História Sentimentos de Cristal - Capítulo 8


Escrita por:

Postado
Categorias Naruto
Personagens Hinata Hyuuga, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasori, Sasuke Uchiha
Tags Amor, Naruto, Romance, Sakura, Sasori, Sasorixsakura, Sasosaku
Visualizações 61
Palavras 6.285
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção Adolescente, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


E aí, galera?...
Tudo bem com vocês?
Eu não sei se eu tenho algum direito de me desculpar... Já faz muito tempo que não posto nada aqui, na verdade, faz meses... Aconteceram inúmeras coisas na minha vida que me impediram de estar presente aqui, mas, se tudo der certo, em breve tudo estará melhor...
Enfim, eu vou voltar com toda certeza a publicar esta fic., talvez 1 ou 2 vezes na semana, mas prometo não deixar de postar...
Desculpem por tudo mesmo! Boa leitura, e um enorme beijo. 💖

Capítulo 8 - Emoções


Cerca de 1 mês depois

Dia 21 de Maio, 2016. 9:50 da manhã.

* Sakura's POV on *

— Sakura, você está bem? — Ino perguntou segurando uma das minhas mãos.

Eu não estava nada bem.

— Es-Estou sim, por quê? — Menti fingindo estar bem.

— Amiga, você está pálida e tremendo. — Hinata comentou com os olhos arregalados.

De novo essa sensação, droga.

Saí correndo procurando o banheiro mais próximo, por sorte, como estávamos no pátio central, havia um banheiro há poucos metros dali. Dei graças a Deus por ter conseguido chegar a tempo, me tranquei em uma das cabines e pela terceira vez desde ontem eu vomitei... Eu estava achando aquilo estranho demais, cheguei até a cogitar que fosse por causa dos testes bimestrais que começaram hoje, mas eu nunca fiquei nervosa por conta de prova nenhuma... Também pensei que pudesse ser por conta de algo que comi, mas eu não comi nada de diferente, e nem tive febre, dores de barriga ou outros sintomas que pudessem indicar alguma virose...

Depois de me recompor, destranquei a porta e me deparo com Ino, Hinata, Tenten e Temari me encarando.

— Ah! — Gritei levando um pequeno susto.

— Você está bem mesmo, Sakura? — Ino perguntou desconfiada.

— Si-Sim... — Respondi indo até a pia lavar minhas mãos.

— Sakura, você está doente? — Tenten perguntou.

— A minha saúde está ótima, meninas. — Respondi secando as mãos.

— Então por que estava vomitando? — Temari perguntou direta.

— E-Eu... — Não soube responder.

— Sakura, você por acaso está... — Cortei Hinata antes que ela terminasse a frase.

— Não ouse falar besteiras, Hinata! — Respondi séria e saindo do banheiro.

Grávida. Com certeza é isso que ela iria falar, uma menina não pode nem mais ficar enjoada que já pensam isso... O Naruto me garantiu que eu não precisava me preocupar com isso, então por que eu também acho que há essa possibilidade?...

O sinal felizmente bateu, tínhamos prova de geografia agora, talvez com o tempo elas esqueçam dessa maluquice...

Durante a prova eu não conseguia me concentrar direito... Por que eu estava com um pressentimento horrível!?

Terminei a prova e acho que tirei no máximo um 7... Isso vai me ferrar muito no futuro, Sakura, sua maluca, por que está tão preocupada com algo que não está acontecendo!?

— Sakura? — Tenten me chamou me olhando.

— Depois a gente conversa, o professor vai chamar nossa atenção se vir a gente conversando. — Respondi baixinho olhando para meu caderno.

— Sakura, a aula acabou tem uns 5 minutos, nós estamos esperando você guardar suas coisas... — Hinata respondeu com a mochila nas costas, na verdade, todas estavam com as mochilas nas costas, menos eu...

— Ah, claro, gente, eu estava só brincando... — Falei rindo sem-graça guardando minhas coisas rápido.

— Então... — Temari falou um pouco desconfiada. — Você vai pra casa da Tenten com a gente hoje, né? A avó dela fez aquela lasanha maravilhosa de novo, e aí vamos ficar pra estudar pras provas de amanhã. — Por que eu me senti tão mal só em lembrar o cheiro da lasanha?... Eu amo lasanhas! Ainda mais da avó da Tenten.

— Claro que eu vou. — Disse já me levantando com todas as minhas coisas guardadas.

As meninas me olharam estranho várias vezes, eu disfarcei e fingi que não vi, afinal, não estava acontecendo nada, não havia motivos para me olharem desse jeito... Entramos no carro da Temari e no trajeto conversamos sobre coisas idiotas. O apartamento de Tenten era perto da escola, em menos de 10 minutos já estávamos lá.

— Sua mãe não está em casa? — Hinata perguntou para Tenten quando estávamos no elevador.

