1. Spirit Fanfics >
  2. Señorita (Kiba x Hinata) >
  3. Surpresa!

História Señorita (Kiba x Hinata) - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Alô! Voltei com essa bebezinha! Hihi'

Agora vai!

Capítulo 1 - Surpresa!


Fanfic / Fanfiction Señorita (Kiba x Hinata) - Capítulo 1 - Surpresa!

Los Angeles, Califórnia —  6:53 da noite

— Mãe! Há uma semana isso estava entrando! — sua voz choramingava enquanto tentava passar pela peça que lhe apertava na cintura.

— Hinata! Céus! — Mahina ria ao ver a filha dando pulinhos na tentativa de vestir a peça, que por sinal, colocava-se do lado contrário — Óbvio que não vai subir. A parte da frente está para trás. Com essa bunda enorme que você tem a costura não vai passar, e você e sua irmã não aprendem a vestir essas roupas por cima, senhor! É mais fácil e não estraga a roupa — ajudando a aniversariante que respirava fundo, tentando se acalmar ao ver o que o nervosismo pela tão esperada noite a fazia passar, ao não conseguir vestir o próprio vestido — A festa só começa em uma hora, querida. Acalme-se — e segurando firme nas laterais da peça, ela já puxava o tecido rosado para cima, endireitando-o enquanto a garota segurava os cabelos enrolados no ar.

— Sim... Mas imagina se eu deixo para cima da hora? Por isso é melhor já ficar pronta. Meu pai vai direto do trabalho? — Hinata perguntava, agora sentindo o vestido encaixar perfeitamente em suas curvas, fazendo-a sorrir satisfeita com o resultado.

— Sim — atenta ao horário, Mahina sempre passava o olho pelo relógio na cabeceira da cama da filha, e ao ver que marcava sete horas em ponto, via que dava sua hora de se ajeitar para o evento — Irei pegar meu vestido nos fundos. Acho que agora a moça pode continuar, certo? — Hinata riu, concordando ao encarar seu reflexo no espelho. E ali, dentro daquele vestido, foi quando sua ficha caiu.

Ela estava se arrumando para ir para a festa que tanto sonhou desde que fizera seus quinze anos. E desde que recebera a notícia, só agora via a realidade, e então a felicidade enchia seus olhos de lágrimas.

— Ai, meu pai. O que foi agora? — com seu jeito materno, a senhora Hyuuga logo ia de encontro a filha, que negava com a cabeça.

— Não é nada. É que… obrigada, mãe. Muito obrigada por você e o papai estarem fazendo isso por mim. Esse com certeza é o melhor dia da minha vida — e se jogando nos braços da mais velha, Hinata escondeu o rosto no roupão da mesma que lhe afagou os cabelos.

— Sabe que se pudéssemos, lhe daríamos o mundo, querida — Mahina comentou, sorrindo e trazendo o rosto da filha para frente de seus olhos — Eu quem agradeço por ter ganhado duas filhas tão doces e dedicadas como você e Hanabi. Seu pai e eu temos muito orgulho de vocês. Então vamos chorar na hora do parabéns, que aí me lembrarão de novo que eu quem está ficando velha — descontraindo ela brincava, ouvindo a menor fungar, mas rir em seguida, secando os olhos com as costas das mãos.

— Tá legal... Eu vou me arrumar — concordando, a garota colocava os fios para trás das orelhas, virando sua atenção para a penteadeira repleta de maquiagens. Ela adorava essas horas; mas um tocar de campainha lhe chamou a atenção, fazendo sua mãe franzir a testa.

— Eu falei pro Shisui vir um pouquinho mais cedo… — Hinata já deduzia ser o namorado chegando, assim explicando para a mãe, que assentiu, forçando um sorriso de compreensão.

— Está bem. Deixe que eu abro… e se arrume, viu? — respirando fundo, ela logo puxava a maçaneta do cômodo, deixando a menina encarar a porta fechada por alguns segundos.

Mahina sempre quis o melhor para a filha. Tudo que estava ao seu alcance, tinha o prazer de dar a ela. Porém, no entanto, quando se tratava do rapaz que Hinata namorava, ela se frustrava, pois sabia que a pequena poderia ter escolhido melhor.

E foi entre pensamentos que a incentivavam a aceitar aquilo que ela abria a porta, revelando o moreno trajado em um terno preto, ignorando a temática da festa.

— Boa noite, dona — com seu famoso sorriso, o mesmo acenava com a cabeça enquanto suas mãos se enterravam nos bolsos da calça.

