História Será Amor? - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Originais
Visualizações 41
Palavras 2.206
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Linguagem Imprópria
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas do Autor


OIE OIE OIEEEEEE
Eu sei que estou meio sumida das minhas fics, mas é por que... Esses dias eu estou meio sem ânimo.
Agradeçam a @Purple_Angel por eu estar postando hoje. Eu escrevo essa fic por causa dela e resolvi ostar só pq ela tá doente e quero deixá-la feliz.

Aproveite o capítulo miga! E todos os leitores tbm!
Boa leitura meus bolinhus!

Capítulo 3 - I will "teach" you.


Fanfic / Fanfiction Será Amor? - Capítulo 3 - I will "teach" you.

-Então, aonde a senhorita estava que demorou?- Perguntou Natália, colocando sua comida no prato.- Quer dizer, eu sei que você sempre demora pra sair do armario, mas hoje ficou mais tempo.

-Não foi nada de mais.-Respondeu Melissa, também pegando sua comida.

-Claro que foi! Me fala, você sabe que sou sua melhor amiga e que pode confiar em mim! Sei que não sou muito fofa ás vezes...

-Ás vezes?!- E cortada por Melissa.- Você nunca é fofa! Na verdade é o demônio em pessoa!

 -Não! Eu sou a assistente do Lúcifer! Sou a Lúciferina!

-Lá vem! Mais uma de suas series loucas de demônio!

-Mais respeito com o Lúcifer!

-Ok, ok!

-Voltando a você...- Falou com um sorriso malicioso no rosto.- Foi algum garoto?

-O-o que?! N-não!- Melissa queria ser bater por ter gaguejado.

-Tá, me engana que eu gosto!

 -Que giria velha! Ninguém mais usa isso!- Elas riram, se sentando na mesa com suas bandeijas.

-Não desvia o assunto! Voltando a falar de você senhorita... E esse garoto? Você gosta dele?-Melissa ficou vermelha.-Porque não me disse antes?!

-Ei, nunca falei que gostava de ninguém!

-Seu rosto vermelho já responde todas as perguntas!

-Ótimo.- Murmurou Melissa em um tom sarcástico.

-Vai, me conta quem é!

-Não sei se devo, você riria da minha cara.- Responde, dando uma garfada em sua comida.

-Quem, eu?!

-Não, essa parede aqui do lado.- Respondeu sarcástica.- Com quem mais eu estou falando?!

-Grossa!

-E você um mar de rosas!

-Sempre!- Fez uma cara fofa.

-Ah, ta bom! Vou finjir que eu acredito!

-Perfeito, assim vivemos em harmonia!- Riram.

-Ok, né...

-Ei! Você quer parar de desviar o assunto?!

-O que eu fiz?- Pergunta Melissa, mesmo sabendo qual seria a próxima fala da amiga.

-Quem é esse garoto? Não me diz que é mais um desses seus coreanos...

-Não! É... Um garoto, da nossa idade, do Brasil.- Naty riu.

-É da nossa escola??- Melissa só assentiu com a cabeça.- Da nossa sala?- Melissa abaixou a cabeça.- Meu deus, serio isso Melissa?!

-Natalia, você tem que jurar não contar pra ninguém!

-Ok, ok eu juro! Maaaas, você tem que me contar quem é! Vai conta! Conta! Conta!

-Tá bom! Tá bom! É... O Vitor.

-O VITOR?!

-Meu deus! Quer falar baixo?!

-Ok, desculpa, desculpa... Mas, o Vitor? Eu nunca pensaria nele...

-Eu sabia que você ia rir da minha cara...

-Não, não! Não estou rindo... Talvez não por fora...

 -Natalia!

 -É que eu nunca pensei em vocês como casal, sabe? Ele o popular, você a quietinha... Mas, quem sabe?! Não sou muito romântica, não sei sobre esse tipo de coisa, você é a conselheira amorosa aqui!- Elas deram uma risada e terminaram de comer.- Eu realmente não sei o que dizer...- Comentou enquanto pagava seu almoço.

-Então não diga nada! Vamos?