— Não, ela volta só tarde, foi sair com as amigas para compras, acho que sua mãe foi também, Ino. — Tenten comentou indiferente.

— E eu lá sei da vida da minha mãe? — Ino comentou rindo, mas no fundo sei que ela estava triste.

Chegamos no andar da casa de Tenten, e ela logo destrancou a porta.

— Esquenta logo a lasanha que eu estou morrendo de fome! — Temari disse jogando sua mochila na mesa e tirando os sapatos.

— Pode deixar! — Tenten concordou indo pra cozinha.

Eu, Hinata e Ino ficamos na sala já arrumando alguns materiais, íamos almoçar e estudar logo depois do almoço, vamos ter prova de geometria, álgebra e física 4 amanhã... Não vai dar tempo de descansar não... Não demorou muito e o cheiro da lasanha no forno começou a ficar forte.

— Tenten, já não está pronto não? — Perguntei sentindo umas tonturas e me sentando no sofá.

— Está quase! — Ouvi ela gritando da cozinha.

O cheiro foi ficando cada vez pior, eu senti uma estranha angústia pelo cheiro, me sentia fraca...

— Sakura!? — A última coisa que eu me lembro foi de ouvir a Hinata me chamando, depois tudo ficou muito escuro.

Dia 21 de Maio, 2016. 14:35 da tarde.

— Ela está acordando! — Ouvi alguém de longe chamar.

Abri meus olhos pouco a pouco, até que consegui abri-los por completo. Eu estava em um...

Hospital!?

— Como você está, Sakura!? — Hinata me perguntou preocupada.

— Por que estou aqui?... — Perguntei tentando inutilmente me sentar.

— Você desmaiou então te trouxemos para cá... — Ino respondeu me olhando.

— Mas... Eu estou bem? — Perguntei preocupada comigo mesma.

— O médico pediu pra avisar quando você acordasse para ele dar resultados dos seus exames, eu vou chama-lo. — Tenten disse saindo do quarto.

— Exames!? — Perguntei assustada.

— Como você chegou aqui desmaiada acharam que você deveria estar com baixas taxas de glicose e pressão baixa, então fizeram alguns exames enquanto você estava desacordada. — Temari respondeu séria.

— Entendo... — Eu desmaiei?... Eu já desmaiei alguma vez na minha vida!?

— Sakura Haruno? — Ouvi uma voz grave me chamar, era o médico. — Sente-se melhor? — Ele perguntou se aproximando.

— Sim... — Respondi o olhando.

— Minha querida, você está ótima. — O médico respondeu simpático. — Você apenas teve um pequeno desmaio, mas é normal na sua situação, não precisa se preocupar.

— Na-Na minha situação?... — Perguntei com os olhos arregalados.

— Claro, gravidez gera todos estes sintomas mesmo, mas não se preocupe, seu bebê está ótimo.

— Bebê?... — Perguntei após várias lágrimas saírem dos meus olhos.

— Você ainda não sabia?... — O médico me perguntou surpreso.

— Doutor, por favor, podemos ficar um pouco a sós com ela? — Ino perguntou desesperada e o médico apenas deixou o quarto.

— Eu-Eu Estou grávida!? — Perguntei pra mim mesma chorando compulsoriamente.

— Sakura, fica calma! — Ino disse segurando minhas mãos e logo todas as outras meninas também vieram ficar bem próximas a mim.

— Como vou ficar calma?... — Falei respirando com dificuldade. Não era possível! Não! Sasuke, você conseguiu piorar tudo!

— Amiga, você precisa se acalmar primeiro... — Hinata disse gentilmente me abraçando.

— Nós não vamos sair do seu lado, Sakura! — Temari disse confiante.

— Eu estou grávida... — Era tudo que eu conseguia dizer e repetir para mim mesma.

— Sakura, está tudo bem, vamos sair do hospital e conversar sobre, tudo bem? — Tenten perguntou tentando manter a calma.

Na verdade, todas demonstravam estarem calmas, mas ninguém estava.

— Tenten, pergunta ao médico se a Sakura está de alta, precisamos ir pra sua casa. — Ino disse segurando as lágrimas.

As meninas que ficaram me abraçaram forte e ficaram o tempo todo dizendo para que eu me acalmasse, e eu simplesmente não conseguia... Eu já estava bem, a escola inteira já tinha se esquecido do que aconteceu comigo e com o Sasuke, eu estava feliz de novo... E agora, agora ele me faz isso!? Aquele babaca usou que camisinha!?

— Ela está liberada, vamos. — Tenten disse entrando no quarto de novo e as meninas me ajudaram a me levantar.

Eu estava me sentindo bem fraca, e agora estava tremendo demais e eu não conseguia pensar em nada! As meninas me guiaram até o carro e Hinata e Ino não me soltaram nem por 1 minuto, me abraçavam forte e eu chorava igual uma louca. Chegamos na casa de Tenten de novo e elas me colocaram no sofá.

