1. Spirit Fanfics >
  2. SETEALÉM - (Jikook) >
  3. Arcane

História SETEALÉM - (Jikook) - Capítulo 9


Escrita por:


Notas do Autor


AAAAA EU ESTOU DE VOLTA e preciso dizer algumas coisas importantes :
1 - por favor me desculpem pela demora!Vocês não imaginam o bloqueio que eu estava com essa fanfic... Por mais que eu escrevesse, achava que nada estava bom, e a desmotivação estava grande.
2- Por isso, eu fiz um novo roteiro para Setealém, revisei os capítulos e até mesmo ocorreram algumas simples mudanças nos capítulos, mas nada que vá alterar o entendimento da história( mas quem quiser ler tudo de novo, acho que seria bom).
3- Com o roteiro novo, eu fiz novas escolhas para a fanfic(acontecimentos que ainda virão), e com alguns comentários que recebi nesse período de "hiatus" eu me senti motivada novamente.
4- Vocês não desistiram de mim e da fanfic?? Skjsjsjsk ✊
5- Espero que gostem desse capítulo e tenham uma boa leitura♥
6- SE CUIDEM, não saiam de casa e usem álcool gel, lavem bem as mãos 😳 esse coronavírus está difícil...

Capítulo 9 - Arcane


Fanfic / Fanfiction SETEALÉM - (Jikook) - Capítulo 9 - Arcane

-Aqui é sempre tão frio assim?-Perguntei abraçando o meu corpo na tentativa de me aquecer.

-Você vai se acostumar.-Taehyung respondeu rindo.

Continuamos nosso trajeto pelas ruas escuras e frias, felizmente estavam vazias.Eu não precisava de mais um ser de Setealém agarrando meu cabelo e querendo me pegar.

Perdido em meus pensamos, levei um susto quando o som alto de um trovão ecoou, e trazendo-me memórias.

Flashback ON - 4 anos atrás.

-Escutou isso?-Jimin perguntou e notei o desespero na sua voz, me fazendo rir.

-Claro que escutei.E foi só um trovão.-Peguei sua pequena mão e juntei com a minha, entrelaçando nossos dedos e levei até minha boca, onde fiz questão de distribuir beijos.Jimin sorriu, mas ainda estava tenso.Ele sempre teve medo de trovões - um verdadeiro bebê.

-Vamos logo para sua casa, Kookie.Antes que a chuva comece.

Outro trovão mais forte ecoou, e Jimin apertou minha mão.Antes de eu poder tranquilizar ele, senti os pingos de água caírem no meu rosto e nós nos entreolhamos.

-Vamos rápido!-Jimin pediu choroso me arrastando pela rua, e a chuva caía cada vez mais forte.Parei de correr e Jimin também parou,  me olhando confuso e bravo.Puxei ele e agarrei sua cintura, em seguida ataquei seus lábios carnudos, que logo retribuiram o meu beijo.

A chuva nos molhava cada vez mais, o que deixava nosso ósculo ainda melhor.

Flashback  OFF

-Jungkook?-Taehyung chamou alto e eu olhei para ele.Por um momento esse lugar estranho havia desaparecido, e havia somente Jimin.Em minhas memórias.

-Desculpe.Me distraí.-Respondi baixo.-O que você tinha falado?

-Nós já estamos chegando.Você sabe o que tem que fazer?

-Você vai entregar os... órgãos e eu vou entrar escondido na casa e verificarei se Jimin vive lá.

-Ótimo.Vamos nos apressar, parece que vai chover.

Taehyung precisava fazer uma entrega para uma  família que tinha pego um humano, e ele afirmou nunca tê-lo visto.Não se sabia se fora transformado ou ainda era humano - ou se era Jimin, essa era a minha chance de iniciar minhas buscas.

Paramos em frente de uma casa grande e  preta desbotada.Na entrada, havia um jardim com algumas árvores sem folhas, e pelo tronco era visível o quanto estava praticamente morta.Assim como a grama cinzenta e seca abaixo dos meus pés.

