História Serendipity - Bulletproof Love 2 - Jimin - Capítulo 3


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jeongguk (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Bts, Jimin, Park Jimin
Visualizações 24
Palavras 2.134
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 3 - Capítulo III - Meeting BTS


Fanfic / Fanfiction Serendipity - Bulletproof Love 2 - Jimin - Capítulo 3 - Capítulo III - Meeting BTS

Manu

 

Eu nem podia acreditar que estava mesmo na Coreia do Sul. Tinha sido uma longa viagem de avião até ali e um tempo muito mais longo para convencer os meus pais de que eu deveria fazer essa viagem. Nos últimos três anos da minha vida, isso era tudo que eu tinha desejado. Meus pais não estavam muito inclinados a permitir que eu fizesse faculdade na Coreia, mas eu não me chamaria mais Manuela Alcântara de Queiroz se não conseguisse o que queria. 

A mudança de Suki para Coreia foi um golpe duplo de sorte. Primeiro porque agora meus pais tinham pessoas na Coreia a quem podiam confiar minha guarda e segundo porque minha amiga estava  namorando um integrante do BTS, Jungkook. 

A minha história de amor com o BTS durava tanto tempo quanto o grupo existia. Eu já ouvia algumas músicas de K-pop antes de eles fazerem seu debut, mas eles foram o primeiro grupo que acompanhei desde o começo. Havia algo especial sobre eles que me cativou instantaneamente. Eles me deram algo que sequer sabia que precisava. Eu tinha estado tão perdida no ano de 2013, contudo eles me ajudaram a encontrar o caminho e eu me redescobri.

Agora tinha chegado a parte mais difícil, convencer minha mãe a me deixar ficar o resto do ano na Coreia. A minha mãe acreditava que estávamos fazendo uma viagem de duas semanas, mas a verdade é que eu não tinha a menor intenção de voltar para casa. 

Quando desembarcamos Suki nos esperava com seus pais no aeroporto. Corri para abraçar minha amiga, que fez o mesmo. 

- Que saudade que eu estava de você! - Ela disse em português. 

- Eu também, amiga. Mas agora estou aqui e nós vamos abalar a Coreia! - Ela sorriu. 

- Menos. Não deixe meu pai escutar você dizer isso ou ele vai acabar mudando de ideia sobre permitir que você fique em nossa casa. 

- Fechando a boca agora mesmo.

Cumprimentei os pais de Suki e minha mãe também os cumprimentou. Nós ficaríamos em um hotel durante nossa estadia em Seul, mas eu passaria algumas noites na casa da Suki já que ela quase não tinha tempo, agora que tinha virado trainee da Big Hit. 

- Mãe, eu posso ficar com a Suki hoje? - Perguntei esperançosa.

- Vamos para o hotel descansar, eu estou morta. Amanhã você mata a saudade da sua amiga.

Eu sabia quando podia negociar com a minha mãe, porém infelizmente o seu tom deixava claro que ela não cederia. Os pais de Suki nos levaram até nosso hotel e embora eu quisesse muito ficar com minha amiga, tinha que admitir que estava morrendo de sono. 

Tomei um banho fresco e depois me joguei na cama exausta. Recebi uma mensagem de Suki no momento em que fechei os olhos. 

"Encontro duplo de amanhã confirmado. Adivinha quem vai ser o seu par?"

"O seu primo?" - Eu respondi, pois não tinha a menor ideia de quem poderia ser. 

"Não. Park Jimin" -  Eu li a mensagem sem acreditar, eu estaria mesmo em um encontro com o meu UTT em menos de 24 horas? Eu deveria estar sonhando.

"Você está falando sério?" - Eu precisei confirmar.

"Totalmente. Quem é sua melhor amiga?"

"Você é a melhor amiga do mundo inteiro!" 

Continuamos conversando por um tempo antes de eu apagar de sono. 

No dia seguinte, assim que acordei conferi minhas mensagens para ter certeza de que não tinha sonhado sobre ter um encontro com o meu UTT. As mensagens estavam lá, era real, eu não só conheceria Park Jimin, como teria um encontro com ele. Nunca achei que isso fosse mesmo acontecer. Eu certamente faria o possível para que isso acontecesse, mas nem sempre força de vontade é suficiente e as coisas não funcionam exatamente da forma que a gente quer.

Minha mãe já estava arrumada, pronta para passear pela cidade. 

- Vamos filha, acorde. Você tem que ir comigo para me ajudar nas compras.