— Eu vou pegar uma água pra ela. — Temari disse indo até a cozinha.

— Sakura, você quer se deitar um pouco ou algo assim? Quer que a gente pegue algo pra você? — Ino perguntou preocupada.

— Não... — Disse secando as lágrimas. — Não adianta eu fugir disso, é real e a gente precisa resolver. — Falei me recompondo.

— O que você tem em mente, Sakura? — Hinata perguntou me olhando.

— Você pensa em não ter esse filho? — Tenten perguntou um pouco incomodada.

— Não... — Disse balançando a cabeça negativamente. — Eu jamais faria um aborto ou algo assim, vocês sabem a minha opinião sobre isso. — Falei séria.

— Mas esse filho é resultado de um estupro, Sakura. — Temari disse chegando me dando uma água.

— Eu sei, eu sei... — Respondi bebendo um pouco. — Mas mesmo assim essa criança não tem culpa... Eu não tenho coragem de fazer algo assim, não mesmo...

— Então você vai ter que falar com o Sasuke... — Ino concluiu me olhando.

— E é isso que eu vou fazer... — Disse convicta. — Vocês têm ideia de onde ele possa estar agora? — Perguntei me levantando.

— Você vai falar com ele agora? — Hinata perguntou surpresa. — Sakura, você acabou de descobrir! Não quer esperar se acalmar um pouco?

— Quanto antes eu resolver essa situação em relação ao Sasuke menos problemas eu terei. — Respondi séria. — Alguém tem pelo menos uma noção de onde ele está?

— Os meninos e aquelas garotas meio piranhas iam ficar na escola pela tarde para "estudar", o Gaara está lá então o Sasuke também deve estar. — Temari respondeu.

— Ótimo. — Disse indo até a porta.

— Espera aí! Você não vai sozinha! —Ino disse alto antes que eu saísse.

— Já são mais de 15:00 hrs, vocês precisam estudar pra prova de amanhã! — Falei tentando não prejudica-las.

— A gente vira a noite estudando ou tiramos 0, mas você não vai sozinha de jeito nenhum! — Tenten disse firme e as outras meninas concordaram com ela.

Eu apenas concordei e chorei um pouco pela atitude delas, será que os hormônios já estão me deixando mais sensível?

Temari pegou a chave do carro dela e no caminho ligou pro irmão dela, ela apenas perguntou se o Sasuke estava na escola, após Gaara dizer que sim ela desligou na cara dele e seguimos para a escola no máximo de velocidade possível permitida na rua.

Eu era pra estar mais nervosa em relação a essa situação toda... Mas acho que no fundo eu sabia, com certeza eu sabia... E não há muito o que fazer, ainda vai levar uns 8 meses para a criança nascer, por enquanto eu preciso resolver as coisas com o maldito pai do meu filho... Meu filho... É estranho pensar isso... Mas independente de tudo, eu não vou ser humilhada mais uma vez! Existe outra vida que depende de mim, e o Sasuke não vai sair dessa.

— Quer que a gente entre com você? — Ino me perguntou quando chegamos na escola.

— Não. — Disse saindo do carro. — Eu não demoro, fiquem aqui que dependendo da resposta dele eu tenho um plano B.

Disse deixando as meninas confusas, mas eu depois as explicaria.

Entrei em KH e fui correndo pra sala de estudos da nossa série, a cada passo que eu dava meu coração parecia bater mais forte, eu estava nervosa por causa da gravidez ou por que eu ia falar com o Sasuke?... Eu não sei... Só sei que eu preciso fazer isso, eu não posso passar por isso sozinha...

— Sasuke! — Disse alto na porta da sala chamando a atenção do mesmo. — Eu preciso falar com você, é sério e se você não vir eu vou até você. — Falei séria indo até o corredor esperando que ele saísse da sala.

Os outros alunos me encararam surpresa pelo meu tom de voz, e eu fiquei no corredor encostada na parede tentando não chorar e não ficar maluca...

— O que quer? — Ele me perguntou um pouco confuso me olhando curioso.

— Sasuke, eu tenho uma coisa muito séria para falar com você, e eu preciso que você preste atenção. — Eu disse séria.

— Fala logo, então. — Ele colocou suas mãos nos bolsos da calça e esperou pela minha fala.

Eu respirei fundo e depois de alguns segundos, consegui ter coragem.

— Eu estou grávida. — Falei sem olhar pra ele.

Ele ficou um tempo em silêncio e então eu fui olhar pra ele.

— E... O que eu tenho com isso? — Ele perguntou se fazendo de sonso.

— Como assim!? — Falei com raiva. — Você é o pai!

Sasuke me encarou alguns segundos e eu não mudei a minha expressão séria, após nos encararmos alguns segundos ele começou a rir descontroladamente.

