1. Spirit Fanfics >
  2. Será amor ou apenas amizade? >
  3. Por quê?

História Será amor ou apenas amizade? - Capítulo 3


Escrita por:


Notas do Autor


Oiii!

Leiam as notas finais, pfv.

Tenha uma boa leitura! 💛

Capítulo 3 - Por quê?


Fanfic / Fanfiction Será amor ou apenas amizade? - Capítulo 3 - Por quê?

- COMO?! – a questionam juntos em bom som para todos da cafeteria ouvirem e o olharem, os deixando sem graça e curvar levemente a cabeça a todos.

Deixe-me explicar a situação. Ha-yun chamou seus dois melhores amigos de infância, para lhes contar o ocorrido de ontem. Ela contou tudo que aconteceu, no seu ponto de vista, depois de ter se separado deles.

- Princesa, tem certeza? Você ‘tá’ bem? – coloca a mão em sua testa e ela joga para o lado, com um olhar de indignação.

- Yah! Está falando que estou louca? Eu o vi com meus olhos e o escutei com meus ouvidos! – revoltada, retruca Sehun.

- ‘Tá’ legal! Nós já entendemos! – acaricia seu ombro, tentando acalmá-la – Só achamos muita coincidência vocês se esbararem na frente da biblioteca da escola.

- Chanyeol! Você acha que eu não pensei assim no começo? – gesticula com as mãos enquanto fala.

Eles continuam falando sobre o dia anterior. Sehun olha para o caixa e vê uma garota de cabelos curtos e escuros, óculos redondo, lábios avermelhados, pele branca, olhos negros como seus cabelos, roupas casuais que combinam com seu visual. Ele fica com a boca entreaberta e os dois percebem. Olhando para a mesma direção do “baka", como diz a protagonista, entendem sua cara de bobo.

- Por favor, pare de babar! – brinca o hyung ao seu lado.

- Estou babando? – preocupado passa as mãos na boca.

- Finalmente, voltou ‘pro' mundo real! – riem do garoto.

- Parem com isso! Não estávamos falando da volta de Baekhyun? – muda de assunto, dessa vez prestando atenção.

- Só irei deixar você se safar dessa vez! – cruza os braços.

- Como estava falando, não tem a possibilidade dele estudar na D.E.D.R University? – ela apoia os braços na mesa inclinando a cabeça para frente tomando um gole de seu milkshake.

- Sim, mas ele não tinha desistido da música? – Chanyeol a olha indignado – Como pode tomar milkshake a essa hora?

- Parece o Suho!

- Essa garota não para de nos impressionar. – Sehun ri baixo.

{Depois das aulas}

P.O.V. Ha-yun 

Eu combinei com os meninos de nos encontrarmos no prédio do Sehun, Departamento de Teatro. Minha aula já acabou e vou a caminho ao nosso ponto de encontro. Ao entrar vejo o baka com uma menina. Logo penso em salva-lo.

Antes dele ir pro exército, sempre que uma garota, na qual ele não está interessado, encher o saco dele, eu entro em cena. Apenas vejam, vocês irão entender.

Vou, saltitante até eles. Me aproximo do baka e entrelaço meu braço ao dele.

- Oi, oppa! – sorrio – Por que demora tanto? – faço cara de inocente.

- Ah, Ha-yun! Essa é a... – a olhamos e reconheço seu rosto.

- Olá, me chamo Kang Dae-jung, do curso de Veterinária. – faz reverência e então me lembro.

- A menina da cafeteria! – aponto o dedo indicador a ela com os olhos arregalados e um sorriso de satisfação – Oi! Eu sou... – olho meu braço ainda envolta do dele e logo o solto – sou Kim Ha-yun, do curso de Moda! – curvo minha cabeça.

- Vocês são... sabe, namorados? – confusa questiona.

- Deus me livre, guarde! Ele? Meu namorado? Nem morta! Tá amarrado! – respondo incrédula. Ele me bate, discretamente, com o cotovelo – Aigo! – coloco minha outra mão no local nocauteado.

- O que houve? – preocupada pergunta.

- Nada, estou bem, estou bem.

- Ha-yun é uma amiga de infância. – disse simplista – Por isso somos muito próximos.

- Oh! Entendi. Mas agora preciso ir. Tchau! – se despede e acenamos com a mão.

- Precisava ter batido tão forte? – faço bico chateada.

- Sim. Se continuasse, minha reputação acabaria! – coloca as mãos nos bolsos.

- Cheguei! – Chanyeol vem até nós correndo.

- Então podemos ir?

- ‘Pera', me deixe ver se não esqueci de algo. – olho minha bolsa e sinto falta de um livro. Procuro no fundo da bolsa e nada – Gente, eu esqueci um livro lá na minha sala.

- Aigo! – reclamam.

- Vamos, vai ser rápido! – puxo eles pelos antebraços.

Ao entrarmos no prédio encontro novamente o homem que faz meu coração disparar. Foi como ele se virasse para trás em câmera lenta e caminhasse até mim com um sorriso, aquele sorriso que me faz ficar sem estruturas. Meu coração fica à mil! Levo minha mão até o peito, sentindo as rápidas palpitações.