— Boa noite, Shisui — respondendo o gesto do rapaz, ela dava espaço para que o mesmo entrasse — Hinata ainda está se arrumando. Mas pode subir e garantir que ela esteja pronta às oito em ponto — e já se dirigindo de volta às escadas, ela planejava os passos para se aprontar.

— Uau. Ela está nessa desde às três — surpreso, comentava, mas a seguia em direção ao segundo andar.

— Não comente isso com ela ou então provocará a terceira guerra mundial ao insinuar que ela “não consegue se arrumar” — gesticulando as aspas, Mahina imitou a voz da filha ao lembrar da crise que a morena tivera mais cedo, quando começara a modelar os longos fios em cachos que custaram para se definir. 

— Sim, senhora — e rindo, o garoto se dirigia à porta do quarto de sua namorada

[...]

Hinata se concentrava para passar o delineador, e ao terminar de preencher o traço de gatinho, sorria ao ver que um milagre havia acontecido, ao conseguir deixar ambos os lados quase iguais.

— Pelo menos isso — comentando para si mesma, já catava os cílios postiços, os quais seriam a segunda parte mais chata de todo aquele processo.

E quando se preparava para colar um dos pares, via a porta se abrir, revelando seu capitão — como costumava chamá-lo em alguns momentos, levando em conta sua posição no time da universidade que estudavam.

— Ui, ui, ui… — mordendo o lábio ao vê-la no vestido que tanto gostou ao ver a foto enviada mais cedo, ele fechava a porta, caminhando até a mesma que desviou o olhar, sem graça.

— Estou me arrumando ainda — Hinata comentava assim que tinha o topo de sua cabeça beijado pelo mesmo que se colocava atrás de sua cadeira — Falta só essa parte chata… e por que você veio de preto? — franzindo a testa ao notá-lo rejeitar o que foi pedido no convite da festa, ela o questionava.

— Rosa não é minha cor — jogando os ombros, ele a respondia, admirando-a pelo espelho, mas logo se dirigindo até a cama e não vendo o revirar dos orbes acinzentados — Os garotos vão passar aqui oito horas, belê? 

Os “garotos” referidos por Shisui, sempre eram: Itachi, Pain e Hidan. E com isso ela já respirava fundo, assentindo. Não ia com a cara de Itachi e Hidan. Mas aceitava a presença deles nos locais que Shisui a levava. E pelo visto, naquela noite seria obrigada a aturá-los também. Eles eram inseparáveis desde o jardim. Logo, o nível de intimidade que tinham por conta das idades próximas e por terem crescido juntos era extremamente estressante para a Hyuuga. Para ela, aquela dupla era a parte podre do namorado, que ao se juntar com as peças, ficava intolerável.

— Aí, seus pais foram muito maneiros em fazer essa festa — o moreno comentava enquanto mexia em seu celular, já no meio dos travesseiros da menina que o ignorou ao estar concentrada na elaboração de sua maquiagem.

— Faço a maquiagem mais iluminada ou matte? — estendendo uma paleta para o mesmo ela o via arquear a sobrancelha.

— Matte? — Shisui tombava a cabeça para o lado enquanto tentava lembrar o que aquilo queria dizer no mundo feminino.

— Matte? — Hinata retrucava, reprovando o que levou ser uma sugestão — Olha, se eu pegar esse brilho aqui e passar sobre essa sombra rosa… já sei! Valeu! — e se inclinando na frente do espelho, ela tornava a entrar em ação, deixando-o confuso.

[...]

Quando marcava oito e quinze, a morena passava pela porta de seu quarto, dando uma olhada para trás e vendo se não estava esquecendo de nada. Ajeitou o arco rosa na cabeça e respirou fundo enquanto escutava a risada dos garotos no andar de baixo. 

Shisui se juntara a eles desde que chegaram — às oito — e então ela correu pelo corredor, passando pelos cômodos e procurando sua mãe e Hanabi, logo encontrando-as no quarto da maior.

— Pronto — e se escorando na entrada do quarto, a aniversariante sorria ao encontrar o olhar das outras duas, que retribuíram o gesto ao encontrá-la perfeitamente arrumada.

Mahina terminava de prender os cabelos da caçula em um rabo de cavalo alto, e ao ver o reflexo de Hinata em seu espelho, tentou não se emocionar.

— Eu estou com medo de quem irei encontrar — Hinata dizia ao se juntar as duas na frente do grande espelho — Sério que chamou toda a família? — perguntou ao ter seus cabelos capturados pelas mãos da mãe, que lhe dava um toque a mais, deixando os longos fios caírem sobre os ombros.

