História Serendipity - Bulletproof Love 2 - Jimin - Capítulo 1


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jimin, Park Jimin
Visualizações 98
Palavras 2.321
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá pessoal. Este é o Livro 2 da Série Bulletproof Love. Espero que vocês gostem!!!

"Serendipity é uma palavra em inglês que significa uma feliz descoberta ao acaso, ou a sorte de encontrar algo precioso onde não estávamos procurando."

Capítulo 1 - Capítulo I - Double date


Fanfic / Fanfiction Serendipity - Bulletproof Love 2 - Jimin - Capítulo 1 - Capítulo I - Double date

Jimin

Eu não acredito que aceitei participar de um encontro duplo às cegas, mas como sempre eu não tinha sido capaz de negar um pedido ao Maknae. Jungkook sabia meus pontos fracos e sabia exatamente como me convencer a fazer o que ele queria. E por causa disso hoje eu estava prestes a me encontrar com uma desconhecida. 

Eu já tinha ouvido muito sobre a amiga da Suki e como ela era fantástica e tudo o mais, porém não estava exatamente empolgado com essa cilada que o Jungkook tinha preparado para mim. Ele andava sorridente e animado com o seu primeiro amor e eu era obrigado a admitir, além de linda a Suki era um amor de pessoa. Ela era um tipo de garota muito difícil de encontrar. Eu realmente duvidava que sua amiga fosse como ela. Não que tivesse qualquer coisa contra a nacionalidade dela, porém a cultura brasileira e coreana eram muito diferentes e eu não ficava confortável com pessoas desconhecidas. 

Uma ida ao cinema não me mataria, depois que eu cumprisse minha promessa de acompanhá-lo neste encontro duplo, deixaria bem claro que não faria isso outra vez. Conferi mais uma vez o meu visual antes de colocar o chapéu e a máscara. 

- Jimin já está pronto? - Jungkook bateu na porta do meu quarto de maneira insistente. - Por que você trancou a porta?

- Eu já estou saindo. - Peguei minha carteira e coloquei no bolso. Caminhei até a porta, destrancando-a e encontrando o olhar impaciente de Jungkook.

- Por que você demorou tanto?

- Você disse 18:00 horas, são 18:10, 10 minutos não conta como atraso. 

- Eu não quero deixar a Suki esperando, eu quase nunca consigo vê-la fora da escola. 

- Eu sei. Eu tenho ouvido as suas lamentações todos estes dias. "Que saudades da Suki", "Será que a Suki está pensando em mim?", "Eu estou tão ansioso para ver a Suki este fim de semana" e o clássico "Por que a Suki demora tanto a responder minhas mensagens?" 

- Um dia você também vai se apaixonar.

- Eu irei, mas vou me comportar com dignidade. Não vou ser um bebê chorão como você.

- Eu vou ser o primeiro a rir da sua cara quando você fizer papel de idiota por causa de uma garota. 

- Vai sonhando...

Tomamos um táxi até o cinema, onde encontraríamos as garotas. Elas estavam paradas em frente à entrada do cinema. Olhei para Jungkook e ele olhava fixamente Suki. A garota sorria para ele e o olhava como se ele fosse o ser humano mais incrível do planeta. Confesso que sentia um pouco de inveja disso, ter alguém que me admirasse desta forma.

Eu tinha fãs que me olhavam assim, mas não era a mesma coisa, pois elas não me conheciam de verdade e da mesma forma que eu lhes interessava, haviam um tanto de outros idols para quem elas distribuíam seu amor. A Suki só olhava assim para o Jungkook, mais ninguém. Eu sabia que sua amiga era fã do BTS, o que provavelmente significava que ela olharia para mim com admiração, mas também que ela faria isso com todos os outros membros do grupo.

Jungkook e Suki estavam em um universo paralelo, ignorando totalmente o fato de que eu e Manu não tínhamos sido apresentados. Os dois estavam se abraçando e sussurrando coisas no ouvido um do outro. Pela primeira vez a garota que até então eu não tinha reparado chamou minha atenção. Ela era um uns 10 centímetros mais baixa que eu, estava usando uma calça camuflada justa, blusa branca, uma jaqueta de couro preta e converse high preto. Seus cabelos eram castanhos e longos . Ela tinha o corpo mais curvilíneo que a maioria das coreanas, tanto que mesmo se vestindo de forma básica, ela estava sexy.

Então eu cheguei até seu rosto, ela tinha lábios cheios e rosados e seus olhos verdes encararam. Havia um misto de curiosidade e admiração em seu olhar. Fiquei envergonhado e desviei o olhar. Na certa ela tinha percebido que eu estava reparando nela. Ela parou do meu lado. 

- Acho que estes dois não vão mesmo nos apresentar. - Ela falou em coreano. 

- É o que parece. Você fala coreano muito bem. 

