História Sentimentos negados - Capítulo 6


Postado
Categorias Originais
Tags Gay, Homofobia, Homossexualidade, Romance, Sexo
Visualizações 96
Palavras 2.901
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção Adolescente, Lemon, Literatura Feminina, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi (Gay)
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


Hoeee, aqui é o peculiar, também autor dessa fanfic incrívelmentente incrível né! Esse capítulo está muito legal e também nos impenhamos bastante nesse capítulo para vcs! Bjss

Capítulo 6 - Capitulo 5


Fanfic / Fanfiction Sentimentos negados - Capítulo 6 - Capitulo 5

Victor

 

 

 

Não preciso nem dizer minha felicidade de fazer dupla com o meu gostoso, ainda mais sobre posições sexuais, e sim está o falando sério quando disse que nos dois podíamos testa as posições. Não custa nada sonhar né gente!

 

 

Quando a aula acabou fui até o meu gatinho, conversa sobre o trabalho.

 

 

- Ei gatinho, podemos fazer hoje o trabalho na sua casa ?

 

 

-Pode ser! Mas sem orgias, só estudo!

 

 

- hahha como você quiser gatinho!

 

 

 Meu moreno, me passou o endereço

 

 

Por incrível que pareça quando sugerir fazer o trabalho na casa do meu gostosinho não tinha passado em nenhuma malícia, apenas queria evitar meu pai e minha irmã! Os dois são muito tarados é só pensam em sexo!! Eu sou a única salvação da família!!

 

 

Assim que eu abri a porta de casa, veio minha irmã, com um blusa provavelmente do meu pai, que fica gigante nela, agora se ela estava com algo por baixo já era outra história

 

 

- Victor!!! Olha o que meu pai me deu!!!!

 

 

Vou provar para você agora que eu sou a única salvação da família, minha irmã estava me mostrando um vibrador roxo!!!

 

 

- PAI!!!!!

 

 

- Oi meu filho, você chegou cedo hoje em ?!?!

 

 

- Que tipo de pai no mundo, da um vibrador para a filha ?!?!

 

 

- O tipo de pai que se preocupar com a filha!!!

 

 

- Que tipo de preocupação é essa?!?

 

 

- Bom... Sua irmã começou a namorar, então isso é para ela já ir treinando e se acostumando!!! Não quero que ela se machuque por estar despreparada!! E não precisa ficar triste, comprei um azul para você!!

 

 

- Eu mereço isso!!!

 

 

- ei irmão!! Preciso da sua ajuda!!

 

 

Júlia ( minha irmã ) estava com aquela carinha de cachorro perdido. Com certeza não era coisa boa!

 

 

- O que você quer?

 

 

- Deixa eu treinar boquete em você!! Por favor!!

 

 

Depois disse, eu apenas me virei e fui me trancar em meu quarto!!

 

Estão vendo!! Eu sou um anjo, no meio desses seres tarados!!!

 

 

- Alô!!

 

 

Atendo meu celular, assim que o escuto tocar, sem olhar que era.

 

 

- E aí Victor, está disponível hoje?!

 

 

Era o Yuri, meu melhor amigo.

 

 

- Tô não, porque ? Precisa de alguma coisa?

 

 

- É que hoje o pessoal vai se juntar aqui em casa, para fazer nosso joguinho!

 

 

Tradução fazer uma orgia maluca!!

 

 

- Tenho que fazer um trabalho na casa de um amigo, fica para a próxima!

 

 

- Um Amigo?

 

 

- Futuro amante!

 

 

- O seu gostoso?!

 

 

- Ele mesmo!!

 

 

- Boa sorte meu amigo, depois me conta tudo!! E caso ele te dê um fora, eu estou aqui para " comer" suas mágoas!

 

 

- Agora estou pensando seriamente na opção de fazer o gatinho me odiar, porque pelo o que eu me lembro, você come muito bem!! Hahah tchau Yuri tesão!!

 

 

- Depois me liga, para a gente marca uma noite!! Hahah

 

 

- pode deixar hahah

 

 

Depois De desligar o celular fui tomar um banho, coloquei minha calça mais grudada, uma camiseta, e amarrei um blusa xadrez na cintura.

 

 

- Pai tô saindo!

 

 

Não esperei uma resposta e fui. Tenho certeza que ele ia falar um monte de besteira.

 

 

Passei antes em uma padaria, e comprei um monte de cozinhas! E depois fui direto para a casa do meu moreno.

 

 

Ele mora em um apartamento, falo com o porteiro, e ele me deixa entrar, mais me avisa que o meu gatinho, não estava em casa ainda. Olá mente fértil!!!

 

Alec

 

 Depois de toda vergonha que passei na frente de todos, foi decidido que o trabalho será feito na minha casa mesmo. Avisei o porteiro caso um moço loiro chegar pode deixar-lo subir.

