História Sensei - Capítulo 3


Escrita por: e WannaJ

Postado
Categorias Bleach, Naruto
Personagens Akamaru, Byakuya Kuchiki, Deidara, Grimmjow Jaegerjaquez, Hinata Hyuuga, Ichigo Kurosaki, Ino Yamanaka, Itachi Uchiha, Jiraiya, Kakashi Hatake, Kiba Inuzuka, Orihime Inoue, Orochimaru, Personagens Originais, Renji Abarai, Rukia Kuchiki, Sai, Sasuke Uchiha, Shikamaru Nara, Soi Fong "Soifon", Temari, Tier Harribel, Toushirou Hitsugaya, Ukitake, Urahara Kisuke, Uryuu Ishida
Tags Bleach, Dirty Talk, Kakanaru, Natuto, Pwp, Renbya, Sasuneji, Yaoi
Visualizações 73
Palavras 2.071
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Lemon, LGBT, Romance e Novela, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Yaoi (Gay), Yuri (Lésbica)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


eu demorei? demorei, mas o importante é que está aqui lindo e pleno o novo capítulo!

boa leitura

Capítulo 3 - Café, ciúmes e ruptura


— Meus sentimentos atrapalham você? — perguntou, amargurado. — Se esse é o caso, professor então eu.. — interrompido.


— Porque é recíproco.

As pernas do loiro ficaram bambas por um segundo. Naruto jurou que fosse cair.

— Como é?

O professor se aproximou do garoto e o segurou gentilmente pelo pulso enquanto a destra tocava o rosto de Naruto.

— Porque eu também sinto uma enorme vontade de beijar você. 

Dito isso, o professor não precisou de mais nada para finalmente poder selar seus lábios com aquele que tirava seu sono a tempos.


×××      


E por mais que ambos quisessem ficar mais tempo naquele beijo a falta de ar se fez presente. Se afastaram ofegantes, mantendo o contato visual.

— Você entende o tamanho do problema em que está se metendo, não é? — perguntou, o mais novo.

Kakashi concordou com a cabeça.

— Estou disposto a continuar.

Aquelas palavras fizeram com que Naruto se sentisse a pessoa mais feliz do mundo.

E a pessoa mais preocupada também.

E se descobrissem?

Como ficaria a carreira do mais velho?

— Hatake, ainda sim isso é perigoso e eu não quero te arrumar problema. — disse o mais novo, preocupado.

— Ei. — o mais velho segurou as bochechas do loiro. — Você me escutou? Eu disse que estou disposto a tentar algo com você. — indagou preocupado com aquela reação do mais novo. Não esperava confetes ou um surto de choro, mas também não esperava por isso. — Você não tem ideia de como foi difícil pra mim ver todos aqueles estudantes encima de você. Não faz ideia do quanto eu me senti aliviado quando veio até mim, e também, do quanto eu tive que me segurar pra não ter te beijado naquela noite. Eu não podia fazer isso, entende? Mesmo você pedindo, quase implorando completamente manhoso para que eu fosse seu. Queria que você se lembrasse de tudo, do meu toque, do cheiro, o gosto do meu beijo. — depositou a destra na cintura do mais novo trazendo o mesmo para mais perto do seu rosto. — Quero te deixar noites sem dormir lembrando disso.

— Você é egoísta. — riu.

— Só quando se trata de você. 

Naruto tomou coragem para depositar um selinho nos lábios macios do mais velho.


Antes que pudessem voltar ao que estavam fazendo escutaram batidas na porta e se afastaram.


— Com licença, atrapalho Hatake sensei? — perguntou o Kuchiki.

— Não, já acabei de terminar com o senhor Uzumaki. — piscou para o loiro antes de se virar na direção do professor de Ciências Políticas. 

— Obrigado, Hatake sensei. — disse, antes de sair em passos largos da sala.


Seu rosto ardia como fogo. 

Seu coração estava disparado.

Céus, ele havia mesmo feito aquilo?

Era loucura! Mas parecia uma loucura tão boa!

Naruto estava tão perdido em pensamentos que nem se tocou aonde estava indo e só parou quando esbarrou em um estudante.

— Oh, desculpe! — exclamou o garoto de cabelos negros cumprido e olhos perolados. — Você está bem?

— Estou sim! — exclamou o loiro, um tanto envergonhado. — Eu acho que te conheço de algum lugar.. — indagou o menor.

O garoto sorriu para sí.

E que sorriso lindo.

— Você me conhece, Naruto. — falou em tom divertido. — Sou primo da Hinata.. Neji, Hyuuga Neji.

Hinata era uma amiga de infância com quem Naruto simplesmente amava estar. Eram grudados desde criança e um vivia na casa do outro.