- É, eu sei. - Que tipo de pessoa dizia eu sei e não obrigada? -  Eu me chamo Manuela, mas você pode me chamar de Manu. É um prazer conhecê-lo Park Jimin. - Ela me ofereceu sua mão delicada que eu apertei. 

- É um prazer conhecê-la também. 

- Vamos lá comprar os ingressos, porque estes dois não parecem nem um pouco afim de se mover.

Ela segurou minha mão e me puxou. Com a maior naturalidade. - Quem faz isso?

- Meu dinheiro está com a Suki. Você tem dinheiro, certo? - Fiz que sim com a cabeça. - Já que você está pagando, você pode escolher o filme. Está na cara que eles não vão assistir nada mesmo, então o voto deles sobre a escolha do filme não conta. 

- Você pode escolher. Tudo bem pra mim. 

Eu imaginei que ela escolheria uma comédia romântica, mas a menina escolheu um filme de ação. Pegamos os quatro bilhetes. E fomos até os nossos amigos.

- Ei vocês. Que tal ir para um lugar escuro onde vocês podem finalmente se beijar e ninguém vai estar prestando atenção? - Ela falou.

Isso parece ter surtido efeito, pois na mesma hora os dois se moveram e nos seguiram.

- Suki. Me dá dinheiro para comprar pipoca. - Sua amiga pegou dinheiro em sua bolsa e entregou a ela. - Você vai querer alguma coisa? 

- Não. Eu já tenho tudo que preciso. - Ela respondeu olhando para o Jungkook. Os dois pareciam hipnotizados. Olhei para meu amigo, ele era um caso perdido. Era como se o resto do mundo tivesse deixado de existir no momento em que ele colocou os olhos em sua namorada. 

- Ok. E você Jungkook?

- Eu estou bem. Eu e a Suki vamos entrar na sala e esperamos vocês lá dentro. Ok? - Quando foi que o Jungkook começou a dispensar comida? Ele devia estar muito apaixonado mesmo.

- Tá bom, podem ir. 

- Vai querer alguma coisa, Jimin?

- Não. 

- Você está muito magro, precisa comer alguma coisa. - Ela disse. Magro eu? Eu finalmente tinha alcançado o peso ideal depois de passar muito tempo fazendo um monte de dietas rogorosas. - Uma pipoca gigante, dois refrigerantes. - Ela ordenou ao atendente. Depois me entregou um copo de refrigerante e o saco gigante de pipoca. 

Nós entramos na sala escura e procuramos nossos amigos. A sala não estava muito cheia, então foi fácil encontrá-los. Eles estavam na última fileira. Os dois estavam aproveitando a penumbra para se beijarem. 

- Eu não vou sentar ao lado deles e ficar segurando vela. - Ela disse. - Vem, vamos sentar na penúltima fileira. - Eu concordei, afinal também não queria ficar observando enquanto meu amigo beijava sua namorada. 

Os trailers começaram e o depois o filme. O filme era bom, cheio de explosões e perseguições de carro. Vez ou outra minha mão encontrava a da Manu no saco de pipoca e todas as vezes eu tirava a minha mão na mesma hora. Eu sentia como se precisasse manter distância dela. A garota era intrigante de um jeito assustador. Eu imaginei que ela agiria como uma fã, mas em nenhum momento desta noite eu tinha me sentido como um idol. 

Nós comemos toda a pipoca e bebemos nossos refrigerantes. O filme acabou cerca de uma hora e meia depois e as luzes se acenderam. 

- Vamos jogar pedra, papel e tesoura para decidir bem quem vai chamar os pombinhos? - Disse Manuela.

- Acho que não vai precisar. 

Jungkook e Suki já não estavam mais se beijando. Os dois tinham os lábios vermelhos e pareciam envergonhados e assustados. Provavelmente foram pegos de surpresa no momento em que as luzes se acenderam.

- Então pessoal. Vamos embora? - Disse Manu.

- Ainda está cedo, nós podemos sair para jantar. - Jungkook sugeriu. 

- Isso seria ótimo! - Suki concordou. 

- Nós dois acabamos de comer um pacote de pipoca gigante, acho melhor vocês irem sozinhos. O Jimin me disse que estava com muito sono e prometeu me levar para casa.  - Ela disse de um jeito que sugeria que eu apenas concordasse. Eu bocejei tentando dar veracidade a história dela. 

- Ok, então. - Ela foi até sua amiga e disse algo em seu ouvido que fez a amiga sorrir e agradecer. 

Despedimo-nos dos dois na entrada do cinema e enquanto os dois se afastavam de mãos dadas, ficamos lá um olhando para o outro, sem dizer nada. Até que ela, como sempre tomou a iniciativa. 

- Sei que eu disse isso, mas não precisa me levar para casa. Eu posso pegar um táxi. Sei que você só veio neste encontro porque o Jungkook  ficou insistindo. 

- Isso não é verdade. - Eu menti.

