História Serpentes do prazer - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olá amora essa daqui é um presente pra nossas amadas
@Nandask e @Kachanuchiha

Espero que gostem minhas amoras pervertidas

Link da música nas notas finais

Capítulo 1 - Vermelho púrpura


Fanfic / Fanfiction Serpentes do prazer - Capítulo 1 - Vermelho púrpura

Com você está mocinha? Sua vibração está me enlouquecendo/

Você não tem que fazer nenhuma gracinha/ fiquei sem palavras desde a primeira vez que conversamos/

Você está procurando uma garota que te trate bem/ já procurou a luz do dia?

Promíscuos : Nelly Furtado e Timbaland



Orochimaru


Depois da guerra fui exilado a um de meus esconderijos,e comigo permaneceram Karin,Juugo e Suijetsu que vivia em pé de guerra com a Uzumaki,sempre achei que eles acabariam juntos,ou que pelo menos se fodiam escondidos de todos,pois algumas noites escutei os gemidos da jovem em seu quarto.

E naquela noite não era diferente,meu novo corpo tinha uma vitalidade cruel,e enquanto me acostumava com ele havia impulsos carnais que eu ainda não conseguia controlar.

Passei pelo corredor, perto a porta do quarto da Uzumaki,ouvi seus gemidos manhosos e baixos.

---Porra essas crianças não respeitam mais nada.

Por instinto meu corpo respondia aos gemidos baixos,sai dali com o copo de água nas mãos, quase dei de testa com os garotos, Juugo e Suijetsu me olharam e com pressa se desculparam.

Procegui pro meu aposento. Lá deitado fiquei pensando.

Se nenhum dos meninos está com ela, então...

Deixei no ar,meus instintos,ou melhor os instintos desse novo corpo pedia por libertação.

Corri minhas mãos pelo corpo já semi nú,me livrei da Boxer preta que usava.

Acariciei meu membro devagar,imaginando os gemidos da minha pupila, comecei os movimentos de vai e vem com as mãos,até finalmente gozar.

Adormeci,mas não estava satisfeito com apenas aquela masturbação rápida.

Naquela manhã,acordei um pouco atrasado,estava no projeto de como meu filho seria gerado e a Uzumaki me ajudaria.

Cheguei na cozinha bem organizada não esperava ver Karin daquela forma,sua camisola era transparente e curta,ela jamais estivera assim na minha presença.

A olhei de cima a baixo, parando em seu trazeiro redondo,e perfeito.

Mas que vadia desgraçada!!
Praguejei mentalmente.
Eu era seu sensei,era quase um Deus,venci a morte e agora estava aqui sentindo minha carne queimar de dentro pra fora pela minha aluna?

Certamente era culpa desse novo corpo,malditos hormônio juvenil,em breve isso passaria.

Ao notar minha presença,ela se vira.

--- Bom dia sensei!! Desculpe atrasei essa manhã,dormi demais.

--- Tudo bem,como está o processo de fecundação?

--- Temos já três embriões. Mas vamos precisar de ajuda.

--- Como assim,está me dizendo que não consegui sozinha?

--- Não é isso,precisamos de mais supremento de chacra para que os embriões se desenvolvam saudáveis.

--- Onde estão os meninos?

--- Saíram cedo,foram buscar mantimentos e umas coisas que pedi,voltarão em dois dias no máximo.

Que grande merda,estávamos sozinhos.

O dia fora complicado,passamos praticamente o dia todo no laboratório,e só então passei a me incomodar o modo como Karin se vestia.

Eu tinha desejos carnais como todo homem,por várias vezes Kabuto ajudava a me aliviar,por outras qualquer prostituta me servia,ou até mesmo minhas mãos,mas hoje meu membro latejava e dois pedindo por alívio.

Ao sair do laboratório,corri pro quarto,aleguei estar sem fome e com dor de cabeça.

Primeiro erro meu.

Tomei um banho gelado,estava saindo do quarto com corpo mais relaxado, quando batidas insistentes me fazem parar ainda enrolado em uma toalha.

--- Sim?!

--- Sensei,precisa comer algo, trouxe umas frutas, leite e chá.

--- Entre!

Que porra eu estava fazendo,estava semi nú,e eu não era mais aquela víbora de antigamente.

Ao entrar,ela não pareceu surpresa,e lá estava denovo de camisola,essa ainda mais decotada com detalhes em renda ,da cor preta contrastando com seus cabelos vermelho sangue,era a própria visão de uma diaba.


Noto que em suas mãos está uma bandeja com as coisas que havia me falado antes de entrar.


--- Você precisa se alimentar.

Me estendeu a bandeja.

--- Então criança vai ficar aí me vigiando?


--- Sim você tem que comer,
vamos.

