olhar, tudo. Como se tivesse sentindo o meu olhar ele olhou na minha direção e deu um sorriso, falou algo pros companheiros de time e começou a andar na minha direção. Ele sentou-se na cadeira vazia do meu outro lado, local perfeito para que eu pudesse brincar um pouco de provoca-lo sem que os outros percebessem. 

- Por que você está aí sozinha? -- Ele falou passando as mãos em minhas costas. -- 

- Estava observando o quanto o meu namorado é sexy. -- Falei aproximando nossas cadeiras de modo em que eu pudesse por meu plano em ação. -- 

Um dos jogadore do time, que agora não me recordo o nome, subiu no palco e começou a fazer alguns agradecimentos. Era visível que ele já estava alterado. Aproveitando a distração do Hazard, que olhava para o palco, eu comecei a passar a mão em sua perna acariciando-a. De início ele não deu muita bola mas isso logo mudou quando a minha mão pousou em seu pau coberto. Ele olhou pra mim um pouco assustado enquanto eu continuava a apertar e estimular aquela região já sentindo algum sinal de vida. 

- Claire, pare com isso. Alguém pode nos ver. 

- Você sabe que ninguém está prestando atenção em nós dois. -- Falei apertando ainda mais forte o seu pau, o que fez com quem ele prendesse a respiração e adotasse uma postura rígida. -- Você gosta quando eu toco você assim? - Perguntei provocativa enquanto encostava meus seios cobertos por aquele vestido em seu peitoral, quem visse de longe pensaria que eu estava o abracando. --

- Claire… não me provoca. -- Ele falou já com a respiração pesada e eu sabia que não demoraria muito para que ele tomasse alguma providência. --

- Por que não? Você não gostou? Vai dizer que você não se diverte? -- Eu falei enquanto continuava o apertando sobre a calça. -- 

- Eu me divirto e muito. Só acho errado nós começarmos os nossos "joguinhos" em um ambiente tão inapropriado. 

- Me desculpe, hoje eu estou um pouco inapropriada e doida para sentir você. 

Ele olhou fundo nos meus olhos e mordeu os lábios. Olhou o ambiente ao nosso redor e parecia ponderar sobre algo, eu sabia que algo estava por vir. 

 - Vem. -- Ele falou e se levantou abruptamente pegando a parte de cima do terno e sua gravata e me puxando pela mão. -- 

Não pude evitar, soltei um sorriso satisfeito com a atitude dele. Eu gostava de o ver assim, um pouco descontrolado. Me fazia ficar excitada só de olhar para o rosro dele. Pelo caminho que estávamos fazendo eu sabia que estávamos indo para o estacionamento e eu estava fuminando só de pensar no que iríamos fazer quando chegassemos em casa. 

- Você me deixa louco sabia? -- Ele falou quando chegamos em frente ao seu carro e me deu um beijo profundo e cheio de desejo. -- 

- Vamos logo. -- Eu falei apressada e ele abriu a porta do carro pra mim. 

Chegamos em casa deixando partes das nossas vestimentas espalhadas por quase todo o caminho que passávamos. Enquanto distribuía beijos pelo meu corpo, o que me deixava ainda mais excitada, ele tratou de tirar meu sutiã e minha calcinha e também tirou a sua cueca box. Estávamos finalmente livres de todas aquelas roupas incômodas e prontos para nos amar.

(…) 

Eu me contorcia sob a cama e apertava os lençóis com força. 

- O que você quer, meu amor?

- Hazard. Por favor. -- Falei manhosa. -- 

- Vamos, diga. Quero ouvir você falando. O que você quer? -- Ele estava tentando me "torturar". --

- Quero que você me chupe.

- Quer? Onde? 

Eu percebi q ele não iria parar com esse joguinho até eu ser tão "depravada" quanto ele queria. 

- Eu quero que você chupe a minha boceta.

Ele deu um sorriso depravado que fez meu corpo inteiro estremecer, era incrível o poder que Hazard tinha sobre mim. Eu sempre estava rendida com ele perto de mim.