- Mas você fala inglês perfeitamente. Você prometeu que ia me deixar ir na casa da Suki hoje. - Eu resmunguei.

- Não vai ser o dia inteiro, só até a hora do almoço, depois você pode ir para lá. 

- Ok.

Eu me arrumei e depois saí com minha mãe em uma maratona de compras. Até que foi útil, já que ela comprou algumas blusas e maquiagem para mim. Minha mãe era extremamente consumista. Ainda bem que, para sorte dela, meu pai não se importava com os valores absurdos que ela gastava no cartão de crédito e eu quase sempre era capaz de me beneficiar de seu consumismo, já que a maioria de suas roupas cabia em mim e nós calçávamos o mesmo número de sapatos. 

Depois do almoço segui para casa da Suki e nós passamos a tarde juntas matando a saudade e escolhendo nossas roupas. Eu estava tão contente que não conseguia parar de sorrir e a minha amiga também. Ela estava tão apaixonada pelo Jungkook que os olhos dela até brilhavam. 

Quando a Suki estava no banho seu telefone começou a apitar, em um reflexo eu peguei o aparelho e vi a mensagem na tela, era do Jungkook. 

"Foi difícil convencer o Jimin, tive até que chantageá-lo, estou de olho nele para que não desista. Estou com saudades"

O sorriso que eu tinha no rosto desde o momento que eu acordei desapareceu. A ideia de que o Jimin estivesse indo até lá obrigado era um pouco deprimente. É claro que as pessoas geralmente não ficavam muito empolgadas com encontros arranjados, mas queria que ele estivesse pelo menos um pouco curioso sobre mim.

Quando chegamos até o cinema, os meninos ainda não estavam lá. Então, alguns minutos depois eu vi duas figuras de máscara se aproximando, eu tive certeza que eram eles. O Jungkook e a Suki pareceram esquecer que nós dois existíamos, então eu fiquei lá parada olhando para o Jimin. 

Por mais que o Jungkook fosse bonito, e acredite em mim quando digo que ao vivo ele era ainda mais, o Jimin sempre tinha exercido uma atração maior sobre mim e pessoalmente era ainda mais forte. 

Ele estava usando os cabelos pretos, que era o tom que eu considerava mais bonito para ele. Era uma pena que ele estivesse de chapéu e eu não pudesse ver ele passar a mão nos cabelos daquele jeito que ele sempre fazia. Ele observou Jungkook e Suki por alguns segundos, mas logo seus olhos se voltaram para mim. Ele me olhou de baixo a cima, até chegar ao meu rosto e notar que eu o estava encarando. 

Ele ficou envergonhado por ter sido pego em flagrante. Eu decidi que o trataria como qualquer outro garoto, por mais que meu coração de army acelerasse no peito só de tê-lo tão perto de mim e tudo que eu quisesse fosse agarrá-lo.

A noite nem sequer parecia um encontro duplo, já que Suki e Jungkook mal nos dirigiram a palavra, eles estavam ocupados demais vivendo o romance deles para se importar com seus amigos. A verdade é que se o Jimin quisesse me beijar tanto quanto o Jungkook queria beijá-la, eu também não ia querer perder tempo conversando. 

Eu estava contente por minha amiga e queria que ela fosse feliz, por isso disse a ela que fosse sozinha com o Jungkook jantar. Eles precisavam de alguns momentos à sós e eu precisava me afastar do Jimin antes que não resistisse e o beijasse. Eu realmente não contava que ele fosse querer me acompanhar até em casa. O lógico seria que ele aceitasse a primeira oportunidade para fugir do encontro, já que ele tinha ido a contragosto.

Quando chegamos lá, eu não tinha como entrar no apartamento sem a Suki. Os pais dela não gostariam de saber que eu tinha deixado ela e o Jungkook sozinhos. O Jimin não quis ir embora até que eu entrasse e acabei tendo que confessar que não podia entrar. Então ele mandou o táxi embora e ficou esperando comigo. 

Eu tinha prometido a mim mesma que não deixaria o meu desejo por ele me dominar, mas eu não fui capaz de me conter. Pelo menos eu tinha disfarçado bem. Talvez ele não tenha notado o quão desesperada eu estava por seus beijos ou o quanto eu tinha amado sentir seus lábios nos meus, ou ainda como o meu coração estava batendo forte no peito depois que nos afastamos. Nada no mundo tinha sido tão bom quanto beijar os lábios de Park Jimin. Eu já tinha beijado alguns garotos, mas eu quase sentia como se este fosse o primeiro beijo que realmente importasse. 

