1. Spirit Fanfics >
  2. Será nosso segredo!? >
  3. Capítulo 10

História Será nosso segredo!? - Capítulo 10


Escrita por:


Notas do Autor


Gente, este capítulo é igual ao que apaguei, eu apenas corrigi os erros que consegui verificar e melhorei a formatação como havia dito que eu iria fazer. Então caso você já tenha lido a versão antiga, pode pular para o próximo.
Obrigada pela compreensão.

Capítulo 10 - Capítulo 10


Quando eu acordei, Cami não estava mais na cama, no lugar dela havia um bilhete preso em seu travesseiro, onde tinha escrito.  

Saí para comprar pão!  

Após lê-lo, entrei no banheiro para fazer minha higiene matinal, eu precisava passar em casa antes de irmos para o estúdio, pois não podia chegar para gravar com uma roupa emprestada da Cami e muito menos com a mesma roupa que eu saí de lá na sexta-feira. Se os paparazzi já inventam histórias sem darmos motivos, imagina se os der!  

Mas tirando isso, eu estou bastante aliviada tanto por Cami ter me garantido que Mad não comentará nada quanto por ter entendido a minha situação com Cole. Como diz o ditado: "Quem não deve não teme!” No entanto, este não é o meu caso! Mad também é minha amiga, porém quando bateu o medo de alguém descobrir o que aconteceu entre mim e Camila, ela foi a primeira na qual eu foquei a minha desconfiança, mesmo que eu soubesse que a ruiva é incapaz de dedurar um amigo.  

Atualmente, eu me sinto dividida entre a estabilidade que tenho em meu relacionamento com Cole e me aventurar em um novo relacionamento com Cami. Eu me odiaria se eu tomasse uma decisão por impulso e viesse a machucar um dos dois, mas, pensando bem, eu já tomei.  

A questão é que eu me surpreendi com as coisas que eu disse e com o que eu descobri sentir durante o fim de semana com ela. E eu já a machuquei tanto, não posso machuca-la de novo, por mais que eu não soubesse, algo em mim me diz que no fundo eu sempre soube que ela me amava, só não conseguia aceitar e tão pouco corresponder esse amor da mesma maneira.  

No entanto, toda vez que eu visito as lembranças que tenho ao seu lado, vejo em cada uma delas uma atitude discreta de amor, seja os biscoitos que eu comprava, o modo como eu passava horas na cama com ela ou o simples fato de eu gostar de admira-la, enquanto estuda. Que estúpida eu fui. Eu nunca notei que eu só invadia o espaço pessoal dela, porque eu estava apaixonada.  

Entretanto, agora que sei, que senti e que vivi... Eu irei cumprir minha promessa e contarei ao Cole assim que tiver uma oportunidade. Saí do banheiro e vesti minhas roupas, uma vez que passaríamos na minha casa.   

Escuto uma batida na porta e quando me viro, lá está ela... - Dei um suspiro! -  ...linda e cheirosa como sempre, com seu sorriso super convidativo e acolhedor. - Bom, que já está acordada. - Falou ao fechar seu sorriso, parecia um pouco decepcionada. Talvez, quisesse me acordar? - O café está na mesa. - Avisou seca. Cadê o "bom dia, Lili", que até parece melodia em sua voz? Cadê o beijo para eu despertar? Tá, ok, eu sei que já estou acordada, mas, mesmo assim eu sinto falta.  

Ela sai pelo corredor e eu sigo na sua cola, quando consigo alcança-la, a abraço por trás e sussurro ao seu ouvido. - Bom dia, Camila! - Vejo os pelos da sua nuca se ouriçarem e antes dela me responder. Eu já beijava seu pescoço, mordiscava sua orelha, a trazer sua boca gostosa de volta para a minha. Ela resiste no início, acredito eu por ter sido pega de surpresa, mas logo depois se entrega a um beijo doce e lento com os lábios colados, porém quando abre passagem para a minha língua, eu giro seu corpo para deixa-la de frente para mim, intensifico o beijo e pude provar na mistura do nosso hálito o gostinho de framboesa que vinha da sua boca.  

