História Serendipity — Love & Reign - Capítulo 30


Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Allbulletproof, Bts, Jikook, Jimin, Jungkook, Kookmin, Mpreg
Visualizações 1.657
Palavras 2.980
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Famí­lia, Lemon, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Yaoi (Gay)
Avisos: Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 30 - Serendipity


Fanfic / Fanfiction Serendipity — Love & Reign - Capítulo 30 - Serendipity

Castelo Escarlate — 08h10

Um ano depois

 

— Isso é muito romântico de sua parte, meu filho — Kwan disse orgulhoso, vendo o quando Jungkook havia amadurecido com o tempo, então, sorriu, abraçando-o fortemente, porque também havia perdoado — Espero que nosso futuro nos reserve ainda mais paz e felicidade.

— Obrigado, pai — Jungkook agradeceu, tendo seu coração aquecido pelas coisas estarem indo por um caminho bom.

— Meu filho, estou orgulhosa de você, do quanto cresceu e aprendeu com os seus erros — Sun-Hee disse, beijando a testa do filho e abraçando-o em seguida — Preciso ir, tenho que ajudar a Seokjin a organizar o cardápio da festa.

O tempo passou, eles crescerem, mudaram, aprenderam e continuavam aprendendo todos os dias. Principalmente Jimin, que deixou de ser aquele garotinho indefeso e virou um homem com opinião própria, participando até de tudo que envolvia o reino, cumprindo finalmente, seu papel de rei. Um ano fora o suficiente para que eles pudessem organizar o próprio coração e a própria família; Mi-Hee era uma linda princesa de dois anos e Alec era um príncipe belo, serelepe e a cara de Jungkook, que havia acabado de completar um ano.

Há uma semana, Jungkook vinha preparando algo que devia ter feito a muito tempo. Naquele finalzinho de inverno, estava preparando uma surpresa para Jimin, que até então, não desconfiava de nada. A relação dos dois estava fortalecida, o amor crescia a cada dia, assim como a sinceridade e o respeito de um para com o outro. Não fora fácil conquistar a confiança de Jimin novamente, todavia, trabalhou duro para se tornar alguém melhor, tanto para ele, quanto para si mesmo.

Algumas coisas aconteceram nesse tempo que passou...

Chung-Ho, pai de Jimin, acabara morrendo por conta de um ataque cardíaco fulminante. Morrera sozinho, numa sela escura e fria, pagando assim, os erros que cometera ao longo da vida. Jimin fez o enterro do pai, sozinho — por escolha própria — despejando ali, lágrimas por ele nunca ter sido amado pela pai, mas também, lágrimas de perdão. Não desejou que descansasse em paz, até porque estava ciente que Chung-Ho arcaria com as consequências de seus pecados depois da morte.

Yang-Mi, sua mãe, fora encontrara perambulando pelas ruas de uma cidade vizinha. Desnorteada, suja, sem dinheiro e sem apoio; ela recebeu em troca de toda a sua ganância por dinheiro, uma vida miserável. Internada em uma casa para loucos, Yang-Mi foi diagnosticada com psicopatia, sendo confinada a uma sela branca, onde os próprios pensamentos a torturavam. Jimin a visitou uma única vez, apenas para dizer a ela que havia sido perdoada e que aquela, seria a última vez que se veriam.

Bem, o amor aconteceu na cozinha do castelo; aqueles que viviam como cão e gato, acabaram que resolveram deixar que os sentimentos falassem mais alto. Seokjin e Namjoon se casaram no jardim do castelo, tendo como convidados, todos os funcionários e até mesmos os reis. Jimin ficou emocionado em ser padrinho ao lado de Jungkook, não conteve a emoção em ver Mi-Hee caminhar até o altar, com um vestido azul celeste, cheio de borboletas cor de rosa.

