1. Spirit Fanfics >
  2. Sentimento Proibido (Review) >
  3. Sorry not sorry!

História Sentimento Proibido (Review) - Capítulo 10


Escrita por:


Capítulo 10 - Sorry not sorry!


Fanfic / Fanfiction Sentimento Proibido (Review) - Capítulo 10 - Sorry not sorry!

~Fernanda on~

Gente eu só posso ser a pessoa mais cagada do mundo né? Se não é o Felipe é a Rafa que atrapalha; não que a Rafaela atrapalhe, pelo contrário; MAS quando se trata da Alice coisas mínimas podem se transformar num caos.

Sobre aquele episódio lamentável que aconteceu há alguns minutos eu não sabia o que fazer; eu precisava conversar com a Alice, mas também com a Rafa. Mesmo explicando que foi uma mera coincidência encontrar a Rafaela ali, Alice não quis ouvir muito e foi embora, eu fiquei um pouco atordoada e até sem reação, mas Carlos me orientou e a Rafa concordou com toda cautela do mundo “Vai atrás dela”; bom, é isso que estou fazendo nesse exato momento.

Me despedi dos dois e pedi perdão não sei quantas vezes pelo acontecido, corri para chamar o primeiro taxi que estivesse vago. Não telefonei e nem mandei mensagem para Alice porque sei que seria em vão, disse o endereço ao motorista e o mesmo fez o trajeto em poucos minutos.

Cheguei ao prédio onde ela morava, estava nervosa e ainda sem saber o que falar ou fazer direito; o porteiro que já me conhecia liberou minha entrada e assim eu pude perguntar:

-Você sabe se a Alice está em casa?

-Ah sim, ela subiu faz alguns minutos!!!

-Eu posso subir? Sem que você avise-a pelo interfone?

-É claro, pode subir!!

-Obrigada!!

Apressei meus passos e chamei o elevador, infelizmente tive que dividi-lo com uma senhora, o que fez com que eu demorasse mais, se bem que isso me deu mais tempo para pensar no que dizer; ta eu não pensei em nada.

Assim que o elevador parou, alguém do lado de fora abriu a porta antes que eu pudesse empurra – lá.

-Fer!!!! – era a mãe de Alice

-Ah oi tia!

-Acabou a prova mais cedo também?

-Sim, por isso aproveitei para ver a Alice!

-Ela vai adorar, acabou de chegar também!

-Que coincidência! – não sei mentir direito

-Hmm, entra lá querida.. Deixa eu abrir a porta para você, ela está no quarto!

A mãe de Alice abriu a porta para mim e voltou a falar:

-Deixei comida pronta, podem esquentar quando tiverem fome!

-Muito obrigada!

-Magina querida, boa tarde para vocês!!

Marcela, mãe de Alice quase sempre passava em casa perto do horário do almoço; ela gostava de cozinhar e levar comida fresca para ela e o marido comerem no trabalho e conseqüentemente deixar almoço pronto para Alice assim que a mesma chegasse da escola.

Logo que me despedi de Marcela, entrei no apartamento e fechei a porta sem fazer barulho. A sala e a cozinha estavam vazias e como já tinha sido avisada eu a encontraria no quarto, então assim eu fiz e com passos leves caminhei até lá.

A porta do cômodo estava aberta e Alice estava deitada de costa para mim enquanto mexia no celular, ela não tinha percebido que eu estava lá até que a chamei.

-Alice?

Assim que ouviu minha voz ela soltou o celular e se virou para mim

-O que faz aqui?

-Vim limpar sua casa; o que você acha?

-Pode ir, nós temos faxineira!

-Alice!

-O que? – ela revirou os olhos

-Para um pouco poxa; você saiu esbravejando sem saber o que aconteceu e agora continua sem querer ouvir!

-Estou escutando!

-Não quero que só escute, quero que preste atenção!

Ela respirou fundo e se sentou na cama, estendeu a mão e me puxou para que eu pudesse sentar de frente a ela.

