História Sentimentos ao Contrário - Capítulo 14


Escrita por:

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Cascão, Cebola, Denise, Do Contra, Magali, Mônica, Nimbus, Personagens Originais, Xabéu, Xaveco
Tags Cascali, Cebonica, Do Contra, Original, Romance, Tmj, Xavenise
Visualizações 94
Palavras 2.043
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Ola pessoal, como estão?
Como prometido, estou postando mais um capítulo essa semana, espero que gostem ^^
Boa leitura <3

Capítulo 14 - Promessa


Fanfic / Fanfiction Sentimentos ao Contrário - Capítulo 14 - Promessa

 

Era 13:20 h quando Alice saiu rumo a casa de DC. Ainda estava incerta sobre se deveria mesmo sair, Gustavo detestava que ela saísse de casa sem ele, a não ser para ir à escola, e não fazia tanto tempo assim desde que passou o dia na casa da Denise sem que ele soubesse, não queria dar nenhum motivo para deixa-lo com raiva de novo, mas ela precisava dedicar-se àquele trabalho, afinal não havia coisa pior para ela do que tirar uma nota baixa.

Chegou em frente a porta da casa de DC às 13:26 h, e estava incerta sobre se deveria bater na porta ou mandar uma mensagem o avisando que chegou, nunca tinha entrado na casa dele antes e estava um pouco nervosa com isso. Decidiu por fim enviar uma mensagem, mas assim que retirou o celular do bolso a porta a sua frente foi aberta revelando Nimbus, que agora a olhava curioso sem saber oque ela fazia parada ali.

-Ola – cumprimentou Alice um pouco constrangida.

-Ola… - respondeu Nimbus esperando que Alice lhe desse alguma explicação sobre o porque estava ali, mas vendo que a garota se mantinha calada, prosseguiu – posso te ajudar em alguma coisa, ou é só um hobby seu ficar plantada em frente a porta dos outros? - brincou fazendo Alice rir.

-Na verdade amo imitar plantas na frente da casa dos meus amigos, faço isso desde criança – entrou na brincadeira Alice – mas na verdade estou aqui hoje para ver o DC…

-Sério?! - interrompeu-a Nimbus - Eu sabia que vocês dois tinham alguma coisa, ele sempre negava falando que eram só amigos, mas eu sabia que tinha alguma coisa a mais ali, todo mundo vai ficar super feliz ao saber.

-Inclusive eu – disse uma voz feminina vinda de dentro da casa, fazendo Nimbus abrir mais a porta e sair da frente da mesma, revelando uma mulher quase da mesma estatura de Alice, aparentando ter por volta de seus 40 e poucos anos, com feições orientais bem destacadas, cabelos negros lisos e na altura do ombro, que caminhava toda sorridente na direção da Alice – Estou muito feliz que o meu Mauricio tenha arrumado uma nova namorada, e olha só como você é linda – disse se aproximando mais de Alice a analisando.

-Er… Obrigada, mas eu não sou namorada do Mauricio, nós somos só amigos – explicou Alice, já muito constrangida com a situação.

-Gente olha só as horas, o papo tá bom, mas já estou atrasado para ir me encontrar com a Ramona, então, até mais tarde – despediu-se Nimbus já se afastando de sua casa vendo o quanto aquela situação estava ficando constrangedora e arrumando uma desculpa para se retirar dali o mais rápido possível.

-Vamos entrando minha querida – disse dando espaço para que Alice entrasse e fechando a porta logo em seguida – eu sou a Keiko, mãe do Mauricio e do Nimbus e estou muito feliz em te conhecer, nem acredito que estou conhecendo minha nova norinha.

-Muito prazer Dona Keiko, eu me chamo Alice, mas como já disse, eu e o DC não somos namorados, eu me mudei para o bairro faz pouco tempo e ele foi um dos primeiros amigos que fiz, mas nosso relacionamento é só de amizade mesmo, nós estudamos na mesma sala e só vim aqui porque temos que fazer um trabalho juntos – esclareceu Alice, estava tão nervosa na frente da mãe de DC que acabou falando muito rápido e sem parar.

-Não precisa ficar nervosa Alice, não sou o tipo de sogra chata, nem que tem ciúmes dos filhos, vem vou te levar até o DC para vocês “fazerem o trabalho” - disse fazendo o sinal de aspas com as mãos no final da frase e lançando um olhar cumprisse a Alice.