-Vamos.- Elas voltaram pro colégio, e Melissa foi até o salão, pra sua aula de teatro.

 [...]

Depois de fazer sua lição de casa, Vitor pegou uma folha de papel e começou a desenhar. Ele era péssimo nisso, realmente. Um dia quando tentou desenhar um gato, seus amigos disseram que era um elefante.

Realmente, péssimo. Mas, naquele momento, estava inspirado. Por mais que não gostasse, queria. Mas não sabia o que fazer. Apenas começou a rabiscar coisas na superfície branca para ver o que saía.

Quando terminou, finalmente, olhou para a folha para ver o que havia feito. Mas, se surpreendeu ao ver um panda, desenhado perfeitamente bem.

Ele não sabia o que havia acontecido, nunca tinha desenhado daquele jeito tão perfeito.  Depois de um tempo tentando entender o que aconteceu, desistiu. Resolveu só pintar o desenho, outra coisa que estava com medo, já que não tinha jeito para nenhum dos dois.

Quando terminou, o dobrou e colocou na sua mochila. Sentou em sua cama e quando ia pegar seu celular, sua mãe entrou no quarto.

-Vitor, vem jantar filho!

-Já estou indo!- Ele guardou seus livros, se dirigiu a sala e sentou á mesa pra jantar.

Melissa, assim que terminou de comer, pegou seu celular e abriu seu grupo de WhatsApp mais divertido, chamado "CAPOPI DORGAS". Sim, ela tinha um  grupo assim. Elas e mais duas amigas que eram fissuradas em Kpop, que nunca paravam de mandar coisas engraçadas em um nível... "Toddynho".

Resumidamente pra quem não entende: Um nível "Estou drogada até demais".

Pois é...

Voltando, Melissa estava á um tempo com a ideia de fazer um perfil no instagram. Então sugeriu a suas amigas que elas fizessem juntas.

O nome seria "Refúgio das Kpoppers" e as três administrariam, postando memes e imagines de grupos diversos.

Conversaram mais um pouco sobre e resolveram deixar para conversar na escola.

-Ai que merda! Amanhã é quinta!- Murmurou Melissa, antes de se jogar na cama.

 As quintas-feiras eram, em parte, boas e em parte ruins.

A parte ruim eram que as três primeiras aulas eram:  Alemão, Ingles e Alemão. Era um saco. Ninguém aguentava.

A parte boa, era que não tinha aula de matemática, nem de geografia. As duas aulas mais temidas, odiadas e entediantes daquela classe.

Melissa se levantou e pegou seu pijama. Quando ia tirar sua roupa para tomar banho, seus pais entraram em seu quarto.

-Oi filha.- Disse sua mãe.

-Oi, que foi?- Perguntou a loira.

-Filha, o meu trabalho está pedindo para que eu faça uma viajem, e sua mãe vai junto, mas não queríamos te tirar da escola.- Respondeu seu pai.

-Tudo bem. Quanto tempo?

-Dez dias. Pensamos que você pudesse ficar com sua vó e...- Começou a mulher, mais foi cortada por sua filha.

-E se eu ficasse sozinha? Quer dizer, são só dez dias! Além do mais, a Rose vem toda terça e quinta! Eu consigo me cuidar.- Os pais da menina se entreolharam, e sua mãe continuou:

-Tem certeza?- Indagou preocupada.

-Absoluta. E, eu sei sair na rua sozinha. Vocês sempre me deixam ir no mercado aqui do lado, e de vez em quando, volto de ônibus da escola pra casa. Eu sei que vocês confiam em mim. Sabem que está tudo bem.

-O que você irá comer?- Perguntou, ainda preocupada, a mãe da loira.

-Como já disse, eu posso ir no mercado aqui ao lado. Sei usar o fogão. Posso fazer um ovo, sei lá! E também a Rose pode cozinhar, e vou comendo as sobras nos dias seguintes. Não ten com o que se preocupar, vai ficar tudo bem!- Os pais de Melissa sorriram.

-Sabemos que vai.- Respondeu o homem.

-Ok senhorita, nos convenceu! Você pode ficar sozinha.- Melissa sorriu.

