1. Spirit Fanfics >
  2. Sete boiolas e um "segredo" >
  3. Papai Urso

História Sete boiolas e um "segredo" - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Olha quem está aqui com um projeto novo?
E olha quem tá aqui de novo escrevendo boiolagem poliamorosa? *Risos*

Isso, mesmo, Onix Dragonelle Ace!

Este vai ser um projeto curto, de apenas sete capítulos, mas que eu queria fazer a um tempo para representar o fandom maravilhoso Monbebe.
Bom, espero que gostem desse primeiro capítulo e nos vemos nas notas finais!

Capítulo 1 - Papai Urso


Fanfic / Fanfiction Sete boiolas e um "segredo" - Capítulo 1 - Papai Urso

Como Yin não pode existir sem Yang, Minhyuk tem certeza que não poderia ser feliz sem Hyunwoo. O hibrído de cachorro é agitado e animado demais as vezes, então a calmaria do urso é sempre bem-vinda, seja quando ele precisa se acalmar ou quando acha que está irritando seus amados. Os dois são opostos um do outro, mas não poderiam ser mais compatíveis.

Nas noites assustadoras em que o puppy tem um pesadelo, ele nem sequer hesita em ir para o quarto de seu hyung e se aconchegar em seus braços fortes e acolhedores. Muitas vezes, nem palavras eram necessárias para o mais velho entender o que aconteceu, era só ver os olhinhos pidões e brilhantes de seu dongsaeng que o urso já o aconchegava em seu peito e protegia seu pequeno de todos os monstros que ele tanto temia.

Hyunwoo sempre gostou de como Minhyuk era alegre e conseguia trazer sorrisos para o rosto de cada pessoa que o conhecesse. Diferente de seu jeitão mais tímido, o loirinho fazia jus ao seu DNA de Golden retriever, pulando, abanando o rabinho cor de caramelo e seus olhos brilhavam a cada pequena novidade. Às vezes, o Lee parecia uma criança e aquilo era dolorosamente precioso para o Son, que só precisava ouvir a voz alegre do mais novo para se sentir mais feliz.

Em seus dias mais pesados, quando tudo o que o urso negro deseja era hibernar, a energia contagiante de seu cãozinho predileto sempre o tirava de seu torpor. Hyunwoo era a Lua apaixonada pelo Sol, refletindo sua luz e adorando compartilhar seu calor.

Eles se amam, ao contrário do que muitos um dia pensaram.

O único momento em que Kihyun não se incomodava em ser pequeno era quando estava com Hyunwoo. Seu corpo diminuto, cheio de DNA de hamster, contrastava e se encaixava de forma natural com o físico grande e másculo do urso e, de forma que o Yoo iria morrer antes de admitir para qualquer um além de si mesmo, ele se sentia seguro quando estava com o mais velho. Seus instintos de roedor, um herbívoro pequeno que geralmente virava comida na selva, o deixam alerta até mesmo quando ele não precisa e isso o deixa exausto... felizmente, quando a sensação ficava forte demais para suportar, ele tinha a opção de se esgueirar até onde seu hyung estava e ficava ali. O Son sempre teve um ar protetor ao seu redor, como o predador territorial que existe em seus genes, e o “hamster interior” do Yoo já sabia que fazia parte do bando, então se sentia totalmente seguro quando ficava perto do forte e calmo urso, que jamais o machucaria.

Hyunwoo raramente sentia orgulho de algo, mas com certeza saber que sua mera presença acalmava Kihyun inflava seu ego. Seus instintos mais profundos, quando diziam ao cuidado de seu bando, ficava irrevogavelmente satisfeitos quando sentia os músculos do pequenino relaxarem em seu abraço. O Yoo era ansioso demais, devido a sua natureza de “presa pequena”, e a última coisa que o Son queria é que ele se sobrecarregasse com aqueles sentimentos sem controle. Por isso, o grandalhão simplesmente abria seus braços para acolher seu amado quando percebia que este estava tremendo. E, bom... Kihyun tem um cheiro maravilhoso, que Hyunwoo não consegue comparar a nada que conhecesse, mas era algo tão bom! Era uma troca não muito intencional, no final das contas. O Son dava a seu hamster a segurança que ele precisava e, em troca, o Yoo deixava seu urso pousar o nariz em seu pescoço, aproveitando o “cheirinho de Kihyun” do mesmo, que fazia sua mente clarear.