-Pode falar!

-Olha, eu sei que você não gostou de encontra - lá  perto de mim, mas foi algo surpresa, eu não planejei aquilo. Ela estava de passagem e acabou nos encontrando!

-Você já disse tudo isso!

-Então porque é tão difícil de entender?

-Se ela apareceu repentinamente não me interessa, mas vocês duas me pareceram muito próximas para duas desconhecidas!

-Sobre isso...

-Hm?

-Sabe o Daniel, meu motorista?

-Claro, o que tem?

-Bom, você lembra que eu comentei que ele tinha uma filha que ele me mostrava por foto, quando eu era pequena?

-Uhum!

-Então, a vendedora da loja do shopping que você encontrou na praça hoje, é a filha do Daniel!

-E o que você tem a ver com ela?

-Aquele dia que eu dormi aqui, e o Felipe apareceu e conheceu seus pais, bom, quando eu voltei para casa naquela tarde, tinha um recado do Dani dizendo que eu poderia ligar caso eu quisesse sair e como o Carlos estava ocupado eu pedi para o Dani me levar para sair.

-E ela foi junto?

-Sim, eu pedi que ele a levasse já que os dois estavam passando a tarde juntos!

-E desde então vocês mantém contato?

-Sim, mas desde que o nosso relacionamento ficou mais sério eu estabeleci um certo limite entre eu e ela, quero dizer; somos amigas e nada a mais que isso!

-Eu percebi que você ficou mais “recatada” depois que nós firmamos o namoro!

-Eu estou com você, e é com você que eu quero ficar!

-Eu sei amor, é só... eu confio em você, te conheço a anos e sei como você é, nos últimos meses também foi uma namorada incrível... eu só não confio nela!

-Pode parecer mentira, mas, ela respeita muito nosso namoro, ela respeita você!

-Não duvido que isso seja verdade, mas o fato dela respeitar não quer dizer que ela não possa gostar de você!

-Eu entendo amor, mas... ela é desencanada sabe? Mesmo que ela goste, ela não tenta nada, até porque ela vive saindo com outras meninas!

-Olha eu vou relevar porque, eu te amo e sei que você não faria nada, mas eu estou de olho nela!

-Tudo bem!

-Vai ficar aqui? – ela fez biquinho

-Não sei, se quiser que eu vá embora...

-Não senhora, agora você é minha!

-Sempre fui sua!

Nos aproximamos mais e ela selou nossos lábios, foi um beijo diferente de todos os outros; apaixonado e afobado ao mesmo tempo, mas maravilhoso como sempre.

-Amor? – ela disse ao terminarmos o beijo

-Oi linda!

-Eu to com fome!

-Mas, você não comeu o açaí?

-Um pouquinho só, eu estava com tanta raiva que dei pro motorista do taxi!

-Maluca maluca maluca....

-Besta!!

-Quer comer?

-Ah quero! – ela respondeu e mordeu meu pescoço

-Eu digo, comida!

-Ah comida... pode ser também!

Nos levantamos e fomos  almoçar e diferente do que sempre fazíamos, nós arrumamos a cozinha juntas e nos sentamos na sala para ver TV e adivinha o que ela colocou para assistirmos? É, Keeping up with the Kardashians; nada contra quem assiste né, mas não é algo tão interessante assim.

Alice prestava atenção em cada cena do programa e parecia realmente gostar, e quando o mesmo acabou (eu dei glória) ela mudou o canal procurando por algo interessante e por fim achou um filme com cenas meio eróticas, nada muito explicito é claro e uma dessas cenas chamou nossa atenção; o casal principal estava em uma boate e a moça se aproximou do rapaz fazendo lap dance.

Eu já tinha ouvido falar sobre, porém nunca tinha visto e confesso que aquilo era realmente quente; ela notou que fiquei interessada pelo lap dance e se levantou, sem dizer nada foi para o quarto e eu a segui com meus olhos sem entender nada.