Subimos os três degraus de madeira e ficamos em frente da porta.

-Esconda-se atrás daquela árvore.Eu vou entrar e tentar levar o dono para algum lugar que ele não te veja entrando.Seja rápido, não sei se ele estará muito falante hoje.

Assenti rápido e me escondi.Logo depois Taehyung bateu duas vezes na grande porta de madeira e não demorou para um homem abrir - cabelos grisalhos, alto, forte, e obviamente, como sua "marca" registrada de um ser de Setealém, tinha os olhos pretos.Taehyung entrou na casa e esperei alguns segundos para fazer o mesmo.Ao chegar na porta, escutei a voz distante dos dois conversando.

Era o momento certo.

Abri a porta devagar e adentrei na casa escura e com um odor ainda pior do que das ruas de Setealém ; uma estranha mistura de ferrugem, fezes e ervas, se é que isso é possível.Com uma ânsia de vômito enorme, segui o corredor da sala de estar, tentando não me concentrar no cheiro.Parei em frente de uma longa escada de madeira, e subi silenciosamente até o andar de cima da casa, me encontrando com outro corredor que haviam  apenas duas portas, todas fechadas.

Suspirei nervoso e abri a primeira porta, me deparando com um quarto vazio.Entrei, encostando a porta depois, para não ter o perigo de alguém me ver, e vasculhei por toda aquela bagunça algo que pudesse mostrar que Jimin esteve lá, mas só haviam roupas manchadas e rasgadas - grandes demais para ele ter vestido.

Sem poder perder mais tempo, sai do cômodo e entrei no segundo quarto,  sentindo um frio na barriga agonizante.Olhei ao redor, avisando uma cama bagunçada, alguns objetos insignificantes em uma prateleira de madeira, algumas caixas no chão.E um menino parado em frente de uma janela.Seu corpo era alto e muito magro, não era Jimin.Mas era alguém que  não poderia me ver.Recuei alguns passos, suando frio, e segurei a maçaneta, pronto para sair.

-Eu escutei você entrar.Não saia como um covarde, quero ver quem se atreveu a entrar no meu quarto.-O menino repentinamente falou.

Como um covarde -ou não- corri para fora do quarto.Mais nenhum ser de Setealém precisava saber da minha existência, como se não bastasse os dois encapuzados e uma gangue de adolescentes loucos atrás de mim.

Desci os degraus rapidamente, quase tropeçando, e escutei os passos dele atrás de mim.Motivado pelo desespero, apressei meus passos, logo alcançando a maçaneta da porta principal, que abri desajeitado.

Sem olhar para trás, corri pelas ruas que estavam mais escuras que o normal, por causa das nuvens carregadas no céu.Os trovões como minha trilha sonora de fuga, soavam altos e fortes como um incentivo para continuar correndo.Meu corpo realizava a ação impulsivamente e minha mente não sabia o que pensar, ou nem mesmo se lembrar qual era o caminho para a casa do Taehyung.

Mais alguns minutos correndo, minhas pernas latejavam de dor, como um pedido misericordioso para mim parar.Rezando para que não houvesse mais alguém correndo atrás de mim, parei na calçada de uma casa, me jogando no chão, exausto.Alguns segundos depois de regularizar minha respiração, me sentei olhando ao redor, grato pelo menino da casa não estar mais atrás de mim.Respirei fundo, tentando pensar em algo útil, eu não poderia ficar sentado na frente da casa de um ser de Setealém para sempre ; seria pedir para ser pego.

Ao longe, escutei vozes masculinas conversando entre si.Eu literalmente não poderia ficar aqui.Me levantei desajeitado, apesar da dor que insistia em permanecer no meu corpo.Mas era tarde demais.

Haviam dois  homens parados na minha frente, me encarando como se eu fosse uma aberração.E um deles, eu reconheci.

Chanyeol.

Assim que o maior viu que era eu, sorriu, e eu aguardei pelo pior, no mínimo.

-Jungkook, você não é muito esperto de estar andando por aí sozinho.É perigoso, ainda mais quando  tem alguém como eu te odiando.

