História Sensei... - Capítulo 1


Postado
Categorias As Tartarugas Ninja
Personagens Donatello, Hamato "Mestre Splinter" Yoshi, Leonardo, Michelangelo, Raphael
Visualizações 58
Palavras 1.172
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Drama (Tragédia)

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Opaaaa, fizemos essa fanfic agora. Esperamos que gostem. É sobre como, mais ou menos, as tartarugas se sentiram após a perda do Sensei. Não colocamos a Karai, April e Casey porque estamos planejando outra one parecida com essa, mas com a narração dos três. Mas não damos certeza que iremos postar.

Boa leitura!

OtakuGirlLover: Leo
Leorai: Donnie
TMNTlover: Rapha
Karai-Chan: Mikey

Capítulo 1 - Capítulo Único.


Fanfic / Fanfiction Sensei... - Capítulo 1 - Capítulo Único.

~LEONARDO~


E mais um dia se passa, mais um dia sem a animação de antes, mais um dia sem o entusiasmo para treinar, mais um dia sem o sensei.

Está cada vez mais difícil de seguir em frente sem ele ao nosso lado. 

Podemos já ter derrotado o Destruidor, mas ainda assim não conseguimos superar.

Meus irmãos estão mais calados, April e Karai estão mais separadas de nós, até mesmo o Casey está mais quieto. Eu já não sei mais o que fazer, não importa o que eu tente nós sempre ficaremos presos naquela tragédia.

Sou o líder dessa equipe, tenho que fazer algo para anima-los, mas até agora não obtive sucesso.

E mais uma vez eu suspiro, olhando para minhas katanas enquanto sentado em minha cama estou.


.Flashback On.


 -Leonardo, venha aqui!– Ele me chamou. Era mais um dia de treino, e meus irmãos já tinham ido para a cozinha esperando o jantar.

- Hai sensei?– Aproximo-me e fico em sua frente.

- Quero lhe dar uma coisa meu filho!– Ele se aproxima da grande árvore que tinha no dojo e pega algo.

- O que é isso sensei?– Pergunto confuso, aquilo parecia um tipo de espada.

- É uma Katana, Leonardo. É uma espada japonesa antiga – Ele sorri me dando ambos os objetos.

Eu apenas olhei e abri um longo sorriso. Em seguida o abraçando.

- Obrigado, Otou-san 

Ele retribuiu o abraço e abriu um sorriso.

Com as katanas em ambas as mãos, comecei a fazer os movimentos que havia aprendido com ele.


.Flashback Of.


A esse ponto meus olhos já estavam cheios de lágrimas, eu não consigo evitar a falta que ele faz.

Ele sempre tinha um jeito de nos acalmar, de nos dar confiança, e de não nos fazer desistir.

Sinto muito a sua falta... Papai.



~DONATELLO~


Outro dia em meu laboratório numa tentativa falha de me concentrar para fazer uma nova invenção, mas nada.

Sempre que tento fazer algo, a imagem do sensei caindo daquele prédio aparece e não sei explica o quanto isso me deixa triste.

Eu sempre preferi ficar em meu laboratório do que ficar treinando todo santo dia, mas aposto que o Mestre Splinter insistia para mim participar pelo meu próprio bem, e a contragosto eu sempre ia.

Já tentei fazer de tudo para me distrair, o Leo tentou diversas vezes, até mesmo o Mikey não conseguiu.

Mexendo em algumas gavetas procurando uma ferramenta, pego algo que não era o que eu precisava, porém, era algo que eu sempre guardei e nunca deixei ninguém encostar um dedo sequer.

Era um mini porta-retrato, com uma foto minha e do Sensei. No exato momento, me lembro de quando foi este dia.


.Flashback On.


- Sensei – O chamei entrando no dojo, ele estava meditando novamente.

-Donatello? O que houve?– Ele perguntou preocupado, me olhando.

- O Senhor poderia me ajudar?– Perguntei ansioso, com um sorriso enorme

-Claro, com o que?– Me aproximei dele.

- É que eu quero testar minha mais nova invenção. É uma câmera fotográfica 

-E você quer tirar uma foto?

-Sim,com o senhor.

Como ele continuava sentado, ele me puxou para seu colo e eu me sentei. Logo posicionei a câmera a tirei a foto. E admito que o flash quase me deixou cego.

-Na próxima eu consertar essa flash – Digo com os olhos girando.

- Concordo, meu filho – Ele disse meio zonzo, mas sorrindo.

Lhe dei um abraço, que foi retribuído.

Sai correndo dali, pois logo revelou a foto.


.Flashback Of.


Quando me dou conta, estou abraçando o porta-retrato.