Cada momento dos dois era repleto de carinho, apesar de suas diferenças.

Hoseok sempre ouviu que, por ser um coelho grande, nenhuma outra espécie iria o desejar como ele desejava. Mentirosos, todos eles!

O rapaz tem que esconder o sorrisinho presunçoso toda a vez que faz uma pausa na academia e recebe um beijo rápido de seu hyung entre um aparelho e outro. Aquele urso negro perfeito, considerado em sua sociedade como exemplar para sua espécie, estava com o coelho que muitos achavam que era inadequado. Aquilo era satisfatório ao extremo, só perdia para os momentos em que ambos estavam em casa, trocando mimos ou quando decidiam mostrar seu amor de um jeito diferente. O rapaz sorri bobo para si mesmo quando se lembra da carinha perdida de sono que seu hyung faz quando acorda de manhã, com seu cabelo castanho todo revirado. Era adorável como aquele homem grandão e calado conseguia ser adorável em momentos cotidianos como aqueles...

Hoseok se sentia incrivelmente sortudo por ser parte da vida de Hyunwoo.

O Son nunca foi de ligar para opiniões sociais, que ditavam o tempo todo o que era “certo” e “errado” para cada pessoa. Ele, todavia, sabia que aquilo foi algo que machucou profundamente o coraçãozinho do Shin e, por isso, queria mostrar sempre para seu coelhinho como ele era amado. Aproveitava, então, pequenos momentos em público para beijar Hoseok, abraça-lo, faze-lo deitar em seu ombro... pequenos gestos que falavam alto. Também fazia questão de ajeitar seu cronograma pessoal para ir malhar com o mais novo, um fazendo companhia para o outro enquanto se exercitavam e, não era raro de tirarem uma casquinha um do outro nos vestiários, quando ficavam a sós. Hyunwoo sabia que seu amado eram um grandalhão sensível, que precisava de muito cuidado e amor, então se esforçava para ser o melhor parceiro que poderia. E também seria um grande mentiroso se dissesse que não se derretia pelo sorriso largo, pelos abraços espontâneos e pela fofura natural de Hoseok. O mais novo era uma maravilha do mundo, de acordo com o hyung. 

E ele se sentia sortudo por poder vê-la todos os dias.

Poucas pessoas entendiam Hyungwon como Hyunwoo conseguia. Ambos eram relaxados, discretos, reservados e quietos, e se entendiam em seu silêncio. O híbrido de tartaruga e o de urso gostavam de fazer tudo com calma, sem a pressa e a energia caótica que geralmente permeava seu belo “setesal”, como Joohoney chama. O Chae amava seus parceiros, com todo o seu coração, mas às vezes ele queria apenas um pouco de tranquilidade e calmaria para poder descançar... e ele sempre achava isso no Son. Uma vez, ouviu que tartarugas gostam de descansar no fundo do mar, em cima de corais e rochas estáveis, após nadas por horas em busca de algas para comer. Em seu mar agitado, Hyunwoo com certeza era sua rocha. Firme, constante, forte e um porto de paz em meio à loucura da vida.

Se o urso negro tinha algum “parceiro de soneca”, este com certeza era sua tartaruga. Era simplesmente aconchegante abraçar o rapaz alto e magro enquanto eles estavam entre cobertas e travesseiros, cada um em um mundo de sonho diferente. A presença serena de Hyungwon era um bálsamo nos dias em que ele chegava cansado do trabalho e só queria dormir. Os olhos grandes e calmos do mais novo eram como dois lagos calmos, dissipando a tensão nos ombros do hyung e ajudando-o a se sentir em paz o suficiente para encerrar o dia e ir dormir tranquilo.

Eles são o porto seguro um do outro, ninguém pode negar.

Joohoney não sabe como aquela tradição começou, mas sabe que a adora com todo o seu coraçãozinho. Sempre que se sentia muito agitado, energético demais, ele ia até seu hyung e os dois acabavam brincando de lutinha até finalmente se cansarem. Nenhum dos dois fazia algo para realmente machucar seu parceiro, mesmo que o mais velho tivesse força para tal. Hyunwoo era um híbrido de urso muito gentil e carinhoso e isso se alinhava bem com a personalidade do Lee, que gostava de ser mimado e de brincar com seus hyungs. Às vezes, as lutas de mentirinha acabavam com ambos os rapazes abraçados na cama, a abelha com a cabeça apoiada no peito forte do urso, e os dois então conversavam baixinho sobre como foi seu dia. Tinha algo de catártico na forma como eles iam de uma briga cartunesca para um chamego fofo em alguns instantes.

