História Seu Jeitinho Arrogante - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Boruto Uzumaki, Chomaru Akimichi, Chouchou Akimichi, Chouji Akimichi, Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Guren, Himawari Uzumaki, Hinata Hyuuga, Ino Yamanaka, Inochi Yamanaka, Inojin Yamanaka, Itachi Uchiha, Kagura, Kakashi Hatake, Karin, Kushina Uzumaki, Madara Uchiha, Metal Lee, Minato "Yondaime" Namikaze, Mitsuki, Naruto Uzumaki, Neji Hyuuga, Obito Uchiha (Tobi), Orochimaru, Personagens Originais, Rock Lee, Sai, Sakura Haruno, Sarada Uchiha, Sasuke Uchiha, Tamaki, Temari, TenTen Mitsashi, Tsunade Senju
Tags Amor, Borusara, Boruto, Boruto Uzumaki, Chouchou, Declaração, Drama, Inojin, Ladycandycandy, Mitsuki, Naruto, Revelaçoes, Romance, Sarada, Sarada Uchiha, Shikadai
Visualizações 317
Palavras 1.520
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Ficção Adolescente, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Suspense
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Nudez, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Não consigo parar de postar! *0*
Gente, eu precisava postar ou ia infartar! Sério! Não canso de postar e ideias só surgem! :3 estou tão feliz *^* que emoção! Boa leitura amados!!

Capítulo 10 - Capítulo dez - Brincadeira de criança.


Fanfic / Fanfiction Seu Jeitinho Arrogante - Capítulo 10 - Capítulo dez - Brincadeira de criança.

Brincadeira de criança

A garota ainda lembrava...

Na entrada da casa dos Uchihas, existia um portão de ferro que permanecia trancado na maior parte do seu tempo. A menina, a única filha do casal que lá vivia, nunca saía.

Enquanto as crianças viviam suas infâncias felizes correndo ao ar livre e brincando de mãos dadas, a garota passou toda sua fase juvenil trancada na casa.

Não era como se Sarada fosse impedida de sair, mas a garota seguer colocava o pé para fora da casa. Ela preferia apenas observar lá fora da janela do seu quarto.

A janela do andar de cima era sua única forma de ver o 'mundo lá fora', definido assim por ela mesma. Ela se isolava do mundo, de tudo e todos, e se prenderá a solidão.

Sozinha, ela observava tudo da janela, apoiada na mesma e a olhar curiosa para o lado de fora, sorrindo minimamente com a felicidade alheia, sentindo também... Dor.

A garota sempre chorava, encolhida e de costas a janela. Ela queria sair, brincar, ser uma criança normal, mas alguns fatores a impediam de ser a mesma de antes.

Sarada era uma criança magoada, e por isso, nunca parecia estar feliz... Ela sequer se permitia sorrir.

...

Sarada! — A voz agoniante de Chou-Chou despertou Sarada, que num subto puto, acabava de voltar a realidade.

A morena, assustada, buscou se recompor o mais breve possível, lembrando aos poucos que estava agora acompanhada por Chou-Chou em sua lanchonete favorita.

O lugar estava quase vazio, então não havia com o que se preocupar em relação ao cochilo, mas a expressão de Chou-Chou, era algo que de certa forma acabou incomodando.

Eram poucas mesas ocupadas. Duas ou três, no máximo, continham algumas pessoas que sequer ligavam para o barulho que a morena gordinha havia feito. Estava tudo bem.

— Hm... Desculpe, Chou-Chou, acho que acabei cochilando... — Sarada se ajeitava, arrumando o óculos em seu devido lugar e logo bocejando.

— Cochilo? Acho que você não ouviu nem metade do que eu falava, então esta dormindo a um tempão! — Protestava a gordinha.

— Ah, é... Me desculpe por isso também... Do que falava? — Perguntou Sarada, arrumando o cabelo fora de ordem.