Ele tirou os dedos de dentro de mim e me deu um beijo molhado e "quente". Eu o achava tão sexy. Foi descendo lentamente pelo meu corpo fazendo um rastro maravilhoso com a sua língua, primeiro meus seios e depois minha barriga. Até que ele chegou lá. Eu arfava apenas com a expectativa de ter o seu toque naquela região tão íntima e tão sensível do meu corpo. Ele levantou a cabeça para me olhar e me lançou o olhar mais sexy e intimidador que eu já havia visto em minha vida. Me remexi sentindo a minha boceta se contrair e ficar mais molhada com isso. Ele também percebeu e sorriu malicioso em resposta. 

- Calma, meu amor. Você já vai ter o que quer. -- Ele falou e eu apenas balancei a cabeça em sinal de afirmação. Não consiga raciocinar mais nada. --

Ele levou o rosto para a parte interna das minhas coxas e começou a roçar o nariz ali, devagar e com calma. Ele estava me "torturando" com o intuito de me deixar com mais desejo, o que eu pensava ser impossível mas ele me provou o contrário. Enquanto passava o nariz pela região ele também dava lambidas, beijos e fazia algumas suquições pela minha pele. Coloquei a mão em seus cabelos e puxei a cabeça dele para cima, eu queria olha-lo nos olhos e fazer uma súplica silenciosa para que ele acabasse com a minha agonia. Ele olhou para mim com aqueles lindos olhos claros e deu um sorrisinho sacana enquanto eu mordia o meu lábio inferior em expectativa ao que estava prestes de acontecer.

- Você quer agora? -- Ele perguntou como se não soubesse a resposta. --

- Quero. -- Fui simples em afirmar. -- 

Ele então enfiou novamente sua cabeça entre minhas pernas e me proporcionou uma das melhores sensações q eu já senti na vida. Sua língua em contato com a minha intimidade adentrou os meus grandes lábios e Hazard começava a fazer o seu maravilhoso trabalho na minha boceta. Ele chupava com vontade fazendo com que meus gemidos se intensificassem e até ficassem altos demais, mas isso não importava para nós dois, em especial para ele. Eu sabia que ele adorava me ver e ouvir assim.

Eu me contorci na cama e em resposta ele segurou forte as minhas coxas e as apertou para demonstrar que queria fazer com que eu ficasse o máximo imóvel possível para que ele pudesse continuar com o que estava fazendo. Sua língua entrava e saía da minha boceta me trazendo uma sensação maravilhosa. Ninguém nunca havia me chupado tão bem quanto ele fazia. Eu apertava os meus seios em um claro e obsceno sinal de excitação, excitação essa que apenas ele me proporcionava. Ele continuou me chupando por mais algum tempo até que senti que meu corpo extremeceu, ele também sentiu e sabia que eu estava muito próxima de gozar.

- Oh, Hazard. -- Falei em um gemido. -- Eu acho que… Oh… Eu acho que… -- não conseguiu completar a minha frase, gozei forte e me despejei inteira em sua boca, ele continuava a me chupar com a intensão de maximizar as minhas sensações assim q ele viu que seu trabalho por ali havia acabado, por hora, voltou com o corpo pra cima de mim. Ele estava apoiado em seus braços bem acima de mim enquanto eu respirava fundo com os lábios entreabertos tentando me recuperar do maravilhoso orgasmo que eu havia acabado de ter. Eu tinha certeza que meu rosto estava vermelho e meu cabelo bagunçado, mas agora isso não importava.

- Você é linda. -- Ele falou me olhando profundamente. -- 

Eu me encolhi embaixo dele um pouco envergonhada pelo que ele havia acabado de dizer, eu tinha certeza que agora estava mais corada ainda. 

- Você é magnífica. Se você pudesse se ver agora saberia o quão linda é. -- Ele falou isso e desceu a cabeça em direção ao meu pescoço, começando a cheirar e dar beijos por aquela região. --

Eu apenas me deixava sentir todas aquelas maravilhosas sensações q eu só tinha quando ele estava comigo. Aproveitando que ele estava em seu momento de distração, se aproveitando do meu pescoço e me dando um pequeno tempo para que eu me recuperasse, arranjei forças para o empurrar para o lado e mudar as nossas posições, agora eu estava por cima dele 

- Você também. -- Eu falei simples. --

- O que? 

- Você também é lindo. 

