1. Spirit Fanfics >
  2. Sequestro de última hora ( Taekook - Vkook ) >
  3. Maré de azar

História Sequestro de última hora ( Taekook - Vkook ) - Capítulo 5


Escrita por: Verena_Amakiir

Notas do Autor


Olá manteigas e dengos cheirosos! 😎
Como prometido para vocês, eu vim atualizar o capítulo da atualização dupla. Como vocês já estão animados com a evolução/desastre dos Taekook, esse capítulo aqui vai mostrar um pouco do ponto de vista do JK em relação as coisas entre ele e o Tae.
Espero que gostem, pois esse é um dos capítulos que eu achei super legal em escrever, principalmente porque os Taekook não dão certo juntos, vou tornar a repetir isso KKKK

Boa leitura meus dengos cheirosos! ✨💙

Capítulo 5 - Maré de azar



§ Jeon Jeongguk pointer view §


Eu estou totalmente arrependido de ter sequestrado o filho do comandante Kim.

O garoto parece que me odeia em todos os aspectos, pois sempre que surge oportunidade me bate e às vezes me chuta de graça. Eu nem mesmo ousei a fazer algo quanto a isso, pois ele simplesmente se torna agressivo por conta própria.

De fato eu nem tento nada, nem mesmo revidar, porque do jeito que Taehyung costuma agir quando está comigo, me faz ter certeza de que a qualquer momento eu posso muito bem levar uma surra. Por mais que eu saiba me defender, seria injusto eu fazer isso com ele, pois se mostra um garoto mimado e delicado, então prefiro evitar levar uma bronca do meu irmão caçula por ousar a levantar o punho para socar aquele rostinho de criança mimada que o Kim possui.

Na noite passada tentei me aproximar, sendo gentil em emprestar o meu quarto para ele dormir confortável, mas tomei um chute no meio das bolas e depois um tapa no mesmo lugar. Eu confesso que me encontro indignado, pois hoje eu acabei de levar um tapa na cara e pude perceber que me tornei um saco de pancadas para esse Karma.

Esse garoto surta por qualquer coisa, costuma dar chilique por qualquer coisa e xingar também. Eu simplesmente não posso mais abrir a boca e nem mesmo lhe dirigir a palavra, pois é capaz de eu ser chutado novamente, ou até mesmo levar um soco. Ao menos Taehyung está sendo uma companhia, mesmo que chata e insuportável. Ele é a minha responsabilidade também e devo arcar pela merda de decisão que eu tive que fazer.

[ק×]

Desci do carro, soltando meu pulso da algema e prendendo os dois pulsos do Taehyung, sorrindo mínimo.

Puxei ele para se aproximar, então olhei ao redor, querendo ter certeza de que a barra está limpa, pois não quero chamar tanta atenção estando com esse garoto mimado.

— Escuta, tudo bem? — avisei, tirando um revólver do cós e entregando para ele. — Segura isso caso pensar estar em perigo, me grite rapidamente e tente não entrar em desespero.

— Eu não quero uma arma. — sussurrou, arregalando os olhos e negando com a cabeça. — Você está louco se vou fazer isso.

— Tudo bem. Então você vai entrar comigo, forjar o assalto e apontar a arma na cabeça daquele velho. — sugeri, dando de ombros e vendo sua reação negativa. — Vamos lá. Não precisa se preocupar.

— N-Não. Jeon, isso já é demais. Eu nunca peguei em uma arma, nem mesmo participei de um assalto, não é seguro. Eu não quero. — falou, entregando a arma para mim novamente e bufei baixo. — Eu vou ficar dentro do carro, é mais seguro.

— Tanto faz. Se fugir já sabe. — avisei, dando as costas e andando até o lugar onde fica o caixa, sorrindo mínimo e apontando a arma para o cara assim que entrei. — Passa todo o dinheiro, ou eu atiro.

Entreguei o saco para que ele possa colocar todos os wones, sorrindo sacana ao ver que realmente tem dinheiro de sobra e que aqui esse velho lucra muito, então ao menos irei poder comprar algumas coisas.

Observei o velho colocando todo o dinheiro e peguei o saco, agradecendo pela gentileza e quando eu estava prestes a dar as costas, arregalei os olhos, vendo Taehyung entrando desesperado na loja.

— Você não disse que ia ficar no carro? — perguntei, me aproximando dele e bufando alto.

— Eu até ficaria, se aqueles brutamontes não tivessem acabado de me jogar para fora e roubar a porcaria do carro. Seu idiota! — retrucou, me fazendo negar com a cabeça, pois isso só pode ser um karma.