Taehyung, o primeiro e amado amigo de Jimin, tinha um sonho e não consistia em se casar ou ter filhos, mas sim, em poder dar aos pais, a viagem que eles sempre sonharam em fazer. Ele era alguém que amava os demais, amava a família, amava além de tudo, proporcionar a eles, uma vida melhor. Jungkook tinha gratidão por ele, por sempre ter estado ao lado de Jimin como um bom amigo fiel, então, deu a ele e aos pais, um presente na qual Taehyung jamais esqueceria; uma viagem pelos lugares mais lindo do mundo.

E sobre Yoongi e Hoseok? Bem, eles ainda estavam em sua viagem a trabalho. Jimin sentia falta dos dois, senti falta de conversar com Yoongi e do sorriso de Hoseok. Um ano se passou que não tivera mais contato com eles, mas estava ciente que os dois estavam ocupados, e o mais importante: eles estavam bem. A viagem dos dois havia sido estendida depois de um ano, Jimin não gostou muito, mas entendeu que tinham compromissos sérios a cumprir.

 

[...]

— Vou sentir muito sua falta, Taehyung — Jimin disse abraçando o amigo, já sentindo a dorzinha da saudade — Mas fico feliz que você irá realizar o seu sonho e o de seus pais.

— Será apenas um ano, Jiminnie — Taehyung respondeu, sorrindo com aquele abraço — Logo estarei de volta, você verá, passará bem rápido.

— Não quero chorar — Jimin riu, limpando as lágrimas finas — Mas, me diga, porque você me trouxe para a casa de campo? O que viemos fazer aqui hoje?

Ah, Jimin tinha lembranças daquela casa, e não, não era ruins. Eram boas, porque foi nela que se sentiu pela primeira vez, livre da cadeia que vivia em sua casa. Havia sido levado cedo por Taehyung para a casa de campo, estranhou, mas resolveu não dizer nada, pois achava que eles iriam passar um tempo a sós, aproveitando a amizade deles. Ela continuava linda e encantadora, com o belo lago e as flores roxinhas que enfeitavam a grama verdinha.

— Primeiro, tenho uma surpresa — Taehyung respondeu, olhando por cima dos ombros de Jimin — Veja você mesmo! — Virou Jimin, que logo arregalou os olhos, vendo um de seus melhores amigos ali, com o mesmo sorriso bonito de sempre.

— Hoseok! — Correu até ele, abraçando-o apertado, certificando de que ele era real — Quando chegou? Por que não veio me ver logo? Cadê Yoongi? — olhou para atrás de Hoseok, procurando o outro, mas não viu ninguém mais no jardim.

— Logo você o verá, mas agora... — Hoseok desfez o abraço e entregou a Jimin um pergaminho que estava enrolada com um barbante de juta — Você precisa ler isso — Jimin pegou a carta nas mãos sem entender, abrindo em seguida.

 

“Jimin, ou melhor, amor da minha vida...

Passamos por tantas provações para estar aqui, e agora, tendo a oportunidade de finalmente sermos felizes. Não posso por nessas singelas palavras o quanto eu te amo com todo o meu coração, então, decidido a te provar todos os dias os meus reais sentimentos, quero proporcionar a você algo que eu deveria ter feito assim que te conheci.

No entanto, entendo que passamos por tudo isso, porque assim que o destino quis, provando que nosso amor resiste a grandes tempestades.

Lembra quando chegou a está casa de campo? Sendo obrigado a casar com alguém que não conhecia, mas que mesmo assim, aceitou querendo uma oportunidade para ser feliz. Lembra que tudo fora programado como um contrato? Pois bem, isso mudará. Perdão pela pessoa que fui desde o começo, mas hoje, vamos celebrar o nosso amor é esquecer o passado...

Vamos recomeçar!”

 

Jimin deixou que lágrimas caíssem depois de ler a carta, sorriu, chorou, abraçou o papel como se fosse o próprio Jungkook ali e também foi acolhido em abraços quentinhos pelos dois amigos, que estavam felizes em poder participar daquela surpresa. Não sabia ao certo qual seria a surpresa, mas tinha uma ideia do que seria, e estava preparado para ter um novo começo ao lado do esposo.