Me abaixei e o beijei fervorosamente enquanto ele apertava a minha bunda e ao mesmo tempo fazia com que eu me movimentasse em seu colo sentindo ainda mais o seu pau que se encontrava duro em baixo de mim. Separei nossas bocas para que eu pudesse beijar o seu pescoço enquanto continuava com o movimentos sob o seu pau que parecia estar bastante necessitado. Me posicionei de modo em que eu pudesse tocar nele para lhe dar prazer como ele havia me dado, mas eu já percebia sinais de sua impaciência e sabia que ele não deixaria aquilo se prolongar por muito tempo.

 Envolvi seu pau em minha mão e fiz uma carícia em sua cabecinha com o meu polegar. Observei Hazard suspirar pesadamente. Comecei a movimentar a minha mão para cima e para baixo fazendo com que seu pau fosse estimulado. Ele olhava o tempo todo para mim e eu olhava o tempo todo para ele, aos poucos intensifiquei o movimento e vi os primeiros gemidos saindo da boca dele. Eu estava maravilhada com aquilo.

Quebrei o nosso contato visual para olhar o trabalho que eu fazia, eu olhei pra aquela cena e senti a minha boca salivar, o pau dele era tão bonito. Soltei o seu pau por alguns instante e recebi um olhar reprovador junto com uma cara zangada e um gemido frustrado reprimido, eu só estava me ajeitando para poder fazer o que estava com vontade. Logo minha mão já estava em seu pau novamente e eu comecei a abaixar a minha cabeça em direção ao mesmo. Assim que minha boca tocou aquela superfície senti ele estremecendo e ouvi o gemido mais gostoso que eu poderia ouvir. Dei um beijinho na glande e desci, até onde consegui, minha boca por toda extensão de seu pau. Eu comecei a chupa-lo avidamente, como ele havia feito comigo, só um pouco mais desesperada para tê-lo. 

- Chega. -- Ele disse de maneira bruta e sôfrega enquanto colocava uma mão em meu cabelo e a outra em meu rosto para levantar minha cabeça e tirar-me da minha diversão. --

- Você não quer mais? -- Perguntei manhosa enquanto ele acariciava meu rosto. --

- Quero. Quero muito. Mas agora preciso sentir você em mim. -- Ele falou um pouco desesperado. --

Sorri com a sua resposta, eu sabia q ele ia querer ir logo pra essa parte da nossa brincadeira. Ele colocou as duas mãos em meu rosto, uma de cada lado, e me puxou delicadamente para ele. Eu entendi o que ele pretendia, ele queria que eu ficasse por cima. 

Antes de fazer o que ele queria falei: 

- Senta um pouco, quero que você fique mais ou menos com as costas na cabeceira. 

Ele prontamente atendeu o meu pedido e lá estava ele, sentado na cama com o seu maravilhoso pau ereto. Eu me deliciava apenas com a visão e mal podia esperar pela sensação.

- Vem. - Ele falou apressado fazendo um sinal para mim. - 

Eu fui engatinhando de quatro para ele e o vi quase enlouquecendo com a cena. Sentei em suas pernas e coloquei uma mão em meu rosto e a outra em seu ombro. 

- Por que, você me pediu para ficar sentado ao invés de deitado? -- Ele me perguntou, mesmo sabendo da resposta, enquanto vinha em minha direção por a boca em um dos meus seios e levava uma das mãos a minha boceta. --

- Quando estou por cima prefiro assim, e você sabe. Me dá mais liberdade para beijar você e você também pode beijar meus seios. -- Falei inclinando levemente o corpo para trás sentindo suas mãos grandes e fortes seguraram minhas costas. --

- Hmmm, realmente é muito mais vantajoso. -- Ele falou com a voz um pouco abafada já que ele ainda mantinha o meu seio em sua boca. --

Eu já arfava com seu toque em minha região íntima. Ele realmente sabia o que fazia e eu amava o modo como ele conhecia o meu corpo. 