— Mas eu mandei você me chamar se alguma coisa estranha pudesse acontecer. — falei alterado, apontando o revólver na cara do comerciante e empurrando o Kim para fora, guiando ele para que possamos fugir. — Anda logo, Taehyung. Mas anda sem olhar para trás.

Comecei a correr, puxando o Kim junto comigo e segurando o saco com o dinheiro na outra mão, pois irei roubar um carro na rua atrás dessa loja e dar o fora daqui.

— Espera! Para onde vamos? — questionou, tentando me acompanhar e então me escondi atrás do beco, tentando manter o pingo de paciência e calma que me resta.

— Vamos roubar outro carro. — falei com seriedade, dando trégua para ele descansar e olhei ao redor, vendo que ao menos estamos isolados e ninguém vai nos achar aqui.

— Nem pensar! — exclamou, negando rapidamente e parecendo em choque, mas não julgo, infelizmente estou tendo que aguentar essa cruz. — Você é louco.

— Taehyung, desde que eu consegui te usar para sair daquela delegacia, pude perceber que você é uma maré de azar na minha vida. — revelei, guardando o revólver no cós e olhando ao redor novamente. — É literalmente um karma de coisas ruins, porque simplesmente já me agrediu o suficiente, já me fez perder a paciência e agora fica choramingando porque o carro foi roubado.

— Você é um idiota! Eu pensei que poderia ao menos te ajudar, mas me enganei, porque você é orgulhoso e não pensa nem mesmo no seu irmão. — cuspiu as palavras, soando rude e certeiro. — Me usou esse tempo todo, continua me usando e mesmo assim eu tento ser legal, mas você é um estúpido.

— Não fale do meu irmão, não fale dos meus fardos e muito menos fale do que eu faço. — ordenei, deixando o saco com a grana no chão e puxando o revólver do cós, apontando para ele. — Você não sabe quem eu sou, não sabe o que tive que aguentar para chegar até aqui e não vou morrer na praia, Taehyung.

— Eu te odeio! — exclamou, vindo para cima de mim e começando a me estapear como pode, desatando em lágrimas e abaixei a arma. — Idiota. Babaca infeliz.

Fechei os meus olhos por alguns segundos, jogando a arma no saco de dinheiro e abraçando o garoto. Tentando ao menos acalmar a fera de alguma forma, porque eu sempre acabo com uma nova lesão desde que nos metemos nessa.

— Já passou. — sussurrei com a voz calma, dando alguns tapinhas nas suas costas e sentindo suas lágrimas molhando meu pescoço. — Calma Taehyung. Nós já vamos embora.

— E-Eu te odeio. — resmungou manhoso, voltando a me estapear, dessa vez mais fraco por conta do choro e apenas deixei ele aliviar essa raiva, tristeza e bipolaridade, pois ele é doidinho.

— Tudo bem. Eu também te odeio. — concordei, achando engraçado a situação que me encontro, pois estou sendo babá de um garoto mimado e chorão. — Estamos quites novamente. Eu também te odeio, você me odeia, então acabou. — falei, rindo baixinho e negando com a cabeça, vendo ele se afastando e revelando o bico emburrado nos seus lábios. — Vamos voltar. Na próxima te deixo com o Soobin.

— Idiota. — praguejou, fungando baixo e limpando os olhos banhados de lágrimas, mas eu apenas peguei o revólver e guardei no saco de dinheiro, fechando bem e colocando nas costas, pegando o mimado no colo.

— Uma criança birrenta e mimada. — sorri divertido, me lembrando de algo e querendo provocar um pouco, pois essa memória ficou fresca. — Para quem disse que tem primos e primas insuportáveis, você está agindo feito uma criança birrenta, mimada e cheia de frufru. — comentei, recebendo um tapa na cabeça e isso me fez rir. — Vamos para casa bebezão.

[ק×]

Entrei dentro de casa em silêncio, deixando o dinheiro no pequeno balcão de divisa da sala com a cozinha, fechando a porta com cuidado e segurando Taehyung com firmeza nos braços.

No meio do caminho eu notei que ele havia parado de chorar, mas não pensei que havia adormecido no meu colo e ainda por cima ter tentado me abraçar como pôde, já que está algemado.