— Sim. Até seus tios Hizashi e Sayuri virão junto de seu primo Neji. Conseguimos esse milagre — divertida ela comentava, lembrando do fato de que a última vez que os encontrou fora no seu aniversário de quatorze anos — Agora vamos, mocinha. Eu disse oito horas e já são oito e vinte! Os convidados já devem estar chegando — pegando sua bolsa, a maior marcava o horário, pegando as chaves do carro e se virando para Hanabi automaticamente quando sentiu o cheiro forte de seu perfume favorito lhe irritar o olfato — Meu perfume favorito, menina! Isso é caro! — advertindo a menor, que riu sapeca, a mulher acabava por rir junto, negando com a cabeça.

— Quero ficar bonita igual a Hina, mamãe — e abraçando a aniversariante, Hanabi sorria, fugindo do sermão.

— Mas você é. Vocês duas são perfeitas — acariciando a bochecha das meninas, Mahina dava um beijo na cabeça das duas, mas logo se dirigia a porta — E vamos logo sair daqui. Você impregnou esse quarto de perfume, coisinha — esperando as duas no corredor, ela deixava Hanabi ir na frente mexendo em seu celular enquanto caminhava ao lado de Hinata — Você vai junto com Shisui, não é?

— Sim… por quê? — ela se sentia meio sem jeito ao trocar a companhia da mãe pela do garoto, que certamente iria ignorá-la ao ficar se divertindo com Itachi. Podia estar o grupo inteiro, mas aqueles dois juntos não prestavam.

— Só para confirmar — sorrindo, ela segurava no queixo de Hinata que tinha os olhos brilhantes em sua frente — Coloque o cinto — com seu instinto protetor gritando dentro de si, pedia calmamente enquanto alisava a porcelana da morena, que concordou.

Já descendo as escadas, Hinata ganhava a atenção de todos, vendo cada um ser socado pelo namorado ao soltarem cochichos um tanto deselegantes entre si.

— Boa noite, meninos — intimidada por aqueles olhares, ela segurava na saia de seu vestido para que não pudesse ocorrer oportunidades de pagar qualquer mico ao tropeçar, ganhando o suporte de sua mãe.

— Boa noite, gatinha — Hidan sorria enquanto mascava o chiclete que era viciado, logo tomando um pescotapa do moreno que se levantava, olhando para Itachi, que como esperado, os acompanhou, indo para o carro de Shisui e deixando a aniversariante ficar com o banco traseiro ao o próprio tomar o do carona. Pain e Hidan foram no outro conversível, e assim que pararam um carro ao lado do outro em um sinal, começavam a lembrar de uma história que tiveram, ao inventarem de apostar corrida num estacionamento abandonado no ano passado.

Hinata se acostou no banco, cruzando os braços e observando o namorado rir, concordando com as merdas que eram ditas pelos outros. Mas então o soar da buzina do carro de trás pairava e os garotos se entreolhavam, segurando a seção de risadas.

— Abre espaço aí. A dona quer passar — em tom de deboche, Shisui passava a marcha, deixando o carro da mãe da garota avançar bem lentamente enquanto fazia piadinhas juntos a Itachi.

A Hyuuga fitou a porta do Audi preto, mas antes que pudesse levar aquele pensamento de sair, a frente, ela sentia o carro ser acelerado, sendo tarde demais para mudar de ideia.

[...]

O som estrondoso na rua denunciava que já estavam perto; e ao avistar as bolas brancas e rosas decorando a entrada em um formato de arco, ela já se arrastava para a porta do carro, tentando enxergar através dos muros cobertos pelas verdes plantas. Alguns carros tomavam a calçada da rua, e ela não acreditava que aquela seria a sua festa.

— Chegamos, princesa — e assim que Shisui estacionava numa vaga que já tinha um cone, reservando-as para ela e a mãe, ele se virava para a garota que respirou fundo ao estar de frente para um sonho.

Em um passo de cada vez ela deixou o automóvel, sustentando-se sobre seus saltos prateados e sentindo seu corpo temer o que estava por vir. Shisui lhe estendeu o braço, dando-a mais um suporte, e ao se apoiar no namorado, ela pôde se tranquilizar demasiadamente.

— Eu já disse que está linda? — e sendo abraçado fortemente pela morena, o rapaz via-se no dever de acalmá-la.

— Estou? — Hinata retrucava em meio aos passos dados em direção a entrada.

— A maior gata — afirmou, sorrindo e mordendo os lábios ao observar que a garota vestia aquele decote deveras ousado que ele adorou. Hinata era perfeita.   