— Hm. Esqueçe. — Chou-Chou fez bico e voltou a tomar seu milkshake. — Para de trabalhar como uma condenada naquela escola. Cadê o Kagura, ele não devia te ajudar?

— Ah, bem... É que... — Ela pensou um pouco. — Aconteceram umas coisas e agora... Eu meio que tô evitando a ajuda dele... — Sarada dizia, encarando a mesa e brincando com o copo de sua vitamina.

— Se declarou para ele? — Chou-Chou perguntou, indiferente.

Sarada quase teve um ataque.

— C-como você...? — A morena a olhou, surpresa.

— Sou sua melhor amiga, e sou expert em romances e sentimentos. — A gordinha afirmou, tomando seu milkshake. — O que ele disse? 

— Ah, bem... Eu acabei correndo quando ele ficou sabendo... Depois aconteceram umas coisas... — Sarada se enrolava, envergonhada.

— Você correu? Tipo, fugiu? What? — A morena baixinha não conseguia acreditar. — E que coisas são essas? Me informe. — Ela protestava.

— Bem... De uma forma resumida, agora Boruto é o meu namorado... — Ela fez uma careta quando afirmou aquilo.

— ...Estão mesmo namorando? Aquela desculpa de que "foi uma aposta com a Himawari" que me deram naquele dia que ví vocês de mãos dadas era caô? — Perguntou Chou-Chou, surpresa.

— É, mas sobre esse namoro... Ah, Chou-Chou, é muito complicado. Ele disse que era para me ajudar, mas não entendo bem como o Kagura me notaria assim. — A morena suspirou.

— Peraí, peraí... O Boruto te pediu em namoro para te ajudar com o Kagura? Tipo, um namoro falso para que o seu crush supremo te notasse? — Perguntou a gordinha.

— É, é mais ou menos algo assim... — Sarada disse, e foi quando seu celular tocou. Ela logo o retirou do bolso e olhou a amiga.

— Vai nessa. — Disse a gordinha, terminando seu milkshake, a analisando enquando pensava.

— Alô? O que você quer comigo agora? Eu já disse que só ligasse numa emergência. — Sarada, emburrada, dizia.

Sarada, não seja má! É claro que é uma emergência, eu não ligaria se não fosse. — O loiro, do outro lado da linha, dizia.

— Fala de uma vez o que foi, criatura. — Sarada revirou os olhos.

Sabe, o Kagura e mais alguns amigos vão no cinema hoje. — Dizia o Uzumaki.

— E daí? — A morena não dava o braço a torcer.

E daí que minha linda e amável namorada, Uchiha Sarada, um doce de pessoa, bem que poderia me acompanhar. — O Uzumaki 'brincava'.

— Não, obrigada. — Ela respondeu, seca.

Sarada! Seja ao menos mais delicada e leve isso como parte do plano! Imagina o Kagura lá, ele vai ficar surpreso em ver como você vai estar linda e vai notar o quão babaca ele foi em não ter aproveitado. — O loiro a persuadia.

— ... Quando vamos? — A morena perguntou. Pode-se então ouvir a risada divertida do loiro do outro lado da linha.

As nove nos encontraremos na frente do cinema de Konoha. Estara lá certo? E muito bonita para o Kagura. — Dizia Boruto, a rir.

— Certo, vou estar. — A morena disse e desligou o celular, logo olhando a amiga. — Achou que você ouviu tudo... Preciso ir agora, Uzumaki disse que era as nove. — Explicou.

— Tudo bem, pode ir. — Disse Chou-Chou e a morena afirmou. Logo Sarada pôs o dinheiro sobre a mesa e se despediu da amiga, assim saindo.

Chou-chou, paciente, observou a amiga indo, sorrindo minimamente com a ideia de que Sarada era realmente pura a ponto de fazer algo como aquilo sem nada perceber.