Quando finalmente quebramos o beijo para respirarmos, ela fala. - Bom dia, Lili, nós precisamos conversar. - Em seguida se solta dos meus braços e segue para onde estava posto o café da manhã.  

Droga! Alguma coisa aconteceu! Ela não seria tão seca assim se estivesse tudo bem, ela deve ter se irritado com algo que eu disse. Eu sabia, eu sabia que eu tinha escolhido mal as minhas palavras. - Cami... - Começo a falar antes mesmo de chegar a mesa. - ...desculpa por ontem, desculpa se eu falei algo errado, eu não queria te impor nada. - Eu falava apressada e caminhava apressada. - Só me desculpa. - Eu não sabia como me justificar ou o que mais falar para que tudo voltasse ao clima de antes do jantar.  

- Calma, Lili, sente aí. - Pediu e somente depois que me sentei foi que eu vim a notar o mimo que ela tinha preparado. Panquecas com geleia de framboesa, já sei até de onde veio o gosto do nosso beijo, café expresso com creme, croissant, frutas, suco e tudo muito colorido. - Você caprichou! - Eu disse com um sorriso em meus lábios e ela dá de ombros. - Sobre o que nós precisamos conversar? - A frase dela foi assustadora, pareceu até aviso de fim de relacionamento, porém com esta mesa de café da manhã, eu fiquei confusa. Ela está ou não está chateada? - Sobre o que você disse. - Declarou com muita tranquilidade ao colocar o guardanapo no colo. - Primeiro você não precisa se desculpar por uma coisa que eu concordei, entretanto, precisamos definir limites. -Limites? - eu perguntei. - Sim, limites. - Respondeu-me ao passar cream cheese em um croissant. - Como quais? - Eu fiquei tensa, tanto pela calma que ela falava tudo quanto pelas palavras que usava. Eu não conseguia me mexer nem para provar meu café e olha que eu amo expresso com creme.  

- Nada de beijos furtivos. - Falou e eu ergui a sobrancelha sem entender. - Como o que acabou de acontecer. - Completou ao encher um copo com suco de laranja. - Somos pessoas públicas se alguém ver ou sonhar, a mídia não perdoaria e Charles e Cole não merecem isso. -Certo! -Concordei, mesmo sabendo o quanto eu iria sofrer com esse limite.  

E ela continuou, antes de começar a comer. - Eu não vou me afastar do Charles, enquanto você estiver com Cole. Ele é um ótimo amigo e me faz bem.  

- Mas ele não é seu amigo, é seu namorado. - Rebati, porque os amigos dela a maioria eu já conheço. - Sim e você entendeu bem o que eu quis dizer. - Retrucou decidida. Eu não sabia o que fazer, muito menos o que falar, para mim aquela frase foi o mesmo que receber uma facada. - Cami, estou vendo tudo preto, eu acho que vou desmaiar. -Falei, enquanto me abanava. -Come, come que passa. - Foi irônica, por já saber que eu estava fazendo drama. Peguei meu café e virei quase todo de uma vez, a minha sorte foi que ele já estava frio.   

- Eu entendo e aceito seus limites. - Afirmei obstinada. - Eu ainda não terminei. - Avisou-me. Então eu vi aí a oportunidade de corrigir o meu erro de ontem. - Cami, eu aceito qualquer limite ou condição que você quiser. Quando pedi para você não morar com Charles, não era uma imposição. Eu só pedi, porque sei que eu não aguentaria viver, sabendo que vocês estavam dividindo o mesmo teto, enquanto eu teria que ficar longe sem poder falar nada. - Segurei sua mão que estava depositada sobre a mesa e complementei. - O tempo que eu te pedi não é para pensar melhor porque sei lá... Estou insegura ou avaliando os riscos, não, ele não é para isso. Ele é para que eu possa dar um fim justo e correto ao meu relacionamento com Cole, antes de começar outro com você. - Cuspi para fora tudo o que eu sentia, ao mesmo tempo em que eu olhava no fundo de seus olhos e se ela ver no meus o que vejo nos dela, ela acreditará no que estou dizendo.  