— Sakura... — Ele disse terminando de rir. — Você acha que eu sou idiota? O golpe da falsa gravidez é tão antigo... Eu usei camisinha, sua tonta, é impossível você estar grávida. — Ele finalizou me olhando em tom de deboche.

— Você realmente acha que eu estou brincando, Sasuke? — Olhei em seus olhos com seriedade.

— Se for verdade, e você realmente estiver grávida. — Ele se aproximou de mim e se abaixou um pouco, ficando da minha altura. — Este filho não é meu.

— Seu... — Meus olhos se encheram de raiva, e minha vontade era de voar no pescoço do Sasuke e tirar a vida deste desgraçado.

— Ah, Sakura, nem vem! Olha só... — Ele disse assumindo uma postura menos séria. — Foi legal a nossa noite e tal, você é uma menina bonita e inteligente, então me esquece e não fica inventando coisa pra me agarrar a você porque eu NUNCA vou ser seu "namoradinho perfeito." — Após finalizar a frase ele saiu da minha frente e voltou pra sala, sem me dar mais nenhuma satisfação e sem nem se importar com o meu estado.

— Ele... — Uma lágrima escorreu do meu olho, mas não era uma lágrima de tristeza, mas sim de ódio. — Ele me paga!

Virei as costas e voltei para o carro de Temari, eu estava com tanto ódio do Sasuke que eu nem sabia se eu deveria pôr em prática o meu plano B... Ou se eu simplesmente deveria seguir em frente sem o intrometimento dele e da família dele na vida do meu filho... Mas quem dera este fosse meu maior problema... O pior de todos são meus pais... O que eu vou dizer!?

— Como foi? — Ino me perguntou quando eu entrei bruscamente dentro do carro.

— Sasuke é o maior filho da puta, babaca, nojento, ridículo, imaturo e imbecil de todo o mundo! — Disse com os punhos cerrados sob a minha testa. — Acreditam que ele disse que eu estava fingindo estar grávida? E depois disse que se for mesmo verdade o filho não é dele! — Falei com raiva.

— Esse daí não muda mesmo... — Ino falou decepcionada.

— O que pensa em fazer então, Sakura? — Hinata perguntou séria. — Não importa o que a gente faça, pelo visto conversar com o Sasuke não vai adiantar muito...

— A gente deveria imaginar que a reação dele seria algo assim... — Tenten prosseguiu séria. — Vai colocar o seu tal plano B em ação?

— Aliás, Sakura, o que você planejou? — Temari perguntou abaixando o volume do som que estava ligado.

— Procurar a família do Sasuke. — Respondi pensativa. — Sasuke tem um irmão mais velho, além dos seus pais, só que os pais dele são pessoas muito ocupadas, vivem viajando, já seu irmão fica mais na empresa, então eu tinha pensado em falar com ele...

— E... Você acha que o irmão dele é idiota como o Sasuke? — Ino perguntou.

— Sasuke uma vez me disse que eles não se davam nada bem, ao menos que ele tenha mentindo novamente, ele deve ser uma boa pessoa. — A respondi.

— Vamos para a Uchiha Company, então? — Temari perguntou me olhando pelo espelho do carro.

— O que vocês acham? — Perguntei confusa, estava ainda um pouco insegura da minha ideia, e também muito nervosa...

— Eu acho que você deveria falar com ele, Sakura. — Hinata foi a primeira a arriscar dizer algo. — Você não tem nada a perder, e se você se sentir sem coragem de fazer isso por você, faça pelo seu futuro filho. — Ela disse sorrindo gentilmente.

— Hinata tem razão, Saky. — Ino continuou. — Nosso sobrinho ou sobrinha merece isso, e você é corajosa demais! Sei que vai conseguir. — Ino disse me animando.

— Mas pelo seu olhar parece que tem algo que te preocupa, não é, Sakura? — Tenten perguntou me olhando com carinho.

— Bem... — Confessei logo. — Eu estou um pouco preocupada em relação aos meus pais... — Disse suspirando, dizer esta notícia para os meus pais será como mata-los...

— Um problema de cada vez, Sakura. — Temari disse calma. — Você já é maior de idade, ainda que seja muito nova para ser mãe, seus pais já não podem mais decidir as coisas por você, depois você conta pra eles, na verdade, acho melhor que todas juntas contemos... E é melhor dizer toda a verdade...

— Dizer que eu fui estuprada, você quis dizer... — Comentei olhando para baixo.

— A gente pensa nisso amanhã. — Ino segurou uma das minhas mãos.

— Agora vamos resolver um problema primeiro. — Hinata disse segurando minha outra mão.

— Temari. — A chamei sorrindo. — Vamos para a Uchiha Company. — Falei confiante.

— Sim, senhora! — Temari respondeu rindo dando a partida no carro.