Ele foi levado para o andar de cima, vestido lindamente em uma roupa clara que já havia sido preparada. Seus cabelos loiros ganharam pequenas flores azuis espalhadas, sua pele recebeu uma maquiagem leve, apenas para ressaltar a beleza de seus olhos e de seus lábios. Ele estava ansioso, nervoso, sensações essas, que nem no seu casamento sentira.

Tudo era novo!

E quando chegou no castelo, haviam plaquinhas por todo o caminho, que o fez chorar. As frases estavam escritas em madeiras com letras douradas. Cravadas nas gramas, que compunham um caminho de flores brancas. Os olhos de Jimin estavam inchados pelas lágrimas que caiam sem permissão, o vento geladinho batia em seu rosto, causando uma boa sensação. Estava tudo silêncio, onde apenas os pássaros cantavam com suas belas melodias.

 

“Desde a criação do universo, tudo foi destinado.”

Porque eu te amo e você me ama.”

 

Caminhava sozinho, porque Taehyung e Hoseok haviam lhe deixado em um certo momento. Estava tão encantado pelo que lia, que não prestou atenção quando chegou no final do caminho, deparando-se com um arco de flores, vendo finalmente, Jungkook ali, em pé, ao lado de Yoongi, seus pais, Seokjin, Namjoon, Taehyung e Hoseok... Não posso deixar de citar Mi-Hee e Alec, que estavam sentadinhos na grama, com roupinhas belas e encantadoras.

Jungkook estava com o peito ardendo de amor ao ver seu amado ali. Naquela simples cerimônia, casaria com Jimin por amor e não por contrato. Casaria tendo a certeza do sentimentos, porque na verdade, Jungkook sempre o amou desde o princípio. O passado ficaria para trás, as mentiras e todas as decepções; eles seriam felizes, independente do que viesse, independente de tudo.

Esse é o nosso destino, Jimin — Jungkook disse, pegando nas mãos do amado, beijando-as carinhosamente — Você é minha melhor coincidência, meu amor que ultrapassa barreiras e o próprio tempo.

Esse é o nosso destino, Jungkook — Jimin repetiu sorrindo, fazendo o mesmo gesto nas mãos do esposo — Você é minha cura, meu anjo e meu mundo... Você é a minha providência do universo.

 

[...]

— Sentiu minha falta? — Yoongi disse risonho, abraçando Jimin, que estava emocionado em vê-lo novamente — É, eu também senti.

— Quando chegou? — Jimin questionou, puxando Yoongi para se sentar em um banco — Como foi a viagem?

— Chegamos ontem, mas já estávamos ciente da surpresa de Jungkook — respondeu, segurando nas mãos de Jimin, rindo baixo ao lembrar de como se despediu de Jimin antes de viajar.

Yoongi quase perdeu o amigo, mas não perderia a oportunidade de provar dos lábios de Jimin. Então, antes de ir embora — um ano atrás —, deixou um selar demorado nos lábios do loiro, que apenas ficou estático assim como Jungkook, que presenciou toda a cena sem acreditar no que Yoongi havia feito. Bem, todos riram, mas Jungkook logo tratou de passar a manga da blusa nos lábios do esposo, selando em seguida, tentando apagar aquele beijo — como se fosse possível.

— Conte-me mais.... Como foi? E Hoseok? Se deram bem? — Jimin perguntou curioso, tendo as bochechas, que tinham voltadas a serem gordinhas, apertadas por Yoongi.

— Foi cansativa... E sobre nós, bem, Hoseok não resistiu aos meus encantos, então estamos juntos há alguns meses — Yoongi respondeu, sendo surpreendido por um tapa forte na nuca.

— Sai de perto do meu marido, seu ladrão de lábios alheios — Jungkook puxou Jimin para os braços cheios de ciúmes, esse que ainda estava radiante por saber que Yoongi e Hoseok estavam juntos — Ele te beijou de novo amor? Por que está corado?