— Você é mesmo ingênua, ein? Só você não notou ainda que essa estória do Boruto não faz o menor sentido. Ele poderia só ter falado com o Kagura... — Chou-chou sorria de lado. — Será que ainda não percebeu que aquele cabeçudo sabe ser espertos as vezes?

E a gordinha ria, divertindo-se.

...

Faltavam poucos minutos para as nove quando Sarada chegou ao cinema, assim como o combinado com seu "namorado". Ela logo tratou de o procurar, junto aos outros.

Sarada caminhou então um pouco, até que enfim encontrou o grupinho reunido e ao que parece, discutindo qual filme iriam assistir. Ela já se preparava para separá-los.

— Ei, o que esta acontecendo aqui? — Sarada perguntava, se metendo ao se aproximar do grupo.

— Ah, Sarada, esses malucos estão querendo escolher o filme do... — Boruto explicava, quando virou-se para vê-la.

O loiro, assim como os demais do grupo pararam a discussão, a analisando com total atenção. Era certo que ver Sarada fora de um estilo "uniforme escolar" era surpreendente.

A morena usava um shortinho jeans que iam bem acima de seus joelhos, rasgadinho, uma blusa folgadinha de ombros a mostra, all-stars, e uma bolsinha preta com feixe dourado.

— O que? — A morena perguntou, olhando de um a um, confusa.

— Você... Você é a Sarada? Cadê a farda da escola que te deixa parecida com uma professora? — Perguntou Inojin.

— Como? — Sarada perguntou.

— Inojin, que indelicado. — Shikadai interviu. — Sarada, esta muito... É... — Ele buscava as palavras, e ela o olhava, confusa.

— Linda! — Iwabe e Denki falaram de uma vez, a analisando.

— Eu ein, qual o problema de vocês? — Sarada permanecia de cara fechada, apesar de estar levemente corada.

— Ei, ei. Deixem de cercar a namorada dos outros. — Boruto os empurrava para os lados, se aproximando da garota.

Sarada arqueou uma sombrancelha.

— Poxa, Sar-... Gatinha, você esta muito linda. Isso tudo é pra mim? — Boruto se aproveitava da situação.

Sarada se segurou para não voar no pescoço do Uzumaki.

— Aham... — Ela tentou ser o mais natural possível, sorrindo minimamente, quase que a força.

— Isso não é justo! Como o Boruto conseguiu uma namorada e a Sarada, que parecia uma velha a pouco tempo na aula, agora esta a maior gata?! — Inojin protestava.

A morena se continha para não matar nenhum dos meninos.

— Ah, achei. Me desculpem gente, eu acho que perdi a hora com... — Kagura se aproximava, seu olhar logo se fixou em Sarada.

Ele se observavam, em silencio.

— Sarada... Nossa... Esta tão diferente...— O mais velho a olhava, sem palavras.

— Ah, as vezes é bom mudar... — Ela disse e riu baixinho. Ambos eram observados.

— Ela não esta gata? Eu sei, eu sei, minha namorada é muito linda, obrigado de nada. — Dizia Boruto, passando um braço sobre os ombros da menina.

— Hm... — Kagura os olhavam, sério. Ele logo tonou ar e sorriu. — Você tem toda razão, quem me dera ter essa sorte. — E ele riu baixo, fazendo a garota corar.

Os demais meninos os observavam.

— Pois é. — Boruto apertou Sarada, agora pela cintura. — Vamos ao filme né? — Ele ria, por alguma razão.

— Shikadai, Inojin, vamos logo gente! — Iwabi os apressava, seguindo a uma das salas do cinema.

— Ei, esperem! — Boruto se alarmou, seguindo a frente, levando Sarada pela mão, enquanto a mesma olhava para trás, vendo Kagura também a olhar, sorrindo de lado, e em seguida apoiando uma mão em seu peito.

Sarada ainda o amava. Amava muito mais do que ela podia imaginar...


Notas Finais


Obrigada por ler :3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...