Itachi... Eu lembro! Sasuke me disse que este é o nome dele... Será que ele mentiu o nome do próprio irmão? Será que ele realmente tem um irmão!? Eu acho que eu só vou poder descobrir quando chegar lá... Como a Hinata mesma disse, eu não tenho nada a perder! Se ele realmente não existir, eu volto pra casa e penso em outra coisa... Voltar pra casa... Como eu vou conseguir voltar e encarar a minha mãe?... Calma, Sakura, calma. Uma coisa de cada vez, a sua mãe sempre quis ter netos, talvez ela não fique tão chateada... Ah, mas em que eu estou pensando!? Minha mãe quer sim ter netos, mas daqui uns 8 anos no mínimo! Ela vai é me matar... Enfim, eu preciso me focar em falar com o Itachi primeiro.

— Dessa vez nós vamos com você, Sakura! — Hinata disse séria quando chegamos.

— Não! Vocês vão pra casa, amanhã tem prova, meninas! — Falei em tom autoritário.

— Já te disse que a gente tira 0, não tem problema, Sakura! — Ino falou um pouco irritada.

— Ah é!? — Falei séria. — E como vocês vão explicar as notas pros seus pais? — Prossegui de forma imperativa. — O que vai dizer pro seu pai quando seu irmão for melhor, Temari? — Temari olhou pra baixo um pouco confusa. — E você, Ino, a única coisa que sua mãe quer saber de você são suas notas! Se você a decepcionar ela vai brigar com você até as próximas provas! — A loira virou a cara emburrada. — Tenten, eu nem preciso dizer nada, seu pai é Doutor em inúmeras áreas de exatas, só imagine o que ele faria com você! — Tenten fechou a cara triste. — E você, Hinata, sua família está em crise, a única coisa que seu pai quer são seus resultados, você quer dar mais um motivo pra ele se estressar? — Hinata balançou a cabeça negativamente. — Meninas... — Eu dei um suspiro. — Eu amo demais, todas vocês, mas vocês não podem esquecer do futuro de vocês, não é porque o meu está destruído que vocês precisam afundar junto! Sejam felizes, façam tudo aquilo que eu não fui capaz de fazer... — Finalizei triste.

— Não fala assim de você, Sakura, sua vida está apenas começando... — Hinata disse baixinho tentando me consolar.

— Obrigada, Hinata, mas não dá... Simplesmente, não dá, minha vida agora mudou por completo... — Disse me controlando para prender algumas lágrimas que queriam surgir. — Nos vemos amanhã na escola, meninas. — Disse saindo do carro. Elas murmuraram um "tchau" e eu entrei dentro daquela empresa. — Coragem, Sakura! — Disse para mim mesma e segui até uma recepção que havia ali.

— Posso ajudar? — Uma moça aparentemente simpática me perguntou quando cheguei perto do balcão.

— Eu... Eu queria, quer dizer, eu preciso muito falar com o Itachi. — Falei torcendo meus dedos para que ele existisse e que ele estivesse ali.

— Tem hora marcada? — Ela perguntou sorrindo.

— Bem... Não... — Respondi olhando para o lado.

— Querida, você é alguma coisa do Senhor Itachi? Amiga, namorada, conhecida...? — Ela perguntou tentando entender o porquê de eu estar ali.

— Eu na verdade nem o conheço. — Respondi e a mulher me olhou confusa. — Mas eu conheço o irmão dele! O Sasuke Uchiha, e é justamente sobre ele que eu preciso falar com o Itachi. — Falei sincera.

A moça me olhou por alguns segundos e nada disse. Ela olhou ao nosso redor olhando se havia alguma pessoa perto de nós, então logo prosseguiu.

— Olha, menina, o Sasuke é um garoto horrível que eu nunca entendi como é possível que ele seja irmão do Itachi, a julgar pela sua expressão eu imagino que o motivo seja sério. — Na mesma hora eu fiz uma expressão triste. — Então eu vou te ajudar. — Ela disse sorrindo.

— Mesmo!? — Perguntei abrindo um sorriso enorme.

— Anota seu telefone aqui. — Ela disse me dando uma caneta e um papel. — Eu vou te dar apenas um toque do telefone da empresa quando o Itachi estiver saindo, hoje ele sai mais cedo, então lá pelas 18:00hrs no máximo ele já saiu, você fica esperando na sala ao lado que é a sala de espera, venha correndo assim que eu te ligar. — Ela finalizou e eu entreguei o papel para ela.

— Eu nem sei como te agradecer. — Respondi olhando para a moça com sinceridade.

— O Sasuke merece uma lição, e se você fizer isso já está me retribuindo o favor. — Ela respondeu rindo. — E qual o seu nome?

— Meu nome é Sakura, Sakura Haruno. — Respondi. — E o seu?

— Me chame de Misaki. — Ela disse sorrindo. — Agora vá logo antes que os seguranças pensem que você veio aqui só para conversar... — Misaki disse olhando para os seguranças da porta que nos encaravam.

