História Sentimento eterno -Mitw - Capítulo 45


Escrita por:

Postado
Categorias TazerCraft
Personagens Mike, Pac, Personagens Originais
Tags Mike, Mitw, Pactw, Tazercraft
Visualizações 152
Palavras 1.699
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Bishounen, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Festa, Ficção, Ficção Adolescente, Fluffy, Hentai, Lemon, Lírica, Luta, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shonen-Ai, Shoujo (Romântico), Shounen, Slash, Suspense, Universo Alternativo, Violência, Yaoi (Gay)
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Self Inserction, Sexo, Spoilers, Suicídio, Transsexualidade, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 45 - Dúvidas sobre os sentimentos


Sábado 12:04 visão Pac:

Passamos um bom tempo sentados sobre a grama, Mike, Tayla  e Cellbit costuravam e conversavam alegremente como um trio de amigos, e eu apenas observava tudo encostado em uma árvore ao lado esquerdo do Mike.

Isso é tão estranho, naquele momento meu coração bateu tão forte mas não sei porque. Eu já senti isso antes mas não acontece assim do nada, a não ser que eu...

...

Não, não é possível, vou ter que comprovar os fatos, se eu realmente estiver sentindo isso de novo eu não vou ficar bem, não mesmo, afinal eu prometi que não ia mais sentir isso por ninguém...Mas, e se for...

-Ei Pac- Ouço a voz suave de Mike me chamar, logo o encaro um pouco confuso.

-Sim?- Perguntei.

-Você tá bem? Tá tão quieto- Me arrepiei e senti meu coração saltar ao ouvir suas palavras.

-T-Tô sim-  Digo tentando não demostrar desespero...Deus, por que tô tão...Ah? 

Mike chega perto de mim e aproxima a costa da sua mão sobre o meu pescoço, a temperatura da mão dele parece tão fria, está fazendo um calor terrível como ele pode estar com essa temperatura?

-Tá com febre?- Ele pergunta retirando sua mão de meu pescoço e a aproximando por debaixo das minhas franjas. (Ou seja ele tá com a mão dele na minha testa)

-Eeh...Não- Digo sentindo meu sangue correr pelo meu corpo de forma fervente e acelerada, isso não é nada normal.






Tum, tum.

D-De novo? Como assi...

...










Isso não pode tá acontecendo.

-Hmm, acho melhor você comer alguma coisa, Mike, leva ele pro refeitório. Eu e o Cellbit cuidamos do resto- Disse Tayla demostrando confiança na voz.

-Tem certeza? Ainda restam 7 pra terminar- Mike diz preocupado com os dois.

-Tudo bem cara, a gente dá conta- Cellbit diz tranquilo.

-Então...Tá, vem Pac- Mike me chama e eu tento ignorar-lo...Eu não consigo acreditar nisso...

-Vem vermelhinho, eu pago dessa vez- Ele diz se levantando e pegando na minha mão direita, logo senti um calor percorrer ao seu toque, m-mas sua mão não estava fria agora pouco? Me levanto um pouco hesitante enquanto olho para o chão, e Mike caminha com as suas mãos estreladas a minha.

...

Idiota, esse seu jeito de segurar a minha mão, era pra me incomodar mas...Está me dando uma boa sensação...Imbecil.

Logo chegamos no refeitório, aviam poucas pessoas na fila então não demoramos demais pra pedir a comida, eu pedi uma lasanha e Mike pediu o mesmo, eu pedi uma coca e ele uma Pepsi, logo nos sentamos juntos numa mesa do centro e começamos a comer.

-Se sente melhor?- Ele pergunta de boca cheia, além de idiota é mal educado, céus.

-Sim- Digo enquanto tomo a coca.

-Ah...Pac preciso te perguntar uma coisa- Ele diz me encarando fixamente.

-Hm, pode falar.- Eu digo ainda tomando a coca.

-Você...Já se apaixonou por uma pessoa além da Maria?- Ele pergunta e eu quase me engasgo com a coca.

-H-Han? Q-Que tipo de pergunta é essa, idiota?!- Eu digo com a mão esquerda sobre a boca.

-Eu só queria saber, é que sabe...Agora que somos amigos de novo, você podia me contar oque aconteceu durante esses anos, entende? Para a gente se entender melhor- Ele diz dando um sorriso sincero sem mostrar os dentes, hm...