— Olha quem chegou! A estrela da noite! — Ino, que conversava com Tenten próximo a entrada do evento, logo corria até a melhor amiga assim que a via atravessar o arco — E eu disse que esse vestido tinha sido feito para você! Amiga, você está linda…! — e chocando seu corpo ao da aniversariante, Hinata ria ao ser surpreendida por um abraço, retribuindo — PS, seu presente já está na caixa, é o maior. E o Gaara está me deixando triste estando tão lindo também — apoiando-se nos ombros da Hyuuga, a loira dizia, apontando com a cabeça para mais adentro, onde Gaara conversava com Lee, ambos bem trajados. O blazer branco entrava em perfeito contraste com os cabelos ruivos.

— Pensei que já tivesse tomado vergonha na cara e chegado nele — e se descolando do namorado, as duas passavam a caminhar juntas pela área exterior, a qual todas as mesas haviam sido postas, decoradas nas cores rosa e branco.

— Hinata, querida. Cumprimente seus tios — Mahina se aproximava, apoiando-se nos ombros da filha e apontando para as mesas próximas à principal, a qual seria da aniversariante. Lá estavam seus avós e seus tios.

— Sim, estou indo — segurando na mão da mesma, a garota a puxava para ir junto, dando uma olhada para Ino — Já volto — alertando a melhor amiga, Hinata mandava um beijo no ar, deixando a Yamanaka bem mais aliviada.

A loira havia planejado uma surpresa para ela, que planejava entregar logo de primeira. E ao ver que agora a área estava limpa para chamá-lo, após sussurrar no ouvido de Konan e Temari que deixavam o banheiro, a mesma discava o número do rapaz que estava na área interna.

— Já estou me sentindo solitário — o Inuzuka falava ao atender a ligação.

— Vem pra cá, rápido. Estou perto do arco de bolas e a Hina está falando com a família dela que está sentada muito próximo daí. Mas se vira — Ino dizia enquanto acompanhava a amiga cumprimentando Sayuri.

— Beleza — sentindo o peito apertar o moreno já guardava o aparelho no bolso da calça social rosa. O mesmo trajava o que a Yamanaka sugeriu, já que a festa seria naquela temática de cores. Assim, ele vestia aquela peça junto a uma blusa social branca e um blazer rosa por cima.

Sentia-se um tanto formal demais — o que não era de seu gosto — mas ele tinha um bom motivo para estar daquele jeito. Estava até combinando com aquela que estava de costas para si. A mesma que continuava a baixinha de sempre, mas com os cabelos mais longos e curvas mais acentuadas. Hinata fazia algum comentário com os tios que a entretiam, e aproveitando aquele momento ele se concentrou, apertando o passo até Ino que logo sorriu ao encontrá-lo.

— Como tem tanta certeza que ela vai gostar disso? — indagava, cruzando os braços e tentando não se dirigir à saída.

— Gracinha, ela é minha melhor amiga — Ino estalava a língua, revirando os olhos — E eu já falei contigo essa semana sobre isso — lembrando de quando o chamou para a festa, ela já avistava a Hyuuga caminhando até eles — Não se mexe. Ela está chegando — segurando no braço do Inuzuka, a loira passou pelo mesmo que desfiou os fios de cabelo, olhando o relógio em seu pulso e tendo as lembranças da última vez que se viram passando em sua cabeça.

— Não sabia que minha família era tão grande assim — a morena dizia ao ver a amiga colocando-se em sua frente.

— Está pronta para mais uma surpresa? — animada, Ino segurava nas mãos da amiga que franziu o olhar.

— Vindo de você? Eu tenho medo — Hinata comentava, receosa. Ino nunca economizava nos escândalos.

— Pois bem. Olha, e eu espero que goste, pois isso veio diretamente de Illinois — e levando as mãos ao ar, a Yamanaka dava passos lentos para trás, catando o rapaz e o puxando — Consegui trazer nosso universitário para cá, e até que não foi difícil — ao Ino soltar o moreno, o mesmo aproveitou e virou seu corpo. E naquele exato momento, Hinata sentiu seu chão sumir e as melhores e piores lembranças lhe atingirem à tona.

E com ele não foi diferente.

Ela piscou os olhos por algumas vezes, e ao ver que aquele era o Inuzuka, não sabia ao certo o que fazer. Um ano havia sido o suficiente para o rapaz crescer um pouco mais, desenvolvendo todos os seus traços e físicos. Havia mudado bastante, estando bem melhor que nas fotos que o via postar no instagram mostrando sua vida nova. 

— Kiba? — ainda não acreditando no que via a garota levava as mãos até o colo de seu peitoral, sentindo as batidas aceleradas e aquele incômodo tornar a se fazer presente.

