História Será Amor? - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Amizade, Bts, Jungkook, Kookie, Romance
Visualizações 16
Palavras 775
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Aventura, Ficção Adolescente, Lemon, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Drogas, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá!! Venho aqui humildemente, postar o primeiro capítulo de minha primeira fanfic.
Espero que vocês gostem e tenham paciência comigo haha

Boa Leitura!

Capítulo 1 - O Início


Desperto do meu sono com o barulho irritante do despertador que se encontra ao lado de minha cama, onde preguiçosamente estico meu braço para desligá-lo de uma vez, antes que eu o jogue na parede. Após desligá-lo, permaneço por mais alguns minutos com a cara no travesseiro, até deitar-me de barriga pra cima e ficar encarando o teto por mais alguns minutos, pensando que amanhã terei meu primeiro dia de aula em uma nova escola.

Bom, deixe-me apresentar-me. Me chamo Luiza, tenho 17 anos, até ontem morava com minha mãe em Busan - meus pais são separados - mas decidir vir morar um tempo com meu pai aqui em Seul, minha mãe está conhecendo um cara e as vezes me sinto estranha em relação a isso, não que eu não goste dele, ele até que é divertido, mas slá, acho que seria bom pra minha mãe ter mais tempo com ele, e bom pra mim também, passar um tempo com meu pai. Não que tenha sido fácil convencer a minha mãe que eu estava "me mudando" porque queria apenas respirar novos áres e passar um tempo com meu pai - o que não deixa de ser verdade - e colocar na cabeça dela que o problema não era com ela,seu namorado Bob ou o relacionamento dos dois, o que ela insistia em me perguntar se era ou não. Finalmente ela entendeu, e não me impediu mais, ficou super chorosa o caminho todo até a estação de ônibus, e me perguntou milhões de vezes se realmente era isso que eu queria, ou se caso eu não gostasse era pra ligar pra ela, que ela viria no mesmo instante me buscar - tipo, ele é meu pai cara, eu sei que faz um tempo que não o vejo pessoalmente, mas sempre nos falávamos por ligações ou mensagens, então, menos mãe kk.

Então, aqui estou eu, cheguei sã e salva, e estou sem a mínima vontade de levantar daqui e parar de pensar na droga de escola que terei amanhã. Agradeço aos céus por ser o último ano do Ensino Médio, porque certamente não aguentaria mais esses adolescentes patéticos de ensino médio, tāo pouco as matérias que tanto detesto.

Logo sou tirada de meus pensamentos por batidas na porta, era meu pai, me chamando para almoçar, sim, eu dormi bastante e agora já é bem tarde, mas ontem cheguei muito cançada, então me dá um desconto. Levanto preguiçosamente, faço um coque desajeitado no cabelo, e assim desço para almoçar. Já no final das escadas sinto um cheiro delicioso vindo da cozinha, mais alguns passos e avisto uma deliciosa macarronada em meu prato.

Luiza: que cheiro maravilhoso - inspiro profundamente e sorrio - estou morrendo de fome - digo, fazendo-o rir.

Jonh: Então a dorminhoca acordou é -disse alegre - coma o que o chef aqui preparou - falou brincalhão e me arrancou um riso - dormiu bem?

Luiza: sim, e como, estava exausta da viajem - dei a primeira garfada e a comida por mais simples que fosse, estava uma delícia, não me recordava que ele era bom cozinheiro.

John: imagino, só esteja descançada até amanhã, pois como já sabe você tem aula, começa às 7:30, levarei você de carro antes de ir pro trabalho, para conhecer o caminho. - o olhei desinteressada.

Luiza: é eu sei, não estou com a mínima vontade de ir, mas sei que o senhor vai me obrigar de qualquer jeito, então...

Jonh: não seja dura, você logo se acostuma e faz novos amigos - falou com a esperança de me animar um pouco pra amanhã, mas não adiantou muito, não estou afim de fazer novas amizades, me dá preguiça, mas talvez seja necessário...

Conversamos sobre assuntos aleatórios durante o almoço, arrumei a cozinha enquanto meu pai assistia um programa de tv qualquer, o que eu iria fazer o resto de minha tarde, só que com séries, mas para ser perfeito mesmo eu precisava de besteiras pra comer a tarde toda, então pedi pro meu pai pra que me desse dinheiro para poder comprar.

John: eu compro pra você, o que vai querer? - disse ele já se levantando, mas o empedi.

Luiza: não precisa, eu vou, me diz o caminho, e eu irei. Será até bom para eu conhecer as coisas por aqui. - me olhou por um segundo, e concordou, dizendo para eu levar o celular e lhe ligar caso me perdesse.

Subi para tirar o pijama e colocar uma roupa um pouco mais apresentável, optei por colocar um jeans preto e um moletom qualquer, até porque não havia necessidade alguma de me arrumar.... Quem eu poderia encontrar não é mesmo!!?!
 


Notas Finais


Espero que tenham gostado!!!
Me digam o que acharam, até o próximo capítulo!!! <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...