-E, afinal, pra onde vão?

-China.- Respondeu o pai de Melissa. O banco aonde ele trabalhava, era chinês e algumas vezes, como os chineses adoravam o pai da Melissa, sempre o convidavam pata viagens á trabalho, mas nada nunca foi tão grande quanto a China.

-Uau!- Falou a menina, impressionada.- Que legal!- Os pais dela sorriram- Quando vão?

-Amanhã de manhã, enquanto você estiver na escola.- Falou o pai de Melissa.

-Isso quer dizer que...-  Melissa parou de falar, esperando que seu pai continuasse a frase.

-É, amanhã você terá que ir de ônibus pra escola.

-Ok...

-Agora nós vamos deitar.- Fala mãe de Melissa dando um beijo na bochecha dela.- Até filha...

-Até...- Ela abraçou seus pais que foram se deitar.

 Depois, Melissa tomou seu banho, vestiu seu pijama, se deitou e dormiu profundamente.

[...]

Era a última aula, português, e todos rezavam para que o sinal tocasse logo.

-Então senhores- Começou o professor Rodrigo.- Vou marcar a prova do livro para quarta-feira da semana que vem.- Falou escrevendo no calendario da classe.

-Você conseguiu terminar o livro?- Sussurou Giovana.

-Sim!- Respondeu Melissa no mesmo tom. Elas sorriram.- E você Alice?- Se inclinou pra frente.

-Ainda não.- Fez com o dedo, uma lágrima escorrendo de seu rosto. Essa era uma brincadeira que quase todo mundo fazia. 

-Que capítulo você está?- Perguntou Gi.

-No dois ainda.- As três riram silenciosamente. 

Todos os sussuros foram interrompidos pelo alto som do sinal. Rapidamente os barulhos de livros se fechando e zípers de estojos foram ouvidos, como sempre. 

E como sempre, meninos sairam em disparada pela porta, e meninas ainda se arrumavam com calma. Só mais um quinta-feira normal. 

-E ai Vitor, o que você queria me falar hoje no recreio e não conseguiu?- Perguntou Jeremy.

-Ah sim! Vem cá!- Vitor fechou sem armário, e puxou Jeremy um pouco mais afastado, de modo que ficassem encostados num canto da parede do corredor.- Então, ontem eu estava sem nada ra fazer, e fiz um desenho.- Vitor puxou o pael de seu bolso.

-Mas, você odeia desenhar. Você não sabe desenhar!

-É, eu sei. Só que eu peguei a folha, comecei a rabiscar qualquer coisa, e quando olhei, tinha feito isso.- Vitor estendeu a mão que continha o papel e Jeremy o pegou.

-Caralho! Ou, não foi você que fez isso! Isso aqui tá muito lindo!

-Eu tive a mesma reação, mas fui eu sim...

-Cara, um panda? Sério?

-Foi sem querer! Como eu disse, só comecei a rabiscar, e saiu isso! O que e faço?

-Eu acho que você está realmente apaixonado.- Vitor respirou fundo.- Olha cara... Faça o que você quiser com esse desenho, ele é seu. E realmente está muito bom! Depois nos falamos, tenho que sair com meu irmão.- Jeremy dobrou o papel novamente e o entrgou na mão de Vitor. Deu dois tapinhas nas costas de seu amigo e desceu as escadas, sumindo na multidão de alunos que saiam em disparada.

Vitor sorriu, ao pensar no que podia fazer com aquele desenho. Então se encostou na porta da sala e ficou ali, esperando, a pessoa quem ele queria mais ver. 

-Te esperamos lá em baixo!- Falou Laura, se dirigindo á Melissa. 

-Ok!- As meninas passaram rápidamente nos seus armários e desceram. 

Melissa passou distraída pela porta, se agachou e começou a mexer no seu armário normalmente, sem prerceber que estava sendo observada com um sorriso bobo. 

Ainda no chão, pegou seus fones e os colocou. Se levantou e quando ia colocar uma música, percebeu a presença de Vitor ali.

-O-oi!- Falou um ppouo surpresa.

