1. Spirit Fanfics >
  2. Seu corpo são minhas teclas preferidas >
  3. Teclas do piano;

História Seu corpo são minhas teclas preferidas - Capítulo 1


Escrita por:


Notas do Autor


Oláaaaaaaaa, tudo bem?
Então, eu não faço a mínima ideia de onde tirei uma inspiração para escrever uma mini fic assim... Kkkk estava pensado em pianos e foi isso que deu.
Iria ser capítulo único, mas resolvi colocar mais um ^^
Leiam com calma 🔥

Capítulo 1 - Teclas do piano;


Cada parte sua me encanta.

Cada detalhe seu me fascina.

Sua boca, deixa-me bêbado. Completamente bêbado, Park. 

A sua beleza é surreal.

Faz-me pensar se em outra vida você não foi um anjo. 

Suas pequenas mãos quando dedilham as teclas do piano, é perfeito. 

Sabe porquê?

Porque eu as imagino
percorrendo cada extensão de meu corpo. Sua respiração mesclando-se com a minha e de sua garganta saindo apenas gemidos roucos chamando-me. 

Jimin, tudo em você é perfeito. 

Eu amo o jeito que você sorri ao me ver entrando pela porta da sala de aula.

Amo quando você faz perguntas contraditórias e depois pede desculpas com suas bochechas coradas. 

Ou quando você encosta, sem querer, em mim e solta uma pequena gargalhada como se eu fosse lhe beijar ou agarrá-lo ali mesmo, naquela sala. Estando somente eu, você e o piano que nos uniu.

E eu tenho vontade de fazer isso. Você não tem ideia de quantas vezes eu quis te tocar. Não sabe quantas noites fiquei sem dormir por estar pensando em você. 

Mas, será que você também pensa em mim? 

Todos da escola sabem da "quedinha" que você, Park, tem por mim. A primeira vez que ouvi esse boato, fiquei tão feliz que logo perguntei a você, com calma, é claro. Contudo, você negou e ainda disse que gostava de outra pessoa. 

Aquilo partiu meu coração. Entretanto, me manti forte como um profissional deve manter-se.

Todas às vezes que lhe vejo rindo ou sendo abraçado por outro homem, fico me perguntando o porquê de não ser eu no lugar. 

Sou tão ruim assim para você? Não sou perfeito o bastante? Não passo de um mero professor? Então, é assim que você me vê, Park Jimin? Como um nada?

Hoje, ao entrar em minha sala e arrumar alguns papéis que encontravam-se espalhados pelo chão, um colega de Jimin veio falar comigo.

A princípio eu estranhei, já que Min Yoongi parecia não gostar de mim, mas o que ele me disse realmente me interessou e deixou-me com minhas esperanças no topo novamente. 

"O Jimin gosta de você. Ele só tem medo que o machuquem outra vez."

Quem seria capaz de machucar um ser humano como ele? 

Tão doce e delicado? Tão forte e determinado? 

Não conseguia compreender. Tinha que ser uma pessoa muito ruim para fazer isso. Jimin não merece sofrer.

Ninguém merece.

O som de Beethoven soava calmamente na sala. Meus dedos corriam por cada tecla enquanto meus olhos estavam fechados apreciando a sincronia da música. Meu corpo balançava conforme cada toque e meus pesamentos estavam todos voltados em um garoto, que possivelmente, estava a caminho de minha sala. 

O clima estava gostoso. O céu nublado, as janelas abertas e a sala um pouco escura deixava tudo bem agradável. Um leve cheirinho de menta alastrou-se no local. 

Dois toques foram desferidos com sutileza na porta de ferro. 

Sr. Jeon?

Sua famosa frase a ser direcionada a mim sempre que me via.

Aquela frase fazia os pelos de meu corpo arrepiar-se. Não me mexi, permaneci com os olhos fechados porém com um sorriso nos lábios. 

Ele se aproximou. 

Pude escutar seus passos na madeira da sala, fiz de tudo para não perder o foco da música, mas foi impossível. 

Eu havia dito para ele uma coisa um dia, só que... Foi como uma forma de escapamento. Lembro-me exatamente do seu olhar confuso ao ouvir o que eu dissera.

Park Jimin, você é tão inocente, anjo...

"— Quando eu estou tocando piano, é como se minha mente desligasse do mundo e eu não ouvisse mais nada além da música que toco.

— É sério, sr. Jeon? — Sorriu. — Então... Se eu lhe beijar, quer dizer que você não irá sentir? — Encarei seu rostinho vermelho. — Não que eu queira lhe beijar... Eu só-

— Não, anjo. Eu não irei sentir."

É claro que eu sinto.

Jimin já tocou meu rosto e chegou a apertar minha coxa, apenas isso. Eu, como sou um bom ator, finjo não sentir nada. 

Mas estava na cara o quanto sentia e queria mais.

Suas mãos escorregaram para meus ombros, quase sorri ao sentir um pequeno beijo sendo depositado em minha bochecha. Ele estava perdendo a noção do perigo. Não acredito que Jimin havia se atrevido a fazer uma coisa dessas.

Eu queria parar de tocar, puxá-lo para um beijo e matar toda essa sede que corre dentro de mim para experimentar seus lábios carnudos. 

Porra, Park Jimin! Por que você tem que ser assim? 

Meus dedos pararam, Jimin se afastou e eu ri levantando-me do banco para poder sentar-me de frente para ele que encontrava-se como sempre; o uniforme folgado em seu corpo mas destacando bastante suas curvas, os cabelos pretos bagunçados e o rostinho inocente olhando para algum ponto no chão que até agora não achei.

— Faz muito tempo que está aqui?

— Acabei de chegar. — Sorri mordendo o lábio. — Por que me chamou? Achei que fosse me dar aula amanhã...

— Tenho perguntas a serem feitas e procuro que às mesmas sejam respondidas. — Indiquei com meu dedo para que ele se aproximasse. — Vem aqui.

— Sr. Jeon... — Ele se aproximou parando de frente para mim. — O que está-

Segurei suas coxas e o puxei para frente fazendo-o sentar em meu colo com as duas mãos em meu pescoço. Levei minhas mãos até sua cintura e o olhei vendo seu rosto ganhar um tom rosado.

Gracioso. 

— Sr. Jeon... Eu vou sair daqui.

— Me chame de Jungkook. — Sorri. — Não estou incomodado. Pode ficar aqui.

— Não é isso... É que...

— Se não se sente bem, pode sair. — Tirei minhas mãos. — Não irei fazer nada que você disser para não fazer. 

Surpreendendo-me, Park Jimin colocou novamente minhas mãos em sua cintura.

Eu posso te beijar, Jungkook?


Notas Finais


Espero que vocês tenham gostado. ❤
Alguém sabe tocar piano? Eu queria 😞

Continua...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...