- Ah, não?! Mentiroso! O Jungkook disse que você não queria vir, que teve que fazer chantagem pra te convencer. Eu li a mensagem no celular da Suki. 

- Ok. Eu confesso! Eu não queria vir, mas eu acabei me divertindo. Você não é como eu imaginei que seria.

- E como eu deveria ser, segundo sua imaginação?

- Eu não sei. Talvez um pouco mais deslumbrada. As únicas informações que eu tinha sobre você era que você é brasileira, fala coreano e é fã do BTS. 

- Então você achou que por isso, eu iria tentar agarrá-lo ou desmaiaria quando o encontrasse?

- Algo assim. 

Ela revirou os olhos e fez sinal para o táxi. Ela entrou no táxi e sem pensar muito eu entrei no veículo também. 

- Você não precisa me acompanhar, eu posso chegar em casa sozinha. 

- Eu disse que te levaria até em casa, então é o que vou fazer.

- Na verdade você nunca disse isso, você só bocejou.

- Foi um bocejo afirmativo. - Ela deu um sorriso.

- Que seja.

O táxi seguiu até uma área residencial e ela pediu que o motorista estacionasse. Eu desci do táxi com ela e fiquei esperando que ela entrasse no prédio, mas ela ficou parada na calçada. 

- Você não vai entrar?

- Vou fazer isso depois que você for embora.

- Eu vou embora depois que você entrar. - Eu insisti.

- Pode ir, eu não estou com pressa de entrar.

- Eu não estou com pressa de ir embora, eu espero.

- Nossa! Como você é teimoso. - Ela se sentou na calçada. - Eu não posso entrar, não tenho a chave. - Ela confessou. 

- Por que você não toca o interfone?

- Eu não posso chegar em casa sem a Suki. Os pais dela não vão gostar de saber que a filha deles está por aí com um garoto. Eu prometi a ela que esperaria aqui até que ela chegasse. 

- Por que você disse que não queria ir jantar com eles?

- Por que é o primeiro encontro de verdade dos dois. Eu não queria atrapalhar.

- Você é uma boa amiga. - Eu disse. Eu paguei o táxi e dispensei o motorista, depois me sentei ao lado dela. 

- O que você está fazendo?

- Não é óbvio? Eu vou esperar os dois com você. 

- Não precisa me fazer companhia, Jimin. 

- Eu acabei de dispensar o táxi e essa rua está completamente deserta, acho que não tenho outra opção a não ser esperar o táxi do Jungkook. 

- Por que fez isso?

- Eu não sou o tipo de pessoa que deixa uma garota sozinha de noite na rua.

- Sério? - Ela me encarou e eu resolvi mudar de assunto.

- Sabe... Nunca tinha ido ao cinema com uma garota antes. 

- Nunca? Uau! Difícil acreditar.

- Então você já tinha feito isso antes. 

- Essa é a primeira vez que fui ao cinema com um idol.

- E como foi a experiência?

- Mais normal do que eu achei que seria. Apesar de essa ser a primeira vez que eu fico segurando vela. 

- Isso também nunca tinha acontecido comigo. 

- Eu nunca tinha visto a Suki tão apaixonada. Eles fazem um casal tão fofo. 

- Fazem mesmo. - Eu concordei. -  Vocês se conhecem há muito tempo?

- Quase três anos.

- Então, quem é o seu bias do BTS? - Pela primeira vez na noite vi a garota ficar envergonhada. Ela ficava uma graça quando corava.

- Nossa! Que mudança de assunto tão repentina!

- Não me diga que é o Jungkook? Isso seria muito estranho.

- Não. Na verdade é você. - Agora era eu quem estava sem graça.

- Ah!

- Não precisa ficar preocupado, não vou tentar te agarrar. 

- Eu não achei que você fosse. 

- Eu achei que iria. Quer dizer, estava certa de que se um dia encontrasse com você, eu agiria como uma louca. Estou realmente surpresa com o meu autocontrole. 

- Eu nem teria imaginado. 

- Sabe de uma coisa. Não estou conseguindo mais me segurar, acho que preciso agarrar você imediatamente. 

Ela se aproximou de mim, seu olhar era tão sensual. Ela colocou a mão no meu pescoço e eu não era capaz de me mover. Ela olhou para mim de um jeito bem sério e mordeu os lábios e depois começou a rir e se afastou. 

- Você tinha que ver a sua cara! Realmente acreditou que eu ia te beijar. Você nem tentou me impedir. 

- Eu sabia que não teria coragem. - Eu a provoquei, mesmo que minha afirmação não fosse verdadeira. Ela olhou para mim de forma desafiadora e tornou a colocar as mãos no meu pescoço. 

- Diz isso de novo. - Ela falou olhando intensamente em meus olhos. 

- Eu sabia que não...

 

Continua...


Notas Finais


Então pessoal, gostaram do primeiro capítulo?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...