História Serendipity (YoonMin) - Capítulo 4


Escrita por:

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jeon Jungkook (Jungkook), Jung Hoseok (J-Hope), Kim Namjoon (RM), Kim Seokjin (Jin), Kim Taehyung (V), Min Yoongi (Suga), Park Jimin (Jimin), Personagens Originais
Tags Au (universo Alternativo), Fanfic, Hopetaekook, Hoseok, J-hope, Jimgi, Jimin, Jiminxyoongi, Jin, Jungkook, Magia, Minsuga, Mistério, Namjin, Namjoon, Rap Monster, Seokjin, Suga, Sugamin, Suji, Sujim, Taehyung, Taekook, Vhope, Vhopekook, Vkook, Yaoi, Yoongi, Yoongixjimin, Yoonmin
Visualizações 48
Palavras 1.515
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Ficção, LGBT, Magia, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Sobrenatural, Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


hOi. :3
Primeiramente, quero que saibam que eu não achei nenhuma foto que combinasse bem com o capítulo, então escolhi essa mesmo. :v
Quero me desculpar pela demora, mas o tempo está realmente curto... Por isso, mudei o estilo da escrita (não sei se vai ser permanente, mas enfim), pois é mais simples de postar já que não é necessário deixar cada diálogo destacado. Espero que entendam...
Boa leitura. <3

Capítulo 4 - Onde ele está?


Fanfic / Fanfiction Serendipity (YoonMin) - Capítulo 4 - Onde ele está?

POV YoonGi - 00h04


Após toda aquela tarde, senti que Jimin e eu não tinhamos conseguido nos tornarmos próximos, como pensei. Seria difícil, mesmo que já tivéssemos nos encontrado antes e termos uma amizade que não pôde ser desenvolvida graças a distância.

Ele continua tocando o piano. Eu até perguntei como ele havia decorado parte da música, quando acordou, mas o mesmo decidiu que contaria futuramente, pois achava que seria estranho e desnecessário para mim.

Depois de mais alguns minutos, decidi que cozinharia para ele, e assim o fiz, mesmo sem Jimin pedir. Para mim, o mesmo parece muito modesto e tímido, e acho que demoraria para pedir comida, isso se chegasse a pedir.

Chamei-o, apoiado no início da escadaria branca, que levava para o segundo andar, cujo ficava o quarto em que estava. E não demorou muito para que ele aparecesse.

– O que foi? Precisa de algo? - perguntou, assim que me viu. Estava parado no último degrau da escada.

– Nada em específico... Apenas saiba que a sua janta está pronta.

– M-Mas não precisa! - Ele comentou, ainda olhando para mim.

– Ah, venha logo, ou irá esfriar. - Falei, com uma expressão neutra. Ele apenas concordou e desceu as escadas rapidamente, me seguindo até a sala de jantar.

Ao chegar, ficou olhando a mesa. Eu fingi não reparar, mas ele realmente aparentava estava envergonhado e surpreso, e demorou a escolher uma cadeira. Servi a comida, percebendo ele encará-la. Voltei a cozinha para pegar a minha, mas antes que fosse, fiquei atrás da porta, observando-o. Ele encarava a refeição com os olhinhos brilhantes, e pareceu refletir um pouco. Após alguns segundos, atacou a comida de maneira quase selvagem. Sorri ao ver aquilo. Logo em seguida, entrei na sala de jantar e sentei-me ao seu lado, o que infelizmente fez ele comer com uma calma forçada.

– Coma à vontade... Não se preocupe com minha presença. - Falei, porém ele continuou em silêncio. – ...Irei me retirar, se isso te fará se sentir melhor.

Me levantei e, quase que no mesmo segundo, senti uma mão puxar o meu moletom, fazendo com que eu praticamente caísse no lugar que estava antes. Consequentemente, me virei para encará-lo, e percebi seu rosto avermelhar com o passar dos segundos.

– Fique aqui... - sua voz saiu tão baixa, que foi como um sussurro. Ele desviou o olhar logo em seguida.

– Tudo bem. Desculpe, então. - tentei evitar uma risada, ato cujo foi quase impossível, mas consegui, embora ainda tivesse demonstrado alegria no tom de voz.

Comemos em silêncio, e quando acabamos, peguei os recipientes para lavar, o que graças aos céus, não demorou muito. Quando voltei, Jimin ainda estava no mesmo lugar, e parecia pensativo.

– Hyung... - falou, assim que me viu.

– Hyung? - Perguntei para mim mesmo, porém acabei falando com volume alto o suficiente para Jimin ouvir.

– D-Desculpe! É que... E-Eu pensei que não se incomodaria de ser chamado assim por mim. - Apoiou o rosto nas pequenas e fofas mãos, que por sua vez, estavam em cima da mesa. Seu rosto ficou ainda mais avermelhado. Por que ele simplesmente é tão fofo e adorável?!

– E realmente não me incomodo. - sorri, tentando deixá-lo mais confiante. – Me chame como quiser.

– S-Se diz... - Deu um pequeno suspiro, e sorriu em seguida, e como antes, não pude deixar de reparar na fofura do seu rosto quando sorria, embora eu realmente ache-o adorável naturalmente. – ...Suga-hyung... Muito obrigado por cuidar de mim. - Vi suas bochechas corarem novamente, porém dessa vez, mantendo aquele sorriso fofo que simplesmente me cativa...

Tenho que admitir que estranhei vê-lo me chamar de “Suga” depois de tanto tempo, pois foi ele quem me deu esse apelido, quando eu tinha por volta dos 14 anos. Eu realmente estava com dúvidas sobre até onde sua memória era capaz de lembrar.

– Não precisa agradecer. - continuei com um sorriso discreto. – Por que “Suga”?

– Porque... - refletiu um pouco. – ...Só senti vontade de te chamar assim.