-Mas… - antes que Alice negasse novamente sobre o namoro deles Dona Keiko lhe lançou um olhar deixando claro que não importava oque Alice dissesse ela não acreditaria, fazendo Alice desistir de falar e apenas a seguir.

Subiram as escadas rumo ao primeiro andar da casa e pararam em frente a uma porta de madeira com uma placa colada onde se lia: “Não entre! Ou entre, sou só uma placa mesmo, não um policial”, Alice não pode conter uma pequena risada ao ler aquela placa, logo em seguida Dona Keiko deu três batidas rápidas na porta a abrindo sem esperar uma autorização, com aquele tipo de placa colada na porta, Alice não estranhou esse gesto. Dona Keiko já foi entrando no quarto dando espaço para que Alice a seguisse, mesmo aquela sendo a primeira vez que Alice entrou no quarto de um homem que não fosse seu irmão, ela não reparou na decoração do local, pois seus olhos se fixaram direto em DC, ela não pode deixar de reparar o quanto ele estava lindo deitado em sua cama todo distraído e confortável, ela podia passar horas apenas o olhando.

-Mauricio sua namorada veio aqui fazer um trabalho de escola com você, achei ela muito linda e educada filho, parabéns. Vou só ali na cozinha fazer um suco pra vocês, podem ficar a vontade, mas quero a porta do quarto aberta hein? - disse Dona Keiko, piscando para Alice quando saía do quarto já de costas para DC, evitando assim que o filho visse o gesto, e só deixando Alice mais constrangida ainda, como se a mãe de Do Contra tivesse a pegado no flagra tendo aqueles pensamentos.

Alice e DC se encaravam extremamente corados, ambos sem saber oque fazer, Alice permanecia imóvel no mesmo lugar que estava quando Dona Keiko deixou o quarto, já DC não se encontrava mais deitado, mas sim sentado em sua cama, porém foi Alice quem quebrou o silêncio.

-Eu disse pra sua mãe que não somos namorados, que somos só amigos, mas ela parece não querer acreditar – tentou explicar nervosa antes que DC pensasse que foi ela quem se apresentou como sua namorada, quebrando o contato visual entre eles e olhando para o chão ainda muito constrangida enquanto dizia essas palavras.

-Eu já imaginava, desculpa pela minha mãe, ela não tem muita noção às vezes – disse DC também constrangido se levantando da cama e indo em direção de onde Alice estava, mas no meio do caminho mudou de ideia e deu meia volta nervoso, seguindo em direção do lado oposto do quarto, deixando assim os dois o mais distante possível dentro daquele comodo.

DC não entendia o porque estava tão nervoso, e nem sabia oque fazer naquela situação, já teve outras garotas em seu quarto, embora a porta sempre fosse mantida aberta e nunca tenha feito nada demais, o máximo que já aconteceu ali foram alguns selinhos que deu quando namorava a Monica, mas mesmo quando era a sua ex namorada que estava ali, ele nunca se sentiu tão perdido e nervoso como se sentia naquele momento.

-Podemos ir para a sala, ou algum outro lugar para gente começar a planejar o trabalho – propôs Alice, ela sentia que ia explodir se continuasse naquele quarto sozinha com DC.

-Claro, vamos – disse DC já andando em direção a saída do quarto, deixando que Alice saísse primeiro, e agradecendo mentalmente por ela sugerir aquilo.

Eles já estavam na sala agora, sentados no sofá o mais distante possível um do outro, embora já estivessem mais calmos ainda se mantinham calados, o silêncio só foi quebrado quando a mãe do DC entrou no comodo carregando uma bandeja com uma jarra de suco e dois copos já cheios.

-Pensei que ainda estivem no quarto, melhor que eu não preciso subir as escadas com essa bandeja, não que isso fosse um problema – disse distraidamente – fiz um suco de maracujá natural bem forte pra vocês, espero que gostem – falou deixando a bandeja em cima da mesa de centro e entregando um copo para cada um.

-Muito obrigada Dona Keiko, esta uma delícia – agradeceu Alice após experimentar o suco, e agradecendo mentalmente pelo sabor escolhido, já que era aquilo que precisava para relaxar.

-De nada querida, acho que esse suco vai ajudar vocês a se concentrarem no trabalho – disse dando uma risadinha simpática e saindo do lugar.