Foi até um poolf que tinha no quarto,se sentou a camisola levantou um pouco,suas coxas grossas a mostra, eu comi mas não de fome,estava tentando conter os hormônios em ebolição nesse corpo juvenil.

Quando acabei de comer ela se levanta e vem pegar a bandeja.

Estava aliviado,afinal não sei
quanto tempo aguentaria olhar aquelas coxas.

Pro meu azar,ou sorte absurda algo cai da bandeja e ela se inclina pra pegar,a camisola curta se levanta,me dando visão perfeita do seu trazeiro redondo e farto.


--- Que se foda!!

Exclamei.

--- Sen, Sen, sensei?

--- Não devia instigar seu sensei assim, agora terei de puni-la.

A joguei na cama, mesmo assustada noto seu desejo ao me observar.

--- Você foi uma criança levada, Karin!!

Falo em seu ouvido.

--- Hum, Orochimaro Sama eu...


--- Shiii.
Coloco o dedo sobre seus lábios.


Eu precisava experimentar aquele corpo, quanto tempo eu não fodia alguém tão jovem assim?

Passei tanto tempo com minhas experiências que me esqueci que tinha necessidades masculina.

Sem cerimônia,ou carinho rasguei a camisola, revelando a ausência de sutiã e um calcinha miúda,que rasguei entre os dentes.

Desci até sua carne rosada e úmida, precisava sentir seu sabor.

Ao suga-la ela gemeu,alto.

Penetrei com minha língua sua boceta quente,ela se remecheu gemendo manhosa.

--- Kami Sama!!! Onhhmm!!


Seus gemidos faziam meu pau latejar de desejo,chegava a doer.

Com o que sobrou de sua camisola amarrei seus braços,eu a queria a minha mercê.

Deixei que uma de minhas serpentes deslizasse por seu corpo nú,causando lhe arrepios e lhe arrancando suspiros,a serpente deslizava por seus seios enquanto eu a sugava e lambia penetrando cada vez mais fundo com minha língua,brincava com seu clitóris,a via se remecher tentando se soltar,seus gemidos se tornaram gritos ao se derramar em minha boca com um gritinho manhoso.


---aham, sensei aaaaahhh!!!


--- Vadia maldosa,eu não tinha permitido que você gozasse,estragou minha brincadeira!


--- E quem disse que eu preciso da sua Permissão meu caro sensei?


Ela rasga o trapo que um dia fora sua camisola,agarra a serpente que deslizava por seu corpo ainda,invertendo nossas posições, ficando de pé acima de mim que permaneci deitado admirando seus movimentos,com cuidado ela guiava a serpente até sua intimidade e soltava pequenos gemidos.

Eu queria foder aquela garota com força,pois tamanho era meu tesão.

Mas a Uzumaki parecia querer castigar,agachando bem próxima ao meu pau ereto,ela se tocava com uma das mãos e me tocava com a outra, enquanto a serpente deslizava por seu corpo me dando a visão mais erótica de todos os tempos.

Tombei minha cabeça pra trás absorto de prazer,porém ela parou.


--- Sua vadia desgraçada,por que parou,eu não deixei.


Com cara de inocente me olhou fundo nos olhos,com aquelas iris púrpura e formando um sorriso sacana nos lábios, se sentou em meu membro rebolando.

--- Sua maldita safada!!

Gritei ao sentir meu pau ser engolido por sua intimidade.

--- É tão grande sensei!

Disse manhosa.

--- Porra,você que é muito apertada.

Ela começou a quiquar com vontade, coloquei minhas mãos na sua cintura pra ditar os movimentos melhor,a garota parecia saber bem o que fazia pois rebolava com gosto,eu sentado tinha visão privilegiada de seus seios que quiquavam sem parar,os suguei e mordisquei,recebendo gemidos e suspiros roucos em respostas.

Sinto meu pau ser espremido, anunciado seu segundo orgasmo da noite,quase não me controlo.

Seu corpo amoleceu,mas não lhe dou tempo de recuperação.


--- De quatro querida, quero foder essa sua bela bunda.

Ela obedece,e devagar começo a penetração por trás.

Escuto seu gemidos de dor,mas não paro, quando ela se acostuma começo a por mais agilidade e firmeza nós movimentos.

Seus gemidos de dor,dão lugar aos gritos de prazer,levo minha mão a sua entrada acariciando seu clitóris,não demora até me derramar dentro dela e ela estrecer novamente nas minhas mãos.

Caímos exaustos na minha cama.

--- Você não tem noção de quantas vezes me toquei pensando em você sensei.


--- Agora não precisa se tocar mais,eu fasso isso pra você.

Ela parece surpresa.

--- Venha minha pequena safada,vamos tomar um banho eu não acabei de fode-la devidamente ainda,a noite é uma criança.




Notas Finais


E então meninas espero que tenham curtidohttps://youtu.be/0J3vgcE5i2o


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...