A única coisa da qual eu tenho certeza é que eu devo ter humilhado Deus em outra vida, porque não me lembro de ter uma maré tão alta de azar e karma em apenas uma pessoa em menos de 24 horas. Taehyung literalmente se tornou um alvo de azar, porque desde que eu consegui fugir da delegacia com ele, eu já apanhei, já ouvi xingos, aguentei seus choros e também seus surtos de bipolaridade. Agora roubaram o meu carro.

É irônico demais pensar que roubaram meu carro em um assalto. Afinal, eu estava roubando quando me roubaram, o que me faz crer que esse é o pior bairro do país e está cheio de parasitas.

Notei que o meu dongsaeng não está em casa, então provavelmente o Yoongi deve ter levado ele para a escolinha e eu terei de buscar durante a tarde. Pelo menos a casa está em silêncio e ninguém vai acordar esse filhinho de papai chorão, pois eu vou poder descansar.

Segui em direção ao meu quarto, adentrando o cômodo ao cruzar o corredor e andei até a cama. Com cuidado deitei o corpo da bela adormecida no colchão, tirando os tênis dele e cobrindo seu corpo, negando com a cabeça.

Observei Taehyung se aconchegando nos lençóis, se encolhendo todo e fazendo uma careta ao mexer os braços, talvez a algema esteja lhe incomodando. Soltei os pulsos dele com a chave das algemas, deixando ele livre para dormir confortável e suspirei pesadamente, vendo que os pulsos dele estão com marcas vermelhas.

Lembrei-me do que ele fez comigo no beco da delegacia, então peguei as faixas que tenho em casa e a pomada que ele me deu, tomando cuidado ao segurar seu braço e não levar um tapa enquanto ele dorme. Sei lá, vai que ele é sonâmbulo e acaba me dando uma porrada de graça.

Comecei a passar com calma a pomada, fazendo o procedimento exatamente como ele fez comigo e enrolando a faixa, não deixando tão apertada para que haja circulação do sangue nessa área. Fiz o mesmo procedimento no pulso esquerdo, deixando as embalagens das coisas que usei no criado-mudo. Por alguns segundos parei e fiquei observando-o. Sua feição no momento está serena, denunciando que precisava desse descanso e que estava chato porque o mal era o sono mesmo.

Soltei um riso fraco com esse pensamento, cobrindo os braços dele também e deixando o abajur ligado, fechando as cortinas e ouvindo o resmungo dele, mas não conseguindo compreender.

Me aproximei da cama novamente, checando se ele não está com febre e suspirei aliviado, pois eu mal consigo cuidar de mim e do meu irmão, imagine se eu tentasse cuidar desse mimado. Com certeza seria um caos certeiro.

— Idiota… — ouvi ele resmungar novamente, me fazendo rir baixo por literalmente estar me xingando até mesmo nos sonhos, isso é coisa de louco mesmo.

— Então quer dizer que está me xingando até nos seus sonhos, baby? Poxa vida! — falei, negando com a cabeça, mas parei ao ver que ele está sorrindo. — E ainda está sorrindo. Esse garoto é bipolar mesmo.

Dei as costas, saindo do quarto e fechando a porta.

Sorri com a possibilidade dele estar sonhando com alguma coisa que eu fiz, por isso está me xingando e rindo para o nada. Típico de gente maluca mesmo. Acho que o comandante Kim sofre por ter esse garoto como filho, porque só Deus sabe o que eu estou passando em menos de 24 horas com ele no meu pé.

Ao menos estou livre. Quer dizer, nem tão livre.

Eu ainda estou com esse mimado chorão no meu pé, preciso dar um jeito de me livrar dele e sumir do mapa, mas infelizmente preciso de um carro e se eu conseguir roubar nessa noite, ao menos terei chances de me livrar dele o mais rápido possível.

Respirei fundo para relaxar os músculos tensos.

Entrei no quarto do meu irmão, me deitando na cama dele e fechando os olhos, pois espero que finalmente eu consiga ter um pouco de paz e dormir, já que na noite passada passei as horas em claro pensando.

A verdade é que tudo está saindo do controle e o meu plano saiu dos trilhos já tem horas. Talvez eu tenha feito errado em trazer Taehyung para minha casa, pois Soobin se encantou com esse mimado e fica me repreendendo, mas eu sei que ele só está preocupado, pois eu nunca fui de trazer reféns para cada e esse garoto foi uma exceção de última hora, sem planejamento algum.

Neguei com a cabeça levemente, tirando meus calçados e relaxando sobre a cama do meu dongsaeng, ao menos querendo cochilar e pensar em uma forma de despachar esse karma logo.