— Sim, Hina! É ele! Se abracem logo! — e impaciente ao observar as duas estátuas, Ino empurrava a amiga para cima do rapaz, que teve uma sensação como se tivesse uma boneca sendo empurrada em sua frente ao vê-la tão de perto — Pensei que você seria uma boa surpresa, Inuzuka. Foi mal aí — mas girando nos calcanhares, ela passava a procurar por Temari que se sentava uma mesa junto a Shikamaru, Naruto e… Gaara, o que a deixou nervosa, optando por ficar um pouco por ali, acompanhando a Hyuuga e aquele que não sabia disfarçar o quão sem jeito estava.

A surpresa nos olhos de Hinata não era discreta, e já sentindo a culpa por estragar o início de sua noite, ele se adiantava:

— Desculpe. Eu tentei falar com ela sobre como… bem, eu disse a ela que você e eu não estávamos tão amigos como costumávamos ser. Mas ela não desistiu até que eu aceitasse essa ideia…

— Kiba — e respirando fundo, ela tentava entender o motivo de ele ter saído de onde estava para ir até ali. Impossível que fosse somente por uma festa — Você não estava em Chicago? 

Sim, ele estava lá. Ele morava lá. Fato que ocorreu depois de ter conseguido a bolsa em uma das melhores faculdades dos Estados Unidos.

— Estava — dando de ombros, a via se colocar mais inquieta ainda.

— E o que está fazendo aqui? Você não estaria iniciando o segundo período agora? — confusa, ela tentava mapear a linha do tempo dele a partir das conversas superficiais que tinham através das redes sociais.

— Não posso tirar um tempo para vim ver alguém especial? — já conseguindo deixar o nervosismo um pouco de lado, o rapaz questionava, cruzando os braços e vendo-a ficar sem graça ao entrelaçar as mãos em frente ao corpo, desviando o olhar.

Ela não se considerava especial. Não para ele. Não depois do que aconteceu. Se era especial, por que ele não veio antes? Tudo bem que agora ele mora a três horas aéreas de sua cidade natal. Mas e daí? Ele não sabia o estrago que fez naquele dia da formatura de ambos, no luau que teve após a cerimônia. 

— Espero que goste da festa — e  suspirando ela controlava seu emocional, fazendo-o sentir o peso de sua fala e a pouca importância que ela lhe fez entender.

— Hina... — procurando as mãos da menina ele as segurou, vendo que ela não o conseguia encarar — Sei que podemos ser apenas dois conhecidos agora. Mas saiba que… — estalando os lábios, ele sabia que não podia dizer o que realmente sentia. Não podia dizer que sentia falta dela a cada dia passado longe. Não podia dizer que ela era quem tomava conta de seus pensamento e de seu coração ainda, mesmo depois de todo esse tempo. Mesmo que soubesse que agora ela namorasse seu ex melhor amigo.

— Que o quê? — e erguendo o olhar para o mesmo, curiosa com o que ele tinha para dizer, Hinata o observava comprimir os lábios, deduzindo que nem ele sabia o que dizer. E tentando passar por cima daquela infelicidade entre os dois, ela fazia o que sabia fazer de melhor — Bom… deixa pra lá. Obrigada por ter vindo, Kiba. Eu gostei… de verdade — abrindo um sincero sorriso, ela acalmava o interior do mesmo, tentando controlar toda a bagunça em seu interior, dando um passo à frente e se atrevendo a abraçá-lo — Senti sua falta — e em um murmúrio, permitiu confessar-se.

— Eu também senti, garota — sorrindo enquanto inalava o aroma da mesma, ele depositava um beijo em sua cabeça, mas logo inclinava-se um pouco mais para seu ouvido — Feliz aniversário, señorita — e ao lhe dirigir tal fala, ela sentiu a referência, o apertando ainda mais naquele abraço que tivera o poder de abalar as estruturas dos dois. 

E a resposta ao sentir seus quadris serem pressionados pelas mãos do maior a fizera fechar os olhos, lembrando-se da última vez que ficaram tão próximos assim. Uma sensação nostálgica e que fizera a Yamanaka arregalar os olhos ao ver como a melhor amiga estava.

— Oh céus… não era para ficarem assim... — lançando um olhar para Shisui que também observava os amigos se abraçando, a loira estalava os lábios — Não agora, Hina.

A verdade era que os quatro sabiam de tudo que já havia acontecido naquela noite de formatura, onde tudo começou... e terminou.

“Eu adoro quando você me chama de senhorita
Eu queria poder fingir que não precisava de você
Mas cada toque é ooh-la-la-la
É verdade la la la
Ooh, eu deveria estar fugindo
Ooh, você continua me fazendo voltar por você”

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...