Acho que já vi essa cena em algum dorama.

Eu não estou vendo a cara dos meninos ao meu lado, mas tenho certeza que estão boquiabertos.

- Ha-yun, ontem você deixou isso cair. – pisco duas vezes, rápido, voltando a realidade. Olho o que suas mãos tem.

- Meu livro! – pego de suas mãos – Obrigada! – minhas bochechas ardem!

- Baek...? – Chanyeol o chama surpreso.

- Chanyeol? Sehun? A quanto tempo! – sorri.

- É mesmo. – o baka responde sem expressão alguma. Eu entendo ele não ficar tão feliz vendo o Baek, mas não precisava ser tão seco!

- Cara, você voltou mesmo! Eu pensava que essa doidinha estava vendo coisas! – risonho, aponta o polegar em minha direção.

- Aish! – sussurra indignada. Como ele pode falar de mim assim? - Po-por que não saímos juntos? – arrisco fazer um convite a ele.

- Eu adoraria... – olha atrás de nós e desfaz seu sorriso – Mas deixa para a próxima. Eu preciso ir, até mas! – coloca o boné em suas mãos e saí em passos largos.

Ficamos parados, o observando ir embora. Meu coração aperta vendo suas costas irem e eu não poder fazer nada. Fico triste em não vê-lo mais, simplesmente sumiu no meio da multidão.

Meus amigos se olham, como se estivessem conversando com o olhar. Eles sabem como me sinto.

- Aigo! Estou morrendo de fome! O que será que a ajumma Yang-mi fez para hoje? – faz movimentos circulares em sua barriga.

- Yah! Hyung, você só pensa em comer! Você não disse que precisa fazer um trabalho para semana que vem , de setenta páginas?

- Ei, seu estraga prazeres! Não se esqueça que sou mais velho que você! – gesticula com as mãos. Eu sei que eles estão fazendo isso para me alegrar e entro na brincadeira, rindo dos dois. Sempre tem essas discussões desnecessárias...

- Vocês vão comer na minha casa hoje, certo? – afirmam com a cabeça – Então... quem chegar por última é a mulher do padre! – saiu correndo dali.

- Yah! Espere aí sua doidinha! – os dois vem atrás de mim. Sabia que seria bom eu vir de tênis hoje!

P.O.V. Narradora 

Para os três amigos, o sujeito que não viam a anos já tinha ido embora. Na verdade ele ficou escondido atrás de uma parede os observando de longe.

Ele se perguntava o motivo de Ha-yun estar tão cabisbaixa.

- Quem chegar por último é a mulher do padre! – ouve a garota gritar e sair correndo.

- Yah! Espere aí, sua doidinha! – os outros correm atrás dela.

Ele abre um pequeno sorriso, aliviado por ela já estar melhor. Da uma última olhada no lugar e saí com todo cuidado de lá.

Enquanto caminha ele pensa no que poderia ter deixado a velha amiga triste, no porque de Sehun ter sido seco, no porque aqueles caras não param de segui-lo e porque seu coração acelerou ao ver aquele sorriso, que só tem esse efeito com ela.

Com várias perguntas em sua cabeça, segue seu caminho, sem um rumo específico.

~~*~~

Os três jovens chegam na casa da menor, tiram seus sapatos na entrada e cumprimentam Yang-mi.

- Há quanto tempo não vejo vocês! Estão maiores desde a última vez que os vi! – exclama a senhora sorridente.

- Ajumma, estava com saudades! – Chanyeol fala manhoso com um bico fofo.

- Depois ainda vem bancar o mais velho de nós. – comenta ao seu lado, com um sorriso ladino.

- Isso é jeito de falar com seu hyung? – incrédulo o olha.

- Parem com isso e venham comer! A ajumma já preparou um lanche antes do jantar. – a menor caminha até a sala de jantar com os outros atrás dela.

Eles se sentam e começam a comer. Todos conversavam na mesa, mas a Kim fica em silêncio, seus pensamentos estavam em um certo alguém.

Byun Baekhyun: eles se conheceram quando tinha 13 anos. Estudaram na mesma escola, e como disse anteriormente, Ha-yun se apaixonou por ele no oitavo ano. Não foi um amor a primeira vista, como nos dramas, mas é um amor que durou a anos, e continua em seu coração até hoje. Baek queria se tornar um pianista e cantor, tinha muito talento. Por conta de um acidente ele decidiu desistir desse sonho e um tempo depois sumiu. Apenas desapareceu em uma noite chuvosa e fria.

- Cheguei! – o barulho da porta se abrir chama a atenção deles e faz a mais nova voltar a realidade.

A ajumma se levanta para cumprimentar o homem e a doidinha, como diz Chanyeol, se levanta da cadeira.

- Bem-vindo de volta, sr. Suho! – fala sorridente.

- Olá, ajumma! – vão até a sala de estar – Oi, pessoal!

- Eai, cara? – fala Chanyeol continuando a comer.

