1. Spirit Fanfics >
  2. Setealem ( Jeon Jungkook - BTS) >
  3. 14

História Setealem ( Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 14


Escrita por:


Capítulo 14 - 14


Fanfic / Fanfiction Setealem ( Jeon Jungkook - BTS) - Capítulo 14 - 14

Abro os meus olhos devagar olhando para Taehyung que permanece desacordado, sinto uma dor grande em meu corpo, talvez seja por minha posição não favorecida e nada confortável, mas posso reparar em minhas roupas rasgadas e minha pele com algumas fissuras sangrando, Emma deveria ter feito isso enquanto permanecemos desacordados, pois Tae está com as mesmas feridas .

– Vênus... – ouço um susurro vindo de trás e com muita coragem, giro minha cabeça para ver quem era, e acabo falhando quando percebo que não há ninguém atrás de mim– Vênus.... – No impulso, quando viro minha cabeça de volta, a mulher que se parece comigo surge em minha frente fazendo meu coração acelerar pelo susto.

– Quem é você? 

– Não está claro? – passa o dedo em minha bochecha – eu sou você.

– Vê-vênus?– engulo seco.

– Pelo menos não demorou tanto para cair a ficha – riu soprado – Não se preocupe querida, vim apenas esclarecer as coisas, é a oportunidade perfeita já que ... – ela observa meu corpo suspenso nas correntes – parece precisar de ajuda.

– Pode me ajudar?

– Claro, mas antes quero que me escute... – permanecemos em silencio– Vênus, você sabe o por que de ter vindo parar em Setealém? 

– Sei... – olho para o chão.

– Pode me dizer como foi? Talvez eu possa te ajudar com isso também. 

– Tudo bem. – fecho os olhos fortemente quando me lembro do dia em que queria esquecer por toda minha vida, e então, começo a dizer.


••• Flashback on •••

– Vênus? Vênus? – após sentir alguém me cutucar, desperto do meu sono profundo e sorrio ao ver meu namorado ainda sem camisa ao meu lado.

– Pensei que tivesse ido embora Kookie– selo seus lábios suavemente.

– E por que iria? Adoro te ver dormindo assim, tão calminha depois de ter gemido meu nome loucamente – puxa meu lábio inferior com o dente, me provocando.

– Eu te odeio ! – sorrio.

– Não foi bem isso que me disse enquanto gemia meu nome – diz se levantando e pegando suas roupas no chão, vestindo a Boxer vermelha – " Jungkook, mais rápido " " Está tão gostoso amor " – diz imitando minha voz me fazendo sorrir.

– idiota ! – taco o travesseiro no garoto que ignora completamente isso e se senta na cama me encarando.

– Posso tomar banho aqui? Preciso ir em um lugar antes de sua irmã chegar.

– Claro , aonde vai? 

– Bem, não é nada demais, só vou na casa do Yoongi resolver uns negócios do curso, logo estarei de volta– me beija partindo para o banheiro de meu quarto.

– amor – o chamo antes de fechar a porta tendo sua atenção voltada a mim – Sabe como esse jantar é importante para mim, não é?

– Claro que sei princesa, você já falou quarenta e cinco vezes que é o jantar de oficialização do noivado da Marte, não se preocupe, ok? – concordo com a cabeça e o garoto entra para o banho.

Pego a camisola que estava do lado de minha cama e me levanto para poder colocá-la e então, começo a procurar meu celular para olhar as horas.

– Ah, droga – me lembro que deixei meu celular no andar de baixo, e acabo optando por pegar o de Jungkook que estava carregando em meu criado mudo.

Pego o celular de meu namorado vendo o relógio que marcava 18:47 e uma mensagem me surpreende.

" Jeon, espero que não tenha esquecido o caminho de casa, está atrasado. "-Emma

Desbloqueio o celular e acabo lendo o que não queria ver nunca em minha vida e a cada vez que rolava para cima, meu coração apertava e o ódio aumentava.

–Mas que merda !– praguejo.

Eu estava sendo traída, e as mensagens comprovavam, as malditas mensagens que me faziam ter ânsia com a garota que sempre quis socar a cara desde o início da faculdade.

