História Será que é amor? - Imagine Wonho Monsta X - Capítulo 15


Escrita por:

Postado
Categorias Got7, Monsta X, Steve Aoki
Personagens Personagens Originais, Won Ho
Tags Chankyun, Chris Evans, Got7, Hyungwon, Jackson Wang, Jooheon, Kihyun, Lee Hoseok, Minhyuk, Monstax, Romance, Shownu, Wonho
Visualizações 82
Palavras 2.051
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Poesias, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Quem assistiu o Show do nosso Monsta X? Eu queria ter estado lá mas esse ano não deu...
Mas... ano que vem vai dar certo! Fighting!
Enquanto isso vamos ficando no mundo da imaginação?

Capítulo 15 - A verdade aparece.


Fanfic / Fanfiction Será que é amor? - Imagine Wonho Monsta X - Capítulo 15 - A verdade aparece.

Desespero, era só o que eu sentia. Dor, dor e mais dor. Hoseok era meu tudo, meu ar, minha vida. E agora? O que seria de nós dois? O que eu ia fazer? Ele me traiu, assim que dei as costas! Decepção, essa era a palavra que definia Hoseok, em minha mente.

Chorei durante toda a noite. Hoseok mandava mensagens e mais mensagens. Desliguei meu celular e apaguei todas sem nem ler. Como estava ferida e magoada.

 

 

No dia seguinte fui aos compromissos desanimada e triste, tratei todos muito mal, não conseguia comer, e mal bebia agua.  Resolvi voltar pra Coreia, pois já não estava mais em mim...não tinha mais condições de trabalhar. Nessa hora, eu não era mais a empresária Samantha Verner, e sim Sam, uma noiva traída por seu único amor. Só pensava em resolver aquela situação.

 

 

 

Liguei pra Doyong:

 

- Doyong? Sou eu, Sam. Consegue permissão pro meu jato? Estou voltando pra casa. Preciso me resolver com Lee Hoseok.

 

-  Oi Sam, como você está? Eu sinto muito, se eu não tivesse deixado as bebidas entrarem, isso não teria acontecido. Me desculpe. – Doyong se desculpava.

 

- Não quero falar sobre isso. Você vai conseguir a permissão, ou terei que ir de avião?

 

- Sam, me ouça.  Imagino o que está sentindo, sei como você é apaixonada por ele, mas Hoseok, não é desse tipo de cara, eu o conheço a muitos anos, tenho certeza que ele tem uma boa explicação. Não o vi beber nada além de suco e nem falando com nenhuma mulher, mas quando chegar aqui vou te explicar com detalhes tudo o que houve. Vou conseguir a permissão eu prometo. Mais que você, eu quero muito que tudo se resolva.

- Quando conseguir a permissão, por favor avise a Carly para viajarmos. – desliguei o telefone.

 

Não queria saber de nada. Me sentia desolada, e desabei num choro profundo e doloroso novamente.

 

Arrumei minhas coisas com dificuldade, e Carly me ajudava em silêncio. De repente comecei a pensar nas palavras de Hoseok “Shownu está de prova...”

 

- Carly, o que Shownu disse sobre o assunto?

 

-  Ai, Sam, eu nem falei com ele ainda. Ele me ligou mas eu não atendi.  Estou muito chateada com ele. Se ele deixou Wonho fazer uma coisa dessas é porque ele também deve ter feito algo. Não vou falar com ele antes de chegarmos lá.

 

Fiquei calada novamente.  

 

Doyong conseguiu permissão pra entrarmos de jato no país. Terminamos de nos arrumar e fomos pro campo de aviação onde decolamos pra Coréia.

 

Horas depois pousamos. Meu motorista estava a nossa espera e nos levou pra casa.

Nunca fui de querer explicações das pessoas quando me decepcionavam, mas de Hoseok eu queria. Não conseguia acreditar, mesmo com aquelas provas. No fundo, o meu coração implorava para que fosse mentira tudo aquilo, que fosse um pesadelo maldito.

 

 

 Chegamos em casa. Subi as escadas lembrando dos momentos de amor que passei ali com Hoseok, principalmente da nossa primeira vez.

“Foi tudo mentira?” era o que eu pensava.

 

 

 Me deitei na cama do quarto de hospedes. Não podia entrar no meu quarto. Como estava magoada, meu Deus, estava cega de raiva e ao mesmo tempo não queria acreditar.

O telefone tocou, não reconheci o número.

 

-Alô?

 

- Samantha? Oi é o Jackson, queria saber como está depois do que houve com seu noivo. Que covarde esse Hoseok, não acredito que ele fez isso com você. Olha eu posso ir te ver se quiser, sei que está fragilizada e precisando de alguém pra conversar. Estou a disposição princesa.