- Essa foi a melhor noite da minha vida. - Suki disse quando entramos em seu quarto.- Obrigada por ter me dado cobertura. 

- Não se preocupe, eu também me diverti muito. 

- O que aconteceu entre você e o Jimin? 

- Nós nos beijamos. - Confessei

- É sério? Ah! Estou tão feliz por você amiga! Como aconteceu, me conte tudo, eu quero detalhes. 

- Na verdade fui eu quem o beijou, depois de ele me desafiar. Mas foi o melhor beijo da minha vida é sério. 

- Mas você acha que ele gostou do beijo?

- Eu acho que sim. Ele não saiu correndo. - Nós duas começamos a rir.

- Tomara que dê tudo certo. Imagina só, nós duas namorando dois caras legais e lindos, que são amigos. Ia ser perfeito!

- Eu vou conquistá-lo você vai ver. 

- Eu não duvido. O Jungkook me chamou para assistir o ensaio de dança dele amanhã, você quer ir comigo? O Jimin vai estar lá. 

- Você precisa mesmo perguntar?

*****

No dia seguinte nós acordamos bem cedo. A Suki tinha alguns deveres da escola para fazer antes de poder sair de casa. Eu enviei uma mensagem para minha mãe, avisando sobre o passeio. O ensaio do Jungkook era na parte da manhã e logo nós nos arrumamos e fomos até a sede da BigHit no centro de Seul. 

A Suki já estava bastante familiarizada com o prédio, mas eu ficava olhando tudo, como uma criança que acaba de entrar na Disneyland, eu tinha visto tantos vídeos do BTS que se passavam dentro deste prédio que era quase como estar em um cenário de filme. 

Fomos juntas até a sala de ensaio e os meninos já estavam todos lá. Eles ficaram um pouco assustados quando viram duas garotas entrar na sala. Eles estavam praticando a coreografia de "I need you", meus olhos foram automaticamente atraídos para o Jimin e a forma como ele se movia era ao mesmo tempo sexy e graciosa. Eu sabia a coreografia, a dança era uma das minhas muitas paixões. Não que eu me dedicasse a isso profissionalmente, porém já tinha feito balé quando criança e diversos cursos de dança na minha adolescência. 

Eles encerraram a canção e os meninos se amontoaram ao nosso redor. Eu não podia acreditar que estava mesmo no salão de ensaio do BTS. Jungkook se aproximou de Suki, pegou ela no colo e a girou.

- Você veio! - Ele lhe deu um beijo recatado por causa da plateia. 

- Eu não perderia por nada. Já estava morrendo de saudades.  - Ela respondeu sorridente.

- Awn. Eles não são uma gracinha? - disse Jin. Seu rosto era tão perfeito que parecia ter sido esculpido. 

- Você deve ser a Manu, a amiga brasileira da Suki. - Disse J-Hope estendendo a mão para mim. - É um prazer conhecê-la, eu sou J-Hope. - Demorei um pouco a reagir. Tudo parecia um sonho.

- O prazer é todo meu.- Como costume aproximei e dei-lhe um beijo no rosto o que o deixou um tanto assustado. - Desculpe é um costume brasileiro, tenho que me lembrar de não fazer isso na Coreia. 

- Tudo bem, eu não me importo. - Ele disse sorridente. 

Um coro de "nem eu" que surgiu em seguida me deixou um pouco envergonhada, o que era um tanto incomum para mim, eu sempre tinha me virado bem entre meninos. Cumprimentei a todos com beijos no rosto, mas quando cheguei no Jimin, eu o encarei. 

- Nós já fomos apresentados, então acho que seria redundante se nos apresentássemos de novo. É um prazer revê-lo, Jimin. 

Eu não toquei nele, pois não confiava na minha capacidade de me comportar perto dele. Ele pareceu um pouco decepcionado. 

- Fico feliz que tenha vindo.

O coreógrafo entrou na sala e interrompeu, nossa conversa. 

- Todos vocês voltando já ao trabalho. Vamos lá!

Os meninos voltaram ao ensaio e eu e Suki nos sentamos no canto da sala e ficamos observando, enquanto eles ensaiaram a coreografia de "Fire' e depois "Save me". Parecia que a minha vida tinha se transformado em um filme e eu estava adorando tudo isso.

 

Continua...




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...