-Mike, sinto muito mas não posso te contar, é algo...- Eu interrompo minha fala e encaro o chão.

-Algo?- Ele pergunta franzindo a sobrancelha esquerda.

 -Esquece- Digo com a voz baixa.

-Aaahhh, fala por favor, eu não conto pra ninguém- Diz fazendo uma cara de bebê chorão, que infantil.

-Mesmo assim Mike, eu não vou te falar- Digo terminando a coca, Mike faz biquinho e cruza os braços com raiva, oque não deixa de ser engraçado.

-Você não confia em mim né?- Ele pergunta com a voz baixa enquanto encara o chão.

-Quem disse que não confio?- Disse de forma simples e Mike me encara surpreendido, após perceber oque eu falei comecei a comer a lasanha para disfarçar o ocorrido.

-Então...Por que não quer me contar?- Ele pergunta olhando para mim, isso fez de alguma forma meu coração pulsar ainda mais forte.

-P-Por nada, eu...Só não gosto de falar disso, OK?!- Digo perdendo o controle da minha voz assim fazendo o Mike se assustar comigo.

-Ok, ok, se acalma, me desculpa- Ele diz pegando a sua Pepsi, ahn, oque ele está pensando de mim agora? Provavelmente eu devo ter causado medo nele, céus, não queria ter feito isso...Mas esse imbecil, esse idiota, ele me fez perder meu auto-controle...Argh!

Logo Mike e eu acabamos a refeição em silêncio, um silêncio do qual estava de alguma forma me prejudicando e me deixando nervoso por dentro...Por que esse tipo de coisa tem que me deixar tão...Instável? Preciso falar alguma coisa, ou ficaremos aqui olhando um pra cara do outro o dia inteiro, será que seria uma boa idéia voltar para dormitório sozinho? Não sei.

-Mike, eu vou voltar pro dormitório ok?- Digo tentando me manter calmo.

-Mas já?- Ele pergunta confuso.

-S-Sim, valeu pela comida e...T-Tchau- Digo me levantando da cadeira, mas sinto algo puxar minha mão esquerda.

-Ei, não vai me dar nenhum abraço?- Ele pergunta enquanto sorri sem mostrar seus dentes.

-H-Hein? Mike...Não...- Ele me interrompe puxando ainda mais meu pulso para perto dele.

-Nossa, seus olhos estão bem brilhantes, alguma coisa boa aconteceu?- Ele diz me encarando oque me faz ficar vulnerável e envergonhado.

-Não.- Digo quase sem fôlego, céus...Logo Mike se levanta da cadeira e segura minha mão esquerda com carinho, logo ele estende ela pra perto do seu rosto e sim, ele acabou de BEIJAR MINHA MÃO!!!.

Eu fico em estado de choque e Mike arrasta minha mão até sua bochecha direita, ele fecha os olhos por um tempo e cora levemente, seja oque ele estiver fazendo quero que ele pare agora.

-M-Mike.- Eu o chamo nervosamente.

-Hm?- Ele abre calmamente seus olhos.

-E-Eu preciso ir- Digo timidamente.

-Ah, foi mal...É que sua pele é tão macia- Ele diz dando um sorriso sem mostrar os dentes, senti vários arrepios entre minhas costas depois do que ele disse. Ok, chega.

-Eu não sou um travesseiro!- Retiro minha mão de sua face com brutalidade e cruzo meus braços com raiva.

-Hmm...Você tá estranho- Ele diz pensativo.

-Hein? Como assim?- Pergunto franzindo a sobrancelha esquerda.

-No mínimo, você ia dar um tapa na minha cara ou um soco no estômago se eu beijasse sua mão, mas você não fez isso- Ele diz cruzando os braços  enquanto me encara, qual é o problema dele?

-I-Imbecil! Eu tô normal! Idiota, oque você tá pensando? Acha que eu sou seu namorado pra você beijar a mão?!- Tento fingir que estou com raiva.

-Não é isso, é que eu só quis ser carinhoso com você-

-Então vai ser carinhoso com a puta que te pariu, eu detesto carinho!- Eu digo fingindo um berro, e Mike parece um pouco frustrado.