 

- Vai pro inferno Jackson. – desliguei o telefone.

 

 Por que ele me ligaria? Não entendi nada daquilo. Apenas voltei pros meus pensamentos.

 

 

 

 

 

Doyong, foi até a minha casa, onde me explicou com detalhes tudo o que houve, mas no começo eu não queria saber de nada, porém, ele insistiu:

 

- Doy, eu não quero saber.

 

-Sam eu sei que está doendo, mas como eu te disse eu não vi ele tomar álcool nenhum.

 

- Então ele foi pra cama com uma vadia de pura e espontânea vontade?? É isso que quer dizer? – minha raiva aumentava ainda mais.

 

- Não, ele seria incapaz de fazer isso com você. Me deixe falar por favor. Eu acho que tem algo que não se encaixa.

 

Suspirei. Doyong estava muito sério. Então resolvi ouvir o que ele tinha pra dizer.

 

- A festa começou calma, tranquila. Os meninos estava se divertindo no Karaoke do Minhyuk, quando os amigos do Jooheon chegaram: Seungri, Jay Park, Jackson e Bambam.

(Na verdade os únicos que eram do convívio de Jooheon eram Jackson e Bambam.) Estavam acompanhados de duas meninas estranhas, que diziam ser amigas de Seungri. Eles disseram que as trouxeram por acharem que você e Carly estavam aqui.  Eu disse que desde que se comportassem, não teríamos problemas. Até ai tudo bem. Hoseok, Shownu, Kihyun e eu ficamos na cozinha, os quatro conversando. A bebida começou a ser servida, e Hoseok e Shownu recusaram, mas os outros não. Então bebemos apenas um suco. E por incrível que pareça Sam depois disso não lembro de mais nada. Só lembro do Jackson me acordando e acordando todo mundo. Estavam todos caídos no chão, menos Wonho. Então o procurei pela casa, e encontrei ele daquele jeito que você viu nas fotos. Eu não ia tirar nenhuma foto mas me convenceram a tirar.

 

- E você acha que eu vou acreditar assim tão fácil? Por favor Doyong. E quem te convenceu a tirar aquelas fotos?

 

- Jackson. Ele me disse que eu precisava te mostrar, porque o que Wonho havia feito, não era certo. Na hora concordei, estava furioso com Wonho. Mas quando ele acordou, depois dos tapas que dei nele e dos gritos dos outros membros, quando o viram daquele jeito, ele estava desnorteado. Não parecia normal. Passou muito mal. Era como se tivesse sob efeito de algum remédio. Sentia muita dor de cabeça.

 

 

- Não acredito? – comecei a andar de um lado pro outro. - Agora vai me dizer que drogaram ele e que armaram tudo isso?

 

- Sam, você pode não acreditar, mas é isso que todos acham, porque até a moça estava zonza como se tivesse drogada mesmo. Olha eu conheço cada um desses meninos e sei que o que houve não foi como parece. Wonho foi ao medico imediatamente e ...

 

O interrompi bruscamente o empurrando rumo a porta:

 

- Quer saber Doyong, vai embora que eu não quero mais saber de nada. Hoseok me traiu, ponto final.

 

- Mas Samantha, deixa eu terminar!

 

- VAI EMBORA! – explodi num grito de dor, e comecei a chorar ainda mais.

 

Expulsei ele de minha casa. Chorei horrores, e decidi tomar um banho quente.

As águas do chuveiro caiam sobre mim, levando com elas minhas lágrimas, que não paravam de cair.

“Hoseok porque?” murmurava baixinho, caindo ajoelhada no chão. Sai do banho e me deitei, estava desgastada e cansada.

 

 

 

Horas depois, e ouvi gritos no andar inferior da casa. De repente a porta do quarto foi aberta bruscamente. Era Hoseok, todo vermelho, com os olhos inchados, de chorar, chamando meu nome.

 

- Samantha! Samantha!

 

Carly entrou logo atrás dele com Shownu e Jooheon junto.

 

- O que está fazendo Wonho, saia do quarto da Samantha.  – ela vem em minha direção e me abraça. - Sam desculpe não pude segurá-lo. – Carly estava nervosa.

 

Quando o vejo, meu coração parecia que ia sair pela boca. Foi um mistura de dor e saudade ao mesmo tempo. Não conseguia olhar sem querer estar em seus braços. Mas me contive. Estava muito triste e magoada.

 

- Samy, me ouve amor, por favor, me deixa falar com você?

