História Será que você poderia entender; - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Neo Culture Technology (NCT)
Personagens Chenle, Jisung
Tags Chensung, Markhyuck, Norenmin
Visualizações 232
Palavras 1.227
Terminada Sim
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Fluffy, LGBT, Slash
Avisos: Homossexualidade
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eu tive esse plot muito do nada, cara sushsuhaus
Eu fui tomar banho escutando essa música, daí já veio a ideia, mesmo que eu esteja viciada nessa música há quase uma semana.
Eu tenho umas 5 OS NoRenMin, mas nenhuma tá pronta, a que está, não pode ser postada agora, então, eu aproveitei e mencionei NoRenMin e MarkHyuck aqui <3
Mas o foco — ao menos nessa — é ChenSung <3

Capítulo 1 - Eu quero te beijar até perder meu ar


— O JeNo comentou comigo, ele estava querendo falar com sua mãe primeiro, para ao menos ela saber, ele disse que não quer falar com seu pai, de forma alguma, e JaeMin disse que como só tem sua mãe, é importante ele ter uma boa relação com ela, RenJun ainda não sabe muito bem o que vai fazer. — O mais novo comentou, encarando o teto, enquanto sabia que ChenLe estava mexendo em seu celular.

 

O mais velho não queria ser levado a mal, e muito menos queria demonstrar indiferença quanto a situação delicada entre seus melhores amigos, mas ele já tinha perdido a conta de quantas vezes tinha se encontrado com JiSung e passou horas apenas ouvindo o amigo comentar sobre o casal mais amado do grupinho — de acordo com eles e NoRenMin, já que Mark e DongHyuck viviam em guerra.
 

— Espero que dê tudo certo. — ChenLe se limitou a apenas comentar de forma positiva, se levantando da cama, deixando o lado que estava frio, causando certo desconforto em JiSung, que não sentia mais sua presença tão perto.
 

O mais baixo destravou mais uma vez seu celular, abrindo em seu spotify e ligando em sua caixinha de som, e logo começou a tocar uma música nova para a audição e memória de JiSung, que levantou seu olhar para o pequeno com certa confusão.
 

Era “i wanna be your girlfriend” da cantora “girl in red”, ChenLe havia encontrado a música nessa semana de férias que havia passado atoa, e tinha pensado nessa cena várias vezes ao longo de seus dias, lá no fundo — ou nem tanto assim — ele torcia para JiSung entender suas segundas — ou primeiras — intenções pela letra da música.
 

O corpo pequeno começou a mover sua cintura de forma sutil, de um lado para o outro, com seus olhos fechados e um sorriso pequeno em seus lábios. ChenLe sempre fora famoso por duas coisas; seu jeito alternativo acompanhado com as músicas e a riqueza de seus pais.
 

O garoto sempre teve tudo que quis na ponta de seus dedos, era apenas ele pensar em pedir, que já ganhava o que queria, ele nunca concordou muito com a forma que vivia, por isso, apenas usava isso ao seu favor quando se tratava de suas músicas e cds novos de seus cantores alternativos. O Zhong nunca foi de ganhar as coisas, ele sempre foi de conquistar, ele gosta de ter o trabalho de cativar, e não é como se fosse difícil alguém cair nos encantos do pequeno de fios loiros e risada alta, mas comportamento sério demais para alguém tão novo.

 

Ainda se lembrava quando se viu apaixonado por JiSung. Estavam voltado para suas casas, estranhamente JiSung era seu vizinho de rua, e demorou até eles finalmente terem contato, isso já fazia uns dois anos, e tudo, graças aos seus amigos em comum que nunca assumiam um relacionamento. ChenLe sempre ouvia as reclamações de Mark quanto a DongHyuck — até hoje é assim — e ouvia RenJun choramingar por estar gostando de suas pessoas, quando era óbvio que ele sabia que amor era amor, independente de gênero ou quantidade, se era, não tinha para onde correr.
 

