1. Spirit Fanfics >
  2. Sentimentos ao Vento >
  3. Capítulo Único

História Sentimentos ao Vento - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá, Minna-chan.
Essa é a primeira One que escrevi na vida e também a minha primeira UlquiHime ♥
Então peço desculpas por qualquer erro.
Ah, e lembrando que essa fic também foi postada no Nyah, por "Lost Angel."
Enfim, boa leitura:

Capítulo 1 - Capítulo Único


O grito da jovem de cabelos laranja ecoou por todo o quarto. Acordou assustada, com seu coração batendo de maneira acelerada em seu peito. Sua mão estendida para o nada.

Já fazia dois meses desde que a batalha de inverno terminara. Tudo estava como deveria ser. Menos para Orihime. Desde que fora resgatada do Hueco Mundo sentimentos estranhos tomavam conta de si. Todas as manhãs acordava gritando, o coração ameaçando saltar pra fora do peito, e com a mão estendida para o nada. O mesmo sonho, ou deveria chamar de pesadelo?, A atormentava noite após noite.

Sempre que fechava os olhos via Ulquiorra se desfazendo em pó enquanto tentava segurar em sua mão. Enquanto tentava sentir seu coração.

Por vezes havia passado por sua cabeça como seria se ele ainda estivesse vivo. Será que veria visitá-la? Poderiam conversar horas e horas, embora ele preferisse o silêncio.

Sempre que via alguma coisa demasiada bonita, pegava-se pensando o que ele acharia.

Muitas vezes apenas encarava o nada enquanto seus pensamentos vagavam até ele. Chegou até a se perguntar se poderia usar seus poderes para trazê-lo de volta á vida. Mas... O que diria a seus amigos? Não poderia simplesmente dizer para eles que havia trazido dos mortos um poderoso inimigo. E Ulquiorra? Como reagiria ao saber que a humana que havia capturado o trouxera de volta á vida?

Orihime balançou a cabeça negativamente tentando afastar tais pensamentos. Trocou de roupa e após o café da manhã resolveu sair para dar uma volta. Apesar de ter aula, resolveu faltar. Precisava organizar seus sentimentos e descobrir que sentimento era aquele que preenchia seu peito sempre que pensava nele. Precisava saber porque aqueles pesadelos a atormentavam tanto. Quando passou em frente a casa de Ichigo deixou escapar um sorriso irônico de seus lábios. Tempos atrás seus pensamentos estariam concentrados completamente nele. Por que as coisas eram diferentes agora? Não podia negar que sentia uma forte dor lhe acertar quando se lembrava dos melancólicos e profundos olhos verdes. Doía pensar que nunca mais veria aqueles olhos. Mas... O que poderia ser isso? Sempre que pensava no assunto, embora procurasse evitar, encontrava apenas uma palavra como resposta: Amor.

Mas... Como isso poderia ter acontecido? Ele a havia raptado, a feito abandonar seus amigos e tudo que mais amava. Como agora a única dor que sentia quando o assunto era ele vinha do fato de estar morto? Como poderia ter se apaixonado pelo inimigo?

Não importava o quanto pensasse não encontrava uma resposta reconfortante.

Dando uma pequena olhadinha em um casal que passara de mãos dadas perto de si, Inoue se perguntou se, no final, Ulquiorra havia mesmo descoberto o que era um coração. Pesar de ter visto a resposta em seus olhos segundos antes de ele desaparecer, perguntava-se como ele havia se sentido em relação isso. Quando ele lhe estendeu a mão, estaria ele confiando-lhe seu coração?

Em um lampejo de tristeza e saudade imaginou-se por um momento de mãos dadas com Ulquiorra. Mas logo uma lágrima escorreu por seu rosto o lembrar que ele havia ido antes mesmo que ela pudesse tocar-lhe.

A lágrima que escorrera pela face da garota espatifou-se ao atingir uma pequena poça de água. Orihime, cansada então de negar seus sentimentos resolveu voltar para casa.

Durante a noite a chuva despencou sobre a cidade de Karakura, enquanto Orihime observava tudo pela janela de seu quarto.

“O que será que ele acharia da chuva se estivesse aqui?” pensouEnquanto a chuva desabava lá fora um pensamento cruzou a mente de Orihime. Uma vez havia lido em um antigo livro de lendas que se uma lágrima sincera de um humano cai em uma gota de chuva, o humano pode fazer um pedido.

A garota de cabelos laranja correu até a janela, abriu-a e deixou que uma de suas lágrimas caísse por cima de uma gota de chuva que se alojara por ali.

“Por favor, traga-o de volta para mim.” – pediu em uma onde de adrenalina o mesmo tempo que um relâmpago cruzava o céu.

“Que idiotice. Acreditar em uma lenda boba.” – repreendeu-se logo em seguida.

Orihime então resolveu se deitar.

Naquela noite não houve pesadelos.

No dia seguinte, entranhando por não ter tido nenhum sonho, Orihime levantou-se para tomar seu café da manhã. Estava ainda a preparar o café, encostada na beira da pia, quando ouviu uma voz rouca sussurrar em seu ouvido:

– Espero que tenha cuidado bem de meu coração, Mulher.


Notas Finais


E é só isso, por enquanto. Talvez no futuro eu escreva uma long-fic sobre este casal, mas ainda é algo incerto.
Espero, do fundo do meu coração, que tenham gostado.
Beijos e até uma próxima vez ^-^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...