- Oi, hyung! – os cumprimentam com um sorriso caloroso. O mais velho olha sua irmã, que sorri.

- Bem-vindo de volta, oppa! – seu olhar é vazio e seu irmão se preocupa – Eu vou descansar lá no meu quarto. Vim correndo, e valeu apena porque eu ganhei! – saí do cômodo sorridente tentando agir normalmente.

- Aconteceu algo, não é? – olha os dois sentados olhando o nada.

- O “amigo" que ela reencontrou ontem foi Byun Baekhyun. – encara o maior em pé – O garoto que ela gosta, e que a deixou anos atrás.

{Flashback ON}

Ha-yun ouve um barulho na sala de estar. Ela junta toda a sua coragem que tem e vai até a entrada principal da casa. Ela vê um garoto sair da casa. O reconhecendo vai atrás dele, mesmo estando de pijama. Coloca um sapato qualquer e abre a porta. Olha para os dois lado e o encontra.

- Baekhyun! – o rapaz olha para trás e ela corre até ele.

- Pequena? – descrente no que vê a chama pelo apelido – O que faz aqui fora? Está tarde, frio e chovendo. Entre agora, antes que pegue um resfriado!

- E você? Por que saiu tão tarde com essa chuva?

- Pequena, entre em casa. – muda de assunto pegando seu braço e indo até a entrada da casa. Ela se solta.

- Não! Eu não vou entrar sem você! – diz firme com seus cabelos encharcados pela forte chuva que cai sobre eles.

- Pequena... eu estou fugindo. – sério a encara e vê seu semblante assustado.

- Por quê? – o coração da garota aperta. Não esperava isso. Não queria ficar longe dele.

- É o melhor a se fazer. Eu moro aqui há muito tempo, só porque meus pais morreram e não tem ninguém com quem ficar. Eu e Sehun não estamos bem, e a casa é do pai dele. Só preciso ir embora e tudo ficará bem. – cabisbaixo responde.

- Não! Nada ficará bem se você for! – trocam olhares profundos e sinceros – Eu também briguei com os meninos, mas não estou fugindo como uma covarde! – seus olhos ficam marejados e a mesma se aproxima do maior – Se você está fugindo por isso, eu vou com você.

- Não, você não pode. Você tem que terminar seus estudos naquela escola. Ela é boa e te dará a chance de entrar em uma universidade de prestígio. – diz segurando os ombros da menor.

- Não ligo! Nesse momento nem falo direito com os meninos, se você for embora... – as lágrimas finalmente descem de seus olhos, perdidos em solidão – Eu só tenho a você agora. O único ao meu lado nesse momento é você! Se você for embora, ficarei sozinha! Eu sou órfã, nem sei se meus pais estão vivos ou se tenho uma família de sangue! Baekhyun, Chanyeol e Sehun, vocês são minha única família. Eu não quero ter que voltar a ser como era quando criança! Não quero estar sozinha, não quero! – entre seu choro, soluços e sua enorme tristeza, ela o abraça. Um abraço desesperado, um pedido de ajuda num momento de terror. Só de lembrar da sua terrível infância e pensar que se ele se fosse ela voltaria aquela época, a menina sente uma dor antecipada.

O maior fica parado por alguns minutos, porém, retribui o abraço acariciando os longos cabelos castanhos claro da menor. Em silêncio ele a consola e logo volta a falar:

- Eu... eu não irei mais. – ela continua a chorar compulsivamente.

- Seu idiota! – da dois socos em seu peitoral e se separa do abraço – Vamos entrar. – ela caminha na frente. Se sente tonta, balança de leve a cabeça e continua a andar. Baek se vira a vendo caminha e logo para, caindo no chão.

- Ha-yun! – senta ao lado da menina a colocando em seu colo. Coloca a mão na testa da menor – Você está fervendo! Pequena, aguenta firme! Pequena, não durma! – se levanta com ela em seu colo.

Entrando na casa, deixando a menina no sofá, Byun cuida dela até sua temperatura diminuir.

O garoto da um beijo na testa de Ha-yun e vai embora.

{Flashback OFF}

- Vamos, Sehun, não fale assim. Ele continua sendo o homem que conquistou o coração de Kim Ha-yun, e ela ainda gosta dele. – Chanyeol o acalma.

Nossa protagonista, deitada na cama, olhando o teto, presa em pensamentos, diz:

- Por quê? Por que você me deixou e agora volta, como se nada tivesse acontecido? Por que foi embora daquele jeito? Por que não fica ao meu lado? – com seu olhar vazio, fecha os olhos imaginando a figura de... – Em, Baekhyun?



Notas Finais


Espero que tenham gostado.

Comentem o que acharam.

Gostaria de divulgar a minha outra fic que tenho faz um tempo. Chama-se "Para sempre te amarei, Kim Taehyung..." deixarei o link para vocês verem a sinopse e, talvez, ler a história.
https://www.spiritfanfiction.com/historia/para-sempre-te-amarei-kim-taehyung-18876249

Tchauzinho! 😄


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...