1. Spirit Fanfics >
  2. Sessão de autógrafos >
  3. Capítulo único

História Sessão de autógrafos - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Não revisado.

Capítulo 1 - Capítulo único


Fanfic / Fanfiction Sessão de autógrafos - Capítulo 1 - Capítulo único

- Mário, vamos logo.

 

- Tem certeza que essa roupa ta boa?

 

- Que isso? Você nunca foi de se importar com roupa.

 

- Não mesmo, mas hoje é importante, lançamento do meu primeiro livro.

 

- Tem razão, mas você ta lindo assim, sendo você mesmo. Agora vamos, se não, vamos chegar atrasados.

 

Mário sorriu sem graça com o comentário dela. Não esperava por esse elogio repentino.

 

--

 

- Chegamos Nana, e ta tudo lindo – disse reparando em tudo que a editora tinha planejado para aquele momento.

 

- Você merece meu poeta – após falar isso Nana vai falar com Vera avisando que já poderiam começar a sessão de autógrafos.

 

--

 

Sessão de autógrafos iniciada, tudo acontecendo como planejado.

 

Um tempo depois chegou a família de Nana, nesse momento Mário deixou um pouco a mesa que estava e Sofia foi logo abraça-lo parabenizando pelo dia, como também Alberto e Leila.

 

Nana observando a cena da filha com o namorado sentiu aquilo aquecendo seu coração, a relação deles era linda mesmo antes do namoro deles. Então foi se aproximando deles para aquele momento em família.

 

- Oi filha, oi pai, oi Leila – disse enquanto os abraçava e depois deu um beijo na bochecha do Mário o abraçando de lado.

 

- Pensei que o senhor não iria vim pai.

 

- Vê se eu ia faltar o lançamento do meu poeta favorito e agora meu genro – respondeu fazendo todos sorrirem pela resposta inesperada – E Mário, já que eu to aqui, será que consigo um autógrafo? – disse com seu humor diferenciado deixando o poeta feliz e sem graça.

 

- Pois é pai, acho difícil sabe – disse rindo olhando para o namorado – mas eu também queria, será que consigo também – falou tirando o olhar do namorado e piscando para o pai demonstrando brincadeira.

 

Soltando do abraço com a morena, Mário se abaixou pegando na mão do sogro e falando: Claro comandante, pra você tem autografo sim, o senhor sabe que o considero como um pai pra mim.

 

Mariana estranhou a atitude do poeta ter ignorado o seu pedido, mas não falou nada naquele momento.

 

Depois do momento em família, Mário voltou para mesa em que estava antes. Sofia e Alberto foram falar com todos conhecidos que ali estavam, porque não iriam demorar. E Nana ficou observando tudo de onde estava.

 

Quando estava perto do senhor ir embora, passou na mesa do poeta e com um sorriso no rosto o escritor fez a dedicatória para seu comandante.

 

--

 

Quando estavam finalizando a sessão de autógrafos, com poucas pessoas na fila, Nana decidiu entrar e aguardar fechando com ela a sessão.

 

Assim que chegou sua vez, ela entregou o livro para o poeta que estava de cabeça baixa e ainda sem levantar perguntou o nome dela, ouvindo a resposta em seguida: Mariana.

 

Reconhecendo a voz da amada, Mário levantou os olhos nem acreditando que ela tinha entrado na fila.

 

- Será que agora eu consigo o autógrafo que você praticamente me negou mais cedo? – disse fingindo mágoa.

 

O poeta que já estava com o livro aberto para escrever, fechou a capa e ela estranhou.

 

- Não vai me dar um autógrafo mesmo? – disse agora com um olhar triste.

 

Mário deu um meio sorriso sem mostrar os dentes, pegou algo em uma gaveta que tinha ao lado e se levantou indo de encontro a ela. Ela observou que ele segurava um exemplar do livro.

 

- Minha Mariana mole – falou enquanto colocava uma mecha dela atrás da orelha – você acha mesmo que eu conseguiria negar alguma coisa pra você? – disse não abandonando o olhar penetrante dela – percebi que você estranhou mais cedo quando eu falei do autógrafo do comandante – ela confirmou abaixando o olhar com vergonha mas ele logo colocou um dedo no queixo dela, fazendo ela voltar a olha-lo.

 

- Amor, eu desconversei aquela hora, porque o seu não é só mais um autografo e nem seria o último – olhou para os lados querendo mostrar que não tinha mais ninguém ali e logo voltaram a se olhar.

 

Levantando o exemplar que estava em sua mão, ele disse: Esse foi o primeiro que eu peguei e foi esse que autografei pra você. Você sempre será minha primeira escolha, minha primeira opção, minha musa inspiradora, meu amor, minha Mariana mole.

Quando terminou de falar, ele passou o polegar na bochecha dela para secar a lágrima que desceu após a declaração e a puxou levemente pela cintura a trazendo para um beijo para demonstrar tudo aquilo que sentia.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...