JiSung sempre tinha que ouvir DongHyuck lhe perguntando porquê o amor era tão complicado, quando claramente o Park era péssimo dessa questão, e ainda tinha que suportar JaeMin e JeNo falando sobre a mesma pessoa, com medo de contarem um para o outro que haviam se apaixonado por RenJun, mas que ainda se amavam, eles vinham aquilo como algo tão complicado, quando era óbvio o quão normal era aquela situação.

 

Mas foi com JiSung carregando ChenLe em suas costas, por conta de uma leve torção ocasionada pelo distraimento do loiro, que eles acabaram por descobrirem que seus amigos realmente não tinham jeito e estava sofrendo por algo que poderia ser bem fácil de se resolver; mas é claro, parecia fácil para eles que observavam de longe.
 

ChenLe soube que não era nada fácil esse assunto quando se viu apaixonado pelo garoto lerdo e preocupado, que virava outra pessoa quando dançava, mas continuava sendo a mesma pessoa pela qual ChenLe se apaixonou além da conta. Também foi ali que ele descobriu que, às vezes, mesmo que em segredo, ele desejava que as coisas fossem fáceis para si, porque ele apenas queria que aqueles abraços de JiSung durassem mais tempo, e que quando ele passasse a tarde em sua casa, ele não precisasse ir embora ao anoitecer, e pudesse ficar até o amanhecer; lhe beijando.

 

Não sabia como, mas ali estava o Zhong dançando em sua frente, movendo seus lábios no ritmo da música, com um sorriso ladino persistente em seus lábios, com seus quadris bem modelados se perdendo no ritmo e andando pelo quarto, já era o segundo refrão quando o loiro se virou para o mais novo e junto a música, apontando seu indicador para o Park, cantou.

 

I don't wanna be your friend I wanna kiss your lips. —  Sorriu abertamente, passando sua destra por seus fios, fazendo sua franja cair novamente sob seus olhos, mas dando tempo do Park visualizar o olhar afiado que o chinês tinha.

 

O mais velho andou até o coreano, que estava um pouco deitado e um pouco sentado na cama do mais baixo. Se aproximou, ficando com seu rosto próximo do Park, enquanto mais uma vez cantava a música sutilmente.


 

Eu não quero ser sua amiga, eu quero ser sua vadia
Eu quero tocar você, mas não assim
O olhar nos seus olhos
Minha mão entre suas coxas
Isso não pode ser real
É tudo apenas um sonho



 

I don't wanna be your friend I wanna be your bitch. — Os lábios estavam quase se tocando, e o chinês levou sua mão até a face delicada do loiro. — I wanna touch you but not like this. — Negou com sua cabeça, deslizando sua mão do rosto de seu dongsaeng. — The look in your eyes. — O olhar de ChenLe, que antes acompanhava sua mão que passava pelo corpo de JiSung, voltou de encontro ao olhar de JiSung, e o Park tinha que concordar em uma coisa; o Zhong era intensidade viva. — My hand between your thighs. — A mão do chinês ficou entre as coxas do Park, em sua parte interna, apenas deixando o calor de sua mão pelo local, enquanto terminava de cantar com um sorriso ladino. — This can't be real It's all just a dream.

 

Tombou sua cabeça um pouco para o lado, sorrindo de forma aberta, antes de deixar um selar simples no pescoço pálido de JiSung, e um leve aperto em sua coxa, se afastando, enquanto a música ia para o seu final, e ChenLe voltava a dançar de sua forma sutil, com o olhar de JiSung queimando por sua pele.

 

Sentiu o toque da mão grande do Park em seu pulso, e parou todos os seus movimentos, sorrindo quanto notou que conseguiu conquistar o que queria, e dessa forma foi puxado de encontro ao corpo do mais novo, que agarrou sua cintura, e selou seus lábios com tamanho cuidado, que o Zhong jurou que era uma obra de arte única em um museu, e estava sendo guardado pelo Park.
 

Ambos caíram na cama, com ChenLe rindo de leve, e sendo silenciado com um beijo mais avançado, mas ainda sim, com total cuidado de JiSung, com a música se finalizando.


 

I don't wanna be your friend
Lose my breath



Notas Finais


Gente, não leva para o sentido literal o "vadia"


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...