Esse contato não se perdeu no tempo, muito pelo contrário pareceu só ter se fortalecido.

— Ah! Sim! Como pude me esquecer disso? — riu bobo. — Você estava na festa dos calouros.. Qual é o seu curso?

Neji mostrou a vestimenta branca, juntamente com o jaleco da mesma cor e olhou para o loiro como se fosse óbvio.

— Estou no curso de Medicina. — riu com a falta de atenção do loiro.

Naruto estava com seus pensamentos bem distantes de onde estava agora. Precisava se recompor.

— Perdão, não prestei muita atenção. — comentou.

O moreno riu.

— Tenho que correr agora.. A gente se esbarra por ai?

— Claro. — indagou, dando um breve aceno de despedida com a mão vendo o garoto sumir da sua vista.


Naruto voltou a caminhar em direção a seu dormitório, passou pelo campus onde avistou alguns colegas de curso. Quando chegou a primeira coisa que fez foi suspirar pesado e se jogar na cama. Levou a destra até os próprios lábios, tocando-o suavemente.


— Endoidou de vez? — perguntou o colega de quarto.

— Estou no caminho. — disse, rindo da situação em que se encontrara.

— Vish. — zombou. — Essa maluquice tem nome?

— Você não é digno. — debochou de maneira convencida. Mas logo caiu na risada junto do ruivo. — Como foi seu dia, Gaara? 

— Bem, na medida do possível. — fez uma pausa para pegar uma garrafinha d'água e logo prosseguiu. — Ichigo me chamou para fazer uma luta.

— Achei que você tinha parado. — disse, preocupado.

— E parei. — deu de ombros. — Mas a grana ta apertada agora, eu preciso fazer isso.

— Mas se te pegarem.. — interrompido.

— Já conversamos sobre isso antes, ok? Eu sei, contra as regras. Mas eu não tenho pais advogados com grana, Naru. Eu faço o que for possível pra me virar.

Gaara era o tipo cara de cara que recebe aquele eficiente nome de: pau para toda obra. O ruivo era gente boa, muito longe de ser aquele garoto que vive a base de problemas. Claro, as brigas clandestinas que ocorriam num galpão embaixo da faculdade era algo realmente problemático, mas não era por mal. O ruivo tinha que se manter e até chegou a ficar um tempo na casa dos Uzumaki. Mas resolveu ir embora afirmando que não queria ser um peso para a família do loiro.

O que Naruto achou que seria besteira, tinham uma casa consideravelmente grande. A presença do ruivo não o atrapalhariam nunca.

— Eu to indo pra aula, vai continuar aqui?

— Vou sim.

— Então até mais tarde.

— Até. — respondeu, vendo o amigo fechar a porta.


O loiro bocejou, precisava dormir.

E foi isso que fez. 


Acordou sentindo seu rosto amassado, estava se sentindo pior do que quando fora dormir. Olhou para o relógio digital que marcava exatamente o horário de 19:20.


Escutou seu celular tocar baixinho, anunciando uma mensagem. Lançou a destra para alcançar o aparelho e verificou as mensagens.



Sasuke: Ei, o que acha de tomarmos um café?


Naruto rapidamente respondeu a mensagem do amigo.


Naruto: Claro! 
No lugar de sempre?


Sasuke: Sim, até lá


Naruto se esticou e correu para o banheiro onde teve o banho mais rápido de sua vida. Logo estava vestido com uma roupa social, nada muito chamativo.

Pegou seus pertences e saiu do dormitório, estava muito contente. Afinal, iria ver Sasuke.

Uchiha Sasuke é um amigo de longa data, desde que se entendia por gente estavam juntos. Brincavam juntos, dividiram as suas dores e esperanças. Sasuke sempre seria um porto seguro para o Uzumaki e vice versa.

Sasuke sempre fora o melhor amigo, e isso não era segredo para ninguém. Teve um tempo  em que o loiro jurou por Deus que estava realmente apaixonado no amigo de infância. Porém, com o passar do tempo o loiro foi vendo que tudo isso não passou de um carinho enorme que existia em sí.

 Eram melhores amigos.

Nada além disso.

Quando chegou Sasuke estava lá, numa mesa mais afastada. Típico de um jovem adulto anti-social. Correu para o amigo com um sorriso largo de orelha a orelha e foi recebido com uma cara de irritação do mesmo.

— Eita, você ta legal? — indagou o loiro, preocupado.

— Tá atrasado, toupeira. — respondeu.

— Me atrasei? Quanto? Por céus, Sasuke não seja sistemático, nem faz muito tempo.

— Já ia fazer quatro minutos de atraso. — rebateu, olhando para o relógio de pulso.

— Nem a minha vó que é velha chata faz isso.