  Horas depois no final da aula fui ao cinema, passei na loja americanas para comprar doces e salgadinhos,  no final gastar 85 reais com doces, vou comer alguns e os outros vou manter guardados para comer com o Victor durante o trabalho. Pensando no livro de Nárnia  que Victor havia me entregado comprei um livro para ele, Contos Peculiares,  um livro muito legal que li na minha adolescência.

   Escolho assistir o nome filme de Star Wars,  que ia começar em 6 minutos,  nesse tempo comprei meu ingresso e refrigeran-

te. Acabei dando uma passada em lojas para comprar um novo tênis  para mim, queria algo exótico,  por isso comprei um tênis de pelúcia listrado com estampa de zebra, vai ser ótimo com roupas pretas!

 Volto para casa. Ouço um barulho de passos dentro de casa e na hora já fico peidado de entrar, mas pensei em meu tênis  que estavam lá dentro,  abro rápido a porta acendendo a luz que estava apagada e vou para a cozinha conversando sozinho

 

-esperar ele chegar agora. Porquê idiotas são sempre irresistíveis

 

- então você me acha irresistível ? Fala Victor em minha nuca

 

 

 -Que porra é essa! Sai demônio em nome das balas Fini!

 

Viro para trás e vejo Victor

 

-Que merda Victor não faz isso!

 

- não precisa ficar assustado gatinho!!  O porteiro não avisou que eu tinha subido?!

 

-ele estava destraido olhando revista da playboy e nem me viu entrando!

 

- ata.  Como você é um gatinho tao lindo e educado,  eu trouxe  coxinha!

 

-Huummmm,  e eu comprei doces lá no shopping

 

- cada palavra que fala me faz amar você ainda mais

 

-menos aí kkkkk, vamos fazer o trabalho logo! Tenho um refrigerante aqui,  aceita?

 

- o liquido vai vir de você?

 

-Da coca cola!

 

- ok,  mesmo assim aceito.

 

 

 Pego um de meus copos novos e dou o refrigerante para Victor, era uma fanta sabor laranja.

 

- obrigado,  gatinho!

 

- Por nada,  agora vai lá para o sofá que vou pegar meus matérias.

 

- posso pedir um favor,  meu gostosinho?

 

- poder pode,  mas não sei se vou fazer

 

- senta no meu colo,  assim vai me ensentivar  a fazer o trabalho!

 

-Vai a merda garoto!  Tem um extintor ali no corredor, vou usar para duas coisas,  bater na sua cabeça e apagar seu fogo na bunda! Vou lá pegar as coisas

 

 Vou para meu quarto pegar meu nootbook,  celular para as pesquisas,  folhas e coisas para decoração e para a parte escrita.E volto para a sala e sento no sofá

 

- ei gatinho, me responde uma pergunta?

 

Olho para Victor esperando ele fazer sua pergunta

 -Hoe

 

- Qual o tamanho do gatinho junior?

 

-E aonde foi que você perdeu sua vergonha   na cara?

 

- nunca a tive,  mais estou falando serio,  porque quando formos transar,  tenho que olhar quem vai ser passivo ou ativo,  a melhor posição,  essas coisas!

 

-E quem falou que vamos transar? Já falei que sou hétero e você está aqui para fazer  o trabalho.  Senta aqui do meu lado e vamos começar,vou pesquisar no nootbook e você pode usar meu celular

 

 

Victor

 

Pego o celular do meu gatinho,  vou para o google,  mais antes decido dar uma explorada.  Vou ate o whatsapp e vejo que ele conversa com um tanto de piranhas,  antes que minha tristeza fique aparente,  eu saio do aplicativo,  mais minha curiosidade falou mais alto,  então fui no histórico da internet,  e OMG!!!!!  Tinha porno gay!!!!!  Acabei de descobrir  o Brasil!!!!

 

- você se diz hetero,  mais seu celular mostra outra coisa gatinho!

 

Meu moreno pega o celular na mesma hora,  e vira um lindo e Vermelhinho tomate!

 

-Não foi eu não.  Eu sou crente

 

-Crente do cu quente

 

-Ah,  vai se ferrar Victor

 

- Não precisa ficar com vergonha,  todo mundo faz coisas desse tipo.  Igual eu,  as vezes me mensturbo pensando em voce gatinho!

 

-Deixa de ser iludido Victor,  felizmente isso só vai ficar no seu pensamento mesmo viu. Até pq não quero ter nada mais que uma breve amizade com você, e também eu sou hétero.