- Aii. -- Falei quando ele puxou o bico do meu seio de um modo bruto e ao mesmo tempo me deu um tapa estalado na bunda. --

- Você é tão gostosa. Eu preciso de você, agora. -- Ele falou me levantando sem dificuldades e movendo o meu corpo para que ficasse ainda mais perto do seu pau. --

- Hazard. A camisinha. -- Eu falei em um lapso de consciência, não poderíamos esquecer disso. -- 

- Tem uma no móvel aí do lado. -- Ele falou e fez sinal com a cabeça para o móvel que ficava ao lado da cama. --

Permaneci em cima do pau dele e me estiquei para pegar aquela embalagem que eu ainda não tinha visto ali. Ele gemeu com a minha movimentação e apertou forte a minha cintura. Eu amava a sua pegada e suas mãos fortes. Voltei para a minha posição original, abri o pacotinho da camisinha e enquanto ele me observava atentamente deslizei a mesma pelo seu pau. Ele, com um esforço mínimo, levantou um pouco o meu corpo e eu posicionei o seu pau na minha entrada. Logo senti aquela sensação maravilhosa de preenchimento que só ele me trazia, só o pau dele me proporcionava. Comecei a me movimentar lentamente e enquanto Hazard apertava a minha cintura com vontade eu o observava e admirava o homem que estava ali comigo, Hazard era simplesmente excepcional em todos os sentidos. Ele começou a ditar o ritmo dos nossos movimentos, eu me mexia cada vez mais rápido enquanto sentia o seu pau entrando e saindo de dentro de mim. Era sem dúvidas uma das melhores sensações que eu poderia ter.

 Eu o agarrei pelos ombros para ter mais sustentação e também para poder ir mais rápido do jeito que eu sei que ele estava desejando. Eu quicava em seu pau sem nenhum pudor e ao olhar pra ele vi um sorriso safado escapar de seus lábios, lábios esses que tratei de atacar em meio ao desespero de sensações que meu corpo se encontrava. Eu já estava ficando cansada e ele sabia disso, tanto é que eu já podia perceber que ele tinha a intensão de mudar de posição. Fui parando aos poucos de me movimentar e ele suspendeu levemente o meu quadril para mudar nossas posições, Hazard tentava não quebrar o contato entre nossos corpos… o que foi impossível pela situação. Ele saiu de dentro de mim e imediatamente eu senti falta dele, eu sempre sentia, em todos os aspectos. Não demorou muito para que eu me encontrasse deitada com a cabeça entre os travesseiros que ali estavam. Minhas pernas estavam abertas enquanto Hazard vinha lentamente por cima de mim observando cada detalhe do meu corpo, olhar esse que estava me fazendo queimar de desejo.

- Você é perfeita. - Ele falou olhando nos meus olhos. - 

Sorri e mordi os lábios com aquele elogio, ele sempre sabia o que dizer. Com a perna fiz pressão em seu corpo e o puxei para que ele vinhesse para mim, eu precisava senti-lo novamente. Senti minha boceta se contrair quando Hazard colocou a cabecinha do seu pau em minha entrada. Ele colocava a cabecinha dentro e tirava, parecia estar se divertindo com a minha ansiedade em o ter dentro de mim novamente. O olhei de maneira suplicante e ele sem mais delongas me penetrou de uma vez. Tudo. De uma vez só. Eu deixei um grito de surpresa e prazer escapar por minha garganta enquanto revirava os olhos sentindo aquela maravilhosa sensação. Hazard começou a se mover dentro de mim e soltava alguns grunhidos e gemidos de excitação enquanto eu gemia de forma mais descontrolada. Eu podia ver que em sua testa tinha algumas gotículas de suor e eu duvidava que eu não estivesse igual. 

Minhas mãos se ocupavam com as costas dele e a cada nova estocada que eu recebia as minhas unhas rasgavam sua pele, ele não se importava e tão pouco eu iria. Aquele momento era tão nosso, tão mágico, que nada seria um problema para nós dois, nem mesmo as marcas que deixaríamos nos corpos um do outro. Ele ia forte e fundo em mim mas sem deixar de se preocupar a todo momento com o meu conforto e prazer, essa era uma das coisas que eu mais admirava nele na hora do sexo, estava sempre preocupado com a parceira.

Hazard diminui a rapidez dos movimentos e desceu o seu rosto para a curva do meu pescoço, gemi ao sentir a mordida fraca que ele havia me dado. Aquilo era tão sensual. Ele continuou com seus movimentos enquanto beijava, lambia e mordia meu pescoço. Eu não tinha dúvidas que ali teriam marcas mas eu não me importava com isso agora. Ele levantou o rosto em minha direção e olhava-me como se eu fosse o seu bem mais precioso, eu me sentia maravilhada e nas nuvens com todas aquelas sensações que ele me provocava. 