- Eu te amo, Lili! - Falou ao levantar-se da cadeira que estava para sentar no meu colo. - Como eu te amo! - Repetiu, antes de juntar os nossos lábios. - Eu também te amo, Cami. - Respondi entre beijos ao segurar seu rosto entre as minhas mãos. - Mas eu entendi você dizer: "Nada de beijos furtivos!" - Declarei rindo. - Idiota! - ela exclamou ao me dar um tapa no ombro e tentou se afastar para demonstrar sua indignação. - Ah você não vai não! - Falei ao puxá-la de volta para beija-la novamente e o beijo foi ganhando proporções e se tornou ardente.   

Minhas mãos buscavam acesso a sua pele por baixo de sua roupa, enquanto ela passava uma perna para o outro lado para ficar de frente para mim. Ela começa a rebolar no meu colo e a minha vontade era de esquecer tudo e transar bem aqui, mas não podíamos, pois tínhamos um horário para cumprir. - Cami... -Saiu quase como um gemido. - Precisamos comer antes de irmos trabalhar. - Avisei relutante e contrariada. - Merda! - Exclamou ao sair do meu colo. - Está vendo o que você faz comigo?! - Falou ao voltar para seu lugar. - Agora terei que tomar outro banho. - Disse a fingir irritação. - Eu não fiz nada, foi você que começou. - Tirei o meu da reta e ela apenas revirou os olhos.  

Depois do café, passamos em minha casa, eu troquei de roupa e fomos para o estúdio.   

Assim que chegamos, cumprimentamos todos os funcionários que encontramos no caminho até o camarim. Aparentemente estava tudo bem, mas minha culpa me deixava desconfiada, o que deu a impressão que todos sabiam que traí Cole. Entramos no camarim e Nessa fazia sua maquiagem. - Bom dia, meninas. E aí, como foi o fim de semana? - Perguntou animada e eu engasguei com minha própria saliva. - Bom dia, Nessa! - Cami a cumprimentou dando tapinhas em minhas costas. - Foi muito bom, só não foi melhor porque você faltou. - Era ela falando e eu sorrindo de nervoso ao mesmo tempo que balançava minha cabeça confirmando.   

- Pois é, tive que deixar pra próxima. - Pareceu-me um pouco desanimada, talvez ela tivesse ido, se não tivéssemos marcado tão em cima da hora. - Agora eu tenho que ir, tenho externa com Cole - Avisou, antes de sair.  

Assim que Nessa saiu, Cami olhou para mim, fez um gesto e perguntou - O que foi isso? - E eu respondi. - Não sei, só sei que estou pirando de tão nervosa. - Falei largando minha bolsa no armário e caminhando para colocar meu figurino. - Você tem que segurar a onda, ok? Do contrário todo mundo vai achar que tem algo de errado. - Ela me pediu, enquanto eu me trocava. - Eu vou tentar. - Falei me sentindo insegura.  

Fui a primeira a me maquiar, pois eu tinha cena para gravar com KJ. Nos posicionamos no set, passámos o texto rapidamente até Roberto falar. - Silêncio no set, começamos a gravar em 5, 4, 3, 2, ação.   

A cena era uma conversa entre Betty e Archie, eles tinham acabado de trair Jughead e Veronica e a minha personagem se sentia culpada por tê-los traído. Acredito que não haveria um momento melhor para filmar essa cena, uma vez que compartilhávamos o mesmo sentimento. - Corta! -Gritou o diretor. - Lili... - Ele deu uma pausa como se procurasse palavras para se expressar e depois continuou. - Você simplesmente foi fantástica, K, você também arrasou, eu estou pasmo com o realismo que vocês colocaram nessa cena, garotos. - Terminou de falar e eu super constrangida por saber o que me fez ir tão bem. - Que bom, que você gostou, Roberto. - K falou com a mão no meu ombro. - Sério, eu pensei que precisaríamos gravar de novo. - Comentei ainda perdida e eles me olharam. - Lili e sua eterna busca pela perfeição! - O diretor exclamou rindo, KJ o seguiu e eu continuei sem graça.  