Eu estava cursando Odontologia na mesma faculdade que Jungkook cursava Arquitetura, foi lá que nos conhecemos, nos apaixonamos — ou pelo menos achava que era isso— e começamos a namorar, mas, sua amiguinha de classe, Emma, me dava nos nervos, tendo a linda e bela coragem de ficar agarrada com Jungkook quando percebia minha presença e pelas mensagens que mandava para o garoto, e agora posso ver que não era apenas implicância minha.

Os dois me pagam!

Coloco novamente o celular de Jungkook para carregar ao invés de jogar com força na parede, o que não faltava era vontade. Vou para frente do espero e prendo meu cabelo meio sem jeito, observando o garoto pelo espelho sair do banheiro procurado o celular, certamente esqueceu do perigo que era deixar seu aparelho sozinho comigo.

– Está tudo bem amor? Parece meio nervosa – Aperto minha mão tentando não surtar.

– está sim, amor – forço  um sorriso na última palavra e Jungkook se aproxima de mim.

– volto logo, eu te amo, Ok? – sela meus lábios.

– Ok! – Jungkook me olha confuso, e me esforço para não dar na cara do garoto – brincadeira, também te amo...

Permaneço em meu quarto enquanto Jungkook desce, e observo cada movimento atras da cortina transparente da janela do meu quarto, vejo Jeon entrar em seu  Onix preto partindo para cada de sei bem quem. Não demoro muito para pegar a calça jeans e a camisa larga branca para ir atrás dele,me visto e desço as escadas rapidamente indo direto alcançar a chave do meu carro no balcão da cozinha, partindo para fora de casa.

– Vênus! – esbarro em minha irmã com o saco de compras nas mãos.

– Desculpe Marte, desculpe – falo pegando os pacotinhos de tempero do chão.– Oi Chris. – cumprimento o noivo de minha irmã 

– Olá Vênus – dou espaço para meu cunhado passar, indo em direção do carro na garagem.

– Ei Vênus! Aonde vai? – minha irmã grita.

– Vou sair, logo estou de volta! – dou partida no carro .

Vou o mais rápido possível para a casa da garota que tanto odiava com sangue nos olhos, não sabia muito bem o que iria fazer, mas sabia que não permaneceria calada, estava mais que disposta a pegar os dois no ato! Estava tão furiosa que não percebi a existência do quebra mola e acabo por passar com tudo. Dois minutos depois , estaciono atrás do carro de Jungkook , em frente a casa da vagabunda, observo o canivete no porta copos do carro, o pegando e colocando em meu bolso, saindo do carro logo em seguida.

Observo a casa grande de Emma, provavelmente os pais da garota não estejam, o que explicaria o tempo de sobra para querer transar com meu namorado, quase ex. Ando até a porta adentrando devagar e tentando fazer o mínimo de barulho possível.

– Jungkook aaah– fecho os olhos, e desejava muito não ter que ouvir os gemidos nojentos, e com mais raiva ainda , caminhei pela escada, parando do lado do quarto com a porta aberta da onde o som vinha, me encostando na parede.

– Isso Vadia, geme alto , hum.

– Me admira a frágil da sua namoradinha aguentar todo seu pau dentro dela, gostoso! – Não me aguentava mais, virei meu corpo e observei a cena ridícula de Emma com as pernas abertas enquanto Jungkook a fodia. 

– A namoradinha frágil aguentava muito bem, Emma! – digo a provocando e observo os dois desesperados tentando cobrir o próprio corpo, olho friamente com os braços cruzados para Jungkook. – Atrapalho ?– dou um passo para dentro do quarto que cheirava sexo, me dando náuseas.

– Amor, eu posso explicar – Jungkook tenta vir até mim.

– Cala boca, Jeon Jungkook! Esse papo é ridículo, vocês dois são ridículos e nojentos ! Não venha se fazer de vítima, até por que o que vejo aqui não te dá o direito de dizer nada!

– Não se certificou que sua namorada não visse seu celular, idiota! – Emma solta.

– Não, e esse foi o seu maior erro, Jungkook, eu espero que os dois morram, que sejam felizes juntos , dane-se! – me aproximo da cama.

– Por que está brava , Venuzinha? Jungkook só me procurava por que você não dava conta.

– Ele só te procurava por ele ser um desgraçado desesperado pra comer alguém, e adivinha... Parece que a puta mais próxima dele era você...

