História Será que? - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Carmilla
Personagens Carmilla, Laura, Personagens Originais
Tags Bauman, Carmilla, Elise, Hollis, Hollstein, Karnstein, Laura, Natasha, Natlise, Negovanlis, Negovanman
Visualizações 388
Palavras 1.070
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Famí­lia, Fantasia, Festa, Ficção, Mistério, Orange, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Pansexualidade, Sexo, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 14 - Sem urgência, Sem malícia, Sem rancor


Fanfic / Fanfiction Será que? - Capítulo 14 - Sem urgência, Sem malícia, Sem rancor

Natasha Negovanlis 

As gravações de hoje tinham sido um caos, mas de engraçada, me diverti muito com os meninos aqui, principalmente quando quase queimei meu microondas, foi hilário! Por um momento eu pude esquecer tudo que estava sentindo nos últimos dias, toda aquela tristeza, a vontade de ficar sozinha e etc... A briga que tive com Elise me afetou de uma forma que nunca imaginei que aconteceria, eu não imaginava nem que íamos brigar um dia, na verdade eu nem tinha tempo pra pensar nisso, estávamos sempre tão bem, fosse como atrizes, como amigas, parceiras e principalmente como... namoradas? - parei um minuto - Se a gente ainda não oficializou nada, será que realmente estamos juntas? - balancei a cabeça - Quer saber? Isso não importa agora já que não estamos nem nos falando. 

Eu estava na cozinha terminando de arrumar a bagunça, quando ouvi baterem na porta, parei o pano que estava que passando no balcão e olhei pra mesma - Estranho baterem aqui sem ter tocado o interfone antes, principalmente sendo alguém de fora, sei disso porque meus vizinhos não são lá pessoas muito sociáveis, e mesmo assim quando batem aqui, eles logo falam o nome, mas pensando bem, algum dos meninos devem ter esquecido alguma coisa e voltado pra pegar - "mas mesmo assim teriam interfonado" - Que estranho, pensei enquanto deixava o pano de lado e ia direção a porta, assim que a abri, me deparei com a pessoa que eu menos imaginava que fosse...

- Elise? - Me surpreendi

- Natasha oi... É... A gente pode conversar? - a voz dela aparentava tanto nervosismo quanto o rosto

- Hãn.. - eu ainda estava bem surpresa - Tá, claro - Falei de forma meio automática dando espaço pra ela passar 

- Tudo bem - ela entrou e fechei a porta 

Eu não sabia definir o que estava sentindo naquele momento, eu ainda estava magoada pelo que aconteceu, mas eu sentia tanta falta dela, do sorriso, do abraço, do beijo, de tudo. Eu só queria juntar nossos corpos e afundar minha cabeça no seu pescoço sentindo seu cheiro, mas me mantive firme, precisava ouvir o que ela tinha pra dizer antes.

- Natasha, - ela respirou fundo - antes de tudo eu queria te pedir desculpas, - dizia mais calma -  o que aconteceu aquele dia foi... foi horrível, mas eu te juro que não foi porque eu quis, eu jamais iria deixar de te encontrar de propósito, eu não faria isso com você

"Mas fez" - meu orgulho quis dizer, mas o segurei por não querer piorar a situação

- E eu sei que quando tentei me explicar depois acabei só piorando as coisas e estragando tudo. - ela tentava manter a calma - Mas o que aconteceu, foi que no dia que eu saí com o Dylan, que ele me mostrou aquele lugar, desde o primeiro minuto que chegamos, eu só conseguia pensar em você, no quanto você iria gostar dali e em como eu tinha que te levar lá um dia, e você adorou! Aquele lugar se tornou importante pra mim não pela forma que eu o conheci, mas sim por ter sido ali o começo do melhor fim de semana da minha vida. - ela disse e eu lembro de ter pensado exatamente a mesma coisa

- Elise, eu... 

- Não. - me interrompeu - Não precisa dizer nada, eu sei que você vai me pedir desculpas também, - ela estava certa - mas não, eu te magoei e por mais que tenhamos agido mal aquele dia, eu só quero seguir em frente e estar bem com você porque eu não consigo passar mais um se quer sem saber se você está bem, se está feliz, se está triste, sem pode te tocar, te abraçar, te b... - dessa vez eu que a interrompi colando nossos lábios 

A beijei de forma doce e sútil, sem urgência, sem malícia, sem rancor, éramos duas pessoas totalmente apaixonadas que finalmente estavam se entregando uma a outra. 

- Elise - falei depois de nos afastamos um pouco, olhei nos seus olhos e finalmente tive coragem - Você quer namorar comigo?

- Achei que não ia perguntar nunca - seu sorriso foi de orelha a orelha - Claro que sim - e o meu também!

Nos beijamos de novo, mas dessa vez em meio a sorrisos e abraços, nossos corpos pareciam ter virado imãs pela forma que se colaram um ao outro.

- Mas vem cá, - falei quando paramos o beijo - me tira uma dúvida

- Fale - ela pareceu confusa 

- Não que eu não quisesse - eu ri - mas como você entrou sem tocar o interfone? 

- Tenho meus métodos... - ela disse e gargalhamos juntas 

- Você  - 1 beijo - não - +1 - imagina - +1 - o quanto - +1 - eu senti - +1 - a sua - +1 - falta - O último foi mais intenso

- Eu senti a sua falta também, estava enlouquecendo. - ela dizia rindo - Vou até ter que refazer uma prova por causa disso!

- Nossa, sério? Elise, me desculpa, eu não... - bateu uma certa culpa

- Não, para, eu tinha que agradecer na verdade

- Agradecer? Por precisar refazer uma prova?!

- Não exatamente, mas foi porque hoje de manhã, devido a tudo isso que aconteceu entre a gente, eu recebi uma das maiores lições da minha vida, e graças a isso, eu estou aqui, e estamos bem. 

-  Não entendi nada, mas que bom que aconteceu, - ela colocou os braços ao redor do meu pescoço enquanto eu segurava sua cintura - e que bom que está aqui. - Nos beijamos

Fui dando alguns passos pra frente, fazendo Elise andar de costas até cair deitada no sofá e eu por cima dela, ficamos rindo e a olhei nos olhos acariciando sua bochecha com meus dedos. Minha expressão ficou séria e a encarando, usei toda a sinceridade do meu coração:

- Eu te amo, Elise. 

Ela sorriu, ela me deu o sorriso mais lindo que já puder ver, superando qualquer outro que eu pensei ter sido perfeito

- Eu também te amo, Natasha. 

 Eu não queria estar tão sensível, mas senti meus olhos embaçarem e uma lágrima cair, indo ao encontro dos meus lábios, onde estava o maior sorriso que eu já dei, o mais sincero, o mais feliz. 

 


Notas Finais


Oláar, turu bôm? kkk

Oii Oii pessoinhas de minha vidaa 💜 Amaram o cap? Eu também! 😍😂 Tá pequenininho, mas tá atualizado 😂

Eu estou SUPEEER FELIZ com uma SUPER coisa que aconteceu!! E autora feliz, leitores felizes!
Deixa eu contaaaar, a Natasha, a mesma, a própria, a Negovanlis, o amor da minha vida, curtiu um comentário que eu fiz numa foto que ela postou do Charlie no Instagram. YEEAH! Tô tremendo até agora 😂😂😂 Já fiz um monte de print, vou até imprimir e colar na testa kkkkk Eu tô feliz, tô nervosa, e devia parar de falar agora 😂😂

Espero que tenham gostadoo!! Beijos Beijos Beijooos ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...