Na hora do almoço, eu finalmente encontro Cole para irmos almoçar. - E aí como foi com os meninos? - Perguntei ao entrar no carro. - Legal. - Falou emburrado. - Só legal? - Questionei novamente ao colocar o cinto. - Eu sei que era um fim de semana só das garotas e tal, mas você não poderia parar nem 1 min para olhar seu celular, Lili? - Interrogou-me chateado. - Eu passei o fim de semana todo preocupado, porque você não respondia minhas mensagens, muito menos atendia as minhas ligações, você faz ideia de quantas vezes eu liguei e nada de você me atender. - Explicou contrariado com meu comportamento. - Me desculpa, amor, eu... Eu perdi meu celular em algum lugar na casa da Cami e até Mad se irritou com isso. - Mad não é seu namorado. - Ele rebateu, mas eu preferi continuar minha explicação. - Depois quando o achei, eu não me preocupei em responder porque já íamos nos encontrar no estúdio. - Terminei de explicar ao chegarmos no restaurante.   

- Que merda também, como é que mesmo com a Mad brigando, eu ainda consegui esquecer de verificar o meu celular. - Pensei me amaldiçoando por este erro.  

-Sei lá, Lili, as vezes parece que você não sente minha falta, que prefere estar com Cami do que comigo. - Falou ao parar o carro no estacionamento.   

Por um momento eu pensei em contar a verdade ali mesmo, mas eu não podia, pois não demoraria nem 10 min para ter uma foto nossa nos sites de fofoca por conta de uma discussão dentro do carro. Então acho que por enquanto o melhor é colocar panos frios na discussão. -Me desculpa, Cole. - Pedi outra vez. - é claro que senti sua falta, amor, mas eu queria que você se divertisse sem ter que se preocupar com uma namorada chata no seu pé. - Argumentei, enquanto fazia um carinho em seu rosto. - Então agora eu sou o chato que fica no seu pé, enquanto tenta de divertir com as amigas? - Interrogou-me sarcástico.  

 - Por favor, você sabe que não foi isso que eu quis dizer. - Ele distorceu minhas palavras para usá-las contra mim.  

  - Tudo bem, Lili. - Respondeu um pouco mais tranquilo. - Eu só me preocupo, é porque eu te amo muito... - Disse e depois me beijou. - Eu sei, também amo você! - Quando terminei de pronunciar está frase o remorso em mim se reacendeu. Não só por ter traído ele, mas também porque de alguma maneira eu sentia que também traía Cami.  

Descemos do carro, caminhamos de mãos dadas para o restaurante, mas na minha mente só vinha as promessas que eu fiz a ela. Porque quando estava com ela tudo pareceu fácil e simples e porque agora que estou com ele parece mais difícil e complicado, sem falar nesse aperto no peito que me dá a impressão que estou a abrir mão da minha felicidade?  

- Você está bem? - Ele me perguntou, enquanto comíamos. - Sim e você? - Inqueri ao mudar minha feição de preocupada para sorridente. - Se você está bem, eu fico bem. - Declarou ao apertar minha mão e beija-la o dorso.  

- Droga, mil vezes droga! - Exclamei em pensamento.   

- Dormi comigo está noite? - Pediu-me, enquanto chamava o garçom para pagar a conta. - Hoje não, amor, minha casa está uma bagunça porque faz dois dias que eu não vou lá. - Argumentei em busca de compreensão. - Então vamos pra mim. - Chamou, ao pegar o recibo.  

Pensei em negar, mas os olhos de filhotinho pidão estavam lá para me convencer. - Tá, tudo bem. - Concordei em rendição. - Porém eu tenho que passar em casa primeiro. - Avisei, ao voltarmos para o carro. - Ok! - Limitou-se a dizer.  