— Oh! Não acredito! Você tá sabendo amor? Hoseok e Yoongi são um casal! — Jimin dando pulinhos nos braços do marido, vendo-o ficar incrédulo.

— Ufa! Fico aliviado em saber que você encontrou alguém e vai deixar meu Jimin em paz — Jungkook soltou sem pensar, recendo um beliscão — Aí, amor!

— Preciso encontrar o Hobi, tchau! — Jimin nem deu tempo de Jungkook falar, deixando o marido para traz com uma feição brava, por não estar tendo a atenção dele.

— Jimin te tem nas mãos, meu caro amigo — Yoongi disse, dando batidinhas no banco para que ele se sentasse.

— É, de fato ele tem... Repito o que eu disse há um tempo atrás: É impossível resistir aos sorrisos dele — suspirou, olhando para Jimin, que estava abraçado a Hoseok, sentindo uma pontinha de ciúmes.

— É, não só o sorriso como tudo nele — Yoongi falou só para provocar, tendo o olhar raivoso do amigo.

— Você nunca vai deixar de gostar dele, né? — Jungkook questionou sério.

— Não... Mesmo que eu ame Hoseok, Jimin ainda terá o espaço dele guardado em meu coração. No entanto, isso não é ruim, é apenas um sentimento bom, que guardarei como lembrança... Não se preocupe, aquele ruivinho já me fisgou! — Yoongi riu, deixando o amigo de lado, pegando nas mãos de Hoseok e tirando-o dali para ficaram a sós.

 

[...]

Sentado no colo de Jungkook, nu e com o corpo ardendo de paixão, Jimin gemia ao senti-lo dentro de si. Seu pescoço era tomado pelos lábios de Jungkook, que deixava sua marca naquele pele tão macia. Quando os lábios se encontram, gemeram em satisfação, movendo os corpos para que o atrito fosse maior. A cama já tinha os lençóis no chão e o tempo frio já não era um problema para o calor que sentiam naquele momento.

As mãos de Jungkook passavam pelo corpo de Jimin, apertando-o e aproveitando da carne que era somente dele. Os sons que produziam eram ainda mais excitantes para eles, que mantinham uma velocidade lenta e sensual, apenas para aproveitarem aquele momento tão gostoso.

Jimin revirava os olhos, com os lábios sendo atacados pelos dentes salientes de Jungkook, que não continha os gemidos de prazer ao ver seu esposo tão anestesiado em cima de si. Quando a velocidade dos movimentos aumentaram, sabiam que não iriam durar por mais tempo, já que estavam ali, quase há uma hora naqueles movimentos lentos e torturantes.

Depois de banho tomado e vestidos em seus pijamas — que posso citar que eram iguais por escolha de Jungkook —, foram até o quarto de seus filhos, onde dormiam tranquilamente em suas devidas caminhas. Todas as noites tiravam algum tempo para apreciá-los enquanto dormiam, onde sempre conversavam sobre o futuro deles e até faziam planos para um próximo filho.

— Você gostou do dia de hoje? — Jungkook perguntou, com Jimin sem colo, na poltrona que havia no quarto — Sabia que eu preparei tudo? Até a decoração!

— Eu amei, amei muito! — Jimin selou os lábios do esposo, para logo voltar a deitar sua cabeça no ombro dele — Agora sei o significado de felicidade.

— Sabe?

— Sim, eu sei — respondeu convicto — Talvez eu tenha que agradecer aos meus pais de alguma maneira... Se não fosse por suas ganâncias, jamais teria te encontrado e me casado com você.

— Isso não é verdade! — Jungkook exclamou, puxando o rosto de Jimin para olhá-lo — Nos teríamos nos encontrado de uma maneira ou de outra, nossas vidas foram traçadas antes mesmo de nos conhecermos.

— Tens razão, foi sim! — Jimin respondeu sorrindo, lembrando-se de quando tinha quinze anos — Nosso destino foi traçado!

