História Serendipity - Capítulo 5


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Personagens Originais, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Sobrenatural, Taehyung
Visualizações 120
Palavras 740
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Ficção, Ficção Adolescente, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Universo Alternativo
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Olá, pessoas, voltei! Desculpem se o capítulo estiver muito curto, mas eu não posso simplesmente entregar muita coisa pra vocês por que senão perde o suspense :v. Boa leitura 💛

Capítulo 5 - Capítulo 5


Fanfic / Fanfiction Serendipity - Capítulo 5 - Capítulo 5

ㅡ Deixe-me ver, “sinta-se em casa”? “Não repare na bagunça”? O que as pessoas costumam dizer quando têm visitas em casa?

ㅡ Faltou perguntar se eu queria uma xícara de café ㅡ nós dois rimos ㅡ Onde está o seu tio?

ㅡ Geralmente ele trabalha a essa hora.

ㅡ Então estamos sozinhos?

ㅡ Sozinhos. Isso é um problema pra você?

ㅡ Não, problema nenhum.

ㅡ Ótimo, então vem.

 

Subimos a escada que levava ao quarto dele. Assim como o andar de baixo, era bem arrumado. Tinha vários action figures de animes, réplicas de alguns quadros famosos, uma máquina fotográfica pendurada na cabeceira da cama e fotografias lindas espalhadas por aqui e por ali, algumas de paisagens, outras de animais e algumas de flores, provavelmente todas tiradas por ele. Eu já estava encantada quando meu olhar caiu sobre um saxofone encostado no armário embaixo de uma das janelas do fundo.

 

ㅡ Você realmente toca ou ele tá ali só de enfeite?

ㅡ Um pouco dos dois, nunca pude ir até o final de nenhum curso mas até que não toco mal.

 

Ele pegou o instrumento e começou a tocar a minha música preferida, era bonito tanto de ouvir quanto de ver, estava claro até pra mim que não entendia nada disso que ele  errava algumas notas, mas o jeito que ele se entregava à música era encantador.

 

ㅡ Que outros talentos você tem que eu ainda não descobri?

ㅡ Vários, tipo…

 

Ele pegou minha mão e me puxou para um beijo, aos poucos tudo à minha volta foi empalidecendo, até mesmo o chão pareceu se perder abaixo de mim enquanto eu era envolvida pelos braços dele. Não ofereci resistência, não me importei que ele estivesse quente demais, nem que o seu coração martelasse como se quisesse sair do peito, não me importei que uma pequena parcela da minha mente gritasse que aquilo era extremamente errado, apenas me entreguei para a névoa morna de semi-inconsciência que ameaçava me cegar e aceitei de bom grado a sensação de leveza que ela me dava. Isso era como o paraíso e eu me sentia em transe.

 

ㅡ Taehyung, eu não já te disse pra trancar a porta porque o cachorro aprendeu… a abrir?

 

A voz me pareceu distante e abafada a princípio, mesmo sabendo que ela estava no mesmo quarto… um quarto? Todos os meus sentidos voltaram de uma vez e isso me deixou momentaneamente tonta, quando consegui me situar Taehyung estava à minha frente e olhava surpreso por cima da minha cabeça para um homem de meia idade e aparência cansada parado no vão da porta, que lhe devolvia um olhar de raiva contida.

 

ㅡ Desculpe, não sabia que tinha visita.

 

Ele fechou a porta e saiu, acho que Taehyung não esperava vê-lo em casa tão cedo, depois de se recuperar da aparição repentina ele pegou a minha mão e começou a me conduzir à porta.

 

ㅡ Me desculpa mesmo mas é melhor você ir embora.

ㅡ Você não pode trazer ninguém aqui? ㅡ ele negou com a cabeça ㅡ Ele vai brigar com você por isso?

ㅡ Não se preocupe comigo.

ㅡ Como não? Ele parecia com raiva ㅡ tentei puxar minha mão de volta mas ele era muito forte.

ㅡ Relaxa, o máximo que ele pode fazer é gritar. ㅡ ele finalmente olhou pra mim, não parecia ter percebido que eu estava tentando me soltar ㅡ Vou te levar até o centro e depois preciso voltar, okay?

 

Assenti com a cabeça e ele voltou a me puxar, parecia muito ansioso para me tirar dali pra ver o que eu estava tentando fazer, então desisti de soltar a mão, pelo menos não estava machucando. Soonshin nos acompanhou por parte do caminho mas algo se mexendo às margens da estrada o fez perder o interesse em nós.

 

ㅡ Aqui já deve estar bom, eu tenho que voltar. Não me olhe assim, ele passou uma impressão errada mas é uma pessoa legal, até amanhã.

 

Ele me deu um selinho e depois me deixou. Voltei para casa com um sorriso todo bobo, nos beijamos duas vezes, se meses antes alguém me dissesse que eu estaria com a mão no peito tentando acalmar o meu coração que batia loucamente por causa de Kim Taehyung, eu perguntaria que tipo de droga essa pessoa andava usando, e no entanto ali estava eu, rolando na cama e agarrada a um travesseiro como se ele fosse o primeiro na minha vida.

 


Notas Finais


E aí, vocês já têm alguma ideia do que tá acontecendo? Contem pra mim, estu curiosa :v
Estamos subindo muito rápido no MAMA, gente, essa é a hora de virar!

E é isto! :)


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...