Hyunwoo adorava a forma como Joohoney não perdia nunca a inocência do desejo de brincar para aliviar o estresse. Enquanto o mais velho vivia em um mundo onde todos queriam parecer completos adultos o tempo todo, era maravilhoso poder passar o final de semana com o Lee e poder jogar todas essas noções de “maduro” para o alto e lutar de brincadeira com ele até cansar. Depois, o urso negro tinha o enorme privilégio de ser o travesseiro humano do mais novo e tocar as fortes, mas delicadas asas do mesmo. Eram de uma textura que tecido nenhum jamais conseguiu imitar, tinham um desenho único e parecia que tinha algo noto toda a vez em que o Son as tocava. Ele sabia que, para a espécie de Joohoney, era um lugar considerado atraente, onde se escolhiam parceiros e... era um lugar íntimo para ser tocado, por conta da sensibilidade dos tecidos que formam aquele enorme órgão. Hyunwoo demorou anos para ter a confiança de seu amado para poder tocá-las, e sempre que as faz, é com carinho e adoração. Ele se sente honrado de poder ver de perto algo tão naturalmente belo e precioso quanto o que permite que o Lee voe.

Havia conforto entre os dois, algo que é precioso, mas geralmente desqualificado.

Aquele estranho hábito de Chankyun começou quando suas presas de adulto estavam nascendo, mas ele pegou tanto gosto por morder os braços carnudos de seu hyung que continuou fazendo aquilo por anos e anos afinco. Hyunwoo nunca reclamou e o Im nunca deu a ele motivos para reclamar, já que nunca fazia com força o suficiente para machucar ou deixar marcas que demoravam para sumir. Muitos viam os braços mordidos do mais velho e pensavam que o mais novo gostava de morder a todos, mas na verdade era algo exclusivo dos dois. Nas palavras do lobinho “só o Woo-hyung é mordível” e o “setesal” sabia disso muito bem. Além de ser bons de morder, os braços do urso são os melhores do mundo para se estar. Quando estava se sentindo tímido, inseguro ou simplesmente queria fugir do resto do mundo, o Song se tornava sua fortaleza impenetrável, protegendo o mais novo do bando de tudo o que o fere emocionalmente. O híbrido de lobo era forte por si mesmo, mas até os mais fortes tem seus momentos de fraqueza. E Changkyun sempre se sentia grato por poder contar com Hyunwoo quando sentia que o mundo exigia demais de si. Provavelmente, de todos os sete, o mais velho era o que mais poderia lhe entender, por ser um predador também.

Hyunwoo amava o maknae do bando, por mais que ele o preocupasse bastante por ser independente demais às vezes. O mais novo era, provavelmente, o mais ferido de todos e tinha o péssimo hábito de tentar resolver tudo sozinho, até quando precisava desesperadamente de ajuda. Por causa disso, ele ficava aliviado toda a vez em que o híbrido de lobo cinzento vinha até ele, com um bico fofo nos lábios e orelhas baixas em um pedido mudo por um abraço de urso. E isso, o Son jamais conseguiria recusar, nem em seus piores dias. Ter o Im em seus braços, seguro, relaxado e contente era tudo o que ele desejava, por mais que soubesse que o “filhote” sabia se virar muito bem no mundo perigoso onde viviam. Mas, instintos são instintos, e os de um líder de bando eram fortes quando se tratavam de cuidar dos seus... especialmente os mais jovens. E, sendo sincero, Hyunwoo admirava a força, a inteligência e a criatividade de Changkyun. Era bom que ele não fosse o único “forte” no grupo e ele pessoalmente gostava como o lobo conseguia ser uma espécie de líder secundário quando o original não estava em condições de conduzir seus meninos da melhor forma.

O amor deles era força.


Notas Finais


Este capítulo me tirou de um bloqueio ferrado de criatividade. Já queria escrever algo assim a um tempo, tenho outro projeto no mesmo estilo ainda "cozinhando" na minha cabeça...

Não planejava postar hoje, mas fiquei meio "por que não?" E postei *risos*

Caso não conheça meu projeto anterior, aqui está o link:
https://www.spiritfanfiction.com/historia/novis-initiis-19738679

Beijinhos corujescos e se cuidem!
Até a próxima ❤️🧡💛💚💙💜🤎🖤🤍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...