– É uma explicação pouco convincente, mas vou aceitar... - Falei, e o mesmo soltou uma risadinha calma e amável. – Por enquanto!

– Acredite no que quiser... Seja lá o que você quer saber com um simples apelido. - comentou, revirando os olhos.

– Certo.

Fui para a sala, me sentei no sofá maior, que por sua vez, possuía uma coloração escura, algo que se destacava na parede cor creme, atrás.

– Tem um banheiro no quarto onde você estava... Tenho algumas roupas que não uso, no armário menor. Pode pegá-las, se quiser. - Falei, olhando para a cozinha, cujo ficava um pouco distante. – Se precisar de algo, me avise.

– Certo... - Respondeu, enquanto saía da cozinha e ia em direção a escada, subindo-as em seguida.

Mesmo com a alegria em ver Jimin acordado, eu estava preocupado com Hoseok... Era possível aquele cabeça de vento não ter me ouvido. Peguei meu celular e disquei seu número, pois tinha certeza de que não dormiria bem sem ter notícias do mesmo. E para meu desespero, ele não atendia. Liguei de novo, de novo, de novo... Quase 17 vezes, e nada. Coloquei o celular ao meu lado, no sofá, já em um desespero interno.

Ouvi um “Suga-hyung!” vindo do andar de cima, e subi as escadas quase que imediatamente. Chegando lá, me deparo com um belo Jimin, vestido por um pijama antigo que eu havia abandonado naquele armário. Admito que não esperava que aquele pijama fosse ficar bem em alguém, mas milagres acontecem.

– O que foi? - perguntou, arqueando uma das sobrancelhas, enquanto me via olhá-lo da cabeça aos pés.

– Eu que te pergunto isso. - respondi, ficando com a expressão neutra de sempre.

– Eu só... Quero uma escova de dentes. Vi que você possui algumas guardadas, mas não sabia se podia pegar alguma...

– Bem, pode pegar uma de sua preferência. Todas são novas, então não se preocupe com a escolha. - Virei-me, para sair do cômodo

– Certo. - respondeu, e assim que me viu sair, exclamou: – E tenho outra coisa!

– Sim? - Voltei o olhar para o mesmo.

– Precisamos conversar melhor, depois... E...

– E...?

– ...obrigado por tudo. - suspirou em seguida.

– Já disse que não precisa agradecer por isso. - respondi sério, mas depois, dei um pequeno sorriso. – Tenha uma boa noite!

– Igualmente... - fechou a porta do quarto.

Voltei para o meu atual quarto, e me deitei na cama, após terminar a minha higiene pessoal. Estava exausto, e meu cérebro não cansara de me lembrar sobre o fato de Hoseok não ter me atendido. Eu sabia que não iria conseguir dormir.

Desci as escadas apenas para pegar o celular, e voltei para o mesmo lugar. Havia decidido ligar novamente, porém não foi atendida. Liguei para Jin, para saber se o mesmo tinha alguma notícia, e ao invés de cair na caixa postal, foi desligada.

Isso fez com que eu me irritasse. Já não bastava o nervosismo, e Jin ainda desligava o celular na minha cara?! Esperei ele retornar, coisa que sempre fazia quando isso acontecia.

– Suga?! - Jin perguntou, assim que atendi a ligação que, por sinal, ele demorou cerca de vinte minutos para retornar.

– ...Hoseok está com você? - me segurei para não dar algum tipo de lição de moral, por ter me deixado esperando.

– Não. Aliás, preciso falar sobre ele, com você...

– Comece. - tentei manter a maior calma possível.

– Primeiramente, aquele trouxa resolveu ir sozinho para a merda da investigação. - senti um aperto no meu peito assim que ouvi isso. – Segundamente, ele simplesmente sumiu... Mandei uma mini equipe de busca procurá-lo, mas até agora, nada. Só conseguiram encontrar o seu carro estacionado em uma esquina.

Demorei um pouco para absorver todas aquelas informações... Hoseok desobedeceu e sumiu? Como sumiu do nada?! Se eu achava que não podia ficar mais nervoso, estava completamente enganado.

– Tentou ligar pra ele?

– Ligar? Como vou ligar se aquela anta esqueceu o celular aqui, na delegacia, antes de ir investigar?!

– Eu não acredito nisso... - dei um longo e cansado suspiro. – Precisamos ir procurá-lo imediatamente.

– Mas a equipe de bus--

– FODA-SE A EQUIPE DE BUSCA! - Berrei. – Hoseok está desaparecido, e eu não vou ficar parado! - diminui o tom da voz, mesmo ainda estando nervoso.

Jin permaneceu em silêncio, e eu pude ouvir apenas um suspiro vindo do outro lado da linha.

– Só... Entenda que é importante, por favor. - Desliguei o telefone em seguida.

Ouvi alguns passos vindo em direção ao quarto, e logo pude ouvir a voz doce de Jimin.

– Suga-hyung... O que aconteceu?! - vi a preocupação estampada em seu rosto.

– Nada, Jiminnie... Nada... Eu só preciso sair agora.

– Não irá dormir?!

– Não consigo...

– Então... - suspirou. – Ao menos me diga o motivo do grito.

– Um idiota se meteu em confusão, e agora está desaparecido... Ele é meu amigo, e eu vou encontrá-lo onde quer que esteja!

Ficamos em silêncio por um tempo, até que Jimin falou: – Eu irei com você. Posso ajudar com algo, talvez...

Depois de muito contrariar, decidi deixá-lo vir comigo.

E foi assim que eu e Jiminnie embarcamos em uma jornada arriscada; em um mundo completamente fudido; em busca do meu melhor amigo, cujo denomino como “idiota com cabeça de vento”.


Notas Finais


Até o próximo~~


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...