-Oi!- Ele sorriu e se aproximou.- Pelo menos não nos trombamos hoje!- Eles riram, enquanto a garota ajeitou sua mala em seu ombro direto. - Enão temos como derrubar suas coisas, já que você não está segurando nada!- Eles riram de novo. 

-Pelo menos! Já que pra amanhã os professores resolveram não passar lição!

-Graças á Deus!- Riram.- Ei, eu...- Ele respirou fundo.- Queria te dar uma coisa...- Melissa estranhou, e ficou mais nervosa do que já estava por estar falando com ele. Ela o viu tirar um pepel do bolso e a entregar.- É um desenho que eu fiz. Eu nunca desenhei bem, mas ontem eu peguei um papel, comecei a rabiscar... E saiu isso.- Melissa abriu o papel, ficando com uma expressão surpresa ao ver o lindo desenho de um panda... Ovindo música. 

-Ai meu Deus que fofo!- Melissa sorriu, deixando Vitor menos nervoso. A loira olhou pra cima para olhá-lo.- Você quem fez? 

-S-sim...

-D-desculpa perguntar. É que eu lembrei daquele dia da aula de artes, que você desenhou um gato e seus amigos falaram que era um elefante...- Ela abaixou a cabeça.

-É, eu fiquei um pouco chateado aquele dia, mas já está tudo bem- Ela voltou a olhar para Vitor.- Mas sim, fiu eu quem desenhei. Achei um pouco estranho eu ter desenhado desse jeito, mas eu queria que você ficasse com ele. 

-Sério?- Perguntou Melissa animada.

-É. Quando eu parei pra olhar o que eu fiz, pensei em você istantaneamente. Q-quer dizer... Você adora usar roupas pretas e brancas e, está sempre ouvindo música então...

-Eu adorei.- Ela sorriu corada.

-M-mesmo?- Perguntou coçando a nuca.

-Sim.- Eles sorriram um para o outro. Melissa sentiu aquelas famosas borboletas na barriga, que costumava sentir quando falava com ele. Vitor não queria mais parar de sorrir. Queria abraçá-la e tê-la em seus braços, para sempre. 

Depois de algum tempinho se olhando, ele olhou para os fones da mesma e resolveu falar.

-Ei, você está me devendo aulas de como ser eclético!- Ela riu, guardando o papel no bolso de seu moletom.

-Eu não diria bem 'écletico'... Tá mais para... Músicas de outro país. Por que as brasileiras...- Eles riram.

-O que? Você não gosta de nenhuma?!- Perguntou surpreso.

-Algumas, sim! Mas... Todas que não são funk ou sertanejo.- Vitor colocou a mão no peito.

-Ai, essa doeu!- Eles riram- Mas, voltando, você vai me ensinar?

-Olha...- Ela fez uma cara pensativa e brincalhona.

-Por favor...

-Ok...- Ele sorriu.- Eu vou te "ensinar"- Falou fazendo aspas com as mãos e os dois riram.

-Uhul! Consegui!- Eles riram mais uma vez.- E então, o que você ia ouvir?- Vitor apontou para os fones da loira. 

-Uma música que me mostraram esse recreio. O nome é "There For You" do Martin Garrix e Troye Sivan.

-Nunca ouvi falar deles.- Ela riu fraco.

-Eu também não. Descobri eles hoje e já estou muito viciada nessa música. Tipo... Muito mesmo.- Ele riu.- Quer ouvir? 

-Com certeza! Se você diz que é tão boa...- Melissa sorriu, enquanto ele pegava o fone de sua mão. 

-É muito boa.- Ela deu play.

 

 

 

 

Te mostrarei outros caminhos, para que não fique preso á só um.

 

 


Notas Finais


Esero que tenham gostado!!

E UM AVISO ÁS ARMYS: Essa conta é real! Sim! Eu tenho essa conta com as minhas amigas, então se quiser nos seguir, aceitamos todos no refúgio! (MENOS A NEIDE): @refugiodaskpoppers

Desenho do Vitor > https://i.ytimg.com/vi/PfsYeqrD7jQ/hqdefault.jpg

Beijinhus Fanáticoos!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...