Em poucos segundos ela voltou, estava semi nua com uma lingerie preta simples porém sexy em seu corpo. Se voltou a televisão e a desligou, fechou por completo a cortina deixando o ambiente mais escuro e finalmente parou na minha frente, me puxou para a beiradinha do sofá e assim que me ajeitei ela se colocou entre as minhas pernas e começou a rebolar; seus movimentos eram  iguais ao filme e agora sim eu estava entendendo o que o homem sentirá.

Num movimento de rebolar sua bunda perto do meu rosto eu não pude me controlar e a agarrei, caímos deitadas no sofá e sem enrolar muito terminei de arrancar o pouco pano que ainda tinha em seu corpo, trocamos mais alguns beijos e carícias e logo a virei ficando por cima. Eu já estava completamente excitada e não conseguia demorar com nenhuma preliminar por isso a ajeitei no sofá com as pernas bem abertas e me ajoelhei ao chão ficando de cara com sua intimidade.  

Comecei com uma chupada em seu clitóris e ela gemeu de leve, em seguida intercalei chupadas e lambidas numa velocidade maior e em pouco tempo ela foi dominada pelo prazer não se contendo em gemer.

-MMMMMMMMMM.... Ahhhhhhhhh... Isso.......

Parei com o oral e já determinada a faze – lá gozar continuei estimulando seu clitóris com meus dedos, e a medida que seus gemidos ficavam mais descompensados eu aumentava a velocidade, mas ao sentir que seu ápice estava próximo eu parei antes que ela sujasse o sofá e a levei rapidamente para o quarto, ficamos de pé e eu apenas a abracei por trás, voltei meus dedos em sua intimidade e terminei o “serviço”; ela gozou e se virou me dando um beijo apaixonado.

-Era para mim ter te dado prazer! – ela disse enquanto me beijava

-Eu não resisti...

-Mas agora é a minha vez...

-Hmm.. eu vou ter que recusar..

-O que? Mas por que?

-Porque daqui a pouco alguém pode chegar e acho bom você tomar um banho..

-Ah eu não vou sem antes...

Ela nem terminou de dizer e segurou meus braços me jogando na cama, puxou minha calça e calcinha para baixo e começou a fazer um oral em mim; sua língua quente e bem molhada me faziam gemer loucamente pedindo mais e mais, seus movimentos rápidos me fizeram atingir o ápice de uma forma que o meu corpo tremia de prazer e meu coração batia acelerado.

Assim que ela terminou, mordeu meu lábio e se levantou da cama, me olhou com um sorriso e disse:

-Agora eu posso tomar banho!! –disse assim que entrou no banheiro

Eu apenas ri e me levantei para vestir minha calça, corri para a sala e busquei a lingerie dela que havia ficado no sofá. Quando retornei ao quarto decidi dobrar a roupa que Alice havia tirado e jogado na cama toda amontoada; enquanto o fazia o celular dela vibrou e ascendeu a tela com “Nova Mensagem” e como sempre mexemos no celular uma da outra, não vi problema em abrir a mensagem; ou pelo menos não via até ler a mensagem inteira

-Ei!

-Ai não tô pra papo hoje!!

-O que aconteceu?

-Nada..

-Fala!

-Fernanda fez merda de novo!

-Ela sempre faz né? Mas não fica assim, esfria a cabeça!

-Difícil!

-Olha que tal a gente sair mais tarde, assim você esquece um pouco isso!

-Quero ficar sozinha!

-Isso só piora, você sabe né?

-Eu sei eu sei..

-E então?

-Vou pensar, depois te falo!

...

-E ai minha gata, posso te buscar pra gente sair?

E meu dia acabou por ali; eu estava me sentindo mal por ter me preocupado tanto com ela pra no final descobrir que para a minha namorada eu era a vilã e que de todas as pessoas no mundo para quem ela poderia desabafar, ela escolheu justo o Felipe.

 


Notas Finais


TBC.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...