1. Spirit Fanfics >
  2. Seth Dumbledore >
  3. Capítulo 2

História Seth Dumbledore - Capítulo 3


Escrita por: aloney_holmes

Capítulo 3 - Capítulo 2


— pai, o senhor pode vim aqui? — estamos dentro do trem, procurando uma cabine. meu pai se coloca do meu lado, deixando o trio de marotos para trás. vejo que ele ainda onstenta o sorriso divertido no rosto.
— sim? — suspiro, e enfio as mãos dentro dos bolsos do meu casaco. sob o ombro, vejo o trio nos olhando com curiosidade, mas estão numa distância segura de nós.
— Por que o senhor trouxe justamente eles? — deixo escapar a pergunta que tanto quero fazer. o sorriso do meu pai vacila por um instante, vejo uma expressão triste surgindo no rosto bondoso quando o olhar dele recai sobre mim, lembro de uma lembrança antiga, do dia em que tudo aquilo aconteceu comigo, com Severus… meu pai foi a primeira pessoa a me encontrar. foi a primeira vez que o vi tão triste e furioso. 
— Era um teste. eu sei que você ama Beauxbatons mais do que jamais amou Hogwarts. no momento em que eles apareceram, se eu tivesse visto algum sinal… em você, teria te enviado para a casa dos Dubois e cancelaria sua ida para Hogwarts.
sou um velho egoísta mas nunca quando se trata de você, e o seu tio Abe… ele está furioso comigo por estar te tirando de Beauxbatons. sei o quanto te custa voltar para o lugar no qual você foi tão infeliz. mas com tudo que vêm acontecendo, não quero sequer pensar em deixar você longe dos meus olhos.
por favor, me perdoe. — sinto um choque percorrer todo o meu corpo. é claro, deveria ter imaginado que esse era o motivo dos marotos e não qualquer outro membro da ordem da Fênix terem ido com o meu pai. ele queria me testar, saber se estava forte mental e físicamente para enfrentar Hogwarts e os meus fantasmas. balanço a cabeça. aquela escola não me afetava mais como antes.
— obrigado, pai. você é o melhor pai do mundo. — meu pai não me responde, mas posso sentir como ele está emotivo. as pessoas falam que Alvo Dumbledore é a pessoa mais excêntrica e incompreensível que existe, um bruxo genial que conquista a afeição das pessoas com tanta facilidade que parece ter nascido com o dom.
quando me tornei filho dele, por meio de uma adoção completa de sangue, senti que algo se abriu para mim. uma conexão, que me permitiu entender a mente por trás do homem ruivo. isso me tornou mais próximo dele do que jamais achei que estaria de uma figura paterna.
— rapazes, achei uma cabine! — respiro fundo, a viagem seria longa.


os marotos se sentam de frente para mim e para o meu pai. há muito tempo que me acostumei com olhares desconcertados na minha direção. eu era e sou Seth Dumbledore. só esperava que eles em algum momento da viagem se cansassem de me olhar.

o que é que você está lendo? não me leve a mal. nunca fui muito bom em idiomas. Remus cora fortemente  quando o olho. eu não lembro muito da aparência dos marotos na época em que estudei em Hogwarts. mas tenho a ligeira impressão de que Lupin foi o que mais mudou.

ah, é um livro sobre poções. estou no capítulo que se chama: in der natur, Deine sicherheit ist sehr wichtig.  que traduzindo, seria: na natureza, sua segurança é muito importante. ele fala sobre plantas simples que podem substituir complicados ingredientes em poções de cura. para caso de emergências. acrescento, vendo a confusão no olhar do loiro.

poções é a matéria preferida de Seth. contudo é apenas mais uma das matérias em que o meu filho é bom.  encolho os ombros. meu pai e o meu tio nunca me pediram nada, mas eu quis fazer jus ao nome que eles me deram, quando cheguei em Beauxbatons, me tornei um completo rato de biblioteca. ainda sou. 

pai, menos!

um pai não pode mais se orgulhar das conquistas do filho? por acaso agora virou crime? um sorriso amoroso desabrocha no rosto do mais velho, e eu não evito, sorrio com ele. eu amava quando estávamos juntos. Alvo Dumbledore tinha o poder de fazer tudo ficar bem. transformava momentos como esse, em leves e divertidos, ele era um misto de sarcasmo, inteligência e bondade que os anos nunca foram capazes de apagar.
e ele é o meu pai.

uma lembrança antiga me vem na cabeça. 

eu estava sentado em uma cadeira na sala de Dumbledore, sentia todo o meu corpo dolorido. 

a minha vontade era de morrer, precisava acabar com a minha dor de uma vez por todas. mas sabia que seria impossível despistar o diretor. aquela dor, a dor... ela estava me matando lentamente. eu precisava acabar com tudo antes que ela acabasse comigo. 

— Severus? 

a voz do diretor soou próxima de mim. não ergui a cabeça. escutei o som de uma cadeira arrastando até onde eu estava. me encolhi dentro do cobertor. 

— por que não posso ser feliz? porque todos me odeiam? — desabafei. 

então aconteceu, algo que ficou marcado para sempre como o início da nossa relação de pai e filho. Dumbledore me abraçou, eu fui pego de surpresa. mas depois de um tempo, retribui. e me permiti chorar até perder a voz. 

rapazes, vou tirar uma soneca agora. James? você pode lançar um feitiço repelente de non-majs? 

non-maj?

trouxa, desculpe. os franceses os chamam de non-majs e por hábito, acabei chamando-os assim.

faço a mesma coisa que o meu pai. não quero ter que conversar por mais de uma hora com aqueles três. a última coisa que vejo antes de fechar os olhos, são eles me olhando com a mesma curiosidade de antes. algo me diz que eles não vão ser os únicos com esse tipo de olhar em Hogwarts.

...

cara, nós estamos de frente para o filho de Alvo Dumbledore! Sirius está se sentindo estranho. mas ao mesmo tempo fascinado pela situação, ou no caso, por Seth.
Remus e James concordam.
Seth Dumbledore é um clone vivo e mais jovem do diretor. até mesmo os óculos eram semelhantes.
os olhos dele... Remus murmura baixinho. têm um brilho frio quando olham para outras pessoas, mas quando ele fala com o Diretor, eles ficam mais suaves.
ele é um Dumbledore, de fato. tão cheio de mistérios quanto o pai. James acrescenta.
os três continuam falando sobre o ruivo, formulando teorias sobre como a vida de Seth era antes de sua existência vazar no mundo bruxo. 

sem saberem que o ruivo estava escutando o que eles estavam falando. 

— imagina o que o restante do pessoal da ordem vai achar dele! 


Notas Finais


🙏bebam água, e não saiam de casa, ok?
eu adoro vocês.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...