-Não gosta de carinho...Ou não gosta de mim?- Ele pergunta com a voz calma e suave oque fez meu coração pulsar de tristeza.

-A-An...- Gaguejo sem ter oque falar, e agora? 

...





-Tchau- Saio correndo dalí até o corredor.

-Pac!- Ouço Mike me chamar, mas continuo correndo e isso faz com que eu sinta um aperto no meu coração, vou correndo pelos corredores até chegar a porta do meu dormitório, abro a porta desesperadamente com a chave e após entrar no quarto eu a tranco.

...









Droga...











Droga, droga, droga droga! EU SOU UM COMPLETO IDIOTA, POR QUE ISSO TINHA QUE ACONTECER DE NOVO?!

Por que esse sentimento está tão forte? Eu mal consigo me controlar, meu coração está doendo muito mas as cicatrizes estão sumindo...Lágrimas começam a sair sem permissão de meus olhos.

-Por que? Por que isso aconteceu de novo? Por que eu não consigo controlar meu coração?- Eu falo baixo e hesitante com a voz entre cortada.

P-Por que eu tô sentindo isso por ele? Eu não acredito nisso, isso não pode ser real.

...











Tum,tum.

De novo...










Mike...Você vai ter que dar um jeito nisso, vai ter que dar um jeito no meu coração, principalmente agora que ele chama por você...

Tum, tum.














Seu idiota.












13: 01 Visão Mike:

Faz muito tempo que o Pac saiu correndo, ele tá muito estranho comigo, será que eu fiz algo errado? Seria bom eu ir falar com ele?

...

-Mike- Alguém me chama, e eu olho para trás.

...

Eu não acredito que ele ainda tá aqui.

-Ah, oi, Rezende a quanto tempo- Digo de forma desanimada.

-Ham, não me vem com essa de a "quanto tempo" Lynnker- Ele diz com os braços cruzados e com sua postura hostil de sempre.

-Oque você quer agora? Perder de novo?- Eu pergunto de forma séria.

-Não dessa vez, eu apenas vim falar uma coisa pra você- Ele diz fazendo uma face séria.

-Então pode falar de uma vez- Eu digo fechando os punhos.

-É sobre aquele seu namorado, eu soube muitas coisas sobre ele...E pelo que parece ele não é nenhum anjo- Ele diz dando um sorriso de canto.

-Oque quer dizer com isso?- Eu pergunto de forma hostil.

-Ora Mike, tem pessoas aqui que não veem oque você vê, apenas isso - Ele diz de forma simples, mas que de alguma forma parece suspeita.

-Fala logo de uma vez- Eu digo impaciente.

-Ok, ok calma senhor Lynnker- Ele diz debochado, grr.

-Bom, é o seguinte, tem certas coisas que me contaram sobre ele, disseram pra mim que ele não é uma pessoa boa, dizem que ele já quebrou os ossos de algumas pessoas quando era mais novo, e que ainda por cima fez uma garota sangrar e chorar de medo-

-Han?!- Eu arregalo os olhos.

-E também me disseram que, ele fez isso por vontade própria, dizem que coração dele é vazio e que ele não se importa com ninguém, ou seja Mike...Seu amorzinho do rostinho bonito não é nada belo por dentro, ele é um monstro sem piedade no coração. Mas não sei se ele chega no nível do seu pai sabe...-

-Cala a boca Rezende- Eu interrompo ele enquanto sinto a raiva percorrer pelo meu peito.

-Meu pai pode até ser uma pessoa um pouco...Violenta e o Pac também, mas ele jamais machucaria alguém até sangrar- Eu digo o encarando com raiva.

-Tem certeza Mike? E se oque me disseram for verdade? Você vai continuar perto daquele monstro?- Ele pergunta dando um sorriso sádico no rosto.

E se o Rezende estiver dizendo a verdade? Será que o Pac fez esse tipo de coisa? Não, meu Pac não é assim, e se ele for...

-Vou- Eu digo com a voz firme.

-Ok, mas se ele acabar te quebrando ao meio...Não diga que não avisei.- Ele sai andando do refeitório calmamente.

...










Pac...Você não é assim...Ou é?


Notas Finais


Me perdoem pelos erros de português, a culpa é toda do corretor.














Spoiler:
O filler está próximo.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...