 

Entre lagrimas eu respondi:

 

- Falar comigo? Sobre o que? Sobre como você me enganou... acabou Hoseok. Não temos mais nada um com o outro, a partir do instante que você se deit...– Não conseguia terminar a frase, doía demais. Ele chorava também, de dor e sofrimento, mas eu estava cega de raiva e ressentimento, e não queria ouvir nada. - Vá embora Hoseok, por favor. Acabou. Já não me fez sofrer o bastante?

 

- Eu sei que está magoada mas eu não fiz nada e posso provar Samantha. Doyong ia te dizer mas você o expulsou. Fui no hospital, e fiz uns exames por estar passando muito mal.

 

Ele vem em minha direção. Me entrega um laudo médico, onde dizia que, havia em seu organismo uma dose grande de sedativo pra cavalo, que indicavam que ele havia sido dopado no dia da festa. E que não havia indícios de atividade sexual no período da coleta dos exames. Fiquei paralisada olhando aqueles papéis. Estavam assinados por um respeitável medico de Seul. E tinha também, um outro laudo. Era da mulher, dizendo que ela não tinha indícios de relações sexuais, e havia sido dopada também.

 

-Sam eu não fiz nada, eu não te trai, eu amo você demais e nunca, nunca faria isso. Eu juro amor, não fiz nada! Depois de acordar e levar muitas broncas de todos, eu fui com Shownu, que foi o único que ficou do meu lado, ao médico pra fazer exames porque eu não lembrava de nada daquela noite.  Na verdade, ninguém lembrava. A única coisa que me lembrava era de tomar um suco com Shownu e Doyong na cozinha e depois acordar na cama com uma desconhecida.  Eu obriguei ela a ir com a gente no hospital. Sam, fui dopado, o médico me disse que foi uma dose alta. E olha, - ele me entrega mais dois exames -  aqui estão os exames de Shownu e Jooheon também, e o resultado é o mesmo. Amor eu sou inocente. Eu te amo acredita em mim Sam.

 

Eram muitas informações pra digerir. Eu queria muito acreditar. Os olhos de Hoseok diziam que ele estava falando a verdade. Ele era inocente!

Meu amor por Hoseok, enfim falou mais alto. O abracei e beijei com todas minhas forças.

 

- Eu te amo Sam, não faria isso com você. – ele soluçava sentido.

 

- Graças a Deus não é verdade, Ho. Me perdoa amor, mas eu fiquei tão confusa com tudo isso. Não queria acreditar mas doeu tanto, quando vi aquelas fotos que eu acabei achando que era verdade. Me perdoa, por favor. Eu duvidei de você, não acredito que duvidei de você.

 

- Amor, não se torture assim, você tinha tudo pra duvidar. Ninguém acreditou em mim, a não ser Shownu. Até Hyungwon, duvidou, e só acreditou depois que viu os exames.

 

- Você me perdoa Ho?

 

- Mas você não me fez nada princesa, não estou magoado com você, mas quem fez isso, eu não vou perdoar. Quase te perdi. A dor que senti quando me disse adeus no telefone e desligou na minha cara, ah, eu quase morri. Você é minha razão de viver!

 

Os outros saíram do quarto, nos deixando a sós. Depois de alguns minutos abraçados, conseguimos ficar mais calmos. Eu juro que o alivio foi tanto, que eu só tinha vontade de ficar ali nos braços dele e nunca mais sair.

 

- Hoseok, porque alguém faria isso com a gente?

 

- Não sei amor mas eu vou descobrir, e quando isso acontecer, eu juro que essa pessoa vai pagar. O sofrimento que causou na gente foi muito grande. Olha como você está? Estava sem comer não é?

 

- Não conseguia amor. Só pensava em como resolver isso e acabar com a dor. Eu o amo tanto que pensei que ia morrer. Eu, eu... – desabei.

 

Ele me pegou em seus braços e me levou pro meu quarto, onde me colocou na cama. Telefonou pra Mary, a minha cozinheira, pedindo que fizesse um lanche leve e nutritivo, chá e levasse pra mim. Cobriu-me com o edredom, e ficou ali, apenas me olhando e acariciando meus cabelos. Falava baixo sem tirar os olhos dos meus.

 

- Está confortável pequena?

 

- Agora que está comigo, estou.

 

- Te amo, não posso imaginar nem por um momento, ficar longe de você nunca mais. Sam você é a mulher da minha vida.

 

- E você o homem da minha! Hoseok, eu amo tanto você, tanto...

 

Olho no mais profundo de seus olhos e o beijo com o mais intenso amor.

 

Ele se deita ao meu lado me abraçando, me deixando protegida entre seus braços.  

 

 

 

 

 


Notas Finais


O amor sempre vai vencer!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...