História Separados por uma porta - Capítulo 2


Escrita por:

Postado
Categorias Fairy Tail
Personagens Levy McGarden, Rogue Cheney
Tags Fics Da Sereia, Gruvia, Jerza, Miraxus, Nalu, Role
Visualizações 10
Palavras 1.078
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Festa, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oi peixinhos tudo bom ?
Espero que sim !!!

Capítulo 2 - Entre quatro paredes


Pov Sereia (ou autora tanto faz)


Levy havia acordado cedo, geralmente ela começava o sábado apenas depois das dez, mas de acordo com sua tia, ela e Jellal teriam de ir cedo ao hospital ver os pais.

Levy trajava um vestido preto com mangas até as coxas, usava também uma tiara e sapatilhas da mesma cor.

Jellal estava de calça jeans, uma camisa branca e com a jaqueta vermelha que ele sempre usava.

Os irmãos foram sozinhos ao hospital, já que a tia havia chego antes deles, Juvia ficou em casa pra cuidar da irmã mais nova.

- Vai ficar tudo bem - Jellal tentava consolar a mais nova, Levy assentiu e apertou a mão do irmão. 

- Jellal, Levy falei com o doutor e ele vai deixa-los verem sua mãe ! - disse a tia se aproximando dos irmãos.

- Como eles estão ? - perguntou Levy.

- Sua mãe está estável, mas no momento se encontra em coma,  os médicos não deram previsão de quando ela pode acordar... Mas ela vai ficar bem ! - disse Grandine tentando se manter firme, ela não poderia desabar na frente dos sobrinhos. 

- E ele ? - perguntou Jellal.

- O estado do seu pai é pior, no moment...

- Ele não é o meu pai ! Meu pai não é aquele cara ! - gritou Jellal. 

- Calma Jelly eu me esqueci que você sabe da verdade...

- Que verdade ? - perguntou Levy sem entender.

- A Mackenzie que tem que te contar essas coisas,  desculpa Levy,  bom continuando... o estado dele não é bom, no momento ele está numa cirurgia de risco, mas se tudo der certo ele vai voltar pra casa !

- A gente pode ver a mamãe ? - perguntou Levy.

- Claro ! Venham - Grandine puxou os sobrinhos até uma sala com uma enorme janela - Só podemos ver ela daqui - disse tocando o vidro. 

Mackenzie estava pálida e seus cabelos azuis claros eram a única cor que tinha no corpo da mulher, quem a visse de longe pensaria que está até dormindo. 

- Quantos aparelhos... - exclamou Levy.

- Pelo menos ela está viva, tia a mamãe vai melhorar né ? - perguntou Jellal.

- Claro ! Logo logo ela estará em casa !


2 meses depois


Os dois primeiros meses sem a mãe foram dolorosos para a azulada mais nova, nesse tempo Levy parou de ir a escola, agora ela tinha uma professora particular, Levy não saia de casa, pra falar a verdade Levy mal saia do quarto, Rogue falava com a amiga todos os dias, no mesmo horário e ele nunca se atrasou.

-  Lele ! - chamou o moreno. 

- Achei que não viria hoje - disse sentando-se no chão e encostando as costas na porta, Rogue havia feito o mesmo do lado de fora do quarto - Então como foi o seu dia ?

- Sinceramente uma bosta ! Sting inventou de ser o cupido e adivinha quem teve que consertar as confusões dele ? - ele ficou quieto por um tempo mas logo respondeu a própria pergunta - O idiota aqui ! Fora isso o dia foi nor... Quase que esqueci ! Fui chamado na escola do Romeo, hoje aquele projeto de gente mordeu uma menina...

- O Romeozinho fez o que ?

- Mordeu uma menininha, pelo o que eu entendi, o Romeo e ela estavam nesses namoricos de criança, ai a garota veio pra escola de mão dada com outro menino e o Romeo mordeu ela, isso provavelmente é influência da Cana, aquela biscate ! Acredita que ela trocou de namorado só por que o atual é dono de um bar ?

- Não duvido se tratando da sua irmã...

- Meia irmã ! Parando de falar dos meus encostos, quando que você vai deixar eu ver você ? Tô com saudades de mexer no seu cabelo... fazem dois meses já...

- Não estou pronta pra sair !

- Eu sei, mudando de assunto, vai desistir da sua festa ?

- Provavelmente... queria comemorar com a mamãe, mas ela ainda se encontra em coma... Eu só tenho ela agora sabe... Papai morreu naquela cirurgia e eu não quero ficar órfã !

- A dona Zee é forte ! - Rogue se levantou - Tenho que ir, Cana vai sair pra trabalhar e eu tenho que ficar com o Romeo, até amanhã Levy ! 

A azulada nada disse, ficou quieta ouvindo os passos do moreno, Levy abraçou suas pernas e encostou a testa em seus joelhos.

- Levy vai jantar no quarto hoje ? - ouviu Juvia, sua prima, perguntar - Rogue já foi, pode descer se quiser...

A azulada abriu a porta e saiu daquele quarto escuro em que ela se encontrava, um dos motivos que Levy não querer que o amigo a visse, era que ela havia emagrecido e vivia com olheiras, Levy em alguns ângulos era irreconhecível, Jellal e Juvia já estavam acostumado com a "nova" aparência da menina,  outra mudança que teve foi em seus cabelos, os longos e azulados cabelos que Levy tinha agora em curtos e mais claros que o normal.

- Boa noite maninha ! - disse Jelly ao ver a irmã sair do quarto - Fico feliz que jante conosco hoje, concorda comigo Juvia !

- Juvia concorda e muito ! - logo a mesma percebeu em como falou - Desculpe estou meia avoada, eu acho ótimo que jante com a gente priminha !

- Levyzinha ! Você veio hoje ! - Wendy correu até a prima e a abraçou. 

- Wendy cuidado Levy está fraca lembra ?! - gritou Grandine da cozinha.

Grandine, Juvia e Wendy passaram a morar na casa dos Fernandes, já que Jellal não conseguia cuidar da irmã. 

Logo os azulados comeram e Levy voltou ao seu quarto, os outros já estavam acostumados com as saídas do quarto que Levy dava, mesmo que fossem raramente.

- Acha que ela vai melhorar tia ? - perguntou Jellal. 

- Eu espero que sim Jelly ! - disse a tia dando um sorriso triste enquanto olhava a sobrinha subir as escadas lentamente.

- Ela vai melhorar mãe ! Levy só precisa de um tempo... - disse Juvia tentando ser otimista. 

- A maninha tem razão mamãe, logo logo a Le volta a cantar pra gente ! - disse Wendy dando um sorriso. 

- Sinto falta da minha Levyzinha...

- Todas nós sentimentos Jellal, a alegria que ela tinha faz falta. - disse Grandine.

- Vamos parar de pensar assim ! Levy não iria gostar ! - disse Juvia.

Os outros concordaram e assim terminou mais um dia monótono na casa dos Fernandes...


Continua


Notas Finais


Chegamos a mais um fim de capítulo, espero que tenham gostado, até a próxima peixinhus !


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...