— É que eu mal pude esperar para te ver. — confessou com as bochechas coradinhas.

Naruto sentiu o coração apertar.

— Você é tão fofo, Sasuke. — surtou, não aguentando a confissão do amigo.

— É, é. Tanto faz, pede logo um café.

— Você já pediu?

— A pouco tempo, um café... — interrompido.

— Café preto sem açúcar ou adoçante. — disse, imitando a voz do amigo.

Sasuke riu de sí.

— Vou pedir um Cappuccino doce.. — interrompido.

— Com chocolate amargo. — completou Sasuke, para zombar do loiro. — Sabemos o café favorito um do outro. O que isso prova? Que já podemos casar? — brincou.

— Não quero casar com você, você é chato. — mostrou-lhe a língua.

Sasuke gargalhou.

Sentiam falta daquilo. Já fazia algum tempo que isso não acontecia, De ficarem assim, juntos e curtindo a compainha um do outro.

Ficaram até 22:15 no café, saíram para caminhar por uma praça que havia não muito longe do café, sentaram no banco e jogaram conversa fora até 23:38. Sasuke acompanhou o loiro até o dormitório e seguiu para o seu, que não era muito longe do alojamento onde estava.


No dia seguinte o dia amanheceu frio.

A maioria dos alunos estavam agasalhados e mesmo assim, morrendo de frio.

Mas aquele frio não estava sendo nada comparado ao tratamento que o loiro estava recebendo de seu professor de Física Quântica.

Fala sério! Como alguém pode mudar de humor tão fácil?

Até ontem Kakashi era manso, enchia seu celular de mensagens e lhe olhava de maneira intensa e agora? Mal olhava em seu rosto e não respondia suas mensagens.

Ele parecia irritado, sem qualquer tipo de paciência e estava assim desde que o loiro o viu andando pelos corredores. 

Quando a correria das aulas acabou já eram quatro horas da tarde. Correu para sua sala pois sabia que a esse horário o mesmo estaria trancado em sua sala.

Bateu algumas vezes a porta e esperou pacientemente até que Kakashi abriu a porta.

Olhou para sí com uma cara de descontente o que deixou Naruto ainda mais nervoso.


— Hun.. Com licença. — murmurou entrando.

— O que veio fazer aqui? — perguntou o mais velho.

Naruto franziu o cenho.

— Vê-lo? — respondeu, como se fosse óbvio.

Kakashi nada respondeu.

— O que houve contigo?

— Nada. — respondeu rápido.

— Você mente mal, Hatake. — riu.

— E você mente muito bem, Uzumaki. — disse, irritado.

Naruto cruzou os braços esperando pelo menos uma explicação.

— Eu vi ontem. — largou a caneta que estava usando para fazer anotações e se pós de pé, apoiando as mãos encima de sua mesa. — Você com aquele estudantezinho de Engenharia Química, rindo, perto demais um do outro, completando o nome dos cafés e flertando. Eu sou algum tipo de piada 'pra você?

— Fala do Sasuke? — perguntou confuso. Para o loiro isso não passava de um grande absurdo. — Ele é meu melhor amigo de infância, Hatake! Não seja tão precipitado assim! 

— Fracamente, até o jeito que se olham me causa ânsia.

— Respeite a minha amizade com o Uchiha, Kakashi. — impôs, irritado.

O mais velho bufou, massageou as têmporas e prosseguiu.



— Talvez tenha sido um erro.. Começar tudo isso. Vamos agir como pessoas responsáveis e esquecer.. — interrompido.

— Até ontem você disse que estava disposto a tentar qualquer coisa por nós e no outro dia é isso?  

— O caso agora é outro.

— Tem razão. O caso é de um cara ciumento que não pode me ver nem com um amigo ao lado que surta.

— Ele não é um amigo qualquer, dá pra ver, Naruto.

— Não faça drama!

—  Você tem ideia do quanto eu demorei para colocar a minha cabeça no lugar em relação a você? Do tempo que eu levei pra te aceitar como apenas meu aluno e como você destruiu tudo isso com apenas um pedido?! — Kakashi não fazia o tipo de cara que se irritava facilmente, mas aquilo estava sendo demais para sua cabeça.

— E depois de tudo isso você me diz pra esquecer tudo isso? 

— Você não entende, é só um pirralho..— interrompido.

— Não ouse terminar essa frase, Hatake Kakashi!


O professor suspirou.

— Você quer acabar com tudo isso? Tudo bem. Faça o que quiser. — disse, se voltando em direção a porta. — Tenha uma boa tarde, professor covarde.


Notas Finais


se vocês chegaram até aqui não esqueçam de comentar, please! isso me incentiva demaaaiis

até o próximo capítulo, beijos e #PAS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...