— Ah, certo, me desculpe, Misaki! — Disse ajeitando minha mochila nas costas. — Muito obrigada! — Falei por fim indo para a tal sala.

Sentei em uma das cadeiras que haviam livres, era uma sala bem grande, tinham dois corredores que davam em provavelmente outras salas, toda hora eu via homens e mulheres bem vestidos andando de um lado para o outro, e também muitos homens falando em celulares e pelo que eu escutava discutiam sobre bolsas de valores, empréstimos e investimentos... Me sentia uma verdadeira estranha ali... Decidi pegar meu caderno e ler um pouco, eram 16:40... Se Itachi sair daqui as 18:00, ainda dá pra estudar um pouco, ou pelo menos tentar, né...

Lia minhas anotações e parecia que eu não estava lendo era nada, eu não processava nada! Meu cérebro parecia que tinha parado... Que ódio! Guardei a droga do caderno e me sentei de braços cruzados esperando a hora passar... Comecei a ficar distraída nos meus próprios pensamentos, mas alguém me tirou dessa viagem que fazia na mente.

— Olá... — Essa voz... É... Aquela voz...

Olhei para o meu lado direito virando a minha cabeça com o maior impulso que consegui, não acredito... Era ele, em pé bem do meu lado...

— Você... — Disse com os olhos arregalados. Eu pensei... Que nunca mais fosse vê-lo...

O homem sentou-se do meu lado e deu um sorriso gentil. Meu Deus! Que sorriso!

— É bom te ver novamente... — Ele disse me olhando. — Fico feliz que dessa vez pelo menos eu não te derrubei... — Ele disse sorrindo me fazer corar na hora.

— Ah... Me desculpe sobre aquele dia... — Disse com vergonha sem conseguir encarar aqueles lindos olhos castanhos.

— Só te desculpo se você me disser seu nome. — Ele disse sem parar de sorrir, e meu corpo com certeza vibrou por inteiro ao escutar ele dizer isso para mim...

— Eu... Me chamo Sakura, Sakura Haruno. — Disse sorrindo levemente ainda vermelha.

— Nossa, como fui idiota. — Ele falou balançando a cabeça negativamente. — Fiquei muito tempo tentando adivinhar o seu nome e nem cogitei a possibilidade do seu nome referir-se à cor dos seus cabelos.

Tudo bem, agora eu acho que meu coração vai sair pela boca... Ele acabou de dizer que pensou no meu nome!? Será que... Tudo o que eu senti por ele, ele... Também sentiu por mim...?

— Ah, eu... — Gaguejei tentado falar algo. — Eu fiquei muito envergonhada pelo o que aconteceu, por isso saí daquela forma sem nem ao menos dizer meu nome... — Respondi o olhando um pouco mais intensamente, de perto eu vi como seu rosto é realmente perfeito... — Mas você não me disse seu nome. — Disse sorrindo.

— Ah... Meu nome é Sasori, Akasuna no Sasori. — Ele respondeu sem deixar de me olhar, e sem deixar de me fazer sentir àquelas mesmas sensações maravilhosas da primeira vez que o vi.

Nos encaramos por um tempo, saber o nome do homem que me fez sonhar várias vezes ainda era muito pouco, mas ainda sim, seu nome, mesmo que comum, parecia o nome mais perfeito do mundo, tudo nele é assim... Ele é milimetricamente perfeito... E era estranho o fato dele também me olhar, se ele realmente não sentisse nada por mim ele já teria no mínimo cortado esse clima, não? Então é isso... Finalmente eu descobri, é isso que é o tão falado amor... Não sei se o fato da gravidez ter subido as minhas taxas de hormônio tenham me feito ficar tão romântica, mas não acho que eles sejam capazes de me causar isso tudo. Não... É realmente real...

— É... Você trabalha aqui, Sasori? — Perguntei curiosa, sim, eu queria saber mais sobre ele.

— Trabalho sim. — Ele me respondeu com sua voz magicamente impecável. — Trabalho aqui há uns 3 anos, hoje eu sou chefe do Departamento de Software daqui... — Ele respondeu sorrindo.

— Mas você é tão novo... — Comentei surpresa, tudo bem que eu não sei a sua idade, mas impossível ele ter mais que 25 anos, no máximo!

— Eu tenho 23... É que eu estudei e me formei na escola junto com o filho do dono disso aqui. — Ele conhece então o Itachi... — Nós fizemos a faculdade muito cedo, e Fugaku acabou gostando do meu trabalho. — Ele finalizou mexendo um pouco em seus cabelos ruivos que aparentavam ser muito macios. — Mas chega de falar de mim, quem é você, Sakura? — Ele falou apoiando seu rosto em uma de suas mãos e me encarando de forma que eu corasse, demorei um pouco pra começar a falar devido seu olhar... — A julgar pelas suas roupas, você ainda deve ser uma estudante, estou certo? — Disse olhando rapidamente para meu uniforme.