-Quer mais? - ofereceu DC, que em menos de 5 segundos já tinha bebido todo o conteúdo do seu copo enquanto Alice ainda estava na metade, vendo que ele se servia de mais, antes que pudesse terminar de encher seu copo, Alice bebeu todo o liquido restante do seu de uma única vez e o estendeu para que ele o enchesse novamente.

Após acabarem com a jarra de suco, ambos estavam mais calmos e confortáveis, estavam sentados mais perto um do outro, embora não se tocassem e já conversavam normalmente.

-Acho que antes de escolher a música, temos que saber qual é o nível de inglês de cada um, assim qualquer coisa podemos escolher uma canção pequena e com um refrão fácil que se repita bastante, oque você acha? - perguntou Alice dando início as discussões sobre o trabalho.

-Por mim tudo bem, sou fluente em inglês, então não vejo problema em cantar a maior parte da música também se você não se sentir segura.

-Sou fluente também, então acho melhor cada um cantar metade da música que a gente vai escolher e cantarmos juntos o refrão, já que a professora de inglês vai avaliar a nossa apresentação individualmente.

-Acho que nós precisamos escolher a música primeiro, ver como é o arranjo e depois decidir quem vai cantar cada parte. A gente pode focar hoje só em decidir a música e depois podemos ir para a garagem ensaiar lá, já que a acústica é melhor, e meus instrumentos ficam lá.

-To sendo muito apressada né? Tudo bem então, vamos fazer como você falou, mas eu não me lembrava que você tocava, qual é o seu instrumento?

-Acho que nunca conversamos sobre isso, na verdade toco muitas coisas, mas minha especialidade é a bateria, embora também toque bem violão e guitarra – explicou DC.

-Você poderia me ensinar a tocar bateria, sempre tive muita vontade de aprender, mas nunca tive a oportunidade – disse Alice animada – digo, se você quiser e tiver tempo lógico – terminou um pouco acanhada após perceber que podia ter exagerado um pouco na empolgação.

-Não sei se serei um bom professor, mas adoraria te ensinar – respondeu DC rindo da reação da garota.

-E você podia também tocar violão na nossa apresentação, já que vamos cantar em dupla acho que uma coisa mais acústica vai se destacar melhor, acho que não são muitos que vão usar instrumentos, então acho que temos até chance de ganhar esse prêmio misterioso, imagina só? - disse sonhadora.

-Acho que você está se adiantando demais de novo, você ainda nem ouviu a minha voz cantando pra saber – repreendeu-a, embora tenha feito isso com um sorriso nos lábios ao ver toda aquela euforia com que Alice falava.

-Foi mal, você tem razão, acho que fui longe demais de novo – desculpou-se Alice - Sabe, na minha antiga escola eu nunca participava desse tipo de evento, qualquer coisa relacionada as artes eu era logo descartada, às vezes eu até me candidatava para alguma apresentação, mas como eu não fazia parte do grupo certo, não tinha chances de fazer nem as audições - confessou Alice, lembrando-se de como era a sua vida na antiga escola - mas em compensação sempre que havia algum campeonato de ciências eu vencia todos, acho que isso me afastava mais ainda do grupo artístico da escola, eles não queriam sua imagem associada a uma nerd sem graça, eu até entendo isso sabe, mas a verdade é que sempre gostei de cantar, sempre quis atuar e ate mesmo dançar, embora eu seja completamente desengonçada e não tenha ritmo nenhum, mas sempre desejei conhecer esse outro lado das coisas, experimentar um lado diferente da escola que não foque só em livros e cálculos – revelou distraída, como se não desse importância para aquilo, embora fosse obvio que se importava, enquanto DC a olhava fixamente assimilando cada palavra.

-Está decidido então, vou te apresentar a todo o mundo da arte que conheço, e oque eu não conhecer, conheceremos juntos, e não só isso, se é importante para você, prometo que vamos ganhar essa apresentação – disse DC decidido e determinado enquanto Alice o encarava emocionada, com os olhos brilhantes e um sorriso bobo nos lábios.


Notas Finais


E ai oque acharam?
Pra quem achou a reação da mãe do DC meio exagerada em relação a Alice, prometo que no decorrer da história vocês vão entender o porquê da Dona Keiko ter ficado tão feliz ao conhecer Alice e achar que ela é a namorada de seu filho.
Mas e então, depois dessa promessa o DC foi perdoado por como tratou a Alice no capítulo anterior? Achei fofo ^^

Até o próximo capitulo pessoal, nos vemos nos comentários <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...