- Então deixar eu fazer um boquete em você!! Claro que qualquer um ficaria excitado, mais se você demorar a gozar é pq é hetero, e eu vou parar de dar tanto em cima de você! Mais caso goze rápido vai ter que me dar um beijo

 

 

-Claro que não,  meu deus você é muito safado! Vai fazer seu trabalho logo, dependendo do seu comportamento eu deixo

 

- eu tenho experiência, tenho certeza que você vai gostar

 

-MDS

 

 Obviamente não vou deixar mas vai que ele cala a boca e para de fazer esses convites excitantes e irresistíveis

 

 Pego meu durex, corto um pedaço grande e colo na boca de Victor, dou dois tapinhas no rosto dele e falo:

 

-Victor Cala logo essa boca antes que coloco fones de ouvido e uma música alta para não escutar sua voz! E me dá o celular que esqueci de apagar meu histórico!... Histórico apagado!

 

- Gatinho,  se isso não resolver eu tenho cola instantânea... Ai sua boca não vai abrir para mais nada!

 

- Não precisava apagar, e eu também queria ver os vídeos!!!

 

-Quer ver minha mão perto da sua cara também? Pelo amor de Deus vamos fazer esse trabalho,  senão você não vai ter docinhos que eu comprei. E cadê as coxinhas??

 

Me levanto para ir na cozinha pegar os pacotes de doce e uma vasilha para as coxinhas. Aceno para ele com as mãos lotadas de pacotes de doces.

-Vai depender do seu comportamento loiro safado

 

Victor apenas faz o sinal de beleza com as mãos,  vou para perto dele com os doces e sento no sofá. Tiro o durex da boca dela e lhe dou um beijo na bochecha

 

-já ganhou um beijo, mas agora podemos acabar o trabalho?

 

- podemos, mais bem que da próxima vez, você podia dar o beijo mais para o lado

 

Abro um pacote de doces e dou na mão de Victor e outro para mim e começo a pesquisar e anotar tudo em uma folha

 

Dividimos o trabalho em partes,  fiz a pesquisa sobre para posições para mulheres grávidas e para lésbicas,  não demorei muito para acabar a minha parte do trabalho.

- Ei gatinho, eu fui um bom menino, tanto que já terminei minha parte. Agora deixa eu fazer o boquete?

- sinto muito, mas você demorou e não calou a boca nenhum minuto. Já ganhou doces e agora quero as coxinhas!

- ok, mais se quiser posso te dar a minha coxa, é muito mais saborosa.

 

-obrigado mas recuso,  quero as coxinhas mesmo

 

Entrego a vasilha nas mãos de Victor. E ligo a TV, que estava passando Amor E Sexo.

 

- eu prefiro você!

 

-Quero as coxinhaaas

 

- Eu te dou as coxinhas, se me der um selinho

 

Me inclino em direção a Victor, dando um selinho rápido em sua boca

 

( Victor acabou de virar uma estátua humana)

 

- Acho que vou te comprar mais vezes com coxinha

 

-Tudo funciona a base de coxinhas meu bem.

 

Comemos juntos as coxinhas sem incidentes, provocações ou safadesas de Victor.

 

-Já está ficando tarde, nos vemos amanhã na escola pode ser?

 

-Okay Victor

Alec

 

No final  do nosso trabalho levo Victor até a portaria do prédio, e até o outro lado da rua que não era uma pracinha , e volto dando um abraço e um tchau e volto andando para o prédio. E começo a ouvir seus gritos desesperados de socorro, e volto correndo para a porta. Da portaria vejo um homem de roupas pretas o socando e o empurrando contra as árvores,  o rosto de Victor estava totalmente ensanguentado e machucado. Meu peito apertou de uma vez e uma raiva e agonia cresceu em mim ,  fiquei com o medo de nunca mais ver Victor e vou correndo ajudar,  chego dando um soco em sua nuca,  levando a atenção dele para mim.  Recebo um soco na bochecha que foi o suficiente para cortar minha boca em meus dentes, quando abaixo a cabeça para cuspir o sangue Victor se aproveita para subir na costas dele,  enquando ele luta para soltar os braços de Victor concentro a força em meu pé e o acerto no pênis,  o fazendo cair no chão,  Victor o solta enquanto eu subo em cima do agressor,  não paro de socar o rosto dele até ver que fiz o dobro do estrago que ele fez em Victor,  deixei sua boca totalmente inchada,  e cortada,  escorria sangue dela,  ele cospia sangue em mim e no chão. Saio de perto dele e vou rapidamente em direção a Victor que estava em choque  e dou nele um abraço com todas minhas forças, e respiro fundo em seu pescoço com alívio.

 

-Você pode dormir na minha casa,  lá em cuido de você.

 

  Envolvo Victor com meus braços o levando para meu apartamento,  o ajudo a tirar sua camisa que estava suja de sangue e o coloco em minha cama.

 

-Espera aqui

 

-Tá

 

  Pego vários panos e água morna em uma bacia.  Também um spray para dores musculares e um remédio para ferimentos

 

-Pode arder um pouco,  mas é apenas para seu bem,  isso não vai deixar infeccionar.