— Eu estou no último ano de Konoha High... — Respondi desviando um pouco o olhar por causa da vergonha. — Eu tenho 17 anos e penso em cursar medicina. — Dei um sorriso mas ele logo se desfez. — No entanto, não sei se este sonho poderá ser realidade... — Finalizei olhando para baixo.

— E por que não? — Ele perguntou curioso.

— Aconteceram algumas coisas na minha vida, e eu não sei, não sei se vou poder fazer tudo que sonho... — Toquei levemente na minha barriga, mas Sasori não percebeu.

— Independente do que seja, você não deveria desistir dos seus sonhos. — Ele falou confiante me fazendo levantar a cabeça com o seu comentário. — A gente só vive uma vez, Sakura, desperdiçar as chances que a vida dá e sonhos que temos é a mesma coisa de dizer que não queremos viver. — Sua fala me admirou bastante, na verdade, apenas confirmou a minha tese de que Sasori é o homem mais perfeito que eu poderia conhecer... Eu estou sem palavras para descrevê-lo...

— Tem razão... — Concordei sorrindo.

— Sakura, eu... — Ele falou tomando uma postura mais séria. — Eu não sei direito como te dizer isso, mas... Aquele dia que você esbarrou em mim, eu não sinto que tenha sido a toa, eu não consegui tirar você da cabeça por vários dias, na verdade, até hoje eu pensava em você, e quando eu te vi mais uma vez eu precisava falar com você, eu não queria te ver mais uma vez e não ter a chance de te conhecer de verdade...

Quando Sasori terminou de falar eu senti que ele é realmente a cura para a minha doença, ele é a cura para toda essa tristeza que o mundo vem me trazendo... Eu não sei se é o destino, ou se foi apenas uma eventualidade da vida, mas eu não posso negar que Sasori é realmente alguém importante, não pode ser coincidência... Ele apareceu nos momentos em que eu estive pior, sua lembrança me confortou na minha mais profunda solidão, seu rosto me fez sorrir quando ninguém mais conseguiu, mesmo sem eu saber seu nome, quem ele era, mesmo sem saber nada: ele me salvou.

— Sasori... — O chamei gentilmente. — Você também me ajudou muito, você apareceu em horríveis momentos... Inclusive agora... — Chamei sua atenção nesta última parte. — Mesmo que você não saiba o quanto me ajudou, eu quero te agradecer, muito obrigada, de coração, por tudo. — Sasori sorriu bem sincero, e ele parecia que ia dizer algo, no entanto, antes que ele pudesse falar, senti meu celular vibrando, alguém me ligava. — Droga! — Disse baixo pegando meu celular. — Número desconhecido... — São 17:40, só pode ser o sinal! Arranquei uma folha rápido do meu caderno e peguei também uma caneta qualquer. — Sasori! Eu preciso muito ir, é urgente, esse aqui é meu número. — Disse o entregando a folha. — Me liga ou me manda mensagem mais tarde, eu preciso muito falar com você. — Finalizei sorrindo e dando as costas para ele.

Talvez ele tenha me respondido algo, mas não escutei, saí correndo daquela sala, eu precisava correr e encontrar Itachi...

— Ele foi para o estacionamento, é o primeiro corredor a esquerda, ele tem cabelos negros compridos, ande logo antes que seja tarde! — Misaki me falou quando cheguei na entrada do local, segui para o caminho que ela mandou.

No meio de um monte de carros, havia muitos homens e mulheres, mas eu consegui focalizar minha visão em um homem alto de cabelos negros, só pode ser ele...

— Itachi! — O chamei um pouco alto e o mesmo se virou pra mim. Ótimo... Era ele mesmo.

— Sim? — Ele me perguntou assustado quando eu parei em frente a ele respirando forte tentando recuperar o fôlego.

— Eu preciso muito falar com você! — Falei um pouco sem-graça, ele é a cara do Sasuke...

— Mas... Quem é você? — Sakura, sua anta, ele não te conhece... — Você estuda em KH? — Ele perguntou olhando para minha blusa.

— Sim! Eu sou Sakura Haruno, eu estudo em KH, na verdade, eu sou da mesma sala que o seu irmão, e é sobre isso que eu vim falar... — Na hora que eu mencionei o Sasuke, a feição de Itachi tornou-se mais séria.

— O que meu irmão fez? — Itachi perguntou sério.

— Bem, é que... — Era meio estranho contar a história toda para um desconhecido, acabei travando um pouco...

— Sakura. — Ele me chamou sério. — É urgente? Eu tenho uma coisa importante pra fazer agora e... — O cortei.

— Me perdoa! Eu não queria tomar o seu tempo, não é nada muito urgente não... — Que mico!