A viagem de volta foi bem tranquila e conversávamos sobre coisas aleatórias, no entanto, assim que chegamos no estúdio, vejo Charles e Cami de mãos dadas e aquele simples gesto faz meus olhos revirarem e uma irá me abater, porém "você precisa segurar a onda" foi o que ela me disse.  

As horas se passavam se arrastando e a cada 5 min eu me esbarrava com eles. - Agora eu entendo o que Cami passou em ter que me aguentar apaixonada fazendo demonstração de amor a cada minuto até nas entrevistas. Aff, que ódio! - Refleti comigo, enquanto assistia aquela troca de carinho sem fim no meio de uma reunião.  

- Lili, você está bem? - K me perguntou, ele estava sentado ao meu lado esquerdo, Cole ao direito conversando com Nessa e Mad, Camila e Charles se exibiam a minha frente e o resto do povo está sentado em volta da mesa enorme de reunião.  

- Você é a segunda pessoa que me pergunta isso. -Rebati sem dar a resposta que ele queria. - Talvez seja um sinal. - Rebateu de volta. - É talvez você tenha razão. -Afirmei.   

- Eu vou no banheiro e já volto. - Ouvi Cami avisar ao Charles antes de sair. - K, estou com sono vou pegar um café. - Falei ao me levantar. - Traz um pra mim. - Ele pediu e eu me perguntei porque não dei a desculpa de ir ao banheiro também que seria bem mais simples.  

Entrei no banheiro, olhei as outras cabines e em seguida tranquei a porta. No prédio a vários banheiros, no entanto, este era o mais próximo da sala de reuniões. Olhei meu reflexo no espelho e por um instante senti pena de mim mesma. - O que é que você está fazendo, Lili? - Questionei-me em voz alta e depois caminhei para abrir a porta.  

-O que você pretende fazer, Lili? - Escuto a voz da Cami atrás de mim, ao mesmo tempo que seguro a tranca da porta. - Nada! - Respondi ligeiramente ao tirar a mão da tranca. - Não foi o que pareceu. - Afirmou com um tom convencido. - Mas é. - Insisti na minha resposta. - Ah que pena, por alguns segundos eu pensei que você tinha vindo atrás de mim. - Falou ao lavar as mãos. - Não, eu só vim usar o banheiro. - Dei de ombros para a suposição dela.   

Entrei em uma das cabines, fiz o número 1 mesmo sem está com vontade e sai. - Ah você ainda está aí é. - Comentei descontraída a lavar minhas mãos. - Sabe o que eu acho mais bonito em você? - Ela questionou se aproximando. - Não, não sei. - Respondi ao secar minhas mãos ao mesmo tempo que me senti acuada. - Esse seu jeito de quem morre de ciúmes, mas não dá o braço a torcer. - Senti minhas bochechas esquentar. - Eu...eu não estou com ciúmes. - Gaguejei.  

- Ah menos mal, porque Charles me chamou para jantar está noite. - Avisou ao dar meia volta. - Na casa dele. - Ela completou com a mão já para abrir a porta e eu avancei a impedindo. - Você não vai, né?! - Interroguei um pouco hesitante, mas interroguei. -Você terminou com Cole? - Me perguntou como resposta e eu abaixei minha cabeça após ela me colocar em meu lugar.  

Eu não tinha moral para cobrar nada da Cami, muito menos exigir algo, porém tudo que eu fiz nas últimas 24h foi algo assim.  

Depois disso, afastei-me da porta e a deixei sair. Lodo em seguida passei na cafeteria, peguei três cafés e voltei para a reunião. - Aqui seu café, K. - Falei o entregando e depositando os outros dois na mesa. - Obrigada, Lili. - Agradeceu. - E para quem é esse outro?  

- Para mim! - Falei, antes de dar um grande gole na minha bebida. - Hoje o dia está longo... 


Notas Finais


Até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...