 

 Derrmo o remédio em um pano e com cuidado vou aplicando naa feridas de Victor.  Ele apenas da alguns gemido de dor mas está aguentando a dor firmemente. Com outro pano com água morna viu lavando as feridas e retirando o sangue. 

 

 -Aonde está doendo em seu corpo?

 

 Victor aponta para o peito,  barriga e para uma das oernas.

 

-Esse não vai doer ,é até bom a sensação .

 

- eu confio em você gatinho

Fala Victor forçando um sorriso

 

  Vou aplicando o spray nos lugares que Victor apontava para mim.

 

- Você pode dormir aqui na cama,  vou dormir na sala,  qualquer coisa pode me chamar.  Espera um pouco que vou pegar toalhas e roupas minhas para você tomar um banho,  também trouxe um presente para

 

 

 Vou buscar o livro que comprei para Victor,  peguei em meu guarda-roupa,  um samba canção e uma camisa de manda branca em solta,  também pego mais um travesseiro e um cobertor.

 

-Fui hoje no shopping e pensei que iria gostar. Aqui está roupas, e uma toalha.

 

-Obrigado,  eu queria mesmo ler esse livro

 

Entrego o presente para Victor e arrumo a franja loira de Victor com as mãos,  que estava totalmente bagunçada para trás,  e para os lados. E vou para a cozinha pegar água com sal. Volto para o quarto e vou ao banheiro ( também tem um banheiro no meu quarto) e faço  um gargarejo com a água para lavar as feridas.  Volto para o quarto e deito ao lado de Victor

 

-Não queria te ver assim.  Mas já que aconteceu vou cuidar de você, tem ideia do motivo?

 

Victor apenas nega com a cabeça.

 

Viro o meu corpo de lado apoiando a cabeça em meu braço, e fico olhando Victor todo machucado, o que me dá a vontade de cuidar dele 24 horas por dia. Sinceramente ver ele nesse estado me desmorona me deixando fragilizado e louco de amor. E rapidamente nos beijamos

Victor

 

 

 

Ganhei a noite com o selinho que o meu moreno me deu, tinha certeza que ele ia negar, esse gatinho me surpreende a cada minuto!!

 

Depois disso não tento mais nada, não quero forçar a barra com ele.

 

 

Depois que fui embora da casa do meu moreno, fiquei andando distraido, pensando na noite em que estivemos juntos, queria poder aprofundar mais aquele beijo, sentir mais aqueles lábios macios.

 

 

Começo a escutar barulhos de passos vindo na minha direção, como já estava a noite, fico com um pouco mais de receio, até que identificou a silhueta!!!

 

 

- Gustavo!!!

 

 

- Olá minha bonequinha, como vai?

 

 

Meus olhos se enchem de lágrimas na mesma hora! Ele é o idiota que matou minha mãe!!!

 

 

- vou chamar a polícia, não ouse se aproximar um centímetro!

 

 

Eu grito, mais isso só faz com que ele de um sorriso malicioso, e se aproxime, até começar a acariciar minha bochecha.

 

 

- Você continua lindo como sempre!

 

 

Durante alguns segundos minha mente retorna ao dia da morte da minha mãe, e a culpa se apoderou do meu corpo, sim! Minha mãe morreu por minha culpa. Com isso uma lágrima escorre da minha bochecha. 

 

 

Sinto os lábios gelados daquele homem em minha boca, depois em meu pescoço. Acordo da minha paralisação, quando sinto uma mão em minha barriga e a outra em minha bunda, com isso dou um soco em seu rosto!

 

 

- seu maldito!! Vou te ensinar uma lição!!

 

 

Ele veio para cima de mim, me dando socos e chutes, a única coisa que consigo fazer é proteger meu rosto com as mãos. Minha mente fica em branco nesse momento, as únicas coisas que lembro é o meu moreno chegando e me ajudando, depois ele me levou ao seu apartamento e cuidou de meus ferimentos. Me deu um livro, e eu o agradeço com uma resposta automática. A culpa ainda estava muito presente em meu corpo, e com certeza eu iria levar ela o resto da vida. Mais meu gatinho me salva, com apenas uma única frase, faz minha alma voltar ao meu corpo.

 

 

- Não queria te ver assim. Mais já que aconteceu vou cuidar de você, tem ideia do motivo?

 

 

Eu apenas nego com a cabeça, nossos olhos não desviavam um do outro, nosso corpos eram atraídos, até que nossos lábios se juntaram.

 

 

Primeiro um simples contato, mais depois foi aprofundando, nossas bocas abriram juntas, como se estivessem conectadas pelo destino. Sim! Nossas almas e corpos estavam conectados!

 

E eu conheci pela primeira vez o amor, o amor puro e verdadeiro!



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...