— Venha aqui amanhã de tarde, no horário que puder, então conversaremos com mais calma, pode ser? — Ele disse calmo.

— Claro! Muito obrigada... — Agradeci ainda com vergonha.

— Então nos vemos amanhã. — Ele falou indiferente e virou-se de costas para mim novamente, provavelmente estava indo até seu carro.

— Espera! — O chamei breve, e ele se virou novamente. — Só por favor, não comenta nada com o Sasuke sobre eu ter vindo te procurar... — Itachi me olhou confuso por um tempo.

— Ok. — Ele disse simplesmente e logo saiu da minha vista.

Foram muitas emoções de uma vez... Eu venho até aqui pra conversar com o Itachi, acabo encontrando aquele homem perfeito (que descobri que se chama Sasori), dei meu número pra ele, e vou ter que voltar aqui amanhã... E ainda tem o fato de estar grávida, mentir pros meus pais e conviver com o fato que o pai do meu filho é um babaca... Ok, eu preciso dormir! Que bom que eu gosto de exatas... Senão ia tirar um 0 mesmo amanhã, pelo menos zerar eu não vou...

Fui para o ponto de ônibus, dentro deste eu mandei uma mensagem para o grupo das meninas, dizendo que encontrei o Itachi, mas que vou conversar com ele apenas amanhã... Ocultei a parte que me encontrei com o Sasori, deixarei pra comentar isso em oura ocasião... Na verdade, por que eu dei meu número pra ele? Até parece que um homem tão perfeito vai querer namorar uma mulher que terá um filho... Mas seria também bem ridículo terminar a nossa conversa sem nenhum cabimento, assim que ele entrar em contato comigo direi toda a verdade, melhor me afastar dele ainda agora do que depois...

Eu estou exausta e morta de fome! Minha mãe já deve estar em casa, meu pai provavelmente não chegou ainda... Destranquei a porta e vi a casa toda escura, que estranho...

— Mãe? — A chamei quando pus meus pés na sala. — Pelo visto ela não chegou... — Ah! — Levei um pequeno susto quando ela acendeu a lâmpada da cozinha e apareceu na minha frente com o rosto todo inchado e um pouco vermelho. — Mãe?... — Perguntei assustada com seu estado, o que será que aconteceu?...

— Pro sofá da sala, agora. — Ela disse direta e grossa, seu tom de voz me assustou... Apenas obedeci com muito medo do que pode ter acontecido... Ela não tem como ter descoberto... Assim que nós duas sentamos no sofá ela começou a falar. — Encontrei com a mãe da Ino no shopping hoje, ela estava com umas amigas fazendo compras e como eu saí mais cedo da creche fui ao supermercado que fica no shopping. — Até agora não tem nada demais... — Quando eu fui falar com ela, ela me cumprimentou e conversamos um pouco, no meio da conversa eu mencionei aquela noite que você dormiu na casa da Ino... — Merda! — E... Ela me disse que você com certeza não dormia lá há mais de dois meses... — Minha mãe me encarava com seriedade. — Porém, ela disse que você foi até a casa dela há mais ou menos um mês e que você estava estranha e era muito cedo... — Minha mãe fez uma pequena pausa e começou a chorar. Eu comecei a chorar junto, mas não ousei dizer uma só palavra. — Você supostamente brigou com aquele garoto há pouco mais de um mês... Disse que foi dormir na casa da Ino... E desde ontem de noite você vem passando mal... Ah, Sakura... — Ela começou a chorar demais. — Por favor, Sakura, por favor, me diz que não é o que eu estou pensando... — Minha mãe estava em prantos, e o mesmo vale para mim... — Me responde! — Mamãe disse um pouco alto sem deixar de chorar.

Eu não tinha como mentir... Eu não tinha saída...

— Eu estou grávida, mãe... — Falei de uma vez só sem olhar em seus olhos, na verdade, meu corpo ficou parado e eu não conseguia me mexer nem um pouco.

— Sakura, Sakura... — Minha mãe dizia sem parar de chorar, tudo o que eu escutava era o som do seu choro. — Como eu vou falar isso pro seu pai, Sakura... — Foi a última coisa que ela disse, antes do choro me invadir e também invadi-la novamente.

— Não precisa dizer nada, Mebuki. — Papai!? Olhei rapidamente para a entrada da sala e ele estava parado lá, há quanto tempo!? Eu nem o vi chegar! — Sakura! — Ele me chamou com puro ódio no olhar, eu nem reconhecia meu pai...

— Sim... — Disse tremendo e chorando.

— Você vai sair da minha casa, e hoje!


Notas Finais


Ei, não vai ainda! Se gostou do capítulo deixe um comentário! Prometo que o responderei 😊
A fic. começa agora a ter muitas emoções... Então, não deixe de acompanhar! Até a próxima 💖❤💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...