- Eu amo a sua boceta. -- Ele falou com um sorriso safado enquanto metia fundo em mim. --

- E eu amo o seu pau. -- Falei enquanto arranhava as suas costas. --

Senti meu corpo estremecer novamente e eu sabia que estava próxima de explodir em mais um orgasmo. Hazard também percebeu tanto é que ele parecia mais concentrado em proporcionar prazer para nós dois. 

- Amor… -- Falei quase que em um gemido com a voz arrastada. --

- Eu sei, meu amor. Tenta aguentar só mais um pouquinho. Tá bom? -- Ele falou com dificuldade enquanto entrava e saía de dentro de mim e eu apenas acenei positivamente com a cabeça. --

- Hazard… quero que você me chame de meu amor de novo. -- Falei enquanto puxava o seu rosto para que nos olhassemos nos olhos. Eu amava quando ele me chamava de meu amor durante o sexo e nada vida de modo geral. --

- Meu amor. Você é meu amor, Claire. -- Ele falou de maneira apaixonada e eu sorri com isso. --

Nós nos olhavamos nos olhos, parecia que estávamos em nossa bolha particular e nada poderia quebrar esse nosso momento. 

- Meu amor, eu não vou mais conseguir segurar. -- Falei em meio a gemidos sôfregos e com a voz um pouco falha. --

- Tudo bem, meu amor. Vem pra mim, Claire. Goza pra mim. -- Ele falou de um modo obsceno e fofo ao mesmo tempo. --

Ele falou e eu cravei as unhas em suas costas sentindo meu corpo explodir em um orgasmo prazeroso e arrebatador. Era uma sensação inexplicável que só ele havia conseguido me proporcionar, eu nunca me senti assim com ninguém que não fosse ele, tanto na cama quanto na vida. Eu parecia ter alcançado o paraíso em todos os aspectos possíveis e contorcia o meu corpo demonstrando o prazer que estava sentindo ali.

Hazard continuava a se mover dentro de mim, eu sabia que o seu orgasmo estava muito próximo e continuava olhando em seus olhos para o excitar e estimular a continuar. 

- Claire... eu vou… -- Ele falou ofegante enquanto continuava com os movimentos. --

- Isso, amor. Vem, goza pra mim. Deixa vir. - Falei enquanto apertava os seus ombros em sinal de prazer. -- 

E então o orgasmo dele veio, forte como sempre. Ele me apertava em seus braços enquanto continuava a se movimentar dentro de mim para intensificar o seu orgasmo, e eu me sentia desejada e amada mais do que nunca. Ele foi parando aos poucos com os movimentos e estávamos ambos suados, cansados e com a respiração ofegante. Hazard me deu um beijo apaixonado que me tirou o pouco de fôlego que eu havia conseguido recobrar. Ele tirou o seu pau da minha boceta mas continuou com o corpo em cima de mim, se apoiava em um dos braços para não deixar o seu peso cair totalmente sobre o meu corpo. Ele se aproximou e me deu um beijo na testa e logo em seguida foi ao banheiro para jogar fora a camisinha. Hazard voltou e eu já me encontrava confortavelmente deitada entre os lençóis, normalmente tomariamos um banho mas eu me sentia esgotada demais para pensar em levantar da cama e pelo jeito ele também se sentia como eu. Ele deitou-se ao meu lado estavamos virados um de frente para o outro quando ele aproximou o seu rosto do meu e puxou o meu corpo para que ficasse junto ao dele. Hazard passava o nariz pelo meu rosto em um gesto de carinho e eu retribuia de bom grado, feliz em ter aquele homem ao meu lado.

- Eu amo você, Claire. - Ele falou olhando nos meus olhos e passou um braço pela minha cintura me aconchegando junto a ele. - 

- Eu amo você, Hazard. - Falei sincera enquanto acariciava a bochecha dele e sorria para o mesmo. -

 

Com ele, eu era só sensações. Sempre.


Notas Finais


Obrigada por ler ♡


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...