– Sua... – antes de terminar de dizer, a garota pula em minha direção, impulsivamente domada por toda raiva e fora de mim retiro o canivete de meu bolso e acerto o pescoço de Jungkook que entra na frente.

Observo o corpo de meu namorado cair e sangrar, com o canivete nas mãos, vejo Emma nua, e minha raiva ainda alastrada em meu corpo, fez com que eu a ferisse enfiando a lâmina em sua cabeça, vendo seu corpo cair junto com o de Jungkook.

– O que você fez? – olho para a porta e vejo Marte parada e assutada observando o que acabei de fazer.

 – Ma-marte... – me afogando em lágrimas, minha irmã mesmo assustada com meu ato me abraça forte.

Esperamos mais algumas horas até escurecer totalmente, minha irmã acobertou totalmente meu crime, levando os corpos dos dois para outra cidade e enterrando lá, como ninguém encontrou, os dois se passaram como desaparecidos, entrei em depressão profunda e minha irmã sempre ao meu lado, até me recuperar, o que foi um erro, meu erro.

Eu os matei, tirei a vida de Jungkook e Emma com minhas próprias mãos.


••• Flashback off •••

Coberta de lágrimas como naquela noite, termino de contar tudo para minha versão .

– Não precisa chorar, querida – Em uma tentativa falha de limpar minhas lágrimas Vênus começa a passar a mão em meu rosto.– Agora é minha vez de te contar o que fiz.

– Tudo bem... 

– Vênus... A noite que você matou os dois na verdade, quem matou Jungkook, fui eu... – me espanto – foi nossa primeira noite conectadas, toda raiva que você sentiu, todo ódio, era por que eu estava com você, eu fiz isso com você.

– Por quê!?

– por que eu sabia de tudo, eu vasculhei sua vida, me impressionei quando soube que você namorava a versão humana da pessoa que eu namorava em Setealém, e fiquei irritada quando descobri as traições dele, eu fui até o mundo humano , e observei tudo minuciosamente para poder botar meu plano em prática, Jungkook ser daquele jeito apenas me ajudou, precisava dele morto! Por que... Eu sabia que você iria viver, logo eu iria morrer e meu Jungkook surtaria sem mim, e isso realmente aconteceu, eu precisava mantê-lo vivo, mas pra isso, eu precisava matar a versão humana de Jungkook, e então tudo se encaixou, eu queria que você viesse para Setealem, que encontrasse o Jungkook daqui, que ele não sofresse mais, e pra isso você precisaria matar alguém, e fizemos isso juntas, matamos Jungkook juntas,mas Vênus... Eu não matei Emma, eu não tinha planos de mata-la , queria que a versão dela daqui morresse, mas você... Foi ali que percebi o quanto somos parecidas, você a matou por conta própria...

– Isso tudo é confuso... – Minhas lágrimas escorrem cada vez mais..

– Sim, eu seu Vênus, mas eu precisava ver Jungkook feliz, e ninguém melhor que você... Eu preciso que vá atrás dele e conte tudo– minha versão começa a retirar as correntes de meu pulso, me fazendo cair no chão e a garota logo de agaicha – preciso que tome cuidado com Emma e Jimin, preciso da sua ajuda Vênus, sei que estão apaixonados um pelo outro, foi por amor a ele que fiz tudo isso, mesmo sabendo que você sofreria insanamente... Me desculpe.

– Vênus... 

– Vamos, coma – retira a rosa negra do seu bolso – eu estava guardando isso para você, sabe que cada rosa negra aqui de Setealem representa um cidadão daqui morto , e bem, essa rosa sou eu... –coloca três pétalas em minha boca.– guarde um pouco para Taehyung, e não se esqueça da nossa conversa... Até mais, Vênus – vejo minha versão sumir diante de meus olhos.

Imediatamente pego a rosa do chão e vou em direção a corrente, retirando Taehyung dali como muita dificuldade enfiando as pétalas em sua boca logo em seguida.

– Vênus?– diz abrindo os olhos.

– Precisamos ir Tae! Precisamos sair daqui antes que eles cheguem.

Precisava encontrar Jungkook o mais rápido possível, precisava dizer a verdade sobre Vênus.

Eu estava favorecida com toda verdade, estava mais forte .









Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...