-Me odiando?-Perguntei incrédulo.Esse cara é louco, igual aos seus amigos da gangue.

Chanyeol se aproximou de mim vagarosamente, esfregando suas mãos uma nas outras.

-Jungkook... você acabou de chegar em Setealém e já me trouxe problemas.Sabe há quanto tempo eu estou  tentando conquistar Lisa?

-O que?!Por que você falando sobre isso...

-Há anos, Jungkook.-Ele me interrompeu firme, agora parado na minha frente.Seus olhos raivosos se encontraram com meus.-E você, um humano, fez isso com ela rapidamente.

-A culpa não é minha se sua amiga não tem olhos para você.-Solucionei o raciocínio simples, rindo.

 Chanyeol avançou para cima de mim furioso e agarrou minha blusa, deixando nossos rostos próximos e de perto, seus olhos eram piores do que eu poderia imaginar. Sua respiração era alta, e ele estava claramente descontrolado.

-Você não vai entrar na gangue e  vai sumir da vida da Lisa.Entendido?-Perguntou entredentes.

-Eu jamais aceitaria estar junto com alguém de vocês.-Respondi encarando pela primeira vez, seus  olhos profundos.

Chanyeol me soltou, mas antes que eu pudesse fazer ou falar algo, seu punho se fechou e acertou fortemente em meu rosto, me empurrando para trás.

-Cara vamos logo.-Escutei o outro homem falar para Chanyeol, que ainda me observava desafiador, e logo me chutou jogou no chão brutalmente, com uma força inexplicável.Tentei me levantar, enxergando tudo embaçado, mas ele me impediu subindo em cima de mim, e estava prestes a desferir outro soco em neu rosto.

-Solte ele agora.

Ao escutar a voz conhecida por mim, senti meu corpo se arrepiar e minha mente estar a um turbilhão devido a confusão.

 Chanyeol se afastou repentinamente de mim e  pôs-se de pé.

-Nunca mais encoste ou chegue perto dele.Eu te dou cinco segundos para você sumir da minha frente, caso contrário eu não hesitarei em te matar aqui mesmo, Chanyeol.-A voz proferiu novamente, mais alto e firme.Escutei os passos apressados correndo, e outros passos se aproximando de mim.

Abri meus olhos fracamente, e vi quem eu já esperava.

Isso não podia estar acontecendo.

- Você mereceu isso.Quantas vezes eu fui boa em te avisar, para não vir a Setealém?

-Se eu merecia ter apanhado, então por que mandou ele embora?-Questionei enquanto me levantava.

A senhora em minha frente não respondeu, apenas se virou e começou a andar.Corri até chegar ao seu lado, e toquei levemente seu braço.

-Obrigada... por ter me ajudado agora.

-Chanyeol é um ser desse lugar, ele é muito mais forte que você.É por isso que mandei ele embora.-Ela respondeu se referindo a primeira pergunta que eu havia feito e se soltou do meu toque, voltando a caminhar.

-Espera!Você não pode sair assim... eu ainda tenho muito a te perguntar.-Exclamei.

-Então é melhor vir comigo.-Deu de ombros.

Respirei fundo, ainda me sentindo confuso.

-Como vou saber se não vai querer fazer nada comigo?

Ela se virou para mim impaciente.

-Isso  você não vai saber.Mas se  quiser continuar aí, sabendo quantos inimigos que você já fez em Setealém, a escolha é toda sua, Jeon Jungkook.Aliás, daqui 10 segundos irá cair uma tempestade.

E como ela poderia afirmar tão convincente que daqui exatos 10 segundos iria cair uma tempestade?

Dessa vez ela voltou a caminhar sem se virar para mim, e eu bufei, a seguindo.

Sem que eu percebesse, a chuva forte passou a cair sobre nós, e minha boca se abriu automaticamente, sem acreditar.

Eu ainda vou enlouquecer com as pessoas  desse lugar.








Notas Finais


Comentários são bem vindos♥
Sigam meu perfil se quiserem : https://www.spiritfanfiction.com/perfil/20armyly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...