[ק×]

Abri os meus olhos um pouco perdido, mas sentindo um cheiro muito bom. Pisquei lentamente, me sentando na cama do meu irmão e ouvindo as risadinhas dele, então creio que o Yoongi deixou ele em casa, ao menos isso.

Bocejei um pouco preguiçoso, me levantando da cama e andando até o banheiro para me aliviar, pois eu acabei de acordar e nem sei quantas horas já se passaram desde que cheguei em casa.

Depois de me aliviar, lavei as mãos e andei para fora do banheiro quase me arrastando de tanta preguiça. Caminhei pelo corredor, vendo que o meu irmão está assistindo desenho na velha televisão da sala e franzi as sobrancelhas por ver as luzes da cozinha acesa, então fui até o cômodo, dando de cara com Kim Taehyung de avental e cozinhando alguma coisa.

— O que aconteceu? — perguntei confuso, me aproximando da geladeira e pegando a garrafa de água, deixando sobre a pia.

— Você acordou. — disse, deixando a panela sobre o fogo e se virando para mim, abrindo um sorriso. — Estou fazendo o jantar.

— Hm… — resmunguei, observando a feição desse garoto e arqueando a sobrancelha, pois ele é muito bipolar e se eu fizer algo vou acabar apanhando. — Tomou posse da cozinha mesmo.

— Desculpa. — sussurrou, parecendo sem graça.

Notei que ele tirar o avental, andando até a sala, mas segurei com cuidado no seu pulso e vendo que ele ainda está com as faixas, só que nelas têm desenhos de carinhas fofas, bem a cara do meu irmão fazer isso.

— Está tudo bem. — falei, trazendo ele para a cozinha novamente e sorrindo mínimo. — O cheiro está atraente, então o gosto deve estar ótimo. — elogiei, vendo as suas bochechas ganhando uma coloração rosa e soltei um riso baixo. — Obrigado pelo cuidado.

— D-Disponha. — disse falho, recolhendo o seu pulso e abaixando a cabeça, voltando para o fogão um pouco acanhado e mexendo no que notei ser o bibimbap na panela. — O-Obrigado por hoje.

— Estamos quites. — sorri, me aproximando dele e colocando o avental no seu pescoço novamente, deixando bem esticado e amarrando com cuidado nas suas costas.

Reparei que os músculos dele ficaram um pouco tensos, me fazendo rir baixinho e negar com a cabeça, pois ele está morrendo de vergonha e não sabe como reagir.

Peguei um garfo, levando até a panela com a carne, mas senti um tapa na minha mão. Olhei para o lado, vendo a cara feia do Kim para mim, mas apenas roubei um pedaço da carne e dei uma mordida, sentindo o sabor e levando o garfo em direção aos lábios dele.

— Está gostoso. — elogiei novamente, vendo como Taehyung está morrendo de vergonha e isso me faz se divertir um pouco. — Experimenta. Uma delícia.

Sorri ao ver que mesmo acanhado, Taehyung aceitou a carne e começou a mastigar, fazendo uma expressão de satisfação.

— Eu disse que estava bom. — sussurrei, limpando o canto dos seus lábios e lambendo meu dedo, deixando o garfo na pia e rindo baixinho por ver que ele está fazendo cosplay de pimentão por estar vermelho. — Você vai explodir rápido demais se continuar soltando fumaça.

— Idiota! — xingou, desligando as bocas do fogão e negando com a cabeça, mas não deixando de abrir o seu sorriso tímido. — Vai para a sala e me deixa em paz.

Gargalhei alto da sua forma de agir, acenando e dando as costas, mas não deixando de me divertir por ver como ele é apenas um adolescente bobinho e inocente.

De fato, esse garoto não somente é um Karma na minha vida, como também pode ser chamado de distração temporária.





Notas Finais


Então quer dizer que aqui os Taekook tiveram uma pequena evolução? É um milagre KKKK
Mas falando sério, agora tudo vai se desenrolar e vamos torcer para que esses dois parem de ser chatos. Eles brigam por qualquer coisa, até pelo grão de poeira no balcão.
Espero que tenham gostado desse capítulo, pois é provável que a atualização do próximo venha somente na quarta-feira, então me aguardem até lá, porque está corrido aqui para mim. Tive que vir aqui correndo para atualizar o prometido e irei sumir.
Se você é novo por aqui, vai deixando o seu coraçãozinho para me apoiar e comentem para mim o que achou, please! Irei ficar feliz em estar te recebendo de braços abertos!
Por hoje é somente isso, zero recados.

Beijos e até a próxima! ✨💖


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...