Ele havia guardado um segredo... Naquele dia, quando escutará a voz do homem falando com a moça no bosque — sim, aquele homem que havia achado que era ela quem estava cantando —, Jimin olhou entre os arbustos, e embora não pudesse ver a face da garota, viu perfeitamente o rosto jovial de Jungkook. No dia de seu noivado, quando caminhava até ele, levou um tempo para reconhecê-lo, mas não foi difícil de lembrar, já que Jungkook mantinha as mesmas feições, enquanto ele havia mudado bastante.

Alguns meses atrás, Jungkook vinha escondendo um segredo também... Quando foi na antiga casa de Jimin para resolver o que aconteceria com aquele terreno — que havia sido tomada pelo fogo —, achou entre os papéis queimados da biblioteca, uma foto do mesmo garoto que encontrará naquela noite no jardim, quando ainda era uma criança, onde acontecia uma festa que seu pai havia dado... Era Jimin, o garotinho fofo e assustado, que esbarrara com ele.

Talvez esses fossem os únicos segredos que mantinham, mas revelariam no futuro, quando completariam vinte anos de casados, em um jantar em família.

É, o amor nunca veio com a promessa de que traria sempre momentos bons. Encontros e desencontros tendem a acontecer todo o tempo, assim como provações e momentos de alegrias. A balança ainda pesaria para momentos ruins, no entanto, Jimin e Jungkook estavam com o amor forte o suficiente para venceram mais aquela etapa.

Amor não é amor sem provação. Contudo, o amor vence quaisquer mentiras, decepções, medos e tristezas. O amor nasce no íntimo do coração, sendo provado pelo fogo constante, para mostrar que o sentimento é real e recíproco. O amor não guarda ódio e nem rancor, o amor não machuca; são as pessoas que ferem, porque um sentimento puro não pode ferir.

Existem vários tipos de como amar, por exemplo; amar a si mesmo. Jimin aprendeu essa lição, aprendeu que antes de tudo, precisava se aceitar como um humano falho e amar a si mesmo para poder amar alguém. Já Jungkook, além de aprender amar a si mesmo, aprendeu o que era o amor em sua mais pura essência, descobrindo que o amor vai muito além do que carnalidade, vai muito além do que paixão.

O amor de Jimin e Jungkook veio a crescer com o tempo.

Hoseok e Yoongi se casaram algum tempo depois, além do casamento, alguns meses mais tarde, os recém casados adotaram um lindo menino, e para que a alegria fosse completa, Seokjin e Namjoon resolveram cuidar de uma linda menina, que fora deixada na porta de sua casa, menina essa que veio a casar com Alec muitos anos depois, dando a eles, vários netinhos. E em seus trinta e quatro anos, Taehyung se viu apaixonado por Mi-Hee, que havia acabado de completar dezoito anos, retribuindo aquele sentimento... Mais uma vez, o amor provou que não existem barreiras que possam impedi-lo.

Naquela noite do verdadeiro casamento, os dois disseram juntos, antes de dormir, algo que fazia total sentindo para tudo que passaram. Não era apenas um amor que acabaria ali, não era um amor que viria ser desgastado, pelo contrário, o amor era de outras vidas, outras histórias. Eles se amaram dali até a eternidade, porque o tempo jamais poderia apagar aquele sentimento forte e verdadeiro.

Você é a minha serendipidade!


Notas Finais


O FIM CHEGOU, ÚLTIMO CAPÍTULO EU TO MORRENDO!

Eu estou muito triste, chorei e estou com o coração apertado. Farei um capítulo para agradecer melhor. Então essas notas, são apenas para eu despejar as minhas lágrimas. Não tô bem!

Apenas digo aqui que tudo que aconteceu nesse capítulo estava previsto desde o início, até mesmo Taehyung com Mi-Hee!

[Não sei se lerão o capítulo de agradecimentos, então peço aqui: Não tirem de biblioteca, pois penso em fazer bônus.]

Comentem, por favor, quero saber o que vocês acharam de tudo. 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...