-Como o senhor faz falta sensei!– Enxugo uma lágrima que queria escorrer – Mas sei que o senhor está um lugar melhor agora e pode descansar em paz.



~RAPHAEL~


- Mas que droga – Tento novamente dar um golpe que eu nunca consegui aperfeiçoar. – Se ele tivesse aqui, talvez eu tenha conseguido.

"Lembre-se de controlar a sua raiva" 

Era o que ele sempre dizia para eu manter o meu equilíbrio em uma luta.

Eu sinceramente odeio ficar lembrando de coisas tristes, mas sinceramente a dor daquela noite eu não consigo esquecer.

Sei que conseguimos derrotar o Shredder, mas.... algo está diferente.

- Vamos Raphael, você consegue – Tento novamente, mas falhei.


.Flashback On.


-Levante-se meu filho – Ele me estendeu uma mão e eu recusei. Me levantando sozinho.– Precisa descansar um pouco.

- Mas, Mestre Splinter, eu consigo treinar mais um pouco – Insisti mais uma vez.

- Não meu filho. Preciso acalmar a mente. Se se esforçar demais, na próxima vez que treinarmos, você não aguentará muito tempo – esperto como sempre.


.Flashback of.


Me levantei e fui tomar um gole de agua da garrafa que tinha ali perto. 

Sentei no chão e cruzei as pernas com as mãos encima dos joelhos

Eu irei meditar. Fecho os olhos e solto um suspiro com todo ar dos pulmões.


.Flashback On.

 

-SENSEI, O MIKEY ESTÁ ME ATORMENTANDO DENOVO – Grito após entrar bruscamente no dojo.

- Raphael– O sensei soou bravo por ter sido atrapalhado, provavelmente porque estava meditando – O que houve?

- Olha o que o Mikey fez com o meu gibi – Mostro o gibi todo rabiscado com desenhos zoados.

- Vocês...– Escutei ele sussurrar.


***


- Sensei, feliz dia dos pais – Digo entregando um presente para ele.

- Obrigado Raphael – Ele sorriu novamente para mim antes de me dar um abraço.

- O Senhor não vai abrir?– Pergunto

-Claro que vou. – Ele abriu a folha de papel que eu tinha desenhado um desenho de nós todos, sorrindo em seguida.


***


-Um grande senhor no século XVI havia dito:" Em tempos de paz, nunca se esqueça das possibilidades de guerra. Em tempos de guerra, nunca se esqueça da compaixão"


- Eu aposto o quanto esse cara apanhava.


- Há muitas coisas para você aprender e controlar meu filho, e uma delas é esse seu temperamento.


.Flashback of.


- Pode deixar que eu controlarei... Otou-san.



~MICHELANGELO~


- Gatinha do Sorvete?– A chamei, ela me olha e sorri. – Você também sente saudades do Sensei?

- Meow Meow Meow – A expressão dela passou para uma triste.

- É eu também – Ela passou sua patinha de sorvete por meu rosto. Eu sorri – E sabe do que mais eu sinto falta?

- Meow?

- Não, disso não, eu quis dizer com o Mestre Splinter.

-Meow

- Exatamente, as noites das pizzas eram as minhas preferidas, principalmente quando sempre riamos quando alguem de nós brigavamos.

- Meow Meow Meow

- Sim, não sei, como o sensei não perdia a paciência com a gente?

- Meow Meow

- Tem razão, ele devia nos amar bastante, assim como nós a ele.

-Meow

quer saber minha lembrança favorita?

- Meow


.Flashback On.


Eu não estava conseguindo dormir, mais uma vez eu estava tendo pesadelos.

Me levanto e vou em direção ao quarto do Mestre Splinter, com um sono terrível.

- Sensei – Tento o acordar – Papai – O chamei novamente

- O que?– Ele pareceu tomar um susto, e estava com voz de sono.

- Eu estou tento pesadelos. Posso dormir com você?– Pergunto fazendo cara de cachorro pidão.

- Seu ursinho não está fazendo efeito?– Perguntou coçando os olhos. Apenas nego com a cabeça – Pode.

Ele se ajeitou na cama e eu deitei na ponta.

- Boa noite Papai

- Boa noite meu filho.


.Flashback Of.


- Na época eu tinha 5 anos.– Deixo uma lágrima escapar.

-Meow – A Gatinha do Sorvete limpou a lagrima com uma de suas patinhas, deixando meu rosto lambuzado de sorvete.

- Eu sinto muito a falta dele, mas agora ele deve estar mais feliz e descansando em paz, sem se preocupar com nada, não é mesmo?

Sorri, dando um abraço na Gatinha.




Notas Finais


Esperamos que tenham gostado.
Comentem o que acharam. E se gostaram, favoritem <3

Beijos ^.^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...